Use of native species in the restoration of forest ecosystems altered by pebble removal in the northeast of Pará

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i9.16937

Keywords:

To plant; Recovery; Altered areas; Degraded areas; Mining.

Abstract

Pebble mining operations in the municipality of Ourém begin with deforestation, clearing, excavation, loading, transport and restoration of mined areas. The objective of this work is to recommend the use of pre-selected native forest species with ecological characteristics to favor the rapid recovery of an environmental area degraded by the removal of pebbles. The data collection procedure was planned according to the general and specific objectives of the research, with data collection being carried out from secondary and primary sources. The road was used as a path to cover a length of 3 km to carry out the forestry diagnosis. Forest identification was carried out by observing adult individuals on both sides of the road. The list of species acquired in the mining company's area can help in the recovery of areas altered by pebble mining activities in the municipality of Ourém – PA and other areas with similar characteristics. The numerous presence of sun-tolerant families and pioneer species demonstrates the floristic diversity of this environment and the quality of the site. Typical species from Amazonian tropical forests such as Bertholletia excelsa Humb were recorded. & Bonpl, Aniba rosaeodora Ducke and Vouacapoua americana Aubl., demonstrating that we need to revegetate degraded ecosystems.

References

Abreu, G. (2020). Pará é o estado brasileiro que mais exporta produtos minerais. Secom- Secretaria de Comunicação do Estado do Pará. Atualizado em10/07/2020. https://agenciapara.com.br/noticia/20707/.

Ávila, F. (2006). Árvores da Amazônia. Empresa das Artes. 245 p.

Brienza Júnior, S., Vieira, I. C. G, & Yared, J. A. G. (1995). Considerações sobre recuperação de áreas alteradas por atividades agropecuária e florestal na Amazônia brasileira. Belém: EMBRAPA-CPATU, Documentos, 83. 27p.

Carvalho, J. E. U. De, Müller, C. H., & Nascimento, W. M. O. (1999). Métodos de Propagação do Bacurizeiro (Platonia insignis Mart.). Embrapa-CPATU, Comunicado Técnico, 11. 5p.

CNCFlora. (2012). Vouacapoua americana in Lista Vermelha da flora brasileira versão 2012.2 Centro Nacional de Conservação da Flora. http://cncflora.jbrj.gov.br/portal/pt-br/profile/Vouacapoua americana.

Embrapa Amazônia Oriental. 2004. Espécies arbóreas da Amazônia no. 6: Angelim-vermelho, Dinizia excelsa. Embrapa Amazônia Oriental, Belém, PA. 6p.

Fapespa. (2016). Estatística Municipal: Ourém. Governo Do Estado Do Pará, Diretoria De Estatística E De Tecnologia E Gestão Da Informação. http://www.parasustentavel.pa.gov.br/wp-content/uploads/2017/04/Ourém.pdf.

Faria, J. M. R., Davide, A. C.& Botelho, S. A. (1997). Comportamento de espécies florestais em área degradada, com duas adubações de plantio. Cerne, Lavras, 3, 25-77.

Ferraz, I. D. K., Filho, N. L., Imakawa, A. M., Varela, V. P. & Piñarodrigues, F. C. M. (2004). Características básicas para um agrupamento ecológico preliminar de espécies madeireiras da floresta de terra firme da Amazônia Central. Acta Amazonica. 34(4): 621-633.

Ferreira, G. C. & Hopkins, M. J. G. 2004. Manual de identificação botânica e anatômica – Angelim. Embrapa Amazônia Oriental. 101p.

Ferreira, G. C., Hopkins, M. J. G., & Secco. R. S. (2004ª). Contribuição ao conhecimento morfológico das espécies de leguminosae comercializadas no estado do Pará, como “angelim”. Acta Amazonica. 34(2) 219-232.

IBGE- Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2017)| Brasil Pará Ourém. v4.6.2. https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pa/ourem/panorama.

Maini, L.S. (1992). SustainabIe development of forests. Unasylva. 169, 3-8.

Mesquita, M. R., Ferraz, I. D. K., & Camargo, J. L. C. Angelim-vermelho. Dinizia excelsa Ducke. Fabaceae. (2009). Manual de sementes da Amazônia. Fascículo 8. 2009. 11 p. https://www.inpa.gov.br/sementes/manuais/fasciculo8_Dinizia_excelsa_WEB.pdf.

Moreira, P. R. (2004). Manejo do solo e recomposição da vegetação com vistas a recuperação de áreas degradadas pela extração de bauxita, Poços de Caldas, MG.155 f. Tese (Doutorado em Ciências Biológicas) - Universidade Estadual Paulista, Rio Claro.

