Production of yellow passion fruit seedlings under irrigation water salinity

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i9.18178

Keywords:

Passiflora edulis; Saline water; Physiology.

Abstract

The use of water with a high salt content is a serious problem in the formation of seedlings and establishment of passion fruit in different areas of the northeast region, which is considered quite expressive in the production of yellow passion fruit. Therefore, the aim of this study was to evaluate the production of yellow passion fruit seedlings in response to the salinity of irrigation water. The experiment was carried out in a greenhouse. Five treatments were studied, consisting of five levels of electrical conductivity of the irrigation water (0.8; 1.6; 2.4; 3.2 and 4.0 dS m-1), distributed in a randomized block design, with 12 replications, and one plant per plot, totaling 60 experimental units. The effects of the treatments were obtained by analyzing the growth, gas exchange and fluorescence of chlorophyll a. Irrigation with water with electrical conductivity above 0.8 dS m-1 negatively affected the growth of passion fruit cv. Round Yellow at 40 days after sowing. Irrigation with 4.0 dS m-1 water compromised gas exchange and chlorophyll a fluorescence, in addition to reducing the electron transport rate of passion fruit seedlings.

Author Biographies

Idelvan José da Silva, Universidade Federal de Campina Grande

Graduado em Agronomia e mestrando em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Campina Grande. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em bovinocultura leiteira e produção de cana-de-açúcar.

Francisco de Assis da Silva, Universidade Federal de Campina Grande

Graduado em Licenciatura Plena em História pelo Centro de Formação de Professores (2006-2010) e em Agronomia pelo Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar/ Universidade Federal de Campina Grande (2010-2015). Especialização em Educação de Jovens e Adultos com Ênfase em Economia Solidária, pela UFCG (2011-2013). Mestrado em Horticultura Tropical (Área de concentração: Praticas Culturais em Sistemas de Produção de Hortícolas) pelo CCTA/UFCG ( 2015-2017).  Atualmente é Doutorando no Programa de Pós Graduação em Engenharia Agrícola( Área de concentração: Irrigação e Drenagem) pela Universidade Federal de Campina Grande - UFCG.

Pedro Dantas Fernandes, Universidade Federal de Campina Grande

Graduado em Engenharia Agronômica pela Escola de Agronomia do Nordeste / Universidade Federal da Paraíba (1966-1969). Mestrado em Fitotecnia pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz / USP (1970-1971). Doutorado em Solos e Nutrição de Plantas pela ESALQ / USP (1972-1974). Cumpriu programa de Pós-doutorado na University of Arizona, Tucson/AZ, USA (ago-1989/dez-1990), em fisiologia da produção, com ênfase em Horticultura. Tem experiência em áreas de Agronomia e de Engenharia Agrícola, com ênfase em Fisiologia da Produção, atuando, principalmente, em estresse abiótico (salino, hídrico e hipoxítico/anoxítico), bem como, em Ecofisiologia de espécies da Caatinga. Em 2013 foi homenageado pela Universidade Federal de Campina Grande, como Paraninfo Geral das turmas concluintes da UFCG - período letivo 2013.1 - (Ofício Número 277/R/GR/UFCG, datado de 14/10/2013). Em 2017, a homenagem foi do CONSELHO UNIVERSITÁRIO da UEPB, elegendo-o como Paraninfo Geral das turmas concluintes do Campus II da UEPB, conforme RESOLUÇÃO/UEPB/CONSUNI/0223/2017, datada de 21/12/2017. Até o momento, participou da publicação de número superior a 180 papers em revistas científicas especializadas e orientou/coorientou mais de 100 alunos, em vários níveis de qualificação, com 39 doutores já titulados sob sua orientação/coorientação.

Mirandy dos Santos Dias, Universidade Federal de Campina Grande

Doutorando em Engenharia Agrícola (Irrigação e Drenagem) na Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). Mestre em Engenharia Agrícola (Irrigação e Drenagem) pela UFCG. Formado em Agronomia pelo Campus de Engenharias e Ciências Agrárias da Universidade Federal de Alagoas (CECA- UFAL). Técnico em Agricultura pelo Instituto Federal de Alagoas. Tem experiência em irrigação e drenagem, Olericultura e no Controle Alternativo de Pragas.

Cassiano Nogueira de Lacerda, Universidade Federal de Campina Grande

Engenheiro Agrônomo pela (UFCG) Universidade Federal de Campina Grande 2014- 2019. Atualmente faz curso de Pós- graduação em Engenharia Agrícola pela (UFCG), com linha de pesquisa em Irrigação e Drenagem Agrícola. Experiência com dimensionamentos e instalações de projetos de irrigação.

André Alisson Rodrigues da Silva, Universidade Federal de Campina Grande

Possui graduação Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Campina Grande (2017) e Mestrado (2018) em Engenharia Agrícola na área de concentração de Irrigação e Drenagem pela Universidade Federal de Campina Grande - Campus de Campina Grande - PB. Possui formação Técnica em informatica, e técnico em Agronegócio pelo SENAR. Atualmente é Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Engenharia Agrícola na área de concentração de irrigação e drenagem pela Universidade Federal de Campina Grande. Desenvolve pesquisas na área de Engenharia Agrícola, com ênfase em Irrigação e drenagem, atuando principalmente nos seguintes temas: Estresses abióticos (salino e hídrico), manejo de culturas irrigadas, recuperação de áreas degradadas e projetos de irrigação.

Aline Dayanna Alves de Lima Marcelino, Universidade Federal da Paraíba

Possui Graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Campina Grande (2015), Especialização em Biologia Celular e Molecular pela Universidade Candido Mendes (2018); Mestrado em Ciências Agrárias pela Universidade Estadual da Paraíba - UEPB - EMBRAPA (2018) cursando Doutorado em Agronomia pela Universidade Federal da Paraíba (2018), atuando principalmente nos seguintes temas: variação sazonal, inseticidas naturais, toxicologia e salinidade

Armando Rodrigues de Melo, Universidade Federal de Campina Grande

Bacharel em Agroecologia pela Universidade Estadual da Paraíba - UEPB. Mestre em Engenharia e Gestão de Recursos Naturais. Técnico em enfermagem - Secretaria de Saúde de Estado da Paraíba. Tem experiência na área de saúde. Atualmente Pesquisa na área de Manejo de Solo e água voltado para a Agricultura familiar. 

Ligia Sampaio Reis, Universidade Federal de Alagoas

Possui Doutorado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Campina Grande (2006) e Mestrado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal da Paraíba (1993) . Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal de Alagoas. Tem experiência na área de Engenharia Agrícola, com ênfase em Conservação de Solo e Água, atuando principalmente nos seguintes temas: Irrigação, Manejo de água e solo.

Robson Felipe de Lima, Universidade Federal de Campina Grande

Graduado em Agronomia pela Universidade Federal de Campina Grande. Mestre em Engenharia Agrícola  e atualmente Doutorando em Engenharia Agrícola (Irrigação e drenagem) pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG).

References

Arif, Y., Singh, P., Siddiqui, H., Bajguz, A., & Hayat, S. (2020). Salinity induced physiological and biochemical changes in plants: An omic approach towards salt stress tolerance. Plant Physiology and Biochemistry, 156, 64-77.

Ayers, R.S. & Westcot, D.W. (1999). A qualidade de água na agricultura. (2a ed.), UFPB, FAO, 153p.

Bezerra, J. D., Pereira, W. E., Silva, J. M. D., & Raposo, R. W. C. (2016). Crescimento de dois genótipos de maracujazeiro-amarelo sob condições de salinidade1. Revista Ceres, 63, 502-508.

Cavalcante, N. R., Viana, A. P., Almeida Filho, J. E., Pereira, M. G., Ambrósio, M., Santos, E. A., Sousa, C. M. B (2019). Novel selection strategy for half-sib families of sour passion fruit Passiflora edulis (Passifloraceae) under recurrent selection. Genetics and Molecular Research, 18(2), 2-12.

Costa, M. E., Nascimento, E. K. Á., Oliveira Miranda, N., Pimenta, A. S., Santos Rodrigues, A. P. M., & Mendonça Júnior, A. F. (2019). Efeito do biochar sobre condutividade elétrica e ph de solos irrigados com água salina. Educamazônia-Educação, Sociedade e Meio Ambiente, 23(2), 189-204.

Dias, N. S., Blanco, F. F., Souza, E. R., Ferreira, J. F. S., Souza Neto, O. N., Queiroz, I. S. R. (2016). Efeitos dos sais na planta e tolerância das culturas à salinidade. In: Gheyi, H. R., Dias, N. S., Lacerda, C. F., Gomes, E. N. Manejo da salinidade na agricultura: Estudos básicos e aplicados. INCTSal, 151-162.

Moraes Echer, M., Guimarães, V. F., Krieser, C. R., Abucarma, V. M., Klein, J., Santos, L., & Dallabrida, W. R. (2006). Uso de bioestimulante na formação de mudas de maracujazeiro amarelo. Semina: Ciências Agrárias, 27(3), 351-359. Faleiro, F. G.,

Junqueira, N. T. V. Maracujá: o produtor pergunta, a Embrapa responde. Embrapa Cerrados-Livro técnico, 2016. 341 p.

