The “PIL: seaports” and Law nº 12.815/13: Estate, Logistic and power relantions (policy)

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i9.17665

Keywords:

PIL: Seaports; Law n. 12.815/13; Logistics; Politics; Estate.

Abstract

The Logistics Investment Program (PIL) was published during the first government (2011-2014) of President Dilma Rousseff. The PIL aimed to promote logistical innovation for Brazil. However, a set of power relations of the State, which occurred between the years 2013 and 2016, influenced and changed what was originally planned, in this context, a new legal system for the Brazilian port sector was created. Thus, the purpose of this article is to describe the strategies, guidelines and objectives of “PIL: seaports” analyzing important aspects of Law nº 12.815/13 (the legal framework for the Brazilian seaport sector), as well as, we will verify the class contradictions involved in the process. To this end, we carried out bibliographical, documentary and cyberspace research.

References

Agência Brasil. (2013). MP dos Portos: Câmara rejeita todos os destaques de bancada e emenda polêmica do PMDB. https://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/noticia/2013-05-14/mp-dos-portos-camara-rejeita-todos-os-destaques-de-bancada-e-emenda-polemica-do-pmdb.

Barat, J. (2011). Infraestruturas de logística e transporte: análise e perspectivas. In SILVEIRA, M. R. (Org.). Circulação, transportes e logísticas – diferentes perspectivas. (Cap 11). Outras Expressões.

Barbosa, F. O. (2016). Análise do arranjo institucional do setor portuário conforme a Lei nº 12.815/2013 e seus impactos na regulação de arrendamentos operacionais. Dissertação de mestrado - Universidade de Brasília. Faculdade de Tecnologia. Departamento de Engenharia Civil e Ambiental, Brasília.

Bastos, P. P. Z. (2017). Ascensão e crise do governo Dilma Rousseff e o golpe de 2016: poder estrutural, contradição e ideologia. Rev. Econ. Contemp., 1-63.

Binenbojm, G. (2005). As parcerias público-privadas (PPPs) e a Constituição. Revista Eletrônica de Direito Administrativo Econômico, 159-175.

Boito Jr., A. (2018). Reforma e crise política no Brasil: os conflitos de classe nos governos do PT. Campinas/SP: Editora Unicamp/ São Paulo/SP: Editora Unesp.

Braga, V. & Castillo, R. (2013). Tipologia e topologia de nós logísticos no território brasileiro: uma análise dos terminais ferroviários e das plataformas multimodais. Boletim Campineiro de Geografia, 3(2), 235-58.

Brasil de Fato. (2013). Paralisação de portuários abre diálogo sobre a MP dos Portos. https://www.brasildefato.com.br/node/12083/.

Carneiro, R. (2017). Navegando a contravento (Uma reflexão sobre o experimento desenvolvimentista do Governo Dilma Rousseff). Texto para Discussão. Unicamp. IE, Campinas, n. 289, mar., 1-40.

Cnt. Confederação Nacional do Transporte. (2008). Plano CNT de logística. CNT.

Cut. Central Única dos Trabalhadores. (2013). Federações portuárias convocam trabalhadores para decidir sobre paralisação em reação à MP dos Portos. http://www.cut.org.br/noticias/federacoes-portuarias-convocam-trabalhadores-para-decidir-sobre-paralisacao-em-r-16d4/.

Constituição da República Federativa do Brasil: Promulgada em 5 de outubro de 1988. (2003). (32a ed.). Saraiva.

Decreto n. 8.033, de 27 de junho de 2013. Regulamenta o disposto na Lei nº 12.815, de 5 de junho de 2013, e as demais disposições legais que regulam a exploração de portos organizados e de instalações portuárias. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2013/decreto/d8033.htm.

Decreto n. 8.464, de 8 de junho de 2015. Altera o Decreto n º 8.033, de 27 de junho de 2013, que regulamenta o disposto na Lei n º 12.815, de 5 de junho de 2013, e as demais disposições legais que regulam a exploração de portos organizados e de instalações portuárias. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/decreto/d8464.htm.

