Associated factors with service utilization goals in municipalities of Bahia with Dental Specialty Centers from 2013-2019

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i9.18235

Keywords:

Oral health; Health policies; Health services; Health financing.

Abstract

Objective: To identify the factors associated with the achievement of the goal of utilization of dental services in primary care and specialized care of the municipalities with a CEO in the state of Bahia, from 2013 to 2019. Methodology: This is a cross-sectional, exploratory and analytical study, using secondary data obtained from the Outpatient Information System, the WEB platform e-Gestor Basic Care, the Information System on Public Health Budgets and the 1st cycle of the National Program for Improving Access and Quality of Dental Specialty Centers. We analyzed 73 municipalities in Bahia with an implemented oral health team and with the CEO, through the utilization indicators proposed for oral health by the Ministry of Health. The variables were related to demographic characteristics, financing and supply of services, and the response variable was compliance with 50% of two standards of the ordinance Nº 1.631 de 1 de october de 2015. Results: In the final sample, 58.90% of the municipalities were small, 50.68% showed above 85.9% participation of intergovernmental transfers in total revenue, 49.32% had oral health coverage in primary care above 77.7% and 43.83% had CEO type I. There was statistical significance in the association between oral health coverage and achievement of 50% or more of the goal. Conclusion: It was evidenced that smaller municipalities, with participation of intergovernmental transfers in total revenues above 85.9%, with oral health coverage above 77% and with a type I CEO, achieved greater compliance with the goal. It is concluded that low oral health coverage contributes to the noncompliance of 50% of the goal.

References

Aragão, N. S. C., Amorim, M. M., & Conceição S. S. (2019). Financiamento da Política Nacional de Saúde Bucal: um estudo comparativo entre dois municípios da Bahia. Revista Brasileira De Saúde Funcional, 9(1), 17.

Baldani, M. H., Ribeiro, A. E., Gonçalves, J. R. S. N., & Ditterich, R.G. (2018). Processo de trabalho em saúde bucal na atenção básica: desigualdades intermunicipais evidenciadas pelo PMAQ-AB. Saúde em Debate, 42(1), 145-162.

Brasil. (1990). Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Lei Orgânica da Saúde. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Brasília, set.

Brasil. (2004). Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Coordenação de Saúde Bucal. Diretrizes da Política Nacional de Saúde Bucal. Brasília.

Brasil. (2008). Ministério da Saúde. Caderno de Atenção Básica, nº 17. Saúde Bucal. Brasília-DF.

Brasil. Constituição (2012). Lei nº 141, de 13 de janeiro de 2012. Regulamenta O § 3O do Art. 198 da Constituição Federal Para Dispor Sobre Os Valores Mínimos A Serem Aplicados Anualmente Pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios em Ações e Serviços Públicos de Saúde; Estabelece Os Critérios de Rateio dos Recursos de Transferências Para A Saúde e As Normas de Fiscalização, Avaliação e Controle das Despesas Com Saúde nas 3 (Três) Esferas de Governo; Revoga Dispositivos das Leis nos 8.080, de 19 de Setembro de 1990, e 8.689, de 27 de Julho de 1993; e Dá Outras Providências. Brasília.

Brasil. (2013). Comissão Intergestores Bipartite da Bahia. Aprova critérios para habilitação de Centros de Especialidades Odontológicas - CEO e define fluxo de credenciamento destes serviços no Estado da Bahia. Resolução CIB Nº 503/2013, 12 de novembro de 2013.

Brasil. (2015). Perfil Socioeconômico da Bahia. Banco do Nordeste do Brasil. Fortaleza.

Brasil. (2015). Ministério da Saúde. Aprova critérios e parâmetros para o planejamento e programação de ações e serviços de saúde no âmbito do SUS. Portaria n.1.631, de outubro de 2015.

Barros, S. G., Cangussu, M. C. T., Cruz, D. N., Silva, L. O. R., & Roncalli, A. G. (2016). Impacto da implantação das equipes de saúde bucal na estratégia saúde da família em dois municípios do estado da Bahia. Revista de Saúde Coletiva da UEFS, 6(2), 37-42.

