Health Surveillance & planning and evaluation in Family Health Units: A qualitative study

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i6.16275

Keywords:

Health Care; Planning; Family Health; Public Health Surveillance.

Abstract

Objective: To analyze the use of Health Surveillance tools by managerial nurses in the planning and evaluation process of Family Health Strategy teams in Northeastern Pará. Methodology: Qualitative study with 7 Nurses of Family Health Units. An interview and analysis using the Bardin and IRAMUTEC methods was performed using the Descending Hierarchical Classification and similarity analysis, producing six lexical classes represented in Dendograma, considering words with significance (p>0.05), according to total frequency (f) and chi-square (x²). Results were expressed in Dendrograma, tree of similarity and cuts of the interviews in matrix frames. Results: We obtained the cleavage of 151 text segments, taking advantage of 76.16%, 5361 words, 633 active, 95 supplementary and average of 35.5 per follow-up. Based on the similarity analysis, the word "No" is perceived as the central nucleus, linked to "Health Surveillance", "Health" and "Action", thus inferring a denial, lack, absence and/or a problematic in the analyzed context. Conclusion: The decentralization of responsibilities between municipalities did not allow performance to meet demands. The non-adherence, in the management and health care models, of the Health Surveillance tools in the Family Health Units of  Northeastern Pará is evident, therefore, the non-adjustment of actions and services in the Family Health Strategy considering local characteristics.

References

Albert, C. E., Magalhães, D. F. (2020). Saúde: planejamento e gestão pública municipal. Brasília: CNM.

Araújo, G. B., Filho, W. P. A., Santos, R. S. & Lira, R. C. M. (2017). Territorialização em saúde com instrumento de formação para estudantes de medicina: relato de experiência. SANARE, 16(1): 124-129.

Bardin, L .(2016). Análise de conteúdo. São Paulo, 1:12.

Brasil .(1990). Lei nº 8.142, de 28 de dezembro de 1990. Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília.

Brasil .(2010). Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância à Saúde. Diretrizes Nacionais da Vigilância em Saúde. Brasília.

Brasil .(2013). Ministério da Saúde (2013). Portaria Nº 1.378, de 9 de julho de 2013. Regulamenta as responsabilidades e define diretrizes para execução e financiamento das ações de Vigilância em Saúde pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios, relativos ao Sistema Nacional de Vigilância em Saúde e Sistema Nacional de Vigilância Sanitária. Diário Oficial da União.

Brasil .(2017). Ministério da Saúde. Sistema Único de Saúde (SUS): estrutura, princípios e como funcionam.

Brasil (2018). Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Guia Política Nacional de Atenção Básica – Módulo 1: Integração Atenção Básica e Vigilância em Saúde.

Brasil (2019). Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Guia de vigilância em saúde. Brasília.

Camargos, M. A., Oliver, F. C. (2019). Uma experiência de uso do georreferenciamento e do mapeamento no processo de territorialização na Atenção Primária à Saúde. Saúde Debate. Rio de Janeiro, 43(123): 1259-1269.

Carvalho, L. B., Shimizu, H. E. (2017) A institucionalização das práticas de monitoramento e avaliação: desafios e perspectivas na visão dos gestores estaduais do Sistema Único de Saúde (SUS). Interface (Botucatu), 21(60): 23-33.

Confederação nacional de municípios – CNM. (2017). Prestação de contas e transparência nos consórcios públicos.

Contandriopoulos, A. P. (2006). Avaliando a institucionalização da avaliação. Ciênc. saúde coletiva, 11(3): 705-711.

Costa, I. L. F., Trindade, C. B. S., Chaves, E. C. R., Ferreira, I. P., Lima, S. B. A., Costa, F. B., Mendonça, M. H. R. & Neto, R. L. S. (2020). Vigilância em saúde e o planejamento nas equipes de atenção primária em saúde: revisão narrativa. Revista Eletrônica Acervo Saúde, 53: 3622.

David, H. M. S. (2017). O papel do agente comunitário de saúde no fortalecimento da educação popular em saúde. Revista de Pesquisa Cuidada é Fundamental Online, 9(2): 371–378.

Denicoli, E. S. (2016). Gestão participativa: um estudo sobre a participação dos técnicos administrativos nos processos de gestão da Universidade Federal Do Tocantins. Dissertação (Mestrado Profissional em Gestão de Políticas Públicas) – Universidade Federal do Tocantins, Programa de Pós-Graduação em Gestão de Políticas Públicas, Palmas, 2016.

Ferreira, J., Celuppi, I. C., Baseggio, L., Geremia, D. S., Madureira, V. S. F. & Souza, J. B. (2018). Planejamento regional dos serviços de saúde: o que dizem os gestores? Saúde de Soc, 27(1): 69-79.

Fernandes, J. C., Cordeiro, B. C. (2018). O gerenciamento de unidades básicas de saúde no olhar dos enfermeiros gerentes. Rev enferm UFPE, 12(1).

Fonseca, B. M. C., Bragab, A. M. C. B. & Diasc, E. C. (2019). Planejamento de intervenções em Saúde do Trabalhador no território: uma experiência participativa. Rev Bras Saude Ocup, 44(36).

Furtado, J. P. (2018). Planejamento e Avaliação em Saúde: entre antagonismo e colaboração. Cad. Saúde Pública, 34(7).

Guedes, E. V. B., Andrade, S. M. P. (2018). Diagnóstico situacional: ferramenta importante para o planejamento das ações de saúde bucal no programa saúde na escola. Aracaju. Monografia (Bachareal em Odontologia) - Universidade Tiradentes

Instituto de pesquisa econômica aplicada-IPEA. (2018). Federalismo, Integralidade e Autonomia no SUS: Desvinculação da Aplicação de Recursos Federais e os Desafios da Coordenação.

Kroth, D. C., Guimarães, R. M. (2019). Pacto pela Saúde: efeito do tempo na eficácia da gestão municipal. Revista De Administração Pública, 53(6): 1138-1160.

Lotta, G. (2019). Teoria e análises sobre implantação de políticas públicas no Brasil. Brasília: Enap: 324.

Marques, L. D. (2015). Situação de saúde do município de Panambi: Avanços e desafios para gestão. Panambi. Dissertação (Especialização em Gestão em saúde) – Universidade Federal doRio Grande do Sul.

Melo, M. A. S., Coleta, M. F. D., Coleta, J. A. D., Bezerra, J. C. B., Castro, A. M.. & Melo, A. L. S. (2018). Percepção dos profissionais de saúde sobre os fatores associados à subnotificação no Sistema Nacional de Agravos de Notificação. Rev. Adm. Saúde, 18(71).

Netto, G. F., Villardi, J. W. R., Machado, J. M. H., Souza , M. S., Brito, I. F., Santorum , J. A., Reis, C. O. O. & Fenner, A. L. D. (2017) Vigilância em Saúde brasileira: reflexões e contribuição ao debate da 1a Conferência Nacional de Vigilância em Saúde. Ciência & Saúde Coletiva, 22(10): 3137-3148.

Pinafo, E., Carvalho, B. G. & Nunes, E. F. P. (2016). Descentralização da gestão: caminho percorrido, nós críticos e perspectivas. Ciênc. Saúde coletiva, 21(5):1511-15

Queiroz, R. S., Valente, G. S. C. (2019). Diagnóstico situacional em unidade básica de saúde: contribuições para o campo da saúde coletiva. Revista Enfermagem Atual In Derme, 88(26).

Recktenwaldt, M ., Junges, J. R (2017). A organização e a prática da Vigilância em Saúde em municípios de pequeno porte. Saúde Soc. São Paulo, 26(2): 367-381.

Souza, P. C., Scatena, J. & Henrique G. (2010). Avaliação normativa: utilizando indicadores de produção para analisar um hospital no contexto do sistema local e regional de saúde. Rev. adm. Saúde, 11(43): 63-74.

Treviso, P. (2017). Competências do enfermeiro na gestão do cuidado. Rev. Adm. Saúde, 17(69).

Voltolini, B. C. (2019). Reuniões da estratégia saúde da família: um dispositivo indispensável para o planejamento local. Texto Contexto Enfermagem (online), 28:e20170477.

Wolfart, J. M ., Amthauer, C., Silva, A. M. F., Lebens, D. E.. & Moura, G. S. (2020). A construção do diagnóstico situacional de saúde de uma estratégia saúde da família de São Miguel do oeste, Santa Catarina. Anuário Pesquisa e Extensão Unoesc São Miguel do Oeste, 5: e24613.

Published

08/06/2021

How to Cite

COSTA, I. L. de O. F. .; TRINDADE, C. B. dos S. .; FERREIRA, I. P. .; NUNES, S. F. .; SANTOS, V. R. C. dos .; LIMA, V. L. de A. .; LIMA, S. B. de A. .; CHAVES, E. C. R. . Health Surveillance & planning and evaluation in Family Health Units: A qualitative study. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 6, p. e60010616275, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i6.16275. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/16275. Acesso em: 15 jun. 2021.

Issue

Section

Health Sciences