Diário de Pernambuco. (2015). Critério de valor de outorga em concessão de portos é o mais adequado, diz Araújo. http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/economia/2015/08/18/internas_economia,593009/ministro-edinho-araujo-defende-licitacao-de-portos-pelo-maior-valor-de-outorga.shtml.

Estado de Minas. (2015) Ministro Edinho Araújo defende licitação de portos pelo maior valor de outorga. http://www.em.com.br/app/noticia/economia/2015/06/15/internas_economia,658260/criterio-de-valor-de-outorga-em-concessao-de-portos-e-o-mais-adequado-diz-araujo.shtml.

Exame. (2015). Governo quer R$ 1 bilhão em outorga de portos. http://exame.abril.com.br/economia/governo-quer-r-1-bilhao-em-outorga-de-portos/.

Farranha, A. C., Frezza, C. S., Barbosa, F. O. (2015). Nova lei dos portos: desafios jurídicos e perspectivas de investimentos. Rev. direito GV [online], vol.11, n.1, 89-116.

Fernandes, R. M. S. (2017). O Programa De Investimento Em Logística Como Instituição No Imediato: uma análise (“ao calor da hora”) sobre a implantação de estratégias para o setor de transporte no Brasil e no Mato Grosso do Sul. Tese de Doutorado em Geografia – Universidade Federal da Grande Dourados. Faculdade de Ciências Humanas, Dourados.

Fernandes, R. M. S. (2019). O Programa de Investimento em Logística (PIL) e o fim da Frente neodesenvolvimentista (o acontecimento): atravessamentos, relações de produção, condensação (luta de classes) e a logística. Observatorio de la Economía Latino Americana - OELA, 2, 01 - 31.

Fernandes, R. M. S. (2020). O Programa de Investimento em Logística (PIL) para o setor rodoviário: diretrizes, balanço e desfechos. Geofronter, 6, 22-38.

Folha de São Paulo. (2015). Outorga: especialistas mostram prós e contras de cobrar entrada em licitação. http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2015/07/1656086-outorga-especialistas-mostram-pros-e-contras-de-cobrar-entrada-em-licitacao.shtml.

Frezza, C. S. (2016). A nova Lei dos Portos e os modelos de concessões e de agências reguladoras: mecanismos para a garantia do interesse público. Dissertação de Mestrado - Universidade de Brasília. Faculdade de Tecnologia. Departamento de Engenharia Civil e Ambiental, Brasília.

G1 (2013). Câmara rejeita emenda polêmica do PMDB que alterava MP dos Portos. http://g1.globo.com/politica/noticia/2013/05/camara-rejeita-emenda-polemica-do-pmdb-que-alterava-mp-dos-portos.html.

Heeren, M. L. (2015). Mudança de Competências e Novas Formas de Exploração Portuária. In Ribeiro, L. C. & Bruno Feigelson, R. V. A (Org.), Nova Regulação da Infraestrutura e da Mineração: Portos − Aeroportos − Ferrovias – Rodovias. 137-155. Fórum.

Jornal da Câmara. (2015). Câmara aprova texto da comissão mista para a MP dos Portos. https://www.camara.leg.br/noticias/404051-camara-aprova-redacao-final-da-mp-dos-portos-texto-segue-para-o-senado/.

Jornal dos Portuários. (2013). Sindicato dos Trabalhadores Administrativos em Capatazia nos Terminais Privativos e Retroportuários e na Administração em Geral dos Serviços Portuários do Estado de São Paulo. nº 614 - Janeiro/Fevereiro, 4.

Lei nº 8.630, de 25 de fevereiro de 1993. Dispõe sobre o regime jurídico da exploração dos portos organizados e das instalações portuárias e dá outras providências. (LEI DOS PORTOS). http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8630.htm.

Lei n. 8.987, de 13 de fevereiro de 1995. Dispõe sobre o regime de concessão e permissão da prestação de serviços públicos previsto no art. 175 da Constituição Federal, e dá outras providências. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8987compilada.htm.

Lei n. 0.233, de 5 de junho de 2001. Dispõe sobre a reestruturação dos transportes aquaviário e terrestre, cria o Conselho Nacional de Integração de Políticas de Transporte, a Agência Nacional de Transportes Terrestres, a Agência Nacional de Transportes Aquaviários e o Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes, e dá outras providências. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10233.htm.

Lei n. 11.079, de 15 de Agosto de 2004. Institui normas gerais para licitação e contratação de parceria público-privada no âmbito da administração pública. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/lei/l11079.htm.

Lei n. 12.815, de 5 de junho de 2013. Dispõe sobre a exploração direta e indireta pela União de portos e instalações portuárias e sobre as atividades desempenhadas pelos operadores portuários, altera as Leis nºs 5.025, de 10 de junho de 1966, 10.233, de 5 de junho de 2001, 10.683, de 28 de maio de 2003, 9.719, de 27 de novembro de 1998, e 8.213, de 24 de julho de 1991, revoga as Leis nºs 8.630, de 25 de fevereiro de 1993, e 11.610, de 12 de dezembro de 2007, e dispositivos das Leis nºs 11.314, de 3 de julho de 2006, e 11.518, de 5 de setembro de 2007, e dá outras providências. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2013/lei/l12815.htm.

Lemos, A. (2004). Cibercultura: tecnologia e vida social na cultura contemporânea. Sulina.

Lévy, P. (2000). Cibercultura. Editora 34.

Medida Provisória n. 595, de 06 de dezembro de 2012. Dispõe sobre a exploração direta e indireta, pela União, de portos e instalações portuárias e sobre as atividades desempenhadas pelos operadores portuários, e dá outras providências. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/mpv/595.htm.

O Estado do Maranhão. (2013). Portuários firmam acordo com o governo e adiam greve para março. http://imirante.com/oestadoma/online/26022013/pdf/P08.PDF.

Poulantzas, N. (1977). Poder político e classes sociais. Martins Fontes.

Poulantzas, N. (2000). O Estado, o poder, o socialismo. Rita Lima.

Proner, C. et. al. (2016). A RESISTÊNCIA AO GOLPE de 2016. CANAL 6 editora.

Ribeiro, M. P. (2014). 10 Anos da Lei de PPP. 20 Anos da Lei de Concessões - Viabilizando a Implantação e Melhoria de Infraestruturas para o Desenvolvimento Econômico-Social. http://www.portugalribeiro.com.br/wpp/wp-content/uploads/10-anos-lei-ppps-20anos-lei-concessoes.pdf.

Silveira, M. R. (2009). As cinco revoluções e evoluções logísticas e seus impactos sobre o território brasileiro. In Silveira, M. R., Lamoso, L. P. & Mourão P. F. C. (Orgs.). Questões nacionais e regionais do território brasileiro. Expressão Popular.

Singer, A. (2015). Cutucando a onça com varas curtas - O ensaio desenvolvimentista no primeiro mandato de Dilma Rousseff (2011-2014). NOVOS ESTUDOS, 102. file:///C:/Users/rober/Downloads/CUTUCANDO_ONCAS_COM_VARAS_CURTAS_O_ENSAIO_DESENVOL.pdf.

Sindogeesp. (2013). Pressão dos portuários faz governo recuar e firmar acordo por mudanças na MP dos Portos. http://www.sindogeesp.com.br/noticia/pressao-dos-portuarios-faz-governo-recuar-e-firmar-acordo-por-mudancas-na-mp-dos-portos.

Tcu. Tribunal de Contas da União. (2014). Processo nº TC 024.011/2013-4 [Apenso: AC-940-11/14-P]. Relatório. Companhia Docas do Estado de São Paulo - Codesp. Brasília: TCU.

Published

25/07/2021

How to Cite

FERNANDES, R. M. da S. . The “PIL: seaports” and Law nº 12.815/13: Estate, Logistic and power relantions (policy). Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 9, p. e23310917665, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i9.17665. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/17665. Acesso em: 20 sep. 2021.

Issue

Section

Human and Social Sciences