Celeste, R. K., Moura, F. R. R., Santos, C. P., & Tovo, M. F. (2014). Análise da produção ambulatorial em municípios com e sem centros de especialidades odontológicas no Brasil em 2010. Cadernos de Saúde Pública, 30(3), 511-521.

CFM. Conselho Federal de Medicina (2020). Brasil gasta R$ 3,83 ao dia com a saúde de cada habitante. Disponível em https://portal.cfm.org.br/noticias/brasil-gasta-r-383-ao-dia-com-a-saude-de-cada-habitante-2/ Acesso em: 20 fev 2021.

CFM. Conselho Federal de Medicina (2019). Salvador gasta R$ 245 por habitante na saúde, diz CFM. Metro1. Disponível em: https://www.metro1.com.br/noticias/saude/67524,salvador-gasta-r-245-por-habitante-na-saude-diz-cfm. Acesso em: 15 dez. 2020.

Chaves, S. C. L., Cruz, D. N., Barros, S. G., & Figueiredo, A. L. (2011). Avaliação da oferta e utilização de especialidades odontológicas em serviços públicos de atenção secundária na Bahia, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 27(1), 143-154.

Corrêa, G. T., & Celeste, R. K. (2015). Associação entre a cobertura de equipes de saúde bucal na saúde da família e o aumento na produção ambulatorial dos municípios brasileiros, 1999 e 2011. Cadernos de Saúde Pública, 31(12), 2588-2598.

Fernandes, J. K. B., Pinho, J. R. O., Queiroz, R. C. S., & Thomaz, E. B. A. F. T. (2016). Avaliação dos indicadores de saúde bucal no Brasil: tendência evolutiva pró-equidade? Cadernos de Saúde Pública, 32(2).

Ferreira, J., CeluppI, I. C., Baseggio, L., Geremia, D. S., Madureira, V. S. F., & Souza, J. B. (2018). Planejamento regional dos serviços de saúde: o que dizem os gestores?. Saúde e Sociedade, 27(1), 69-79.

Figueiredo, N., & Goes, P. S. A. (2009). Construção da atenção secundária em saúde bucal: um estudo sobre os Centros de Especialidades Odontológicas em Pernambuco, Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 25(2), 259-67.

Figueiredo, J. O., Prado, N. M. B. L., Medina, M. G., & Paim, J. S. (2018). Gastos público e privado com saúde no Brasil e países selecionados. Saúde em Debate, 42(2), 37-47.

Goes, P. S. A., Figueiredo, N., Neves, J. C., Silveira, F. M. M., Costa, J. F. R., Junior, G. A. P., & Rosales, M. S. (2012). Avaliação da atenção secundária em saúde bucal: uma investigação nos centros de especialidades do Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 28, 81-89.

Galvão, M. H. R., & Roncalli, A. G. (2021). Desempenho dos municípios brasileiros quanto à oferta de serviços especializados em saúde bucal. Cadernos de Saúde Pública, 37(1), 30-40.

Gonçalves, J. R. S. N., Ditterich, R. G., Gonçalves, R. N., Gavina, V. P., Silva, R. O. C., Graziani, G. F., & Kusma, S. Z. (2018). Desempenho dos Centros de Especialidades Odontológicas da 2ª Regional de Saúde do Paraná. Cadernos Saúde Coletiva, 26(4), 432-438.

IBGE. Cidades e Estados. (2010). Disponível em: https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/ba.html. Acesso em: 15 nov. 2020.

Kornis, G. E. M., Maia, L. S., & Fortuna, R. F. P. (2011). Evolução do financiamento da atenção à saúde bucal no SUS: uma análise do processo de reorganização assistencial frente aos incentivos federais. Physis: Revista de Saúde Coletiva, 21(1), 197-215.

Lorenzetti, J., Lanzoni, G. M. M., Assuiti, L. F. C., Pires, D. E. P., & Ramos, F. R. S. (2014). Gestão em saúde no Brasil: diálogo com gestores públicos e privados. Texto Contexto Enferm, v.23, n.2, p. 417-25.

Machado, F. C. A., Silva, J. V., & Ferreira, M. A. F. (2015). Fatores relacionados ao desempenho de Centros de Especialidades Odontológicas. Ciência & Saúde Coletiva, 20(4), 1149- 1163.

Mattos, G. C. M., Ferreira, E. F., Leite, I. C. G., & Greco, R. M. (2014). A inclusão da equipe de saúde bucal na Estratégia Saúde da Família: entraves, avanços e desafios. Ciência & Saúde Coletiva, 19(2), 373-382.

Menezes, A. P. R., Moretti, B., & Reis, A. A. C. (2019). O futuro do SUS: impactos das reformas neoliberais na saúde pública - austeridade versus universalidade. Saúde em Debate, 43(5), 58-70.

Ministério da Saúde. (2019). Secretaria de Atenção Primária à Saúde. Informação e gestão da atenção básica, e-Gestor AB. Disponível em: https://egestorab.saude.gov.br/paginas/acessoPublico/relatorios/relHistoricoCoberturaSB.xhtml. Acesso em: 23 julho. 2021.

Neves, M., Giordani, J. M. A., & Hugo, F. N. (2019). Atenção primária à saúde bucal no Brasil: processo de trabalho das equipes de saúde bucal. Ciência & Saúde Coletiva, 24(5), 1809-1820.

Observatório de Análise Política em Saúde. (2021). Implantação. Análise de Políticas de Saúde Bucal no Brasil. Disponível em: https://analisepoliticaemsaude.org/oaps/matriz/analises/1/. Acesso em: 23 julho. 2021.

Paiva, R. A., Randow, R., Diniz, L. P., & Guerra, V. A. (2018). O papel do gestor de serviços de saúde: revisão de literatura. Rev Med, Minas Gerais, (28).

Pereira, C. R. S., Roncalli, A. G., Cangussu, M. C. T., Noro, L. R. A., Patrício, A. A. R., & Lima, K. C. (2012). Impacto da Estratégia Saúde da Família sobre indicadores de saúde bucal: análise em municípios do Nordeste brasileiro com mais de 100 mil habitantes. Cadernos de Saúde Pública, 28(3), 449-462.

Pereira, J. S. (2013). A humanização na atuação no Programa de Saúde da Família – PSF. Universidade Federal de Minas Gerias. Faculdade de Medicina. Núcleo de Educação em Saúde Coletiva. Trabalho de conclusão de curso. Araçuaí.

Pimentel, F. C., Albuquerque, P. C., Martelli, P. J. L., Souza, W. V., & Acioli, R. M. L. (2012). Caracterização do processo de trabalho das equipes de saúde bucal em municípios de Pernambuco, Brasil, segundo porte populacional: da articulação comunitária à organização do atendimento clínico. Cadernos de Saúde Pública, 28, 146-157.

Rocha, R. A. C. P., & Goes, P. S. A. (2008). Comparação do acesso aos serviços de saúde bucal em áreas cobertas e não cobertas pela Estratégia Saúde da Família em Campina Grande, Paraíba, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 24(12), 2871-2880.

Rossi, T. R. A., Chaves, S. C. L., Almeida, A. M. F. L., Santos, C. M. L., & Santana, S. F. (2018). O financiamento federal da política de saúde bucal no Brasil entre 2003 e 2017. Saúde em Debate, 42 (119), 826-836.

Rossi, T. R. A., Sobrinho, J. E. L., Chaves, S. C. L., & Martelli, P. J. L. (2019). Crise econômica, austeridade e seus efeitos sobre o financiamento e acesso a serviços públicos e privados de saúde bucal. Ciência & Saúde Coletiva, v. 24, n. 12, p. 4427-4436.

Silva, Y. C., & Roquete, F. F. (2013). Competências do gestor em serviços de saúde: análise da produção científica, no período de 2001 a 2011. RAS, 15, 58.

Simão, J. B., & Orellano, V. I. F. (2015). Um estudo sobre a distribuição das transferências para o setor de saúde no Brasil. Estudos Econômicos (São Paulo), 45(1), 33-63.

Published

03/08/2021

How to Cite

CARVALHO, W. M. L. de; ROSSI, T. R. A. .; COELHO, J. M. F. .; BARROS, S. G. de .; CHAVES, S. C. L. . Associated factors with service utilization goals in municipalities of Bahia with Dental Specialty Centers from 2013-2019. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 9, p. e57610918235, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i9.18235. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18235. Acesso em: 26 sep. 2021.

Issue

Section

Health Sciences