Opportunities and barriers for interprofessional education in the context of undergraduate health courses

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i9.17618

Keywords:

Interprofessional Education; Competency-Based Education; Public Health; Higher Education; Teaching.

Abstract

The Interprofessional Education (IPE) represents an alternative for reorienting professional training in the context of the Brazilian Unified Health System (SUS). This study evaluated the implementation of an interprofessional discipline in a public university in Ceará, through the theoretical-methodological framework of Fourth Generation Evaluation. 22 students and 13 professors were informants. The information was built through observation and virtual semi-structured interviews, given the circumstance of the Covid-19 pandemic. Validation of information and delimitation of evaluative markers was carried out through negotiation workshops with stakeholders. We approach the evaluative markers of two thematic categories: the opportunities and barriers for the IPE discipline. Regarding the opportunities, we discussed the opportunity for shared and interactive learning, the appreciation of the SUS and the emphasis on teamwork and collaboration. In the barriers category, we analyzed the non-adherence of all health courses in the institution, the different modalities of offering the discipline and the need for professors development for the IPE. The study demonstrated the power of shared and interactive learning among students from different health courses, and the need for greater institutional support for the expansion and qualification of IPE.

References

Aguilar-da-Silva, R. H, Scapin, L. T., & Batista, N. Alves. (2011). Avaliação da formação interprofissional no ensino superior em saúde: Aspectos da colaboração e do trabalho em equipe. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior (Campinas), 16 (1), 165–184. https://doi.org/10.1590/S1414-40772011000100009.

Almeida, R. G dos S., Teston, E. F., & Medeiros, A. de A. (2019). Uma interface entre o pet-saúde / interprofissionalidade e a política nacional de educação permanente em saúde. Saúde em Debate, 43 (esp. 1), 97–105. https://doi.org/10.1590/0103-11042019s108.

Azevedo, S. B, Pacheco, V. A., & Santos, E. A dos. (2019). Metodologias ativas no ensino superior: Percepção de docentes em uma instituição privada do Distrito Federal. Revista Docência do Ensino Superior, 9, 1-22. https://doi.org/10.35699/2237-5864.2019.2573

Barr, H. (2015) Educação interprofissional - a gênese do movimento global. (2016, 12 de novembro). CAIPE. Recuperado de https://www.caipe.org/resources/publications/barr-h-2015-interprofessional-education-genesis-global-movement.

Batista, N. A., Rossit, R. A. S., Batista, S. H. S. da S., Silva, C. C. B. da, Uchôa-Figueiredo, L. da R., & Poletto, P. R. (2018). Educação interprofissional na formação em Saúde: A experiência da Universidade Federal de São Paulo, campus Baixada Santista, Santos, Brasil. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, 22 (supl 2), 1705–1715. https://doi.org/10.1590/1807-57622017.0693.

Batista, R. E. A., & Peduzzi, M. (2018). Prática interprofissional colaborativa no serviço de emergência: Atribuições privativas e compartilhadas dos fisioterapeutas. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, 22 (suplemento 2), 1685-1695. https://doi.org/10.1590/1807-57622017.0755.

Brasil (1990). Lei no 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências, 19 (1990). https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2015/setembro/30/Lei-8080.pdf.

Brasil (2001). Parecer no 1.133 de 7 de outubro de 2001. Dispõe as Diretrizes Curriculares para os cursos de graduação de Enfermagem, Medicina e Nutrição, Parecer no 1.133 de 7 de outubro de 2001. Dispõe as Diretrizes Curriculares para os cursos de graduação de Enfermagem, Medicina e Nutrição 39 (2001). http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/2001/pces1133_01.pdf.

Brasil (2012). Resolução no 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos, 12 (2012). https://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf.

Brasil (2018a). Construindo caminhos possíveis para a Educação Interprofissional em Saúde nas Instituições de Ensino Superior do Brasil. Brasília: Ministério da Saúde. Recuperado de https://www.educacioninterprofesional.org/sites/default/files/fulltext/2018/2018_DEGES_construindo_caminhos_EIP.pdf.

Brasil (2018b). Laboratório de Inovação em Educação na Saúde com ênfase em Educação Permanente. Brasília: Ministério da Saúde. Recuperado de https://apsredes.org/wp-content/uploads/2018/07/NavegadorSUS-WEB-INTER.pdf.

Campos, G. W. de S. (2018). SUS: O que e como fazer? Ciência & Saúde Coletiva, 23 (6), 1707–1714. https://doi.org/10.1590/1413-81232018236.05582018.

Capozollo, A. A. (2017). Formação em comum de profissionais da saúde: experiência da UNIFESP, campus baixada santista. In R. F. C. Toassi (Ed.), Interprofissionalidade e formação na saúde: onde estamos? (pp. 68–80). Porto Alegre: Rede Unida. Recuperado de http://historico.redeunida.org.br/editora/biblioteca-digital/serie-vivencias-em-educacao-na-saude/vol-06-interprofissionalidade-e-formacao-na-saude-pdf.

Ceccim, R. B. (2017). Interprofissionalidade e experiências de aprendizagem: inovações no cenário brasileiro. In R. F. C. Toassi (Ed.), Interprofissionalidade e formação na saúde: onde estamos? (pp. 49–67). Porto Alegre: Rede Unida. Recuperado de http://historico.redeunida.org.br/editora/biblioteca-digital/serie-vivencias-em-educacao-na-saude/vol-06-interprofissionalidade-e-formacao-na-saude-pdf.

Ceccim, R. B. (2018). Conexões e fronteiras da interprofissionalidade: Forma e formação. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, 22 (suplemento 2), 1739–1749. https://doi.org/10.1590/1807-57622018.0477.

Costa, M. V. da. (2017). A potência da educação interprofissional para o desenvolvimento de competências colaborativas no trabalho em saúde. In R. F. C. Toassi (Ed.), Interprofissionalidade e formação na saúde: onde estamos? (pp. 49–67). Porto Alegre: Rede Unida. Recuperado de http://historico.redeunida.org.br/editora/biblioteca-digital/serie-vivencias-em-educacao-na-saude/vol-06-interprofissionalidade-e-formacao-na-saude-pdf.

Costa, M. V. da, Freire Filho, J. R., Brandão, C., & Silva, J. A. M. da. (2018). A Educação e o trabalho interprofissional comprometimento histórico de fortalecimento e consolidação do Sistema Único de Saúde (Sus). Interface - Comunicação, Saúde, Educação, 22 (supl 2), 1507–1510. https://doi.org/10.1590/1807-57622018.0636.

Costa, M. V. da, Peduzzi, M., Freire Filho, J. R., & Silva, C. B. G. (2018). Educação Interprofissional em Saúde. Natal: SEDIS-UFRN. Recuperado de http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2018/dezembro/12/Educacao-Interprofissional-em-Saude.pdf.

D'Amour, D., Ferrada-Videla, M., San Martin Rodriguez, L., & Beaulieu, M.-D. (2005). A base conceitual para a colaboração interprofissional: Conceitos centrais e referenciais teóricos. Journal of Interprofessional Care , 19 (sup1), 116–131. https://doi.org/10.1080/13561820500082529

El-Awaisi, A., Anderson, E., Barr, H., Wilby, K. J., Wilbur, K., & Bainbridge, L. (2016). Passos importantes para a introdução da educação interprofissional na educação profissional de saúde. Journal of Taibah University Medical Sciences , 11 (6), 546–551. https://doi.org/10.1016/j.jtumed.2016.09.004.

Ellery, A. E. L. (2018). Interprofissionalidade. In R. B. Ceccim, D. Dallegrave, A. S. L. Amorim, V. de M. Portes, & B. P. Amaral (Eds.), EnSiQlopédia das Residências em Saúde (pp. 146–150). Porto Alegre: Rede Unida. Recuperado de http://historico.redeunida.org.br/editora/biblioteca-digital/serie-vivencias-em-educacao-na-saude/ensiqlopedia-das-residencias-em-saude-pdf.

Ely, L. I e Toassi, R. F. C. (2018). Integração entre currículos na educação de profissionais da Saúde: A potência para educação interprofissional na graduação. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, 22 (suplemento 2), 1563–1575. https://doi.org/10.1590/1807-57622017.0658

Freire Filho, J. R, Costa, M. V da, Magnago, C., & Forster, A. C. (2018). Atitudes em relação à colaboração interprofissional das equipes de Atenção Básica que participam do programa Mais Médicos (Mais Médicos). Revista Latino-Americana de Enfermagem, 26 (0). https://doi.org/10.1590/1518-8345.2731.3018.

