Performance of physical education professionals in a psychosocial care center: Perception of users and worker

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i9.18437

Keywords:

Mental Health; Physical Education; Interprofessional Relations; Health Unic System.

Abstract

The research aimed to know the performance of PEF through the perception of users and workers in a CAPS of Recife / PE. It is an exploratory research, case study with a qualitative approach. Two PEF, four users and two CAPS workers participated in the study. We chose to work with the semi-structured interview method. The collected data were verified through Content Analysis. After the analysis four topics emerged: group movement in CAPS, body and use of psychotropic drugs, interprofessional work and PEF exit from CAPS. PEF's performance in CAPS is seen as a valuable therapeutic resource for users. It is through body practices that greater body knowledge, user integration with the environment and social reintegration is promoted. Therefore, the departure of PEF led to a loss to mental health devices and break the therapeutic process of users.

Author Biography

Taynara Poliana Gonçalves de Melo, Universidade de Pernambuco

Profissional de Educação Física pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), especialista em Saúde Mental pela Universidade de Pernambuco (UPE), especialista em Saúde Coletiva pela Faculdade Única-MG.

References

Amarante, P. & Nunes, M. D. O. (2018). A reforma psiquiátrica no SUS e a luta por uma sociedade sem manicômios. Ciênc. saúde colet, 23 (6).

Bardin, L. (2011). Análise de Conteúdo. Edição 70. São Paulo: LDA.

Bezerra, I. C et al. (2016). Uso de psicofármacos na atenção psicossocial: uma análise à luz da gestão do cuidado. Saúde em debate, 40, 148-161.

BRASIL. Ministério da Saúde. (2002). Portaria 336/GM, de 19 de Fevereiro de 2002. Ministério da Saúde. Define e estabelece diretrizes para o funcionamento dos Centros de Atenção Psicossocial. Recuperado em 19 de Abril (2019). http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2002/prt0336_19_02_2002.html

BRASIL. Ministério da Saúde. (2012). Resolução n° 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília: Diário Oficial da União. Recuperado em 13 de Junho (2019) 022https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html

BRASIL. Ministério da Saúde. (2012). Portaria N° 276, de 30 de Março de 2012. Ministério da Saúde. Institui o sistema de Registro das Ações Ambulatoriais de Saúde (RAAS). Recuperado em 24 de Dezembro (2019) http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/sas/2012/prt0276_30_03_2012.html

Canabarro, R. D. C. S. & Alves, M. B. (2009). Uma pílula para (não) viver. Revista Mal-Estar e Subjetividade, 9(3), 839-866.

Ceccim, R. B. & Bilibio, L. F. (2007). Singularidades da Educação Física na saúde: desafios à educação de seus profissionais e ao matriciamento interprofissional. Educação Física e Saúde Coletiva: políticas de formação e perspectivas de intervenção. Porto Alegre: UFRGS, 47-62.

CONFEF. (2012). Resolução CONFEF nº 230, de 16 de Abril de 2012. Dispõe sobre a especialidade Profissional de Educação Física na área da Saúde Mental. Recuperado em 18 de Junho (2019).

https://www.confef.org.br/confef/resolucoes/res-pdf/302.pdf

Furtado, J. P. & Miranda, L. (2006). O dispositivo “técnicos de referência” nos equipamentos substitutivos em saúde mental e o uso da psicanálise winnicottiana. Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental, 9 (3), 508-524.

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. Editora Atlas SA.

Grigolo, T. M. & Peres, G. M. & Junior, C. A. G. & Rodrigues, J. (2015). O projeto terapêutico singular na clínica da atenção psicossocial. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental/Brazilian Journal of Mental Health, 7(15), 53-73.

Leonidio, A. C. R et al. (2013). O profissional de Educação Física no Centro de Atenção Psicossocial: percepção dos limites e potencialidades no processo de trabalho. Revista Pesquisas e Práticas Psicossociais, 8(2), 157-165.

Lobosque, A.M. (2011). Debatendo alguns desafios da Reforma Psiquiátrica Brasileira. Ciência & Saúde Coletiva, 16 (12),4590-4602.

Machado, G. J. (2015). A atuação do professor de educação física nos Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas. Tese de Mestrado. Universidade Federal do Espírito Santo.

Miranda, E. D. & Freire, L. A. & Oliveira, A. R. C. (2011). Os desafios da Educação Física no Centro de Atenção Psicossocial de Coari (AM) (The challenges of Physical Education in the Psychosocial Care Center at Coari (AM)). Saúde & Transformação Social/Health & Social Change, 2(1), 163-169.

Neto, J. A. & Leite, L. H. I. & Rocha, P. G. L. (2017). Uso de psicofármacos e práticas corporais para a saúde em um grupo terapêutico. SANARE-Revista de Políticas Públicas, 16(2).

Paranhos-Passos, F. & Aires, S. (2013). Reinserção social de portadores de sofrimento psíquico: o olhar de usuários de um Centro de Atenção Psicossocial. Physis: Revista de Saúde Coletiva, 23, 13-31.

Peduzzi, M. et al. (2013). Educação interprofissional: formação de profissionais de saúde para o trabalho em equipe com foco nos usuários. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 47(4), 977-983.

Radis. Academias da saúde pública. n. 109, p. 12-17. set. 2011.

Roble, O. J. & Moreira, M. I. B. & Scagliusi, F. B. (2012). A educação física na saúde mental: construindo uma formação na perspectiva interdisciplinar. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, 16, 567-578.

Secretaria Municipal de Saúde. (2019). Centro de Atenção Psicossocial. Dados Recife. Recife.

Secretaria Municipal de Saúde. (2009). Programa Academia da Cidade: Nota técnica. Recife.

Silva, D. M. C. (2009). Avaliação do consumo de medicamentos psicotrópicos no município de Pacatuba. Monografia. Escola de Saúde Pública do Ceará. Fortaleza.

Soares, S. & Brainer, M. & Silva, C. Leonidio, A. R. & Lemos, E. (2016). Contribuições e desafios do profissional de Educação Física no Centro de Atenção Psicossocial. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, 21(5), 420-430.

Minayo, M. C. S. & Deslandes, S. F. & Gomes, R. (2011). Pesquisa social: teoria, método e criatividade: Editora Vozes Limitada.

Takeda, O. H. & Stefanelli, M. C. (2006). Atividade física, saúde mental e reabilitação psicossocial. Revista Mineira de Enfermagem, 10(2), 171-175.

Venturini, E. (2010). “O caminho dos cantos”: morar e intersetorialidade na saúde mental. Fractal: Revista de Psicologia, 22(3), 471-480.

Wachs, F. & Fraga, A. B. (2009). Educação física em centros de atenção psicossocial. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, 31(1).

Published

02/08/2021

How to Cite

MELO, T. P. G. de .; LAMB, P. P. .; BRAGA, C. F. .; ALMEIDA, M. D. S. da S. .; SANTOS, M. F. dos .; SANTOS, W. I. .; BORGES, M. J. L. . Performance of physical education professionals in a psychosocial care center: Perception of users and worker. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 9, p. e590109184437, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i9.18437. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18437. Acesso em: 20 sep. 2021.

Issue

Section

Health Sciences