Evaluation of leadership styles under the view of members of the 14th federal staff in Patos-PB

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v8i12.1722

Keywords:

Behavioral theory; Leadership; Leadership Styles.

Abstract

Considering the context of studies on leadership, the Behavioral Theory stands out, which describes three styles of leader: autocratic, democratic and liberal. Subsequently, organizations also came to recognize the charismatic leader, who influences those led from inspiration. Given the above, this research aimed to evaluate the leadership styles from the point of view of members of the staff of the 14th Federal Court in Patos-PB. The research is classified as exploratory and descriptive, having a qualitative and quantitative approach, whose data collection was based on a questionnaire adapted from Accioly (2006), containing questions about the profile of the interviewees. As for data collection, this is a case study, it was observed that the federal public agency is composed of 30 employees divided into the functions of Magistrate, Director, civil servants, interns, conciliators and outsourced, characterizing themselves as the research population. However, the survey was conducted only with public servants and interns, which obtained a total of 12 respondents, characterized as a sample studied. After analyzing and discursing the results, it was found that, according to the postures pointed out by members of the staff, the autocratic style of leadership is the predominant one. Despite this, the staff considered motivating the presence of managers to the work environment.

References

Accioly, A. P. L (2006). Análise do estilo de liderança de gerentes de agências do Banco do Brasil e sua influência na manutenção e promoção da motivação dos funcionários, 2006. 122 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Administração) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis-SC.

Almeida, M. M (2017) liderança autocrática: características, benefícios e desvantagens. Disponível em: <https://www.linkedin.com/pulse/lideran%c3%a7aautocr%c3%a1ticacaract er%c3%adsticas-benef%c3%adcios-e-morales-almeida/>. Acesso em: 14 nov. 2017.

Arruda, J. J. (1987). História moderna e contemporânea. São Paulo: Bom Livro.

Bass, B. M. (1990). Bass & Stogdill’s Handbook of Leadership: Theory, Research, and Managerial Applications, 3ª ed. New York: The Free Press.

Bergamini, C. W. (2009). Liderança: administração do sentido, São Paulo, 2 ed., Atlas S.A.

Bresser Pereira, L. C., & Spink, P. (2001) Reforma do estado e administração pública gerencial. Rio de Janeiro: FGV.

Bruyne, P. (1991) Dinâmica da Pesquisa em Ciências Sociais. Rio de Janeiro: Editora Francisco Alves.

Chiavenato, I. (2005). Administração nos novos tempos. Rio de Janeiro: Elsevier, Brasil.

Chiavenato, I. (2010) Iniciação à Teoria das organizações. São Paulo: Manole.

Correa, G. M. (2011). Estilos de liderança: Autocrática, Democrática e Liberal. São Paulo.

Fiorelli, J. O (2000). Psicologia para administradores: integrando teoria e prática. São Paulo: Atlas.

França, L. A C (2006) Comportamento Organizacional: Conceitos e Práticas, São Paulo.

Gil, A. C. (2010) Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas.

Gonsalves, E. P. (2001) Iniciação à Pesquisa Científica. Campinas (SP): Alínea.

Junior, A. P., Neto, J. M. S., Leandro, M. R. L., & Pedruzzi, N. L. I. (2014). Liderança: Evolução das Suas Principais Abordagens Teóricas. In: CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO, 10, 2014, Niterói: UFF.

Kwasnicka, E. L (1995). Introdução à Administração. São Paulo: Atlas.

Marques, C., & Cunha, M. P. (2007). Comportamento organizacional e gestão de empresas. Lisboa: Publicações D. Quixote, Lda.

Maximiano, A. C. A (2000). Introdução à administração. São Paulo: Atlas.

Montana, P. J., & Charnov, B. H (2000). Série Essencial: Administração. São Paulo: Saraiva.

Motta, F. C. P., & Vasconcelos, I. F. G (2004). Teoria geral da administração. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.

Natsume, X (2016) Liderança autocrática, liberal e democrática: qual é a diferença? Disponível em: <http://blog.treinamentoomongeeoexecutivo.com/lideranca-autocraticaliberal-edemocratica-qual-e-a-diferenca/>. Acesso em 14 nov. 2017

Pereira, A. L. (2014). A liderança como um fator de diferencial competitivo. Periódico Científico Negócios em Projeção. Brasília, v.5, n. 1, p.65-75.

Ribeiro, A. L. (2009) Teorias da Administração. 2.ed. ver. E atualizada – São Paulo: Saraiva.

Rocha, A. O. (2014) Liderança no setor público. Trabalho de conclusão de Curso (Especialização em Gestão Pública) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Pato Branco.

Rosa, C. C., & Riggenbach, D., Zinder, R (2007). Aspectos do trabalho em equipe em um órgão público estadual de Santa Catarina. Disponível em: <https://www.portaleducacao.com.br /conteudo/artigos/esporte/motivacao-no-trabalho-em-equipe/5658>. Acesso em 15 nov. 2017

Russo, A. R. (2009). Uma moderna gestão de pessoas no Poder Judiciário. 1, ed. p. 101-105. Brasília, Enfam.

Samara, B. S., & Barros, J. C. de. (2002) Pesquisa de marketing - conceitos e metodologia. 3. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Santos, M. C., & Câmara, M. A (2012). Gestão do conhecimento: uma evolução nos processos de gestão de pessoas. Perspectivas em Políticas Públicas, n.9, p.79-102.

Serafim, A. (2014). Liderança autocrática: Características, benefícios, desvantagens.

Severino, A. J. (2007) Metodologia do trabalho científico. 23 ed. São Paulo: Cortez.

Silva, J. B (2014). Evolução de Liderança e Postura dos Líderes Atuais/Evolution of Leadership and Posture of the Current Leaders. UNOPAR Cient., Ciênc. Juríd. Empres. Londrina, v. 15, Mar. 2014.

Silva, R. (2016). O perfil do líder democrático.

Siqueira, M. M. M (2014). Modelagem da organização: uma visão integrada. São Paulo: Bookman.

Souza, L. S. G., & Souza, L. C (2013). O papel do gestor de RH no desenvolvimento de Lideranças. Cognitio/pós-graduação UNILINS, n.1, 2013. Disponível em: <http://revista.unilins.edu.br/ index.php/cognitio/article/>. Acesso em 15 nov. 2017.

Strauss, A., & Corbin, J. (1998). Basics of Qualitative Reseachr-Techniques and Produres for Developing Grounded Theory. United States. Sage Publications.

Tolfo, S. R. (2000). Macro tendências de organização do trabalho e possibilidade de crescimento humano: práticas, limites e perspectivas em uma empresa do setor cerâmico de Santa Catarina. Porto Alegre: UFRGS/PPGA.

Vergara, S. C (2011) Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 13 ed. São Paulo: Atlas.

Published

15/10/2019

How to Cite

SILVA, I. M. da; SILVA, G. B. da; SOUSA, F. R. L. de. Evaluation of leadership styles under the view of members of the 14th federal staff in Patos-PB. Research, Society and Development, [S. l.], v. 8, n. 12, p. e268121722, 2019. DOI: 10.33448/rsd-v8i12.1722. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/1722. Acesso em: 19 sep. 2021.

Issue

Section

Human and Social Sciences