Freire Filho, J. R., Silva, C. B. G., Costa, M. V. da, & Forster, A. C. (2019). Educação Interprofissional nas políticas de reorientação da formação profissional em saúde no Brasil. Saúde em Debate, 43 (esp. 1), 86-96. https://doi.org/10.1590/0103-11042019s107.

Frenk, J., Chen, L., Bhutta, Z. A., Cohen, J., Crisp, N., Evans, T., Fineberg, H., Garcia, P., Ke, Y., Kelley, P., Kistnasamy, B., Meleis, A., Naylor, D., Pablos-Mendez, A., Reddy, S., Scrimshaw, S., Sepulveda, J., Serwadda, D., & Zurayk, H. (2010). Profissionais de saúde para um novo século: Transformando a educação para fortalecer os sistemas de saúde em um mundo interdependente. The Lancet, 376 (9756), 1923–1958. https://doi.org/10.1016/S0140-6736(10)61854-5.

Girard, M.-A. (2021). Educação interprofissional e políticas de prática colaborativa e direito: uma revisão internacional e questões reflexivas. Recursos Humanos para Saúde, 19 (1), 9. https://doi.org/10.1186/s12960-020-00549-w.

Guba, E. G., & LINCOLN, Y. S. (2011). Avaliação de Quarta Geração. Campinas: Editora da UNICAMP.

Lemos, A. B. (2019). Estágio docente no ensino superior: Relato de experiência no curso de Biblioteconomia da UFMG. Revista Docência do Ensino Superior, 9, 1-18. https://doi.org/10.35699/2237-5864.2019.12203.

Mello, C. de C. B., Alves, R. O., & Lemos, S. M. A. (2014). Metodologias de ensino e formação na área de saúde: Revisão de literatura. Revista CEFAC , 16 (6), 2015–2028. https://doi.org/10.1590/1982-0216201416012.

Mielke, F. B., Olschowsky, A., Pinho, L. B. de, Wetzel, C., & Kantorski, L. P. (2012). Avaliação qualitativa da relação de atores sociais com a loucura em um serviço substitutivo de saúde mental. Revista Brasileira de Enfermagem, 65 (3), 501–507. https://doi.org/10.1590/S0034-71672012000300016.

Moraes, B. A. (2016). Repensando a formação de profissionais de saúde à luz dos movimentos de mudança. Recuperado de https://repositorio.bc.ufg.br/tede/bitstream/tede/5555/5/Disserta%C3%A7%C3%A3o%20-%20Bibiana%20Arantes%20Moraes%20-%202016.pdf.

Moraes, B. A., Sousa, L. M. de, Menezes, I. H. C. F., Queiroz, M. G., Costa, N. M. da S. C., Guimarães, M. M., & Ferreira, B. J. (2019). Avaliação do Impacto dos Programas de Reorientação Profissional em Cursos da Área da Saúde. Revista Brasileira de Educação Médica, 43 (2), 122–129. https://doi.org/10.1590/1981-52712015v43n2rb20180162.

Moraes, M. M. dos S. de, Roner, M. N. B., Rocha, E. M. S., & Maia, R. M. da C. S. (2019). Interdisciplinaridade e interprofissionalidade: Uma estratégia de ensino-aprendizagem na área de Parasitologia. Revista Docência do Ensino Superior, 9, 1-17. https://doi.org/10.35699/2237-5864.2019.13548

Organização Mundial da Saúde (2010). Marco para Ação em Educação Interprofissional e Prática Colaborativa. Genebra: Editora Freelance. Recuperado de http://www.paho.org/bra/images/stories/documentos/marco_para_acao.pdf.

Paim, J. S. (2018). Sistema Único de Saúde (Sus) aos 30 anos. Ciência & Saúde Coletiva, 23 (6), 1723–1728. https://doi.org/10.1590/1413-81232018236.09172018.

