Paths to interprofessional education in health courses at an university of Minas Gerais

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i9.17926

Keywords:

Health education; Unified Health System; Interprofessional education; Higher education.

Abstract

Health education from the perspective of interprofessionalism in Brazil takes place after a long debate on changes in higher education. Academic training from the perspective of interprofessionalism became more evident, after debates and needs in the service about comprehensiveness in health. Thus, several courses in the country have in their National Curriculum Guidelines the perspective of training aimed at collaborative practices and interprofessional training. This work, developed during the period of the Education Program for Work for Health (PET-Health) thematic axis Interprofessionality, offered subsidies to reflect on the trajectory of Physical Education, Medicine and Psychology courses at a University of Minas Gerais, in a articulation process for curriculum integration focusing on Interprofessional Education for the Unified Health System. Content analysis was qualitatively carried out for the interpretation of information from the Curriculum Pedagogical Projects of the aforementioned courses. The analysis carried out showed that it is possible to integrate the curriculum between the courses, as they are all located in the progressive field. The implementation of actions that enable Interprofessional Education requires changes in the institutional culture, based on debate and collective reflection. The PET-Saúde Interprofessionalidade was a great agent of change and the analyzes produced allowed it to trace strategies and seek actors for curriculum integration, development of Interprofessionalism and strengthening of the Unified Health System. The analyzes of this study can also serve as a subsidy for discussion in other courses in the health area.

References

Agreli, H. F., Peduzzi, M. & Silva, M. C. (2016) Atenção centrada no paciente na prática interprofissional colaborativa. Interface (Botucatu), 20(59), 905-16.

Alves-Mazzotti, A.J. & Gewandsznadjer, F. (1998). O Método nas Ciências Naturais e Sociais. (2a ed.), Pioneira.

Amancio Filho, A. (2004). Dilemas e desafios da formação profissional em saúde. Interface (Botucatu), 8(15), 375-380.

Arouca, A. S. S. (1975). Introdução à crítica do setor saúde. Rev Nêmesis, 1(1), 17-24.

Bardin, L. (1977). Análise de conteúdo. Edições 70.

Barr, H. (1998). Competent to collaborate: towards a competency based model for interprofessional education. Journal of Interprofessional Care, 12(2), 181-187.

Barr, H. & Low, H. (2013). Introducing Interprofessional Education. Fareham: Center for The Advancement of Interprofessional Education (CAIPE).

Barr, H., Koppel, I., Reeves, S., Hammick, M. & Freeth, D. S. (2005). Effective Interprofessional Education: argument, assumption & evidence. London: Blackwell.

Batista, N. A., Rossit, R. A. S., Batista, S. H. S. S., Silva, C. C. B., Uchôa-Figueiredo, L. R. & Poletto, P. R. (2018). Educação interprofissional na formação em Saúde: a experiência da Universidade Federal de São Paulo, campus Baixada Santista, Santos, Brasil. Interface (Botucatu), 22(2), 1705-1715.

Carvalho, A. C. (2014) As relações raciais e a formação docente em Educação Física no Brasil: o que diz a legislação? Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de São João del Rei, São João del Rei, Minas Gerais, Brasil.

Castro, T. G., Abss, D. & Sarriera, J. C. (2011). Análise de conteúdo em Pesquisas de Psicologia. Psicologia: Ciência e Profissão, 31(4), 814-825.

Cavalheiro, M. T. P. & Guimarães, A. L. (2011). Formação para o SUS e os Desafios da Integração Ensino Serviço. Caderno FNEPAS, 1, 19-27.

Conferência Nacional de Saúde (1986). Relatório final da VIII Conferência Nacional de Saúde. http://conselho.saude.gov.br/biblioteca/Relatorios/relatorio_8.pdf

Costa, M. V. da. (2014). A educação interprofissional como abordagem para a reorientação da formação profissional em saúde. Tese de Doutorado, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Rio Grande do Norte, Brasil.

Costa, M. V. da & Borges, F. A. (2015). O Pró-PET-Saúde frente aos desafios do processo de formação profissional em saúde. Interface (Botucatu), 19(1), 753-763.

Costa, R. K. S. & Miranda, F. A. N. de. (2008). Formação profissional no SUS: oportunidades de mudanças na perspectiva da estratégia de saúde da família. Trab. educ. saúde [online], 6(3), 503-518.

Fraga, A. B., Carvalho, Y. M. & Gomes, I. M. (2012). Políticas de formação em Educação Física e Saúde Coletiva. Trab. Educ. Saúde, 10(3), 367-386.

Haddad, A. E., Pierantoni, C. R., Ristoff, D., Xavier, I. de M., Giolo, J. & Silva, L. B. da. (2006). A trajetória dos cursos de graduação na área da saúde: 1991- 2004. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira.

Illingworth, P. & Chelvanayagam, S. (2017). A review of the benefits of interprofessional education 10 years on. British Journal of Nursing, 26(13), 2-7.

L’abbate, S. (2010). Direito à saúde: discursos e práticas na construção do SUS. Hucitec.

Lei n. 8.142, de 28 de dezembro de 1990 (1990). Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. https://legislacao.presidencia.gov.br/atos/?tipo=LEI&numero=8142&ano=1990&ato=850o3Zq1keFpWTcff

Lei n. 12.871, de 22 de outubro de 2013 (2013). Institui o Programa Mais Médicos, altera as Leis nº 8.745, de 9 de dezembro de 1993, e nº 6.932, de 7 de julho de 1981, e dá outras providências. https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2013/lei-12871-22-outubro-2013-777279-norma-pl.htm

Pereira A. S.; Shitsuka D. M.; Parreira F. J.; & Shitsuka R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. UFSM.

Política Nacional de Educação Permanente em Saúde (2009). Ministério da Saúde, Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Departamento de Gestão da Educação em Saúde, Brasília. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/pacto_saude_volume9.pdf

Reeves, S. (2016) Porque precisamos da educação interprofissional para um cuidado efetivo e seguro. Interface (Botucatu), 20(56),185-197.

Resolução CNE/CES n. 3 de 20 de junho de 2014 (2014). Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina e dá outras providências. http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=15874-rces003-14&category_slug=junho-2014-pdf&Itemid=30192

Resolução n. 001, de 23 de fevereiro de 2011 (2011). Aprova novo Projeto Pedagógico do Curso de Psicologia. https://sig.ufsj.edu.br/sigrh/public/colegiados/filtro_busca.jsf

Resolução n. 002, de 17 de fevereiro de 2016 (2016). Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Medicina do Campus Dom Bosco. https://sig.ufsj.edu.br/sigrh/public/colegiados/filtro_busca.jsf

Resolução n. 5, de 15 de março de 2011 (2011). Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Psicologia, estabelecendo normas para o projeto pedagógico complementar para a Formação de Professores de Psicologia. https://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/55877795

Resolução n. 7, de 31 março de 2004 (2004). Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Educação Física, em nível superior de graduação plena. http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/ces0704edfisica.pdf

Resolução Nº 029, de 8 de novembro de 2017 (2017). Propõe a criação do Curso de Educação Física, Grau Acadêmico Bacharelado, e aprova o seu projeto pedagógico. https://www.ufsj.edu.br/portal2-repositorio/File/coefi/Res029Conep2017_PPCCursoEducacaoFisica_Bacharelado.pdf

Robertson, J. & Bandali, K. (2008). Bridging the gap: enhancing interprofessional education using simulation. J Interprof Care, 22(5), 499–508

Rosemberg, F. (1981) Da intimidade aos quiprocós: uma discussão em torno da análise de conteúdo. Caderno CERU, (16), 69-80.

Parecer CNE/CES n. 0058 de 05 de abril de 2004 (2004). Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de Graduação em Educação Física. http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/2007/pces058_04.pdf

Parecer n. 1071, de 04 de dezembro de 2019 (2019). Revisão das Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs) dos Cursos de Graduação em Psicologia e estabelecimento de normas para o Projeto Pedagógico Complementar (PPC) para a Formação de Professores de Psicologia. http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=139201-pces1071-19&category_slug=dezembro-2019-pdf&Itemid=30192

Souza, R. M. P. & Costa, P.P. (2019). Nova formação em saúde pública: aprendizado coletivo e lições compartilhadas na RedEscola. Fiocruz, ENSP, RedEscola (p. 260).

Thompson, J. B. (1995). Ideologia e cultura moderna: teoria social crítica na era dos meios de comunicação de massa. Vozes.

Published

23/07/2021

How to Cite

ANDRADE, M. P. de .; FERREIRA , F. Q. .; RODRIGUES, V. S.; BONAFÉ, U. A. .; FÉLIX, M. B. R.; TEIXEIRA, C. P. .; AGUIAR, G. de P. N.; SANTOS, W. B. dos .; MONTEFORTE, P. T. .; COSTA, R. A. . Paths to interprofessional education in health courses at an university of Minas Gerais. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 9, p. e16510917926, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i9.17926. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/17926. Acesso em: 17 sep. 2021.

Issue

Section

Health Sciences