Recommendations for safe infant sleep

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i10.18487

Keywords:

Sudden death; Newborn; Supine.

Abstract

Objective: To identify and guide, in the literature, the position that reduces the involvement of Sudden Infant Death Syndrome (SIDS). Methodology: this is an integrative literature review, where a survey was carried out in the following databases: Scientific Electronic Library Online (Scielo), CINAHL, Science Direct, Medline, Latin American and Caribbean Health Sciences (LILACS) ), MedCarib, PAHO, SCOPUS, Wholis and Embase. Using the descriptors “sudden death”, “newborn”, “newborn”, “dornal decubitus”, “ventral decubitus” with the use of the Boolean operators “and” and “or”. Results: After applying the inclusion and exclusion criteria, 14 articles were qualified where 12 guided the supine position as prevention for SIDS. The main mechanisms of injury associated with SIDS are shown to be: the use of mattresses/co-sleeping (21%), exposure to tobacco (18%), soft objects in bed (18%), lateral decubitus (15%) , use of drugs and alcohol during pregnancy (12%) and use of blankets (12%). Discussion: The findings demonstrated the predominance of the supine position as a measure of recommendation and guidance for SIDS prevention. Conclusions: SIDS is possibly underreported and associated with other diagnoses, it is recommended that health professionals insist and encourage mothers to put the newborn to sleep in the supine position, in order to prevent SIDS.

References

American Academy of Pediatrics (2011). SMSL e outras mortes de bebês relacionadas ao sono: expansão das recomendações para um ambiente seguro para o sono infantil. Pediatria, 128 (5): 1-27. 10.1542 / peds.2011-2284

Bamber, A. R., et al (2016). Fatores sociais e comportamentais na morte inesperada não suspeita na infância, experiência da investigação índigo do projeto da polícia metropolitana. BMC Pediatr, 16 (1): 1–7. 10.1007/s10995-016-2163-1

Brasil. Ministério da Saúde (2014). Diretrizes Metodológicas Sistema GRADE – manual de graduação da qualidade da evidência e força de recomendação para tomada de decisão em saúde. Ministério da saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos Departamento de Ciência e Tecnologia. https://pesquisa.bvsalud.org/bvsms/resource/pt/mis-37111

Brasil, P. R. C., & Santos, A. M. (2019). Desafios às ações educativas das Equipes de Saúde Bucal na Atenção Primária à Saúde: táticas, saberes e técnicas. Physis: Revista de Saúde Coletiva [online], 28(4), e280414. 10.1590/S0103-73312018280414

Bezerra, M. A. L., et al (2015). Fatores associados ao conhecimento das mães sobre a Síndrome da Morte Súbita do Lactente. Esc. Anna Nery, 192, 303-309. 10.5935/1414-8145.20150041

Cesar, J. A., et al (2018). Intenção das mães em colocar o bebê para dormir em decúbito dorsal: um estudo de base populacional. Ciênc. saúde coletiva , 23 (2): 501-508. 10.1590/1413-81232018232.20732015

Chapur V. F, et al (2019). Epidemiologia das alterações súbitas infantis inesperadas na Argentina: tendência secular e variação espacial. Arco. argento. pediatr, 117 (3): 164-170. 10.5546/aap.2019.164.

Dias, E., et al (2018). Ações do enfermeiro no pré-natal e a importância atribuída pelas gestantes. Revista Sustinere, 6(1), 52 - 62. 10.12957/sustinere.2018.31722

Gaydos L. M., et al (2015). Revisitando as recomendações de sono seguro para bebês afro-americanos: por que o aconselhamento atual é insuficiente. Diário de saúde materno infantil. 19 (3): 496-503. 10.12957/sustinere.2018.31722

Geib L. T., & Nunes M. L. (2006). A incidência da síndrome de morte súbita em uma coorte de bebês. Jornal de Pediatria, 82(1), 21-26. 0021-7557/06/82-01/21

Gutiérrez C., et al (2017). Muerte inesperada del lactante: Análisis de 591 casos. Archivos de Pediatría del Uruguay, 88(1), 12-18. http://www.scielo.edu.uy/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1688-12492017000100004

Herman S. A., Mary L., & Rachel Y. (2015). Conhecimento e crenças de pais e apoiadores indianos afro-americanos e americanos sobre o sono seguro do bebê. J Saúde Comunitária, 40 (1): 12-9. 10.1007/s10900-014-9886-y

Hesdorffer, D. C., et al (2015). Morte súbita inexplicada na infância: uma comparação de casos com e sem história de convulsão febril. Epilepsia, 56 (8), 1294–1300. doi 10.1016/j.jped.2015.08.003

Hutton, J. S., et al (2017). Teste aleatório de um livro infantil versus brochuras para conhecimento e adesão ao sono seguro em uma população de alto risco. Pediatria acadêmica, 17 (8), 879–886. 10.1016 / j.acap.2017.04.018

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2016). Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua. https://www.ibge.gov.br/estatisticas/multidominio/condicoes-de-vida-desigualdade-e-pobreza/17270-pnad-continua.html

Issler R. M., Marostica P. J., & Giugliani E. R (2009). Posição do bebê durante o sono: ensaio clínico randomizado de intervenção educativa na maternidade de Porto Alegre, Brasil. Nascimento, 36 (2): 115-121. 10.1111 / j.1523-536X.2009.00308.x

Latorre-Castro M. L., Zambrano-Pérez C., & Carrascal-Gordillo C. F. (2016). Síndrome infantil de morte súbita: o que afrontam os lactantes em Bogotá, D.C., Colômbia. rev.fac.med, 64 (4): 665-670. 10.15446/revfacmed.v64n4.54801

Lazzaroto A. B., et al (2019). O uso da chupeta na prevenção da síndrome de morte súbita do lactente. Odontol. Clín.-Cient., Recife, 18(2) 87 - 92. 10.1016/j.jped.2018.03.002

Martins M. E. P., et al (2018). Síndrome da Morte Súbita Infantil (SMSI): aspectos acerca das principais causas e as formas de prevenção. Revista Multidisciplinar e de psicologia, 12, 1981-1179. https://www.msdmanuals.com/pt-br/casa/problemas-de-sa%C3%BAde-infantil/dist%C3%BArbios-de-natureza-variada-em-beb%C3%AAs-e-crian%C3%A7as-pequenas/s%C3%ADndrome-de-morte-s%C3%BAbita-infantil-smsi

Mendes K. D. S., Silveira R. C. C P. & Galvão C. M. (2009). Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto & Contexto - Enfermagem, (17), 758-764. 10.1590/S0104-07072008000400018

Mitchell E. A., Blair P. S., & L’hoir M. P (2006). A chupeta deve ser recomendada para prevenir a síndrome da morte súbita infantil? Academia Americana de Pediatria, (117), 1755-1758. 10.15600/2238-1236/fol.v24n1p51-57

Moon R. Y, et al (MJ (2017). O efeito da melhoria da qualidade da enfermagem e intervenções móveis de saúde nas práticas de sono infantil: um ensaio clínico randomizado. JAMA. 318 (4): 351-359. 10.1590/0034-7167-2016-0480

Oliveira A. M F, et al (2020). Fatores de risco e de proteção para a síndrome da morte súbita do lactente. Rev. Bras. Enferm. 10.1590/0034-7167-2019-0458

Ramos C. F. V, et al (2018). Práticas educativas: pesquisa-ação com enfermeiros da Estratégia de Saúde da Família. Rev. Bras. Enferm, 713 ): 1144-1151. 10.1590/0034-7167-2017-0284

Sleutel, M. R., et al (2018). Resposta a um problema nacional: indo além de "voltar a dormir" em três hospitais. Jornal de enfermagem pediátrica, 43, 16–22. 10.1016/j.pedn.2018.07.013

Stevens, J. & Kelleher, K. J (2016). O potencial da economia comportamental para promover práticas seguras de sono infantil. Diário de Saúde Materno-Infantil . 21 (2) 229-233. 10.1590/2317-1782/20162014231

Yin, T., et al (2016). A posição semi-prona pode influenciar a variabilidade na frequência respiratória de bebês prematuros usando CPAP nasal. Jornal de enfermagem pediátrica, 31 (2), e167 – e174. 10.1016 / j.pedn.2015.10.014

Published

06/08/2021

How to Cite

SILVA, D. D. C. da .; SANTOS, A. A. F. dos .; FIGUEREDO, E. V. N. .; LIMA, A. B. de A. .; DANTAS, H. L. de L. .; FERREIRA, A. L. C. .; LÚCIO, I. M. L. . Recommendations for safe infant sleep. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 10, p. e92101018487, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i10.18487. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18487. Acesso em: 27 oct. 2021.

Issue

Section

Health Sciences