Peduzzi, M. (2017). Educação interprofissional para o desenvolvimento de competências colaborativas em saúde. In R. F. C. Toassi (Ed.), Interprofissionalidade e formação na saúde: onde estamos? (pp. 49–67). Porto Alegre: Rede Unida. Recuperado de http://historico.redeunida.org.br/editora/biblioteca-digital/serie-vivencias-em-educacao-na-saude/vol-06-interprofissionalidade-e-formacao-na-saude-pdf.

Peduzzi, M., & Agreli, H. F. (2018). Trabalho em equipe e prática colaborativa na Atenção Primária à Saúde. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, 22 (supl 2), 1525–1534. https://doi.org/10.1590/1807-57622017.0827.

Poletto, P. R., & Jurdi, A. P. S. (2018). Uma experiência de revisão das matrizes curriculares em um projeto pedagógico inovador: Caminhos para fortalecer a educação interprofissional em saúde. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, 22 (supl 2), 1777–1786. https://doi.org/10.1590/1807-57622017.0819.

Reeves, S. (2016). Porque precisamos de educação interprofissional para melhorar a prestação de cuidados seguros e eficazes. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, 20 (56), 185–197. https://doi.org/10.1590/1807-57622014.0092.

Reeves, S., Fletcher, S., Barr, H., Birch, I., Boet, S., Davies, N., McFadyen, A., Rivera, J., & Kitto, S. (2016). Uma revisão sistemática BEME dos efeitos da educação interprofissional: Guia BEME No. 39. Medical Teacher , 38 (7), 656-668. https://doi.org/10.3109/0142159X.2016.1173663.

Reeves, S., Perrier, L., Goldman, J., Freeth, D., & Zwarenstein, M. (2013). Educação interprofissional: efeitos na prática profissional e nos resultados da saúde. Cochrane Database of Systematic Reviews. https://doi.org/10.1002/14651858.CD002213.pub3.

Rossit, R. A. S., Freitas, M. A. de O., Batista, S. H. S. da S., & Batista, N. A. (2018). Construção da identidade profissional na Educação Interprofissional em Saúde: Percepção de egressos. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, 22 (suplemento 1), 1399–1410. https://doi.org/10.1590/1807-57622017.0184.

Rossit, R. A. S., Santos Junior, C. F. dos, Medeiros, N. M. H. de, Medeiros, L. M. O. P., Regis, C. G., & Batista, S. H. S. da S. (2018). Grupo de pesquisa como espaço de aprendizagem em / sobre educação interprofissional (Eip): Narrativas em foco. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, 22 (supl 2), 1511–1523. https://doi.org/10.1590/1807-57622017.0674.

Santos, L. C. dos, Simonetti, J. P. e Cyrino, A. P. (2018). A educação interprofissional na graduação de Medicina e Enfermagem em prática na atenção primária à saúde: A perspectiva dos estudantes. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, 22 (supl 2), 1601–1611. https://doi.org/10.1590/1807-57622017.0507.

Stadick, J. L. (2020). A relação entre a educação interprofissional e as atitudes dos profissionais de saúde em relação ao trabalho em equipe e às competências colaborativas interprofissionais. Journal of Interprofessional Education & Practice , 19 , 100320. https://doi.org/10.1016/j.xjep.2020.100320

Stokes, C. K., Lysaght, C., Kim, Y., Lin, C.-C., Murphy, L., & Radloff, J. C. (2020). Influência da comunicação interprofissional nas decisões de alta em alunos de pré-licenciamento da área de saúde. Journal of Interprofessional Education & Practice, 19 , 100329. https://doi.org/10.1016/j.xjep.2020.100329

Toassi, R. F. C., Olsson, T. O, Lewgoy, A. M. B., Bueno, D., & Peduzzi, M. (2020). Ensino da graduação em cenários da atenção primária: Espaço para aprendizagem interprofissional. Trabalho, Educação e Saúde, 18 (2), e0026798. https://doi.org/10.1590/1981-7746-sol00267.

Wetzel, C. (2005). Avaliação de serviço em saúde mental: a construção de um processo participativo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22131/tde-16052007-150813/.

Published

20/07/2021

How to Cite

SOUZA, L. R. C. V. e; ÁVILA, M. M. M. Opportunities and barriers for interprofessional education in the context of undergraduate health courses. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 9, p. e4310917618, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i9.17618. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/17618. Acesso em: 18 sep. 2021.

Issue

Section

Health Sciences