The affect on the Teacher and Student relationship and its influence on the Teaching and Learning Process

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i9.17775

Keywords:

Affection; Teacher and Student Relationship; Teaching and learning.

Abstract

Affection is present in all human spheres, from social relationships, through the human development process and also through cognitive processes, such as those developed in the school environment. This work aims to understand the importance of affectivity in the teacher-student relationship and its influence on the teaching and learning processes, understanding that, just as in different social spheres, the way the educator manages his relationship with the student will influence the social interactions of the class, in the academic performance of the students, as well as in the student's own further development. From the objective described above, we developed this research also in order to answer the motivating question of this study, which is: how affectivity can influence the student-teacher relationship in the teaching and learning processes? Finally, the bibliographical study now undertaken will be organized around three axes, namely: knowing the different perspectives on the affectivity category; dialogue about the nature of teaching and learning processes; and, finally, understanding affectivity as a pedagogical presupposition for the relationship between teacher-student. Thus, as a result of this research, we highlight the importance of positive affects within the classroom environment and, more precisely, in the relationship between educator and student, as affectivity and cognition are not dissociated. Therefore, the affections permeated in this interpersonal relationship can generate decisive impacts on the teaching and learning process, as well as facilitating or hindering them.

Author Biography

Maria Júlia Machado Lopes, Universidade Federal do Rio Grande

Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal do Rio Grande - FURG.

References

Adad, S. J. H. C., Santos, V. N. Dos & Silva, K. De S. (2021). Juventudes, violência e convivência na escola: Uma pesquisa sociopoética. Research, Society and Development, 10 (8), 1-9.

Anastasiou, L. G. C. (2015). Ensinar, aprender, apreender e processos de Ensinagem. In: Anastasiou, L. da G. C., Possate, L. (org.). Processos de Ensinagem na Universidade. Univille, 1 – 26.

Assis, L. L. de & Podewils, T. L. (2021). Mulheres no capitalismo: Notas para uma educação feminista. Research, Society and Development. 10 (7), 1-15.

Freire, P. (1996). Pedagogia da Autonomia: Saberes Necessários à Prática Educativa. Paz e Terra.

Galvão, I. (1995). Henri Wallon: uma concepção dialética do desenvolvimento infantil. Vozes.

Gil, A. C. (2008). Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. Atlas.

Kubo, O. M. & Botomé, S. P. (2001). Ensino-Aprendizagem: uma interação entre processos comportamentais. Interação em psicologia, (5), 1– 19.

Leite, S. A. S. & Tagliaferro, A. R. (2005). Afetividade na sala de aula: Um professor inesquecível. Psicologia Escolar e Educacional, 9 (2), 247 – 260.

Lessa, S. (2014). O revolucionário e o estudo: por que não estudamos? Instituto Lukács.

Machado, L. V., Facci, M. G. D. & Barroco, S. M. S. (2011). Teoria das emoções em Vygotsky. Psicologia em Estudo, 16 (04), 647-657.

Marques, R. & Fraguas, T. (2021). A formação do senso crítico no processo de ensino e aprendizagem como forma de superação do senso comum. Research, Society and Development. 10 (7), 1-14.

Medeiros. M. F. (2017). O papel da afetividade na relação professor e aluno e suas implicações na aprendizagem. RPGE, 21 (2), 1165 – 1178.

Minayo, M. C. S. (1994). Pesquisa Social: Teoria, Método e Criatividade. Vozes.

Paula, M. C., Guimarães, G. T. D., Nascimento, M. M. S. & Vialli, L. (2020). Contribuições de Henry Wallon: o papel da emoção na aprendizagem. RBSE Revista Brasileira de Sociologia da Emoção, 19 (56), 181 – 192.

Pereira, M. J. A & Gonçalves, R. (2010). Afetividade: Caminho para a aprendizagem. Revista Alcance, Revista eletrônica de EAD da UNIRIO, (1), 1 – 8.

Piletti, N. & Piletti, C. (1997). História da Educação. Ática.

Ramos-Cerqueira, A. T. (1997). A prática pedagógica como processo de comunicação: a relação professor-aluno como eixo: o ponto de vista psicológico. Interface- Comunicação, Saúde e Educação, 1(1), p. 187-192.

Ribeiro, M. L. (2010). Afetividade na relação educacional. Estudos de Psicologia. Ática.

Rodrigues, M. C. N. (2019). A importância da Afetividade na aprendizagem escolar na relação aluno-professor. INFINITUM, Revista Multidisciplinar, 2 (2), p. 109-123.

Sabino, S. (2012). O afeto na prática pedagógica e na formação docente: uma presença silenciosa. Paulinas.

Scoz, B. (1994). Psicopedagogia e realidade escolar: o problema escolar e de aprendizagem. Vozes.

Silva, J. C. S., Bianco, G., Silveira, D. P., Gomes, R. da V., Veiga, D. J. S. & Scheffer, D. C D. (2021). A dimensão afetiva no processo de alfabetização de jovens e adultos. Research, Society and Development, 10 (3), 01- 08.

Silva, M. A. A. & Leal, A. L. (2019). A emoção e seus reflexos na aprendizagem da Matemática. Research, Society and Development, 08 (3), 01-15.

Vygotsky, L S. (2000). A Construção do pensamento e da linguagem: L. S. Vygotsky. Martins Fontes.

Vygotsky, L. S. (1991). A formação social da mente: Vygotsky, L. S. Martins Fontes.

Wallon, H. (1968). A evolução Psicológica da Criança. Martins Fontes.

Published

22/07/2021

How to Cite

LOPES, M. J. M.; PEDRUZZI, A. das N. The affect on the Teacher and Student relationship and its influence on the Teaching and Learning Process. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 9, p. e10310917775, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i9.17775. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/17775. Acesso em: 26 sep. 2021.

Issue

Section

Education Sciences