Literature review: Interventions on health and education in the school context

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i9.17766

Keywords:

Adolescents; Risk behavior; Prevention; Knowledge; Health.

Abstract

Fostering health-related themes in the school environment is an essential pedagogical practice with regard to the living context of individuals in adolescence. It is important that the school faculty has the sensitivity to address the issue in the classroom with theoretical knowledge and a sense of acceptance of the anxieties brought by young students. In reflecting on this subject and all its nuances, there was a need to carry out a literature review study which aims to bring to light works related to interventions in school spaces related to health and its relationship with formal education. In order to appreciate and categorize the nature of the work carried out on the subject, a bibliographical study of a qualitative nature of 34 academic-scientific productions with Qualis/Capes A1 strata published between 2011 and 2020, which were published in nine national and international journals. From the reading of the articles, categories of analysis emerged that were treated by Bardin's Content Analysis, namely: (i) Health and School (ii) Adolescence and Health; and (iii) Adolescence and Health Risk Behavior. At the end of this work, the relationship established between health and education is considered important. It is from educational actions that a consistent attitude can be developed in relation to caring for the body and mind and, thus, promoting quality of life among Basic Education students.

Author Biographies

Patricia da Silva Dias, Universidade Federal do Pampa

Possui graduação em BIOLOGIA pela Universidade Luterana do Brasil (2005). Tem experiência na área de Biologia Geral, com ênfase em Biologia Geral. Especialista em Gestão Educacional pela Universidade Federal de Santa Maria. Graduada em Educação do Campo Ciências Agrarias- Instituto Federal Farroupilha. Professora da Rede Estadual de Ensino do RS.Mestranda do curso de Ensino de Ciências da Universidade Federal do Pampa, Unipampa, campus Caçpava do Sul, RS.

Mara Elisângela Jappe Goi, Universidade Federal do Pampa

É Professora da Unipampa-Universidade Federal do Pampa-Caçapava do Sul. Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul-UFRGS, Mestre em Ensino de Ciências e Matemática pela Universidade Luterana do Brasil-ULBRA, licenciada em Química pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul –Unijuí. Foi professora da Educação Básica durante 20 anos. Atualmente atua na Educação Superior, no curso de Licenciatura em Ciências Exatas, no curso de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica e no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências (PPGEC- Mestrado Profissional) com experiência docente e como coordenadora e docente dos estágios supervisionados do curso de Licenciatura em Ciências Exatas da Unipampa. Seus interesses de pesquisa concentram-se na formação de professores, resolução de problemas e processo de ensino de aprendizagem em Ciências da Natureza.

References

Anzolin, C., Ouriques, C. M., Höfelmann, D. A., & Mezadri, T. (2010). Intervenções nutricionais em escolares. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, 23(4), 297-306.

Anjos, R. H. D. D., Silva, J. A. D. S., Val, L. F. D., Rincon, L. A., & Nichiata, L. Y. I. (2012). Diferenças entre adolescentes do sexo feminino e masculino na vulnerabilidade individual ao HIV. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 46, 829-837.

Arasa Ferrer, H. (1991). Educación para la Salud: propuestas para su integración en la escuela. Programa Experimental de Educación para la Salud en la Escuela. Zaragoza: Diputación General de Aragón.

Bardin, L. (2011) Análise de Conteúdo. Trad. de Luís Antero Neto. Edições 70.

Barros, J. P. P. (2013). Biopolítica e educação: relações a partir das discursividades sobre saúde na escola. Educação & Realidade, 38, 361-381.

Barros, J. P. P., & Colaço, V. D. F. R. (2015). Drogas na Escola: análise das vozes sociais em jogo. Educação & Realidade, 40, 253-273.

Boff, L., & Cuidar, S. (1999). Ética do humano–compaixão pela terra. Vozes.

Bogdan, R., & Biklen, S. (1994). Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto editora.

Brasil, E. G. M., Silva, R. M. D., Silva, M. R. F. D., Rodrigues, D. P., & Queiroz, M. V. O. (2017). Promoção da saúde de adolescentes e Programa Saúde na Escola: complexidade na articulação saúde e educação. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 51.

Brasil (1997) Ministério da Educação (MEC). Secretaria de Educação Fundamental (SEF). Parâmetros Curriculares Nacionais: introdução aos Parâmetros Curriculares Nacionais. MEC/SEF, 1997.

Brasil. (1998). Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos: orientação sexual. MEC/SEF. http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/introducao.pdf

Brasil (2000). Ministério da Educação/Secretaria de Educação Básica Parâmetros Curriculares do Ensino Médio. Ciências da Natureza e suas Tecnologias. MEC/SEB. http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/blegais.pdf

Brasil (2005). Resolução nº 03/GSIPR/CH/CONAD, de 27 de outubro de 2005. Aprova a Política Nacional sobre Drogas. Diário Oficial da União; 2005.

Brasil(2006). Ministério da Educação/Secretaria de Educação Básica Orientações Curriculares para o Ensino Médio. Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. MEC/SEB.

Brasil (2009). Lei n. 12.015, de 7 de agosto de 2009. Altera o Título VI da Parte Especial do Decreto-Lei no 2.848, de 7 de dezembro de 1940 - Código Penal, e o art. 1oda Lei no 8.072, de 25 de julho de 1990, que dispõe sobre os crimes hediondos, nos termos do inciso XLIII do art. 5o da Constituição Federal e revoga a Lei no 2.252, de 1o de julho de 1954, que trata de corrupção de menores [Internet]. Brasília; 2009 [citado 2016 ago. 18]. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2009/Lei/L12015.htm

Brasil (2012). Conselho Nacional de Saúde do Brasil. Resolução CNS n. 466, de 12 de dezembro de 2012. Estabelecem as Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf

Brasil. (2017) Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. MEC. http://basenacionalcomum.mec.gov.br/

Brasil. (2013) Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Conselho Nacional da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica/ Ministério da Educação. Secretária de Educação Básica. Diretoria de Currículos e Educação Integral. MEC, SEB, DICEI, 2013. 542p. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/julho-2013-pdf/13677-diretrizes-educacao-basica-2013-pdf/file

Brasil (2003) Ministério da Saúde. Instituto Nacional do Câncer. Programa Nacional de Controle do Tabagismo e Outros Fatores de Risco de Câncer – Modelo lógico e avaliação. (2a ed.), Ministério da Saúde, Instituto Nacional do Câncer. https://www.inca.gov.br/publicacoes/livros/programa-nacional-de-controle-do-tabagismo-e-outros-fatores-de-risco-de-cancer

Brasil (2002) Ministério da Saúde. Secretaria de Política de Saúde. Área Técnica de Saúde do Adolescente e do Jovem. A saúde de adolescentes e jovens: uma metodologia de autoaprendizagem para equipe de atenção básica de saúde: módulo básico. Brasília: Ministério da Saúde. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/0119saude_adole1.pdf

Brasil (2004) Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Instituto Nacional de Câncer. Coordenação de Prevenção e Vigilância. Inquérito domiciliar sobre comportamentos de risco e morbidade referida de doenças e agravos não transmissíveis: Brasil, 15 capitais e Distrito Federal, 2002-2003. INCA. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/inquerito_domiciliar_comportamentos_risco_doencas_transmissiveis.pdf

Brasil (1997). Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais. Brasília.díponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro01.pdf

Bucharles, D. G., & Mont'Alverne & Catrib, A. M. F. (2013). Promoção da saúde e as escolas: como avançar. Brazilian Journal in Health Promotion, 26(3), 307-308.

Cajaiba, R. L. (2013). Percepção sobre sexualidade pelos adolescentes antes e após a participação em oficinas pedagógicas. Rev Elect Enseñanza Ciencias, 12(2), 234-42.

Campeiz, A. B., C. D. M., Campeiz, A. F., Silva, J. L. D., Freitas, L. A., & Ferriani, M. D. G. C. (2020). A violência na relação de intimidade sob a ótica de adolescentes: perspectivas do Paradigma da Complexidade. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 54.

Carrasquer, J., Ponz, A., Carrasquer, B., & Álvarez, M. V (2019) Reflexiones acerca de la salud ambiental Reflections on environmental health.

Carta de Ottawa. (1986). Primeira conferência internacional sobre promoção da saúde. Ottawa.

Casemiro, J. P., Fonseca, A. B. C. D., & Secco, F. V. M. (2014). Promover saúde na escola: reflexões a partir de uma revisão sobre saúde escolar na América Latina. Ciência & saúde coletiva, 19, 829-840.

Civil, Casa. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. (1990). Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Brasília: Diário Oficial da União. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8069.htm

Czeresnia, D. & Freitas, Cm (2003) (Org.). Promoção da Saúde: conceitos, reflexões, tendências. Fiocruz.

De Jesus, R. F., & Garcia, R. N. (2019). Análise da abordagem de temas alusivos à saúde em documentos oficiais relacionados às práticas educativas em Ciências da Natureza. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, 18(1), 79-103.

De Jesus¹, R. F., & Sawitzki, R. L. (2017). Formação de professoras unidocentes e o tema transversal saúde: possibilidades e apontamentos. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, 16(2), 341-361.

dos Reis Queiroz, V., & de Almeida, J. M. (2017). Sexualidade na adolescência: potencialidades e dificuldades dos professores de ensino médio de uma escola estadual de Sorocaba. Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba, 19(4), 209-214.

Elicker, E. et al. (2015) Uso de álcool, tabaco e outras drogas por adolescentes escolares de Porto Velho-RO, Brasil. Epidemiologia e Serviços de Saúde, Brasília, 24, 399-410, http://www.scielo.br/pdf/ress/v24n3/2237-9622- ress-24-03-00399.pdf.

Eurípedes da Silveira, R., da Silva Santos, Á., & Pereira, G. D. (2014). Consumo de álcool, tabaco e outras drogas entre adolescentes do ensino fundamental de um município brasileiro. Revista de Enfermagem Referencia, (2), 51.

Fazenda, I. C. A., & Souza, F. C. D. (2012). Diálogos Interdisciplinares em Saúde e Educação: a arte do cuidar. Educação & Realidade, 37, 107-124.

Furlanetto, M. F., Lauermann, F., Costa, C. B. D., & Marin, A. H. (2018). Educação sexual em escolas brasileiras: revisão sistemática da literatura. Cadernos de Pesquisa, 48, 550-571.

Gavidia C. V., & Talavera O; M. (2012). La construcción del concepto de salud. Didáctica de Las Ciencias Experimentales Y Sociales. N.º 26. 2012, 161-175

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa (Vol. 4, p. 175). Atlas.

Gavidia Catalán, V., Agud, D., Talavera, M., & Pérez de Eulate González, L. (2013). Las competencias en educación sexual en el currículo de la educación secundaria obligatoria española. Enseñanza de las ciencias, (Extra), 01525-1530.

Gavidia Catalán, V. (1993). Consideraciones sobre la formación inicial del profesorado en Educación para la Salud. Didáctica de las Ciencias Experimentales y Sociales, 1993, vol. 7, p. 59-70.

Guedes, D. P., & Lopes, C. C. (2010). Validation of the Brazilian version of the 2007 youth risk behavior survey. Revista de Saúde Pública, 44(5), 840-850.

Günther, H. (2006). Pesquisa qualitativa versus pesquisa quantitativa: esta é a questão? Psicologia: teoria e pesquisa, 22(2), 201-209.

Jacobson, L. D. S. V., Andrade, C. L. T. D., Carmo, C. N. D., Mourão, D. D. S., & Hacon, S. D. S. (2009). Trend in mortality due to external causes in the State of Espírito Santo, Brazil, from 1994 to 2005. Revista Brasileira de Epidemiologia, 12, 82-91.

Juzwiak, C. R., Castro, P. M. D., & Batista, S. H. S. D. S. (2013). A experiência da Oficina Permanente de Educação Alimentar e em Saúde (OPEAS): formação de profissionais para a promoção da alimentação saudável nas escolas. Ciência & saúde coletiva, 18, 1009-1018.

Horta, N. D. C., & Sena, R. R. D. (2011). La salud en el cotidiano de jóvenes residentes en un barrio popular de Belo Horizonte, MG, Brasil. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 45(spe2), 1673-1678.

Krug, E. G., Mercy, J. A., Dahlberg, L. L., & Zwi, A. B. (2002). The world report on violence and health. The lancet, 360(9339), 1083-1088.

Lahire, B. (2002). Homem plural: os determinantes da ação. Vozes Editora.

Lara, S., Salgueiro, A. C. F., Lara, M., Puntel, R. L., & Folmer, V. (2013). Educação e saúde no contexto escolar: Saúde cardiovascular como tema gerador no curso normal médio. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, 12(1).

Lobo, L. A., & Barbosa, M. C. L. (2017). Álcool e drogas: Um problema vivido por adolescentes usuários em um município do sudoeste da Bahia. ID on line REVISTA DE PSICOLOGIA, 10(33), 32-42.

