Occurrence of Babesia spp. in hematological samples in Nelore cows and the importance of its prophylaxis in the City of Porto Velho – Rondônia

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i10.18085

Keywords:

Parasite; Hematology; Cattle; Prevention; Management.

Abstract

Babesiosis is caused by a protozoan of the genus Babesia spp, which parasitizes blood cells, which is transmitted through the Rhipicephalus microplus ectoparasite. It is a pathology of great economic importance. The aim of this study was to analyze the hematological profile of 30 Nellore cows for diagnosis of bovine babesiosis, to establish its prevalence and to discuss the importance of prophylactic care for such disease. The results showed that the analyzes for babesia spp were negative even with the presence of tick, thus discussing hypotheses such as host resistance to hemoparasite, prophylactic management failures or ectoparasite resistance to active principles.

References

Barros, S. L. et al. (2005). Levantamento sorológico de anticorpos de Babesia bovis, Babesia bigemina e Anaplasma marginale em bovinos da região semi-árida do estado da Bahia, por meio de ensaios imunoenzimáticos. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz, 100(6): 513-517.

Costa, V. M. M. et al. (2018). Incidência de Anaplasma marginale, Babesia bigemina e Babesia bovis em bezerros no semiárido paraibano. Pesq. Vet. Bras. 38(4): 605-612.

Embrapa (2009). Publicações: Gado de corte divulga, controle do carrapato do boi; Artigos técnicos. (publicado em agosto 1998). Disponível em: http://www.cnpgc.embrapa.br/publicacoes/divulga/GCD31.html, (Acesso em: 08/06/2009).

Folly, M. M. et al. (2009). Ocorrência de Babesia sp. em bezerros mestiços por meio de testes sorológicos, em Campos dos Goyatacazes, RJ, Brasil. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal, 10(1): 44-51.

Garcia-Navarro, C. E. K. (2005). Manual de Hematologia Veterinária. 2ed. São Paulo: Varela, 206 p.

Gonçalves, P. M. (2000). Epidemiologia e controle da tristeza parasitária bovina na região sudeste do Brasil. Ciência Rural, 30(1): 187-194.

Grisi, L. et al. (2002). Impacto econômico das principais ectoparasitoses em bovinos no Brasil. A Hora Veterinária, 21(125): 8-10.

Guglielmone, A. A. (1995). Epidemiology of babesiosis and anaplasmosis in South and Central America. Veterinary Parasitology, 57(1-3): 109-119.

Kikugawa, M. M. (2009). Tristeza Parasitária Bovina, 2009. 41 pag. Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), graduação em Medicina Veterinária – Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU), São Paulo – SP.

Madruga, C. R. et al. (1984). Níveis de anticorpos anti-Babesia bigemina e Babesia bovis em bezerros da raça Nelore, Ibagé e cruzamento de Nelore. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 19(9): 1163-1168.

Martins, J. R. (2004). De olho na babesiose. Revista Cultivar Bovinos, n.3.

Massard, C. L. & Freire, R. B. (1985). Etiologia, manifestações e diagnóstico das babesioses bovinas no Brasil. A Hora Veterinária, 4(23): 53-56.

Osaki, S. C. et al. (2002). Ocorrência de anticorpos anti Babesia bovis e estudo sobre a infecção natural em bovinos da raça nelore, na região de Umuarama, Paraná, Brasil. Revista Brasileira de Parasitologia Veterinária, 11(2): 77-83.

Piau Júnior, R. et al. (2013). Levantamento da prevalência da babesiose bovina no município de Umuarama, Paraná, Brasil. Arq. Ciênc. Vet. Zool. 16(1): 25-29.

Rocha, C. M. B. M., Oliveira, P. R. & Leite, R. C. (2006). Percepção dos produtores de leite do município de Passos, MG, sobre o carrapato Boophilus microplus (Acari: Ixodidae), 2001. Ciência Rural, 36(4): 1235- 1242.

Roche. pocH-100iV Diff. (2019). O Analisador Hematológico da sua Clínica Veterinária. São Paulo, SP, Brasil. Dísponivel em: <http://www.medicane.com.br/Especificacoes/Veterinaria/folder_pochvet_2011_BAIXA.pdf .

Santos, G. B. (2017). Tristeza Parasitária em bovinos do semiárido pernambucano. Pesq. Vet. Bras. 37(1):1-7.

Santos, J. B. (2019). EFEITO DA ROTAÇÃO DE PASTAGENS SOBRE A INFESTAÇÃO DE Rhipicephalus microplus PARASITANDO BOVINOS (Bos taurus). 44f. Tese (Dissertação na área de Saúde Animal, Tecnologia e Segurança de alimentos).

Santos, T. R. B. et al. (1998). Transmissão transovariana de Babesia bigemina, (SMITH & KILBORNE, 1893) por partenóginas de Boophilus microplus (Canestrini, 1887). Revista Brasileira de Parasitologia Veterinária, 7(1): 7-10.

Silva, T. M. et al. (2018). Caracterização histoquímica no diagnóstico da babesiose bovina por Babesia bovis. Pesq. Vet. Bras. 38(4): 649-658.

Trindade, H. I., Almeida, K. S. & Freitas, F. L. C. (2011). Tristeza parasitária bovina – revisão de literatura. Revista Científica Eletrônica de Medicina Veterinária, 16.

Uilenberg, G. (2006). Babesia – A historical overview. Veterinary Parasitology, 138(1-2): 3-10.

Published

04/08/2021

How to Cite

LOPES, T. V. .; SOUZA, J. G. da S. G. de .; ALMEIDA, S. B. .; BATISTA, C. de C. .; ROCHA, M. de A. .; SCHONS, S. de V. .; SOUZA, F. A. . Occurrence of Babesia spp. in hematological samples in Nelore cows and the importance of its prophylaxis in the City of Porto Velho – Rondônia. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 10, p. e04101018085, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i10.18085. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18085. Acesso em: 21 oct. 2021.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences