The profile of the physiotherapy professional working in the unit of intensive care: Integrative review

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i9.18459

Keywords:

Physiotherapist; Profile; ICU; Cardiorespiratory.

Abstract

The study on the profile of the physiotherapy professional who works in the intensive care unit in Brazil is relevant to enable a broad knowledge of who these professionals are and thus develop mechanisms that help them in the labor and intellectual fields. The objective was to know the profile of physical therapists working in the intensive care unit in Brazil from their sociodemographic and professional portrait. It was an integrative review developed from November 2020 to February 2021, using the search strategy "Physiotherapy", "Hospital Physical Therapy Service" and "Intensive Care Units", performing the interaction between the descriptors through the Boolean AND operator. A scenario of professionals of both sexes, mostly women, was identified. There was a need for further academic development after graduation. Most have specialization in cardiorespiratory. It was seen that the portrait of professionals working in physiotherapy in an intensive care unit in the country is satisfactory, but permanent specialization in the area is needed, as well as improvement in the guarantees of rights and valuation of work.

Author Biography

Lucidio Clebeson de Oliveira, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Departamento de Enfermagem/FAEN.

References

Alves, A. N. (2012). A importância da atuação do fisioterapeuta no ambiente hospitalar. Ensaios e Ciência: Ciências Biológicas, Agrárias e da Saúde, Campo Grande. 16(6), 173-184.

Alves, F. A. D et al. (2020). Perfil dos fisioterapeutas nas unidades de terapia intensiva adulto. Revista Eletrônica Acervo Saúde, Teresina. 1(55).

Arakaki, V. S. N. M et al. (2017). Mapeamento demográfico e caracterização do perfil de assistência fisioterapêutica oferecida nas unidades de terapia intensiva neonatais do Rio de Janeiro. Fisioterapia Pesquisa, Rio de Janeiro. 24(2), 143-148.

Araújo, L. Z. S & Júnior, W. A. N (2003). A bioética e a fisioterapia nas Unidades de Terapia Intensiva. Revista Fisioterapia Universidade de São Paulo, São Paulo. 10(02), 52-60.

Badaró, A. F. V. & Guilherm, D. (2011). Perfil sociodemográfico e profissional de fisioterapeutas e origem das suas concepções de ética. Fisioterapia Movimento, Curitiba. 24(3).

Botelho, L. L. R., Cunha, C. C. A., & Macedo, M. (2011). O método da revisão integrativa nos estudos organizacionais. Gestão e Sociedade. Belo Horizonte.

(2), 121-136.

Braz, P. R. P; Martins, J. O. S. O. L; Júnior, G. V. (2009). Atuação do fisioterapeuta nas unidades de terapia intensiva da cidade de Anápolis. Anuário da Produção Acadêmica Docente, Anápolis. 3(4), 119-129.

Ceregato, A. C. L.; Ribeiro, E. R.; Souza, J. M (2021). Perfil de competências de fisioterapeutas atuantes em unidades de terapia intensiva no Estado do Paraná. Revista Sustinere, Rio de Janeiro. 9(supl.1), 208-227.

Costa, D. et al. (2008). Perfil de fisioterapeutas brasileiros que atuam em unidades de terapia intensiva. Fisioterapia e Pesquisa. São Paulo. 15(2).

Filho, L. E. C. S. et al. (2021). Impacto de um vídeo educativo de sistematização para exame físico na prática discente de fisioterapia em Unidade de Terapia Intensiva. Research, Society and Development.10(5).

Gomes, C. A. F. P et al. (2010). Análise do perfil dos fisioterapeutas atuantes em unidades de terapia intensiva da cidade de Maceió/AL. Fisioterapia Brasil, Maceió. 11(3).

Liberali, J; Davidson, J; Santos, A. M. N (2014). Disponibilidade de assistência fisioterapêutica em unidades de terapia intensiva neonatal na cidade de São Paulo. Revista Brasileira de Terapia Intensiva, São Paulo. 26(1), 57-64.

Menezes, S (2011). Fisioterapia em Terapia Intensiva: uma nova denominação para uma antiga especialidade. Assobrafir Ciência. 2(2), 49-53.

Mohwe, D. et al. (2009). Preferred reporting items for systematic reviews and meta-analyses: The PRISMA statement. PLoS Med. 6(7).

Paulo, F. V. S et al. (2021). Mobilização precoce a prática do fisioterapeuta intensivista: intervenções e barreiras. Rev. Pesqui. Fisioter., Salvador. 11(2), 298-306.

Russo, R. C. et al. (2012). Perfil de formação profissional dos fisioterapeutas das unidades de terapia intensiva da cidade de Maceió. Assobrafir Ciência, Maceió. 3(2), 21-30.

Santos, L. F. O. et al. (2014). Perfil dos fisioterapeutas que atuam em unidades de terapia intensiva na cidade de Salvador/Bahia. 2014. 21p. Trabalho de conclusão da pós-graduando em Fisioterapia Hospitalar-EBMSP.

Shiwa, S. R.; Schimitt, A. C. B.; João, S. M. A. (2010). O fisioterapeuta do estado de São Paulo. Fisioterapia Pesquisa, São Paulo. 23(3).

Silva, R. A. D. et al. (2018). Síndrome de Burnout: realidade dos fisioterapeutas intensivistas?. Fisioterapia Pesquisa, Recife. 25(4), 388-394.

Soares, M. G. D. et al. (2016). Perfil dos fisioterapeutas atuantes em 2013, na unidade de terapia intensiva do Hospital Regional do Baixo Amazonas do oeste do Pará, Brasil. EFD esportes.com: Revista Digital, Buenos Aires. 20(212).

Ursi, E. S. (2005). Prevenção de lesões de pele no perioperatório: revisão integrativa da literatura. 2005. 130 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) – Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.

Published

02/08/2021

How to Cite

ALMEIDA, J. R. de S. .; SCHABARUM, L. .; AGUIAR, G. S. de .; QUEIROZ, J. H. M. de .; COSTA, E. M. da .; OLIVEIRA, L. C. de . The profile of the physiotherapy professional working in the unit of intensive care: Integrative review. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 9, p. e55710918459, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i9.18459. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18459. Acesso em: 20 sep. 2021.

Issue

Section

Review Article