Nappo, M. E. (2002). Dinâmica da regeneração natural de espécies arbóreas e arbustivas no sub-bosque de povoamentos de Mimosa scabrella Bentham, em área minerada, em Poços de Caldas-MG. 2002. 86 f. Tese (Doutorado em Ciências Florestais) - Universidade Federal de Viçosa.

Oliveira-Filho, A. T. (2012). TreeAtlan 2.0, Flora arbórea da América do Sul cisandina tropical e subtropical: Um banco de dados envolvendo biogeografia, diversidade e conservação. Universidade Federal de Minas Gerais. http://www.icb.ufmg.br/treeatlan.

Pinheiro, C. S. S. Extração de areia e seixo desenvolvimento ou degradação? O caso de Porto Grande/AP. Dissertação (MESTRADO). Universidade Federal do Pará. Belém – Pará. 134 p. 2016.

RADAMBRASIL. (1976). Folha SA.21 - Santarém. Rio Janeiro: Ministério das Minas e Energia, Departamento Nacional da Produção Mineral. 10. 310-414.

Rodrigues, R. R. & Gandolfi, S. (2004). Conceitos, tendências e ações para a recuperação de Florestas Ciliares. In Rodrigues, R.R. & Leitão Filho, H.F. Matas Ciliares: Conservação e Recuperação. EDUSP/FAPESP 235-247.

Salomão, R. Paiva, Santana, A. C., & Brienza Júnior, S. (2013). Seleção de espécies da floresta ombrófila densa e indicação da densidade de plantio na restauração florestal de áreas degradadas na Amazônia. Ciência Florestal, 23, 139-151.

Salomão, R. P., Brienza Júnior, S. & Santana, A. C. (2012). Análise da florística e estrutura de floresta primária visando a seleção de espécies-chave, através de análise multivariada, para a restauração de áreas mineradas em unidades de conservação. Revista Árvore, 36,. 989-1008. https://doi.org/10.1590/S0100-67622012000600001.

Santana, A. C., Santana, Á. L., Oliveira, C. M. & Costa, N. L. (2016). O Valor Econômico da Extração de Madeira em Tora na Ilha do Marajó, Pará. 22, Brazilian Journal of Theoretical and Applied Economics, Universidade de Passo Fundo. DOI: https://doi.org/10.5335/rtee.v22i47.6812.

SEMA-PA. Extração e Movimento de Toras de Madeira Nativa. Período de 1/1/2006 até 23/10/2011.

Silva, L. G. T., Silva, B. N. R. Da, Rocha, A. M. A. Da, & Sarmanho, S. M. N. (1998). Interação de fatores biofísicos e do uso da terra na dinâmica da paisagem do município de Ourém, Pará, em sistema de informação geográfica. Belém: Embrapa-CPATU. Documentos, 133. 33p.

Souza, C. R. De, Azevedo, C. P. De., Rossi, L. M. B., & Lima, R. M. B. De. (2008). Castanha-do-brasil (Bertholletia excelsa Hurnb. & Bonpt).). Manaus: Embrapa Amazônia Ocidental. Documentos, 60. 22 p.

Souza, C. R. De, Lima, R. M. B. De, Azevedo, C. P. De, & Rossi, L. M. B. (2006). Andiroba (Carapa guianensis Aubl.). - Manaus: Embrapa Amazônia Ocidental. Documentos, 48, 21 p.

Souza, C. R. De, Lima, R. M. B. De, Azevedo, C. P. De, & Rossi, L. M. B. (2004). Taxi-branco (Sclerolobium paniculatum Vogel)-Manaus: Embrapa Amazônia Ocidental, Documentos, 34, 23 p.

Swaine, M. D. & Withmore, T. C. (1988). On the definition of ecological species groups in tropical rain forests. Vegetation, 75: 81-86.

Varty, N., & Guadagnin, D. L. (2011). Vouacapoua americana in IUCN Red List of Threatened Species..2, IUCN. IUCN. www.iucnredlist.org.

Published

26/07/2021

How to Cite

SOUSA, E. J. B. de .; PINHEIRO, K. A. O. .; CARNEIRO, F. da S. .; PINHEIRO, G. L. .; SOUSA, J. do C. M. de .; AMORIM, M. B. .; FRAZÃO, A. da S. .; CASTRO , C. V. B. .; RIBEIRO, E. G. P. . Use of native species in the restoration of forest ecosystems altered by pebble removal in the northeast of Pará. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 9, p. e32310916937, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i9.16937. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/16937. Acesso em: 18 sep. 2021.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences