Endogenous knowledge, culture, and nature in the approach to sustainable local development in a rural community in Northeastern Brazil

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i6.16237

Keywords:

Ethnobotany; Traditional knowledge; Ecosystem; Development; Entrepreneurship.

Abstract

The knowledge that is inherent to a certain type of society and/or place, the sociocultural exchange between generations, and the possibilities that the ecosystems offer are preponderant factors for the diffusion of sustainable local development in rural communities. The objective of this study was to raise, using conceptual and empirical material, the endogenous knowledge, nature, and culture in the approach to sustainable local development in the rural community of José Gomes, Cabeceiras do Piauí, Northeast Brazil. This is a qualitative, descriptive/exploratory research under an ethnographic approach. Before data survey, Rapport was applied. The sample universe corresponded to 82 community members. Two members of each household, when possible, were interviewed. Standardized semi-structured forms and the direct observation and field journal techniques were applied. The life history method and photographic records, additionally to socioeconomic variables, were adopted in order to collect reports from community members. The collected data were tabulated in spreadsheets using the Excel 2016 software and the results led to the conclusion that endogenous knowledge combined with historical aspects based on nature and culture make it possible to achieve sustainable local development in the researched rural community.

References

Aguiar, R. B. & Gomes, J. R. C. (2004). Projeto cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea, estado do Piauí: diagnóstico do município de Cabeceiras do Piauí. Fortaleza: CPRM – Serviço Geológico do Brasil.

Aguiar, L.G.G. & Barros, R.F.M. (2012). Plantas medicinais cultivadas em quintais de comunidades rurais no domínio do cerrado piauiense (Município de Demerval Lobão, Piauí, Brasil). Revista Brasileira de Plantas Medicinais, 14 (3), 419-434.

Alves, R. J.M., Pontes, A. N. & Gutjahr, A.L.N. (2015). Caracterização socioeconômica de comunidades rurais amazônicas do estado do Pará, Brasil. Observatório de la economia latino-americana. Revista Eumed.net. http://www.eumed.net/cursecon/ecolat/br/15/socio-economia.html

Alves, A. E. S. (2016). Trabalho, vida rural e educação. Revista Histedbr On-line, 70, 163-177.

Apostolopoulos, N., Al-Dajani, H., Holt, D., Jones, P. & Newbery, R. (2018). "Entrepreneurship and the Sustainable Development Goals", Entrepreneurship and the Sustainable Development Goals (Contemporary Issues in Entrepreneurship Research, Vol. 8), Emerald Publishing Limited, pp. 1-7. https://doi.org/10.1108/S2040-724620180000008005.

Baptista, N. Q. & Campos, C. H. (2013). A convivência com o Semiárido e suas potencialidades. In. Convivência com o Semiárido Brasileiro: Autonomia e Protagonismo Social. Conti, I. L. & Schroeder, E. O. (orgs). Fundação de Apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – FAURGS/REDEgenteSAN / Instituto Ambiental Brasil Sustentável – IABS /Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento – AECID / Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome - MDS/Editora IABS, Brasília-DF, Brasil.

Batista, W. F. M., Santos, K. P. P., Figueiredo, L. S., & Barros, R.F.M. (2016). Sociedade e Cultura: o caso da comunidade rural Novo Nilo. Espacios, 37 (3), 20.

Batista, M. L. P., Macedo, E. M., Silva, A. J. & Barros, R. F. M. (2020). Potenciais e limites do empreendedorismo sustentável como variáveis para o desenvolvimento local: experiências em uma comunidade rural piauiense. Brazilian Journal of Development, 6 (5), 28444-28462. DOI:10.34117/bjdv6n5-333

Beck, U. (1999). World Risk Society. Cambridge, Uk: Polity Press.

Bernard, H. R. (1988). Research methods in cultural anthropology. Sage. Newbury Park, CA, EEUU.

