“Nothing is easy to understand”: reflections on the suicide act in adolescence

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i9.18015

Keywords:

Suicide; Suicide; Psychoanalysis; Adolescence; Health promotion; Psychoanalysis; Adolescence; Health promotion.

Abstract

Suicide is a public health problem that affects communities, cities and countries, being the second leading cause of death among young people aged 15 to 29 years. In this context, this work aims to investigate the possible contributions of psychoanalysis in the context of acting in situations of suicide in adolescents, pointing out the possibility of interlocution and reflections between psychoanalysis and health promotion based on an analysis of excerpts from the music Pais e Filhos - (Urban Legion, 1989). This is an exploratory type research, with qualitative method, empirical documentary, with survey to identify potential studies in databases, with categorization of themes, and search for psychoanalytic theoretical correlation. The results and discussion point to the possibilities of contributions from Psychoanalysis to situations of suicide and self-mutilation in adolescence, interlocutions between psychoanalysis and public health and reflections on welcoming and care in psychological practices. The final considerations of the study show the importance of the Psychology professional in the field of public health, unveiling issues related to the practice of psychoanalysis in the thematic suicidal act in adolescence.

References

Alberti, S. (2009). Esse sujeito adolescente. Rios Ambiciosos

Amaral, V. L. A (2020) psicologia da adolescência. Rio Grande do Norte: EDUFRN, 2007. http://www.ead.uepb.edu.br/arqu ivos/cursos/Geo grafia_PA R_UAB/Fasciculos%20- %20Material/Psicologia_Educacao/Psi_Ed_A05_J_GR_20112007.pdf

Berman, Antoine. (2007) A tradução e a letra ou o albergue do longínquo. Tradução de Marie-Helène Catherine Torres, Mauri Furlan, Andréia Guerini. Rio de Janeiro: 7 Letras/PGET,

Birman, J. (2005) A Physis da saúde coletiva Physis: Rev. saúde coletiva, 15 (supl.), 1116.

Brasil. Ministério da Saúde. (2018) Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Departamento de Apoio à Gestão Participativa e ao Controle Social. Óbitos por suicídio entre adolescentes e jovens negros 2012 a 2016 / Ministério da Saúde, Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa, Departamento de Apoio à Gestão Participativa e ao Controle Social. Universidade de Brasília, Observatório de Saúde de Populações em Vulnerabilidade – Brasília: Ministério da Saúde.

Brunhari, M. V.. & Darriba, V. A. (2014) O suicídio como questão: melancolia e passagem ao ato. Psicologia clinica. 26, 197- 213. <http://pepsic.bvsalud.org /scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-56652014000100013&lng=pt&nrm=iso> .

Calligaris C. (2009) A adolescência. (2a ed.), Publifolha.

Capra, F. (1987) O ponto de mutação. A ciência, a sociedade e a cultura emergente. Cultrix.

Carvalho, S. (2014) A morte pode esperar? Clínica psicanalítica do suicídio. Associação Campo Psicanalítico.

Cecilio, L. C. O., & Mehry, E. E. (2020) A integralidade do cuidado como eixo da gestão hospitalar.

Eidelberg, A., et al.(2009) Porciones de nada. La anorexia y la época. Del Bucle.

Flick, U. (2009) Métodos de Pesquisa: introdução à pesquisa qualitativa. Artmed.

Flick, U. (org.). (2015) Qualidade na Pesquisa Qualitativa. Coleção Pesquisa Qualitativa. ARTMED, Coleção Pesquisa Qualitativa. 195 p.

&

Franco, C.. Silva, D. da. Reis, O. P. dos. Reckziegel, T. (2020) O Suicídio na Adolescência: um Olhar Psicanalítico na Contemporaneidade. Psicologado, [S.l.].

Freud, S. (1901) Psicopatologia da vida cotidiana. Imago, 1996. (Edição Standard Brasileira).

Lacan, J. (1964). O seminário, livro 11: os quatro conceitos fundamentais da psicanálise. Zahar, 2008.

Freud, S. (1996 a) Além do princípio de prazer. In: Freud, S. Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud. v. 18. Rio de Janeiro: Imago.

Freud, S. (1905) Três ensaios sobre a teoria da sexualidade. Rio de Janeiro: Imago, 2006. In: Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud, vol. VII.

Freud, S. (1996) A dissolução do complexo de Édipo. In: FREUD, S. Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago. Vol. XIX, p. 191-199.

Gaspar, F.. Lorenzutti, P. & Cardoso, M. (2011) Trauma e representação: estudo de um caso clínico. Em: Adolescentes. Editora Escuta, p. 147-156

Gil, Antonio Carlos. (2010) Como elaborar projetos de pesquisa. Atlas, 184p.

Grassi, A. (2013) Entrevista com Juan David Nasio. Em: Cadernos de Psicanálise – SPCRJ, 29, 135-153.

Guerra, A. M. Cet al. (2015) A assistência social pública na interface entre subjetividade e política. Scriptum.

Kuhn, T. S. (1997) A estrutura das revoluções científicas. Perspectiva.

Lacadée, P. (2011) O despertar e o exílio: ensinamentos psicanalíticos da mais delicada das transições, a adolescência. Rio de Janeiro: Contracapa Livraria.

Lacan, J. (1964). O seminário, livro 11: os quatro conceitos fundamentais da psicanálise. Zahar.

Le Breton, D. (2011) Antropologia do corpo e modernidade. Vozes.

Leal, M. B.. & Camargo JR., K. R. (2012) Saúde coletiva em debate: reflexões acerca de um campo em construção. Interface - Comunic., Saúde, Educ., Botucatu, 16, 53-65.

Lesourd, S. (2004). A construção adolescente no laço social. Vozes.

Lipovetsky, G. (2005) A Era do Vazio. Manole.

Lopes, L.. & Teixeira, L. (2019) Automutilações na adolescência e suas narrativas em contexto escolar. Estilos da Clínica, 24, 291-303.

Miller, J.A. (2020) Em direção à adolescência. Minas com Lacan, Belo Horizonte, jun. 2015 Disponível em: < http://minascomlacan.com.br/blog/em-direcao-a-adolescencia/>.

Mitre, S. M. et al, R. M. M. (2012) Avanços e desafios do acolhimento na operacionalização e qualificação do Sistema Único de Saúde na Atenção Primária: um resgate da produção bibliográfica do Brasil. Ciênc. saúde coletiva, 17, 2071-2085.

Moreira, F. J. F., Sampaio, J. V. S., Abreu, L. D. P., & Santos, M. L.(2018) Caminho trilhado na construção do plano estadual de educação permanente: percursos e discursos. / Escola de Saúde Pública do Ceará. 139 p.

Morin, E. (2015) Introdução ao pensamento complexo. Sulina.

Ortega, F. (2088) Modificações corporais na cultura contemporânea. In Ortega F. O corpo incerto: corporiedade, tecnologias médicas e cultura contemporanea. Garamond.

Paim, J. S.. & Almeida-Filho, N. (1998) saúde coletiva: uma "nova saúde pública" ou campo aberto a novos paradigmas? Revista de Saúde Pública, São Paulo, 32, 299-316.

Pinheiro, C. V. de Q.. & Albuquerque, K. M. de. (2014) Psicopatologia e saúde mental: questões sobre os critérios que orientam a percepção clínica. Rev. Subj. 14.

Santiago, A. L. (2016) Procrastinação, autoerótica e depreciação: sintomas dos jovens com relação ao saber. http://www.encontrobrasileiro2016.org/sinto mas-de-jovens>

Vasconcelos, M. J. E. (2002) Pensamento Sistêmico: o novo paradigma da ciência. Papirus.

Published

28/07/2021

How to Cite

MOREIRA, F. J. F. . “Nothing is easy to understand”: reflections on the suicide act in adolescence. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 9, p. e38510918015, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i9.18015. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18015. Acesso em: 18 sep. 2021.

Issue

Section

Health Sciences