Worker's health from the perspective of managers of a Federal Public University

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v8i12.1708

Keywords:

Occupational health; government employees; universities.

Abstract

The lack of knowledge in the health of the worker allied to the exercise of ineffective managerial practices can hinder the delimitation of the epidemiological profile of the workers, making prevention and care actions necessary. This article identified the main reasons for the removal of servers from the academic units / agencies of a Federal Public University in the year 2017 and the knowledge of the managers of these units on workers' health and their management practices. In order to obtain the data on departures, we searched for records of medical records and the medical expertise module of the server's health. To identify knowledge and management practices a semi-structured questionnaire composed of 34 questions was used. Descriptive analysis of the data was carried out in the form of absolute and relative frequency. A total of 37 managers of academic units / agencies participated in the study, where it was identified that 89.2% of the participants did not present any training courses in management and 91.9% in management of workers' health, which may negatively impact practice management practices. Most of the server departures were related to musculoskeletal diseases (15.4%) and mental disorders (12.6%). The training of workers' health managers can improve knowledge and favor the implementation of preventive actions by the institution

Author Biographies

Naira Bernardes Pícolo, Universidade Federal de Goiás

Médica do Trabalho e Servidora do Subsistema Integrado de Atenção à Saúde do Servidor da UFG (SIASS/UFG)

Mestre em Ensino na Saúde pela Faculdade de medicina pela UFG

Dione Marçal Lima, Universidade Federal de Goiás

Doutorado em Ciências da Saúde, pela Universidade de Brasília (2008).

Professora Associada da Faculdade de Farmácia da Universidade Federal de Goiás

Ana Lúcia de Melo Leão, Universidade Federal de Goiás

Bacharel em Enfermagem pela UFG

Doutora em Medicina Tropical e Saúde Pública, área Epidemiologia, pela Universidade Federal de Goiás.

References

Aguiar, G. A. S., & Oliveira J. R. (2009). Absenteísmo: Suas principais causas e conseqüências em uma empresa do ramo de saúde. Revista de Ciências Gerenciais, 13(18), 95-113.

Almeida, L. J. C. (2010). Afastamentos por transtornos psiquiátricos em servidores públicos estaduais do Tocantins entre 2006 e 2008. Dissertação em mestrado, Universidade de Brasília, Brasília, Distrito Federal, DF, Brasil. Disponível em: <http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/8457/1/2010_LiconlnJoseCuetodeAlmeida.pdf>. Acesso em 16 dez 2017.

Andrade, T. B. de, Souza, M. G. C. de, Simões, M. P. C., & Andrade, F. B. de. (2008). Prevalência de absenteísmo entre trabalhadores do serviço público. Scientia Medica, 18(4), 166-171.

Ayres, J. R. C. M. (2011). Desenvolvimento histórico-epistemológico da Epidemiologia e do conceito de risco. Cadernos de Saúde Pública, 27(7), 1301-1311.

Barbosa, M. A. C., & Mendonça J. R. C. (2014). O Professor-Gestor em Universidades Federais: alguns apontamentos e reflexões. Teoria e Prática em Administração, 4(2), 131-154.

Batista, I. (2014). Absenteísmo por licença médica em servidores de uma instituição federal de ensino superior em Minas Gerais. Dissertação em mestrado, Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais, MG, Brasil.

Bizarria, F. P. A., Frota, A. J. A., Brasil, A. G. de, & Tassigny, M. M. (2014). Ações públicas voltadas para a promoção da saúde do trabalhador: análise da política destinada a saúde do servidor público federal. Revista Eletrônica Gestão & Saúde, 5(3), 2019-2030.

Borsoi, I. C. F. (2007). Da relação entre trabalho e saúde à relação entre trabalho e saúde mental. Psicologia & Sociedade, 19(Supl. spe), 103-111.

Brasil. (1987). Decreto nº 94.664 de 23 de julho de 1987. Aprova o plano único de classificação e retribuição de cargos e empregos de que trata a Lei nº 7.596, de 10 de abril de 1987. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 24 de julho de 1987.

Brasil. (2009). Decreto nº 6.833, de 29 de abril de 2009. Política de Atenção à Saúde e Segurança do Trabalho do Servidor Público Federal – PASS. Institui o Subsistema Integrado de Atenção à Saúde do Servidor Público Federal - SIASS e o Comitê Gestor de Atenção à Saúde do Servidor. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 30 de abr. 2009.

Brasil. (2010). Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Portaria Normativa nº 3 de 07 de maio de 2010. Estabelece orientações básicas sobre a Norma Operacional de Saúde do Servidor – NOSS, aos órgãos e entidades do Sistema de Pessoal Civil da Administração Pública Federal - SIPEC, com o objetivo de definir diretrizes gerais para implementação das ações de vigilância aos ambientes e processos de trabalho e promoção à saúde do servidor. Brasília, 2010.

Brasil. (2013). Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Portaria Normativa nº 3 de 25 de março de 2013. Institui as diretrizes gerais de promoção da saúde do servidor público federal que visam orientar os órgãos e entidades do Sistema de Pessoal Civil da Administração Federal - SIPEC. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 27 de março de 2013.

Política Nacional de Segurança e Saúde do Trabalhador (2004). Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_naci-onal_seguranca_saude.pdf>. Acesso em 16 dez. 2016.

Manual de Perícia Oficial em Saúde do Servidor Público Federal. 3. ed. Brasília, 2017.

Carneiro, S. A. M. (2006). Saúde do trabalhador público: questão para a gestão de pessoas – a experiência na Prefeitura de São Paulo. Revista do Serviço Público, 57(1), 23-49.

Carvalho, M.S.M.V. (1995). Desenvolvimento gerencial no setor público: velhas questões e novos desafios. Revista de Administração Pública, 29(4), 27-37.

Castro, A. M., Sperandio, A. M. G., Gosh, C. S., Rocha, D. G., Cruz, D. K. A., Malta, D. C., Albuquerque, G. M., Zancan, L., Westphal, ., Neto, O. L. M., Duran, P. R. F., Sá, R. F., Mendes, R., Moyses, S. T., & Marcondes, W. Curso de extensão para gestores do SUS em promoção da saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2010

Centro de Referência Técnica em Psicologia e Políticas Públicas. (2008). Saúde do Trabalhador no âmbito da Saúde Pública: referências para a atuação do (a) psicólogo (a). Disponível em: < http://www.crpsp.org.br/portal/comunicacao/artes-graficas/arquivos/2008-CREPOP-Saude-Trabalhador.pdf>. Acesso em 16 fev. 2017.

Cavalcante, C. A. A., Nóbrega, J. A. B. da., Enders, B. C., & Medeiros, S. M. de. (2008). Promoção da saúde e trabalho: um ensaio analítico. Revista Eletrônica de Enfermagem, 10(1), 241-248. Disponível em: <: http://www.fen.ufg.br/revista/v10/n1/v10n1a23.htm>. Acesso em 20 jan. 2017.

Coelho, R. N. (2016). A saúde do trabalhador no âmbito universitário: Uma parceria de êxito na UFC. Revista de Psicologia, 7(1), 257-265.

Daniel, E., & Koerich, C.R.C., & Lang, A. (2017). O perfil do absenteísmo dos servidores da prefeitura municipal de Curitiba, de 2010 a 2015. Revista Brasileira de Medicina do Trabalho, 15(2), 142-149.

Dias, E.C. (2001). Doenças relacionadas ao trabalho: manual de procedimentos para os serviços de saúde (2ª ed.). Brasília: Ministério da Saúde Organização Pan-Americana da Saúde no Brasil.

Gonçalves Filho, A. P., Andrade, J. C. S., & Marinho, M. M. O. (2011). Cultura e gestão da segurança no trabalho: uma proposta de modelo. Gestão & Produção,18(1), 205-220.

Gonçalves, S. D., Medeiros, R. B. de., Taissuke, A. S. N., Melo, P. B. de., Carvalho, A. P. O. de., & Rolim, F. A. M. (2016). Promoção e vigilância à saúde dos servidores públicos: A experiência da Universidade Federal do Ceará. Revista de Psicologia, 7(2), 151-164.

Hugue, T. D., & Pereira, A. A., Jr. (2011). Prevalência de dor osteomuscular entre os funcionários administrativos da UNIFEBE. Revista Unifebe (on line), 1(9), 1-9. Disponível em: <http://www.unifebe.edu.br/revistadaunifebe/20112/artigo011.pdf. >. Acesso em 20 nov. 2017.

Lacaz, F. A. C. O. (2007). Campo Saúde do Trabalhador: resgatando conhecimentos e práticas sobre as relações trabalho-saúde. Cadernos de Saúde Pública, 23(4), 757-766.

Magalhães, M. M. S., Barbosa, M. A. C., Lima, J. R. T., & Cassundé, F. R. S. A. (2017). O Papel do Professor-Gestor em uma Instituição Federal de Ensino Superior de Alagoas: Um estudo na UFAL/Campus Arapiraca. Revista Gestão Universitária na América Latina, 10(4), 327-350.

Marra, A. V. (2006). O professor-gerente: processo de transformação. Revista de Ciências Humanas, 1(2), 253-265.

Marra, A. V., & Melo, M. C. O. L. (2005). A Prática Social de Gerentes Universitários em uma Instituição Pública. Revista de Administração Contemporânea, 9(3), 09-31.

Martins, M. A. I. C., Oliveira, S. S., Andrade, E. T. de., Strauzz, M. C., Castro, L. C. F. de., & Azambuja, A. de. (2017). A política de atenção à saúde do servidor público federal no Brasil: atores, trajetórias e desafios. Ciência & Saúde Coletiva, 22(5), 1429-1440.

Melo, M. C. O. L., Lopes, A. L. M., & Ribeiro, J. M. (2013). O cotidiano de gestores entre as estruturas acadêmica e administrativa de uma instituição de ensino superior federal de Minas Gerais. Revista Organizações em contexto, 9(17), 205-227.

Mendes, R., & Dias, E. C. (1991). Da medicina do trabalho à saúde do trabalhador. Revista de Saúde Pública, 25(5), 341-349.

Minayo-Gomez, C., & Thedim-Costa, S. M. F. (1997). A construção do campo da saúde do trabalhador: percurso e dilemas. Cadernos de Saúde Pública, 13(2), 21-32.

Miranda A.R.A. (2010). Um estudo sobre a dinâmica identitária de professoras gerentes de uma universidade pública. Dissertação de mestrado, Universidade Federal de Lavras, Lavras, Minas Gerais, MG, Brasil.

Pacheco, A. P. R., Buraschi, A. M. M., Angeloni, M. T., & Youssef, A. Y. (2009, setembro). Competências Essenciais: Modelos de Concepção. Anais do Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, São Paulo, SP, Brasil, 33. Disponível em: . Acesso em 12 dez. 2017.

Quevedo, L. B., Fleck, C. F., & Carmo, K. L. F. (2013). O regime de dedicação exclusiva e a gestão do tempo: estudo de caso com docentes universitários. Revista de Carreiras e Pessoas, 2013, 3(3), 20-33.

Rabello, L. S. (2011). Promoção da saúde: a construção social de um conceito em perspectiva do SUS, 2010. Resenha de: Tavares M.F.L. Cadernos de Saúde Pública, 27(9), 1864-1867.

Sala, A., Carro, A. R. L., Correa, A. N., & Seixas, P. H.D. (2009). Licenças médicas entre trabalhadores da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo no ano de 2004. Cadernos de Saúde Pública, 25(10), 2168-2178.

Santana, F. F., & Maia, L.C.G. (2014, setembro). Gestor Universitário e Competências Gerenciais: do Perfil, Formação e Atuação. Anais do Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 38. Disponível em:. Acesso 10 out. 2017.

Scalco, S. V., Lacerda, J. T., & Calvo, M. C. M. (2010). Modelo para avaliação da gestão de recursos humanos em saúde. Cadernos de Saúde Pública, 26(3), 603-614.

Subsistema Integrado de Atenção à Saúde do Servidor. Disponível em: < https://siass.ufg.br/ >. Acesso em 10 mai. 2017.

Silva, M. A., Cunha, C. J. C., & Possamai, F. (2001, novembro). O que professores aprendem para dirigir unidades universitárias: o caso da UFSC. Anais Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação de Pesquisa em Administração, Campinas, São Paulo, SP, Brasil, 25. Disponível em: acesso em 20 nov. 2017.

Silva, F. M. V., Aguiar, T. J. L. de., Binotto, E., Siqueira, E. S., & Del Corona, F. P. (2014). Tornar-se e deixar de ser diretor: a experiência de professores em uma universidade federal do centro-oeste. Revista de Administração, Contabilidade e Economia, Rio de Janeiro, 13(1), 123-150.

Sousa, C. F. M., Pinheiro, F. P. H. A., & Aquino, C. A. B. (2013). O campo da saúde do trabalhador e o conceito “processo de trabalho” em Marx. Revista Laboratório de Estudos do Trabalho e Qualificação Profissional, 1(10), 50-69.

Souza, Z. B., & Reis, L. M. (2013). Entre o atender e o ser atendido: políticas em saúde para o trabalhador do serviço público. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, 16(1), 87-106.

Tosta, H. T., Dalmau, M. B. L., Tosta, K. C. B. T., & Tecchio, E. L. (2012). Gestores universitários: papel e competências necessárias para o desempenho de suas atividades nas Universidades Federais. Revista Gestão Universitária na América Latina, 5(2), 1-15.

Vasconcellos, L. C. F., & Pignati, W. A. (2006). Medicina do Trabalho: subciência ou subserviência? Uma abordagem epistemológica. Ciência & Saúde Coletiva, 11(4), 1105-1115.

Published

15/10/2019

How to Cite

PÍCOLO, N. B.; LIMA, D. M.; LEÃO, A. L. de M. Worker’s health from the perspective of managers of a Federal Public University. Research, Society and Development, [S. l.], v. 8, n. 12, p. e238121708, 2019. DOI: 10.33448/rsd-v8i12.1708. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/1708. Acesso em: 19 sep. 2021.

Issue

Section

Health Sciences