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. (2018). O crescimento da economia brasileira 2018-2023. https://web.bndes.gov.br/bib/jspui/bitstream/1408/14760/1/Perspectivas%202018-2023_P.pdf.

Brasil. (2011). Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e Secretaria da Agricultura Familiar (SAF). Sistema de Gerenciamento Garantia Safra. Programas. http: www.mda.gov.br.

Buainain, A. M. & Garcia, J. (2013). Développement rural dans la région semi-aride du Brésil : transformations récentes, défis et perspectives. Revue franco-brésilienne de géographie, 19, 1-24.

Canclini, N. G. (1983). As culturas populares no capitalismo. São Paulo: Brasiliense.

Cândido, A. (1964). Os parceiros do Rio Bonito. Estudos sobre o caipira paulista e a transformação dos seus meios de vida. São Paulo, Duas Cidades.

Castañeda, R. A., Doan, D. D.T., Newhouse, D. L., Nguyen, M.C., Uematsu, H. & Azevedo, J. P. W. D. (2018). A new profile of the global poor. World Development, 101, 250-267.

Castro, A. A. J. F. 2007. Unidades de planejamento: uma proposta para o estado do Piauí com base na dimensão diversidade de ecossistemas. Conservação de Ecossistemas 18: 1-28.

Castells, M. (1999). A Sociedade em rede. São Paulo. Paz e Terra.

Castells, M. (2008). O poder da Identidade. São Paulo: Paz e Terra.

Castro, A. A. J. F. (2007). Unidades de planejamento: uma proposta para o estado do Piauí com base na dimensão diversidade de ecossistemas. Conservação de Ecossistemas, 18, 1-28.

Cavignac, J. A. (1999). Festas e penitências no sertão. Vivência, 13, 40-54.

Chianca, L. O. (1999). Para onde vai a cidade? Festa junina em Natal/RN. Vivência, 13, 55-69.

Serviço Geológico do Brasil- CPRM. (2010). Geodiversidade do Estado do Piauí. Recife. Recuperado de http://www.cprm.gov.br/publique/?tpl=home.

Coutinho, E. A. & Fiúza, A. L. C. (2019). A mobilidade cotidiana campo-cidade nas sociedades rurais em Cajuri e Coimbra/MG. Revista Nera, 22 (49), 59-82.

Ellen, R. & Harris, H. (1999). Embeddedness of indigenous environmental knowledge. In: Posey, D. (eds). Cultural and Spiritual Values of Biodiversity: A Complementary Contribution to the Global Biodiversity Assessment.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - EMBRAPA. Solos do Nordeste. 2014. Unidade de Execução de Pesquisa e Desenvolvimento de Recife.

Ferreira, A. G. & Mello, N. G. S. (2005). Principais sistemas atmosféricos atuantes sobre a região nordeste do Brasil e a influência dos Oceanos Pacífico e Atlântico no clima da região. Revista Brasileira de Climatologia, 1 (1), 15-28.

Flick, U. (2009). Desenho da pesquisa qualitativa. Coleção Pesquisa Qualitativa. Porto Alegre: Bookman, Artmed.

Fonseca, R. G. & Santos, A. J. C. (2009). A influência de “modos de vida” rurais na cidade de Ituiutaba – MG. Anais ... IV Simpósio Internacional de Geografia Agrária e V Simpósio Nacional de Geografia Agrária. http://www.uff.br/vsinga/trabalhos/Trabalhos%20Completos/Rog%E9rio%20Gerolineto%20Fonseca.pdf.

Freitas, S. T., Pamplin, P. A. Z., Legat, J., Fogaça, F. H. S. & Barros, R.M. (2012). Conhecimento tradicional das marisqueiras de Barra Grande, Área de Proteção Ambiental do Delta do Rio Parnaíba, Piauí, Brasil. Revista Ambiente e Sociedade, 15 (2), 91-110.

Galvão Junior, A. C., Custódio, A. M. B. & Duarte, C. S. (2018). Acesso à agua nas regiões norte e nordeste do brasil: desafios e perspectivas. Instituto Trata Brasil. Recuperado de http://tratabrasil.org.br/images/estudos/acesso-agua/tratabrasil_relatorio_v3_A.pdf.

Geertz, C. (1999). A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC.

Gerritsen P.R.W. (2012). Diversity (still) at stake’: a farmers’ perspective on biodiversity and conservation in Western Mexico. In: Arts, B.; Van Bommel, S.; Ros-Tonen, M.; Verschoor, G. (eds). Forest-people interfaces: from local creativity to global concerns.

Giraldo, O. F. (2015). Agroecología y complejidad. Acoplamiento de la técnica a la organización ecosistémica. Polis Revista Latinoamericana, 41, 1-21.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística- IBGE. (2010). População. https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/populacao.html.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. (2015). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios-PNAD. https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/trabalho/9127-pesquisa-nacional-por-amostra-de-domicilios.html?=&t=o-que-e

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. (2020). Geociências, organização do território, malhas territoriais. https://www.ibge.gov.br/geociencias/organizacao-do-territorio/malhas-territoriais.html

Inter-American Development Bank-IADB. (2014). America Latina frente a la desigualdad. Washington, D. C.

Lagares, M. & Almeida, M. G. (2009). Ambiente e apropriação do cerrado: o uso do calendário agrícola de produção no trabalho e na conformação dos territórios festivos rurais. Geografares, 7, 23-34.

Laplantine, F. (2000). Aprender antropologia. São Paulo: Brasiliense.

Lopes Júnior, O. P. (2001). Festa e Religiosidade. Vivência, 13, 31- 38.

Malinowski, B. (1922). Argonautas do pacífico ocidental. São Paulo, SP: Abril Cultural.

Mattos, C. L. G. (2011). A abordagem etnográfica na investigação científica. In: Mattos, C. L.G. & Castro, P.A (orgs). Etnografia e educação: conceitos e usos [online]. Campina Grande: EDUEPB.

Mota, A. A. S. & Santos, R. Z. (2011). A influência da televisão no desenvolvimento regional no município de Palmas (TO). Redes, 16 (1), 111 – 137.

Medeiros, E. M., Batista, M. L. P., Figueiredo, L. S, Barros, R. F. M. (2020). Elementos sociais, econômicos e culturais constitutivos de uma comunidade quilombola no Nordeste do Brasil. Research Society and Development, 9 (11), e4939119827.

Mello, C. L. (2015). O artesanato rural na dinâmica do desenvolvimento territorial – entre a preservação e a comercialização. Revista IDeAS, 9 (1), 103-140.

Oliveira, R. C. (1988). Sobre o pensamento antropológico. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro; Brasília: CNPq.

Palhares, V. L. & Costa, P. C. (2018). Desenvolvimento rural e extrativismo: a cadeia produtiva do musgo na comunidade rural André do Mato Dentro, Santa Bárbara/MG. Revista Cerrados, 16 (1), 03-22.

Paula Filho, G. X., Calvi, M. F. & Castro, R. R. A. (2016). Socioeconomic Analysis of Rural Credit and Technical Assistance for Family Farmers in the Transamazonian Territory, in the Brazilian Amazon. Journal of Agricultural Science, 8 (10), 177-188.

Pereira A. S. et al. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [free e-book]. Santa Maria/RS. Ed. UAB/NTE/UFSM.

Pimentel, S. V. (1997). O chão é o limite: A festa do peão de boiadeiro e a domesticação do Sertão. Goiânia: UFG, 1997.

Ploeg, J. D. & Long, A. (1994). Born from Within: Practice and Perspectives of Endogenous Rural Development.

