The use of artistic expressions in Cell Biology teaching: A proposal combining active methodologies and interdisciplinarity

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i6.15779

Keywords:

Teaching; Cell Biology; Artistic Expressions; Active Methodologies; High school.

Abstract

This paper proposes an interdisciplinary strategy for teaching Cell Biology in high school through using artistic expressions and active methodologies. For this, to receive classes on the content of Cell Biology were selected control and experimental groups of 1st-year high school students from the public high school system of the Distrito Federal. In the control class, the content approach was made in an expositive way, with the organization of the students in seminars. This was a way that they already used in the school context of Biology classes. In the experimental group, there was the work with projects using artistic expressions and the development of educational products as a result of their learning about the themes related to Cell Biology. The art production included parodies, scale models, comics, drawings, and theater. An evaluation test applied to both groups revealed promising and statistically significant results for the student's learning from the experimental class concerning the control class. Furthermore, a questionnaire answered by them allows us to verify that the artistic expressions use motivated and awakened interest and involved and united all the students around the production.

References

Adkins, S. J.; Rock, R. K. & Morris, J. J. (2018). Interdisciplinary STEM Education Reform: Dishing out Art in a Microbiology Laboratory. FEMS Microbiology Letters, 365 (1), 1-8.

André, M. (2019). O que é um estudo de caso qualitativo em educação? Revista Da FAEEBA - Educação E Contemporaneidade, 22 (40), 95-103.

Araújo, L. F. S.; Dolina, J. V.; Petean, E.; Musquim, C. A.; Bellato, R. & Lucietto, G. C. (2013). Diário de pesquisa e suas potencialidades na pesquisa qualitativa em saúde. Brazilian Journal of Health Research, 15 (3), 53-61.

Barros, M. D. M.; Zanella, P. G. & Araújo-Jorge, T. C. (2013). A música pode ser uma estratégia para o ensino de ciências naturais? analisando concepções de professores da educação básica. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, 15(1), 81-94.

Bastos, K. & Faria, J. C. (2011). Aplicação de modelos didáticos para abordagem da célula animal e vegetal, um estudo de caso. ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, 7 (13), 1867-1877.

Beaulieu, E. & Petit-Turcotte, C. (2018), Gamification of learning in an introductory cell biology class. The FASEB Journal, 32: 535.35-535.35.

Cipolla, L. E. (2016). Aprendizagem baseada em projetos: a educação diferenciada para o século XXI. Tradução: Fernando de Siqueira Rodrigues, Porto Alegre: Penso, 2015. Escrito por William N. Bender. Administração: Ensino E Pesquisa, 17 (3), 567-585.

Berbel, N. A. N. (2011). As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, 32 (1), 25-40.

Biagiotti, L. C. M. (2004). Avaliação em EAD: procedimentos de avaliação educacional em cursos de longa distância da marinha do Brasil. Dissertação de mestrado, Instituto Superior de Estudos Pedagógicos, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

BRASIL, Ministério da Educação (1998). Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos: Ciências Naturais. Brasília: MECSEF.

BRASIL, Ministério da Educação (2018). Base Nacional Comum Curricular. Secretaria Executiva, Secretaria de Educação Básica. Conselho Nacional de Educação.

Cabral, E. M. C. (2009). A dialogia lúdica do professor de cursinho pré-vestibular: que diálogo é este? Dissertação de mestrado, Universidade Metodista de São Paulo, São Bernardo do Campo, SP, Brasil.

Cachapuz, A. F. (2014). Arte e ciência no ensino das ciências. Interacções, 10 (31), 95-106.

Cavalcante, E. C. B. (2011). Cinema na cela de aula: o uso de filmes no Ensino de Biologia para a EJA prisional. 2011. Dissertação de mestrado, Universidade de Brasília, Brasília, DF, Brasil.

Colorado, H. A.; Mendoza, D. E. & Valencia, F. L. (2021). A Combined Strategy of Additive Manufacturing to Support Multidisciplinary Education in Arts, Biology, and Engineering. J Sci Educ Technol 30, 58–73.

Correia, A. R. F. A. (2009). A Pedagogia em movimento: expressões artísticas para uma acção educativa inovadora. Dissertação de mestrado, Universidade da Madeira, Funchal, Portugal.

Costa, C. M. C. & Vieira, A. A. S. (2018). Metodologias Ativas: a experiência do curso MAES. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, 13 (esp1), 553-563.

Dalmoro, M. & Vieira, K. (2013). Dilemas na construção de escalas Tipo Likert: o número de itens e a disposição influenciam nos resultados? Revista Gestão Organizacional, 6 (3), 161-174.

Demo, P. (2012). Pesquisa e informação qualitativa: aportes metodológicos. Papirus.

Duarte, S. G.; Martins, C. M. M. R.; Bandeira, L. G.; Carramillo, L. C.; Gervásio, M. P. & Wanderley, M. D. (2018). Experiência interdisciplinar na educação básica e na formação de professores: artes, biologia e geociências. Terrae Didatica, 14 (3), 245–255.

Elias, M. A. & Gorla, G. C. S. L. (2020). Experiência interdisciplinar no ensino de Biologia Celular e desenho arquitetônico. Scientia TEC, 7 (2), 130-143.

Gomes, F. D. R. & Moura, F. N. S. (2020). A arte musical como metodologia ativa no ensino científico dos sistemas genitais. Experiência em ensino de ciências, 15 (3), 442-454.

Guimarães, E. G.; Castro, L. S.; Bautz, R. K. & Rocha, G. L. (2016). O uso de modelo didático como facilitador da aprendizagem significativa no ensino de Biologia Celular. Revista UNIVAP, 22 (40), 231.

Heinz, M. U.; Quintana, A. C. & Cruz, A. P. C. (2019). Desenvolvimento cognitivo e afetivo dos estudantes de Contabilidade – influência do método de caso à luz da Taxonomia de Bloom. REPEC, 13 (4), 410-428.

Júnior, A. F. N. & Souza, D. C. (2009). A confecção e apresentação de material didático-pedagógico na formação de professores de biologia: o que diz a produção escrita?. Enpec, Florinópolis, Santa Catarina, Brasil, 7.

Krathwohl, D. R. (2002). A revision of Bloom´s taxonomy: a overview. Theory in Practice, 41 (4), 212-218.

Liao C. (2016). From Interdisciplinary to Transdisciplinary: An Arts-Integrated Approach to STEAM Education, Art Education, 69 (6), 44-49.

Lima, A. B. (2019). Tecnologia educacional no contexto do ensino de citologia: uso de aplicativo educacional na produção de um ambiente virtual de ensino e aprendizagem. Dissertação de mestrado profissional, Universidade de Brasília, Brasília, DF, Brasil.

Lopes, L. O.; Oliveira, P. R. P.; Santos, K. F.; Pomari, E. & Thuler, D. (2019). O “maker” na escola: uma reflexão sobre tecnologia, criatividade e responsabilidade social. Congresso sobre tecnologias na educação, Recife, Pernambuco, Brasil, 4.

Machado, E. S. & Júnior, G. G. (2019). Interdisciplinaridade na investigação dos princípios do STEM/STEAM education: definições, perspectivas, possibilidades e contribuições para o ensino de química. Scientia naturalis, 1 (2), 43-57.

Maeda, J. (2013). STEM + Art = STEAM. The STEAM Journal, 1 (1), Article 34, 1-3.

Marafigo, A. S. (2019). história em quadrinhos na sala de aula: um diálogo entre educação e arte. Trabalho de conclusão de curso, Universidade do Extremo Sul Catarinense, Crciúma, SC, Brasil.

Menegazzo, R. F. (2018). Teatro em biologia contribui para a aprendizagem e pode ser utilizado em outras disciplinas. South American Journal of Basic Education, Technical and Technological, 5 (2), 113-124.

Monteiro, C. M. S. (2015). A expressão artística como recurso didático e motivador no ensino-aprendizagem de uma língua estrangeira: estratégias para ensinar espanhol a estudantes da área de belas artes. Dissertação de mestrado, Universidade do Porto, Porto, Portugal.

Morin, V. L. & Lüdke, E. (2019). Ensino de histologia e anatomia do aparelho reprodutor feminino através de metodologias ativas com alunas do ensino médio: um relato de experiência. Vivências, 16 (30), 15-29.

Pasqualetto, T. I.; Veit, E. A. & Araujo, I. S. (2017). Aprendizagem Baseada em Projetos no Ensino de Física: uma Revisão da Literatura. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 17 (2), 551–577.

Olga, P. (2010). Epistemologia da interdisciplinaridade. Ideação, 10 (1), 9-40.

Prodanov, C. C. & Freitas, E. C. (2013). Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. Novo Hamburgo.

Queiroz, I. R.; Mendes, N. F.; Galdino, D. A. A.; Amaral, J. H. S. & Andrade, L. O. (2018). Metodologia mapas conceituais aplicada ao ensino superior: uma experiência com a disciplina de Biologia Celular. Revista EducaOnline, 12 (3), 69-87.

Santos, A.; Medeiros, F.; Paz, A.; Junior, J. R. & Medeiros, R. (2019). Uso de projetos em salas de aula dos Institutos Federais: uma análise sob a ótica da Aprendizagem Baseada em Projetos e das competências do século 21. Revista Principia, 44, 113-121.

Santos, J. C. R.; Rocha, K. M.; Baroneza, A. M.; Fernandes, D. R.; Souza, V. V. & Baroneza, J. E. (2017). Metodologias ativas e interdisciplinaridade na formação do nutricionista. Semina: Ciências Sociais e Humanas, 38 (1), 117-128.

Santos, R. O. B. & Amorim, E. B. (2020). Metodologias ativas de ensino: taxonomia de Bloom e gamificação empregadas no ensino de engenharia. Revista de Ciências da Educação XXI, 46, 39-64.

Santos, R. S. S.; Gadelha, S. P. & Bandeira, I. C. J. (2019). Concepção de discentes sobre a aplicação de metodologias dinâmicas na monitoria de genética e biologia molecular. Encontro de Extensão, Docência e Iniciação Científica, Quixadá, Ceará, Brasil.

Setúval, F. A. R. & Bejarano, N. R. R. (2009). OS modelos didáticos com conteúdo de genética e a sua importância na formação inicial de professores para o ensino de ciências e biologia. Enpec, Florinópolis, Santa Catarina, Brasil, 7.

Silva, A. S. & Fraga, N. M. (2017). A Arte aplicada ao ensino de Biologia: confecção de modelos didáticos de microrganismos. Educação Pública, 17 (11).

Silva, T. R.; Silva, B. R. & Silva, B. M. P. (2018). Modelização didática como possibilidade de aprendizagem sobre divisão celular no ensino fundamental. Revista Thema, 15 (4), 1376-1386.

Silva, WM e Gobara, ST (2015). Teatro-Fórum: sequência didática e livreto para o ensino de biologia. Polyphonía, 26 (2), 527-541.

Silveira, J. R. A. (2018). Arte e Ciência: uma reconexão entre as áreas. Ciência e Cultura, 70 (2), 23-25.

Sousa, F. A. & Coelho, M. N. (2020). As metodologias ativas como estratégias para desenvolver a interdisciplinaridade no ensino médio. DESAFIOS Revista Interdisciplinar da Universidade Federal do Tocantins, 7 (3), 42-55.

Sumida, S. S. & Jefcoat, B. (2018). Anatomy, Animation, and Visual Effects: The Reciprocal Tools of Biology and Film-Making. Integrative and Comparative Biology, 58 (6), 1269-1278.

Túrmina, S. G. & Rodrigues, M. G. (2016). Análise da efetividade da paródia enquanto estratégia didática no processo de ensinoaprendizagem da biologia a partir da percepção discente. Cadernos PDE, I, 1-24. http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/cadernospde/pdebusca/producoes_pde/2016/2016_artigo_bio_unioeste_sandraghedinturmina.pdf

Vigario, A. F. & Cicillini, G. A. (2019). Os saberes e a trama do ensino de Biologia Celular no nível médio. Ciência & Educação (Bauru), 25 (1), 57-74.

Volkweiss, A.; Mendes de Lima, V.; Ramos, M. G. & Ferraro, J. L. S. (2019). Protagonismo e participação do estudante: desafios e possibilidades. Educação Por Escrito, 10(1), e29112.

Younas, A.; Pedersen, M. & e Durante, A. (2016). Characteristics of joint displays illustrating data integration in mixed‐methods nursing studies. International Journal of Advanced Nursing, 76 (2), 676-686.

Watson, A. D. (2015). Design Thinking for Life. Art Education, 68 (3), 12-18.

Published

19/05/2021

How to Cite

SOARES, W. dos S.; BARBOSA, M. L. de O.; SILVA, J. R. de F. . The use of artistic expressions in Cell Biology teaching: A proposal combining active methodologies and interdisciplinarity. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 6, p. e26810615779, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i6.15779. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/15779. Acesso em: 18 jun. 2021.

Issue

Section

Education Sciences