Financial education as a public policy in Brazil and its potential impacts on the family budget

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i9.18213

Keywords:

Financial Education; Public policy; Family budget.

Abstract

Federal Decree n. 7397, of December 22, 2010, formalized the basic guidelines for financial education in Brazil. Based on the established guidelines, projects on financial education were created in order to make public policy on the subject in Brazil feasible. Thus, the purpose of this article is to reflect on financial education as a public policy in Brazil, analyzing whether the existence of projects that meet the basic guidelines of financial education promote awareness for optimizing the budget of Brazilian families. Through research results published on official websites of the Brazilian federal government and in scientific journals that address the subject, a qualitative theoretical research was carried out. The results show that although there is a need for financial education to be treated as a public policy, the projects arising from the guidelines provided for in the legislation are not capable of promoting, by themselves, direct changes in individual behavior with regard to care for the family budget.

References

Almeida, L. A., & Gomes, R.C. (2017). Processo das políticas públicas: revisão de literatura, reflexões teóricas e apontamentos para futuras pesquisas. Cadernos EBAPE.BR, 16 (3), 444-455. doi: https://doi.org/10.1590/1679-395164108

Brito, L. S., Baptista, J. A., Silva, S. R., Braz, S., & Henrique, M. R. (2012). A importância da educação financeira nos contextos acadêmicos e profissional: um levantamento de dados com alunos universitários. Anais do IX SEGeT – Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, 1-13.

Capella, A. C. N. Perspectivas teóricas sobre o processo de formulação de políticas públicas (2007). In Políticas Públicas no Brasil. Organizado por Gilberto Hochman, Marta Arretche e Eduardo Marques. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, pp. 87-122.

Cordeiro, N. J. N., Costa, M. G. V.,& Silva, M. N. (2018). Educação Financeira no Brasil: uma perspectiva panorâmica. Ensino da Matemática em Debate, 5 (1), 69 – 84. doi: https://revistas.pucsp.br/index.php/emd/article/view/36841

Cruz, C. A. B., Santana, M. D. J., Silva, I. G., & Santos, L. J. (ano). Mapeamento da produção científica relacionada à educação financeira. Revista Expressão Científica, 5 (2), 51-55. doi: https://aplicacoes.ifs.edu.br/periodicos/index.php/REC/article/view/523

Decreto Federal nº 7.397 de 22 de dezembro de 2010. Brasília. Recuperado em 24 de abril de 2021.

Decreto Federal nº 10.393 de 09 de junho de 2020. (2020). Brasília. Recuperado em 24 de abril de 2021.

Estratégia Nacional de Educação Financeira (2019). https://www.vidaedinheiro.gov.br/ .Recuperado em 26 de abril de 2021.

Ferreira, J. C. (2017) Caderno de Administração. Caderno de Administração. Revista do Departamento de Administração da FEA. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa 4. ed. São Paulo: Atlas.

Gottems, L. B. D., Pires, M. R. G. M., Calmon, P. C. D. P., & Alves, E. D. (2013). O modelo dos múltiplos fluxos de Kingdon na análise de políticas de saúde: aplicabilidades, contribuições e limites. Saúde Soc. v.22, n.2, p.511-520

Leite, E. S. (2017). A ressignificação da figura do especulador-investidor e as práticas de educação financeira. Civitas. Porto Alegre, v. 17, n. 1, jan./abr., 114-130. | doi: http://dx.doi.org/10.15448/1984-7289.2017.1.24446

Lucci, C. R., Zerrenner, S. A., Verrone, M. A. G., & Santos, S. C. (2010). A Influência da Educação Financeira nas Decisões de Consumo e Investimento dos Indivíduos. Anais do 9º SEMEAD, 2-10.

Neves, J. L. (1996). Pesquisa qualitativa – características, usos e possibilidades. Caderno de Pesquisa em Administração, São Paulo, V. 1, nº 3.

OECD. (2005). Improving financial literacy: analysis of issues and policies. Paris: Organization for Economic Cooperation and Development

Oliveira, F. G. M. de. (2020). Superendividamento do consumidor. Cadernos Jurídicos Da Faculdade De Direito De Sorocaba, 2 (1), 268–304. doi: https://www.fadi.br/revista/index.php/cadernosjuridicos/article/view/60

Pereira A. S. et al. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [free e-book]. Santa Maria/RS. Ed. UAB/NTE/UFSM.

Saraiva, C.S. (2017). Os sujeitos endividados e a Educação Financeira. Educar em Revista [online], 66, 157-173. doi: https://revistas.ufpr.br/educar/article/view/53867

Savoia, J. R. F., Saito, A. T., Santana, Flávia de Angelis. (2007). Paradigmas da Educação Financeira no Brasil. Revista de Administração Pública - RAP, Rio de Janeiro 41(6): 1121-41. Nov./Dez., 1121-1141. | doi: 10.1590/s0034-76122007000600006

Scopel, D. C., & Santos, E. O. (2020). A educação cooperativa como gerador de mudanças sociais: um estudo sobre a 6ª Semana da educação financeira na cidade de Itamaraju/BA. Revista de Gestão e Organizações Cooperativas – RGC. 7 (edição especial), 146-160. doi: https://doi.org/10.5902/2359043241725

Silva, C.C., Rodrigues, M. P. S., Moura, J. A., & Castro, W. A. (2019). Financial Education: A study involving the students of a higher education institution of the city Divinopolis in Minas Gerais. Res., Soc. Dev. 8 (8). | doi: 10.33448/rsd-v8i8.1177

Silvestre, H. C, & Araújo, J.F.F.E. (2015). Teoria do Equilíbrio Pontuado nas Políticas Públicas Brasileiras: O Caso do Ceará. RAC, 19 (6) 696-711. doi: 10.1590/1982-7849rac20151721

Souza, C. (2006). Políticas públicas: uma revisão da literatura. Sociologias, 8 (16), 20-45. doi: https://doi.org/10.1590/S1517-45222006000200003

Published

29/07/2021

How to Cite

RIBEIRO, Q. D. M. .; SOUZA, M. C. de .; VIEIRA, N. dos S.; MOTA, R. C. L. Financial education as a public policy in Brazil and its potential impacts on the family budget. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 9, p. e43310918213, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i9.18213. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18213. Acesso em: 20 sep. 2021.

Issue

Section

Human and Social Sciences