Rashid, L. (2019). Entrepreneurship Education and Sustainable Development Goals: A literature Review and a Closer Look at Fragile States and Technology-Enabled Approaches. Sustainability, 11 (5343), 1-23. Doi: 10.3390/su11195343

Rist, S., Boillat, S., Gerritsen, P. R. W., Schneider, F., Mathez-Stiefel, S. L. & Tapia, N. Endogenous knowledge: Implications for sustainable development. (2011). In Research for Sustainable Development: Foundations, Experiences, and Perspectives. Perspectives of the Swiss National Centre of Competence in Research (NCCR) North-South. Ed. Urs Wiesmann and H. Hurni, Bern: University of Bern.

Sabourin, E. (2011). Sociedades e organizações camponesas: uma leitura através da reciprocidade. Porto Alegre: Editora da UFRGS.

Schumpeter, J. A. (1982). Os Economistas - Teoria do Desenvolvimento Econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo econômico. São Paulo: Abril Cultural.

Soares, L. F., Oliveira, E. H., Nunes, Z. M., Nascimento, M. H., Verde, R. M. C. L. & Lima, E. M. (2020). Aspectos socioeconômicos e de condições de saúde em populações quilombolas no estado do Piauí, Brasil. Research, Society and Development, 9 (2), 1-16.

Silva, C. I. (2000). O Antropólogo e sua magia. São Paulo: Ed. Edusp, 2000.

Silva, J. G. (2001). Desenvolvimento Rural: Velhos e novos mitos do rural brasileiro. Revista Estudos Avançados, 15 (43), 1-4.

Spindola, T. & Santos, S. R. (2003). Trabalhando com a história de vida: percalços de uma pesquisa (dora?) Revista Escola Enfermagem, 37 (2), 19-26.

Silva, S. P. (2011). Políticas públicas, agricultura familiar e desenvolvimento territorial. Revista Cadernos Gestão Pública e Cidadania, 16 (58), 126-144.

Silva, L. J. S., Meneghetti, G. A., Pinheiro, J. O. C. & Guimarães, R. R. (2014). A dinâmica socioeconômica das comunidades rurais amazônicas: o caso da Comunidade de Nossa Senhora do Rosário - Parintins - AM. In: Congresso da sociedade brasileira de Economia, Administração e Sociologia rural. Anais... Goiânia: Sober.

Silva, A. J. (2016). Agricultura familiar e a desterritorialização/ desterritorialização/ reterritorialização provocada pelo agronegócio no cerrado piauiense: hibridismo sociocultural marginal em Uruçuí.Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente, Universidade Federal do Piauí, Teresina.

Silva, A. J., Monteiro, M. S. L. & Barbosa, E. L. (2020). From modernization to deterritorialization: dynamics and dilemmas of agricultural work in the Cerrado of Piauí, Brazil. Redes, 25 (2), 744-761.

Superti, E. & Silva, G.V. (2015). Comunidades quilombolas na Amazônia: construção histórico-geográfica, características socioeconômicas e patrimônio cultural no estado do Amapá. Revista Franco-Brasileira de Geografia, 23 (23), s/p.

Terceiro, A., Silva, J. J. S. & Correia, M. F. (2013). Caracterização da sociedade, economia e meio ambiente costeiro atuante à exploração dos manguezais no estado do Maranhão. Revista de Administração e Negócios da Amazônia, 5 (3), 94-111.

Ximenes, V. M., Silva, A. M. S., Esmeraldo Filho, C. E., Câmara, A. E. & Clarindo, J. M. (2019). Sentimento de comunidade e pobreza rural no nordeste, norte e sul do Brasil. Revista Subjetividade, 19 (1), e7923.

Published

09/06/2021

How to Cite

BATISTA, M. L. P.; MACÊDO, E. M. .; SILVA, A. J. da .; BARROS, R. F. M. de . Endogenous knowledge, culture, and nature in the approach to sustainable local development in a rural community in Northeastern Brazil. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 6, p. e55310616237, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i6.16237. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/16237. Acesso em: 14 jun. 2021.

Issue

Section

Human and Social Sciences