Lopes, M. C. D. L., Oliveira, R. R. D., Silva, M. D. A. P. D., Padovani, C., Oliveira, N. L. B. D., & Higarashi, I. H. (2020). Tendência temporal e fatores associados à gravidez na adolescência. Revista da Escola de Enfermagem da USP,54.

Lopes Neto, A. A. (2005). Bullying: comportamento agressivo entre estudantes. Jornal de pediatria, 81, s164-s172.

Lüdke, M., & André, M. (1986). Pesquisa em educação: abordagens qualitativas.

Marinho, J. C. B., & Silva, J. A. D. (2019). Análise moral e ética no cuidado com a saúde de adolescentes cabo-verdianos e brasileiros referente ao consumo de cigarros, álcool, drogas e anabolizantes. Ciência & Educação (Bauru), 25, 297-315.

Marques, V. R. B. (1994). A medicalização da raça: Médicos. Educadores e Discurso Eugênico. Editora da Unicamp.

Martins, L.; Dimoulis, D. (2010). Teoria Geral dos Direitos Fundamentais. Editora Revista dos Tribunais.

Melo, J. A. C. (1976). A prática de saúde e a educação. 1976 (Tese (Doutorado em Saúde Pública) - Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas, Campinas).

Melo, L. P. D., & Oliveira, A. L. D. O. (2017). Viver Através de Projetos de Saúde: práticas de educação em saúde no Brasil. Educação & Realidade, 42, 961-980.

MIRA, F. D. (2007) Capacitação de professores em alimentação saudável na rede municipal de Mutuípe, Bahia: alcances e limitações. 120 f. Dissertação (Mestrado em Alimento, Nutrição e Saúde) – Escola de Nutrição, Universidade Federal da Bahia, Salvador.

Monteiro, C. A., Mondini, L., Souza, A. L. M. D., & Popkin, B. M. (1995). Da desnutrição para a obesidade: a transição nutricional no Brasil. In Velhos e novos males da saúde no Brasil: a evolução do país e de suas doenças (pp. 247-55).

Moreira, B. L. da R.; Folmer, (2015) V. Percepções de professores de ciências e educação física acerca da educação sexual na escola. Experiências em Ensino de Ciências. 10(3).

Moreira, F. G., Silveira, D. X. D., & Andreoli, S. B. (2006). Redução de danos do uso indevido de drogas no contexto da escola promotora de saúde. Ciência & Saúde Coletiva, 11(3), 807-816.

Moreno, N. Saúde e Educação (1946) Arquivo de Higiene e Saúde Pública, v. 11, n. 29, p. 425-35, 1946.

Moreira, B. L. R., Rocha, J. B. T., Puntel, R. L., Folmer, V. (2011). Educação sexual na escola: implicações para a práxis dos adultos de referência a partir das dúvidas e curiosidades dos adolescentes. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, 10(1), 64-83.

Mota, R. S., Gomes, N. P., Oliveira, J. F. D., Campos, L. M., Araújo, G. S. D., Gusmão, M. E. N., & Carneiro, J. B. (2019). Situação sociodemográfica e de saúde em adolescentes escolares segundo o sexo. Revista Brasileira de Enfermagem, 72, 1007-1012.

Moura, L. R. D., Torres, L. M., Cadete, M. M. M., & Cunha, C. D. F. (2018). Fatores associados aos comportamentos de risco à saúde entre adolescentes brasileiros: uma revisão integrativa. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 52.

Müller, A. C., Paul, C. L., & Santos, N. I. S. D. (2008). Prevenção às drogas nas escolas: uma experiência pensada a partir dos modelos de atenção em saúde. Estudos de Psicologia (Campinas), 25(4), 607-616.

Neves, F. H. G., & Queiroz, P. P. D. (2020). O Ensino de Ciências e a Saúde: por uma Docência Intercultural e Crítico-Reflexiva na Escola Básica. Ciência & Educação (Bauru), 26.

Nogueira, M. J., Barcelos, S., Barros, H., & Schall, V. T. (2011). Criação compartilhada de um jogo: um instrumento para o diálogo sobre sexualidade desenvolvido com adolescentes. Ciência & Educação (Bauru), 17, 941-956.

Oliva, J. M. (2011). Difficulties of secondary school teachers implicating in the reading, innovation and research in science education (I): The problem to begin with. Revista Eureka sobre enseñanza y divulgación de las ciencias, 8(1).

Pereira, A. P. D., & Sanchez, Z. M. (2020). Características dos Programas escolares de Prevenção ao Uso de Drogas no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 25, 3131-3142.

Pereira, M.G. (1995) Epidemiologia: teoria e prática. Guanabara Koogan.

Pigozi, P. L., & Machado, A. L. (2019). Os cuidados da Estratégia Saúde da Família a um adolescente vítima de bullying: uma cartografia. Ciência & Saúde Coletiva, 25, 353-363.

Pueyo, A., Carrasquer, J., Álvarez, M. V., & Ponz, A. (2016). El Centro de Salud como Escuela para la Salud. Avaliação de Processos Educacionais em Saúde: Tendências e Inovações, 220-244.

Reis, A. A. C. D., Malta, D. C., & Furtado, L. A. C. (2018). Desafios para as políticas públicas voltadas à adolescência e juventude a partir da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE). Ciência & Saúde Coletiva, 23, 2879-2890.

Rocha, R. L. P., & Folmer, V. (2011). Educação sexual na escola: implicações para a práxis dos adultos de referência a partir das dúvidas e curiosidades dos adolescentes. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, 10(1), 64-83.

Rocha, A. D. S., & Facina, V. B. (2017). Professores da rede municipal de ensino e o conhecimento sobre o papel da escola na formação dos hábitos alimentares dos escolares. Ciência & Educação (Bauru), 23, 691-706.

Santos, L. A. D. S. (2005). Educação alimentar e nutricional no contexto da promoção de práticas alimentares saudáveis. Revista de Nutrição, 18, 681-692.

Santos, E. G. D., & Sadala, M. D. G. S. (2013). Alteridade e adolescência: uma contribuição da psicanálise para a educação. Educação & Realidade, 38, 555-568.

Saraiva, P. L. (1983). Garantia constitucional dos direitos sociais no Brasil. Forense.

Schmitz, B. D. A. S., Recine, E., Cardoso, G. T., Silva, J. R. M. D., Amorim, N. F. D. A., Bernardon, R., & Rodrigues, M. D. L. C. F. (2008). A escola promovendo hábitos alimentares saudáveis: uma proposta metodológica de capacitação para educadores e donos de cantina escolar. Cadernos de Saúde Pública, 24, s312-s322.

Silva, B. R. V. S., Silva, A. O. D., Passos, M. H. P. D., Soares, F. C., Valença, P. A. D. M., Menezes, V. A. D., & Santos, C. D. F. B. F. (2018). Autopercepção negativa de saúde associada à violência escolar em adolescentes. Ciência & Saúde Coletiva, 23, 2909-2916.

Silveira, L. S. D. (2004). Prevenção de doenças e promoção da saúde: diferenciais estratégicos na conjuntura do mercado de saúde suplementar (Doctoral dissertation).

Silveira, R. E. D., Santos, Á. D. S., & Pereira, G. D. A. (2014). Consumo de álcool, tabaco e outras drogas entre adolescentes do ensino fundamental de um município brasileiro.

Soares, C. B., & Jacobi, P. R. (2000). Adolescentes, drogas e AIDS: avaliação de um programa de prevenção escolar. Cadernos de Pesquisa, (109), 213-237.

Soares, F. R. R., Oliveira, D. I. D. C., Torres, J. D. M., Pessoa, V. L. M. D. P., Guimarães, J. M. X., & Monteiro, A. R. M. (2020). Motivações do consumo de drogas entre adolescentes: implicações para o cuidado clínico de enfermagem. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 54.

Sobral, N. A. T., & Santos, S. M. C. D. (2010). Proposta metodológica para avaliação de formação em alimentação saudável. Revista de Nutrição, 23(3), 399-415.

Talavera, M., & Catalan, V. G. (2013). Percepción de la educación para la salud en el personal docente y el sanitario. Didáctica de las ciencias experimentales y sociales, (27).

World Health Organization (WHO) (1995). Physical status: the use and interpretation of anthropometry. Report of a WHO Expert Committed. WHO Technical Report Series 584. 1995. WHO

World Health Organization (2004) Global strategy on diet, physical activity and health. WHO.

World Health Organization. (2009) Preventing intimate partner and sexual violence against women. WHO

Published

03/08/2021

How to Cite

DIAS, P. da S. .; GOI, M. E. J. Literature review: Interventions on health and education in the school context. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 9, p. e47410917766, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i9.17766. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/17766. Acesso em: 26 sep. 2021.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences