The stricto sensu graduate program in physical education in Rio de Janeiro: A foucault’s genelogical analysis

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i9.17801

Keywords:

Graduate; Physical Education; Teaching; Genealogy.

Abstract

The biologic conception of Physical Education is the restricted concept between health and biology, which is perpetuated for a long time in the area to account for the status quo.   This article aims to investigate the representativeness of the physical education sub-areas within the stricto sensu graduate courses in Rio de Janeiro and to discuss the effects of this distribution on the constitution of the field, based on Foucault’s genealogical analysis. For this purpose, a survey was carried out in the three stricto-sensu graduate programs in Rio de Janeiro, which sought to collect data on the four-year period (2017-2020), number of teachers, dissertations and theses defended or in progress during this period. It is concluded that given the Foucault’s genealogy in which the knowledge-power in the discursivity of the biologization of Physical Education allows us to understand that Physical Education approaches the hegemonic model of science, achieving greater legitimacy in the scientific and social fields.

Author Biographies

Felipe da Silva Triani, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Doutor em Ciências do Exercício e do Esporte pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Silvio de Cassio Costa Telles, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Doutorado em Educação Física e Cultura pela Universidade Gama Filho

Rafael da Silva Mattos, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Doutor em Ciências Humanas e Saúde - Instituto de Medicina Social - UERJ

References

Bossle, C. & Fraga, A.(2016). A racionalidade biomédica desportiva e a materialização do fazer científico na matriz curricular do curso de Educação Física da UFRGS. Movimento, 22 (3), 877-888.

Bourdieu, P. (2004) Os usos sociais das ciências: por uma sociologia clínica do campo científico. Unesp.

Bracht, V. (1997) Sociologia crítica do esporte: Uma introdução UFES, Centro de Educação Física e Desportos.

Castellani Filho, L. (1988) Educação física no Brasil: a história que não se conta. Papirus.

Gaya, A. (2014) Educação Física: ordem, caos e utopia. Casa da Educação Fìsica.

Fórum dos Pesquisadores das subáreas Sociocultural e Pedagógica. (2015) Cenários de um descompasso da pós-graduação em Educação Física e demandas encaminhas à CAPES. http://www.cbce.org.br/noticiasdetalhe.php?id=1074.

Foucault, M. (1989) La volonté de savoir. In: Foucault, M. Résumé des cours (1970-1982). Julliard.

Foucault, M. (2006). Poder e Saber. Motta MB. (Orgs. Trad.). Michel Foucault. Estratégia, Poder-Saber. Ditos & Escritos IV. 2ª Edição Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Foucault, M. (2008) A Arqueologia do Poder. (7a ed.), Forense Universitária.

Foucault, M. (1999) História da Sexualidade I: a vontade de saber. (13a ed.), Graal Edições.

Foucault, M. (2014) Microfísica do Poder. (28 ed.), Paz & Terra.

Kokubun, E. (2006). Pós-Graduação em Educação Física. Revista. Brasileira de Educação Física e Esporte, 20 (5), 31-33.

Lüdorf, S. (2002). Panorama da pesquisa em educação física da década de 90: análise dos resumos de dissertações e teses. Revista da Educação Física/UEM, 13 (2), 19-25.

Luz, M. (2007) Educação Física e saúde coletiva: papel estratégico da área e possibilidades quanto ao ensino na graduação e integração na rede de serviços públicos de saúde. In: Fraga, A. B. & Wachs, F. Educação Física e saúde coletiva: políticas de formação e perspectivas de intervenção. Ed. da UFRGS.

Manoel, E. & Carvalho, Y. (2011) Pós-graduação na educação física brasileira: a atração (fatal) para a biodinâmica. Educação e Pesquisa, 37 (2), 389-406.

Ortega, F. & Zorzanelli, R. (2010). Corpo em evidência: a ciência e a redefinição do humano. Civilização Brasileira.

Paiva, F. (2004) Contribuições da Hygiene à escolarização da Educação Física. Movimento, 10 (3), 53-75.

Telles, S., Lüdorf, S. & Pereira, E. (2017) Subáreas Sociocultural e Pedagógica na Educação Física: Ainda a caminho do fim. Telles, S., Lüdorf, S. & Pereira, E. Pesquisa em educação física: perspectivas sociocultural e pedagógica em foco. Autografia.

Thomas, J., Nelson, J. & Silverman, S. (2012). Métodos de pesquisa em atividade física. (6a ed.), Artmed.

Triani, F. & Telles, S. (2019). A pós-graduação stricto sensu em educação física no Rio de Janeiro: desafios para a formação acadêmica e a produção científica a partir das possibilidades de publicação. Journal os Physical Education, 30, e3050x.

Triani, F., Barros, G., Magalhães Júnior, C. & Telles, S. (2019). As representações sociais de bacharelandos sobre ser profissional de educação física. Journal os Physical Education, 30, e3032x.

Triani, F., Magalhães Júnior, C. A. & Novikoff, C. (2017). As representações sociais de estudantes de educação física sobre a formação de professores. Movimento, 23 (2), 575-586.

Williams, J. (2012). Pós-estruturalismo (Coleção Pensamento Moderno). Vozes.

Published

21/07/2021

How to Cite

CHRISPINO, R. F. .; SILVA, C. R. S. da .; OLIVEIRA, F. F. de .; TRIANI, F. da S. .; TELLES, S. de C. C. .; MATTOS, R. da S. . The stricto sensu graduate program in physical education in Rio de Janeiro: A foucault’s genelogical analysis. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 9, p. e7410917801, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i9.17801. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/17801. Acesso em: 23 sep. 2021.

Issue

Section

Human and Social Sciences