Ferreira, D. F. (2019). SISVAR: A computer analysis system to fixed effects split plot type designs. Revista brasileira de biometria, 37(4), 529-535.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Produção agrícola municipal. (2019). https://sidra.ibge.gov.br/tabela/5457#resultado

Kumar, A., Singh, S., Gaurav, A. K., Srivastava, S., & Verma, J. P. (2020). Plant growth-promoting bacteria: biological tools for the mitigation of salinity stress in plants. Frontiers in Microbiology, 11, 1216.

Liu, M., & Jiang, Y. (2015). Genotypic variation in growth and metabolic responses of perennial ryegrass exposed to short-term waterlogging and submergence stress. Plant Physiology and Biochemistry, 95, 57-64.

Medeiros, J. F. de. Qualidade de água de irrigação e evolução da salinidade nas propriedades assistidas pelo GAT nos Estados de RN, PB e CE (2003). (Dissertação Mestrado). Universidade Federal da Paraíba, Campina Grande.

Nascimento, E. S., Cavalcante, L. F., Gondim, S. C., Souza, J. T. A., Bezerra, F. T. C., & Bezerra, M. A. F. (2017). Formação de mudas de maracujazeiro amarelo irrigadas com águas salinas e biofertilizantes de esterco bovino. Revista Agropecuária Técnica, 38(1), 1-8.

Novais, R. D., Neves, J. C. L., & Barros, N. D. (1991). Ensaio em ambiente controlado. Métodos de pesquisa em fertilidade do solo, 1, 89-253.

Richards, L. A. Diagnosis and improvement of saline and alkali soils. (1954) Washington: U.S, Department of Agriculture.

Roháček, K. (2002). Chlorophyll fluorescence parameters: the definitions, photosynthetic meaning, and mutual relationships. Photosynthetica, 40(1), 13-29.

Schossler, T. R., Machado, D., Zuffo, A. M., Andrade, F., & Piauilino, A. (2012). Salinidade: efeitos na fisiologia e na nutrição mineral de plantas. Enciclopédia Biosfera, 8(15).

Shrivastava, P., & Kumar, R. (2015). Soil salinity: A serious environmental issue and plant growth promoting bacteria as one of the tools for its alleviation. Saudi journal of biological sciences, 22(2), 123-131.

Silva, L. D. A., Brito, M. E., Sá, F. V. D. S., Moreira, R. C., Soares Filho, W. D. S., & Fernandes, P. D. (2014). Mecanismos fisiológicos em híbridos de citros sob estresse salino em cultivo hidropônico. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 18, 1-7.

Silva, A. A., Veloso, L. L., Lima, G. S. D., Azevedo, C. A., Gheyi, H. R., & Fernandes, P. D. (2021). Hydrogen peroxide in the acclimation of yellow passion fruit seedlings to salt stress1. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 25, 116-123.

Soares, L. A. D. A., Fernandes, P. D., Lima, G. S. D., Brito, M. E. B., Nascimento, R. D., & Arriel, N. H. C. (2018). Physiology and production of naturally-colored cotton under irrigation strategies using salinized water. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 53, 746-755.

Taiz, L., Zeiger, E., Moller, I. M., Murph, A. Fisiologia e desenvolvimento vegetal. (2017). (6a ed.), Artmed.

Tanaka, H., Yamada, S., Masunaga, T., Yamamoto, S., Tsuji, W., & Murillo-Amador, B. (2018). Comparison of nutrient uptake and antioxidative response among four Labiatae herb species under salt stress condition. Soil Science and Plant Nutrition, 64(5), 589-597.

Tatagiba, S. D., Moraes, G. A. B. K., Nascimento, K. J. T., & Peloso, A. F. (2014). Limitações fotossintéticas em folhas de plantas de tomateiro submetidas a crescentes concentrações salinas, Revista Engenharia Na Agricultura - Reveng, 22(2), 138-149.

Teixeira, P.C., Donagemma, G.K., Fontana, D., Teixeira, W.G. Manual de métodos de análise de solo (2017). (3a ed.), Embrapa Solos, Brasília.

Zanandrea, I., de Lima Nassi, F., Turchetto, A. C., Braga, E. J. B., Peters, J. A., & Bacarin, M. A. (2006). Efeito da salinidade sob parâmetros de fluorescência em Phaseolus vulgaris. Current Agricultural Science and Technology, 12(2).

Published

26/07/2021

How to Cite

SILVA, I. J. da; SILVA, F. de A. da; FERNANDES, P. D. .; DIAS, M. dos S. .; LACERDA, C. N. de; SILVA, A. A. R. da; MARCELINO, A. D. A. de L.; MELO, A. R. de .; REIS, L. S.; LIMA, R. F. de. Production of yellow passion fruit seedlings under irrigation water salinity. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 9, p. e29810918178, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i9.18178. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18178. Acesso em: 20 sep. 2021.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences