Interfaces of PIBID in initial formation and pedagogical praxis in a collaborative work for the construction of professional identity

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i10.18534

Keywords:

Pandemic Covid-19; Collaborative work; School socialization; PIBID; Teacher training.

Abstract

This article exposes the results of a study that analysed the contributions of the Institutional Programme of Scholarships for Initiation to Teaching - PIBID, in the initial training of the fellows of Degree in Biological Sciences of the Federal University of Paraná in the State College Newton Ferreira da Costa, in the city of Curitiba-PR, where the activities were developed remotely in the course of school year 2020/2021 due to the process of emergency virtualisation due to the advancement of the Covid-19 pandemic. Methodologically, this is an exploratory research of qualitative approach and descriptive nature. In the results, it was observed that the PIBID is an essential and increasingly necessary reality for our educational system and should be expanded to reach more undergraduate students, since it brings theory and practice together from the pedagogical praxis in the process of professional socialization in collaborative work to contribute to the improvement of the quality of education and the re-signification of the teacher's role in society.

Author Biographies

Ronualdo Marques, Universidade Federal do Paraná

Doutorando em Educação no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) na Universidade Federal do Paraná (UFPR). Mestre em Ensino de Ciências pelo Programa de Pós-Graduação em Formação Científica, Educacional e Tecnológica pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (PPGFECT-UTFPR); Graduado em Pedagogia no Centro Universitário Internacional (UNINTER). Especialista em Filosofia Contemporânea pela Faculdade de Administração, Ciências, Educação e Letras (FACEL). Especialista em Gestão Pública Municipal pela UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR); Especialista em Educação e Gestão Ambiental pela Faculdades Integradas do Vale do Ivaí (UNIVALE); Especialista em Educação Especial Faculdades Integradas do Vale do Ivaí (UNIVALE); Graduado em Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO). 

Kaique Henrique Peixoto , Universidade Federal do Paraná

Graduando em Bacharel/Licenciatura - Ciências Biológicas na UFPR; Graduando em Bacharel - Biomedicina no Centro Universitário Leonardo da Vinci (UNIASSELVI); Bolsista CAPES no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID).

Paula Barroso Litaiff, Universidade Federal do Paraná

 Estudante de graduação em Ciências Biológicas pela UFPR (Universidade Federal do Paraná) e bolsista CAPES no PIBID (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência).

Leticia Ferreira Jessen, Universidade Federal do Paraná

Estudante de graduação em Ciências Biológicas (Bacharelado e Licenciatura) pela Universidade Federal do Paraná - UFPR; Atualmente é Bolsista CAPES no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID).

Pedro Augusto Ramos Pedroso, Universidade Federal do Paraná

Graduando em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), (2019-atual). Atualmente, bolsista (CNPq) de Iniciação Científica no laboratório de Ficologia, na pesquisa com diatomáceas, sob orientação da Profª Drª Thelma Alvim Veiga Ludwig, do departamento de Botânica da UFPR. Também atua como voluntário no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência, no projeto PIBID Biologia.

Breno Gonçalves da Silva, Universidade Federal do Paraná

Graduando em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), (2019-atual). Atualmente é bolsista (CNPq) de Iniciação Científica no Laboratório de Ciências e Tecnologias Aplicadas em Saúde (LaCTAS) pelo Instituto Carlos Chagas (ICC/ Fiocruz Paraná. Atua como estagiário voluntário no Laboratório de Virologia e Biologia Molecular para Doenças Infecciosas, do Complexo Hospital de Clínicas e participa como pesquisador no projeto “Vigilância de influenza hospitalar em pediatria: formas clínicas, identificação viral e correlação vacinal” desenvolvido no Hospital Pequeno Príncipe. Também participa como voluntário do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência, no projeto PIBID Biologia,

Jessica Costa, Universidade Federal do Paraná

Estudante de graduação em Ciências Biológicas (Bacharelado e Licenciatura) pela Universidade Federal do Paraná - UFPR (2016-atual); Bolsista CAPES no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID), no projeto PIBID Biologia. Também atua como bolsista pela Escola de Saúde Pública do Paraná (SESA/ESPP-CFRH) no Laboratório Central do Estado (LACEN) em virtude ao enfrentamento do coronavírus, COVID-19. 

Luana Aparecida da Silva, Universidade Federal do Paraná

Estudante de graduação em Ciências Biológicas (Bacharelado e Licenciatura) pela Universidade Federal do Paraná - UFPR; Bolsista CAPES no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID), no projeto PIBID Biologia

Liz Dall Agnol, Universidade Federal do Paraná

Estudante de graduação em Ciências Biológicas (Bacharelado e Licenciatura) pela Universidade Federal do Paraná- UFPR (2020- atual); Bolsista CAPES no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID), no projeto PIBID Biologia. 

Guilherme Cesar Navas de Araújo, Universidade Federal do Paraná

Estudante de graduação em Ciências Biológicas pela UFPR (Universidade Federal do Paraná, 2018 - atual); Bolsista CAPES no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID), no projeto PIBID Biologia

José Inácio Junior, Universidade Federal do Paraná

Estudante de Ciências Biológicas (Bacharelado e Licenciatura) pela Universidade Federal do Paraná - UFPR (2018 - atual), atualmente bolsista (CAPES) no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência de Biologia. Também atua como  colaborador no Museu de Ciências Naturais - MCN.

References

Aguiar, B. et al. (2011). “Uso da Escala de Diferencial Semântico na Análise de Jogos”. Em: Anais do X Simpósio Brasileiro de Games e Entretenimento Digital, 07-09 de novembro de 2011. Salvador. Recife.

Azevedo, A. R. (2019). “A evasão nos cursos de licenciatura: onde está o desafio?”. Cadernos de Estudos e Pesquisas em Políticas Educacionais. Pesquisa em Educação e Transformação. 13, 1-34.

Bogdan, R. C. & Biklen, S. K. (1994). “Investigação qualitativa em educação”. Tradução Maria João Alvarez, Sara Bahia dos Santos e Telmo Mourinho Baptista. Porto: Porto Editora.

Brandt, A. G. & Hobold, M. S. (2019). “A Prática como componente curricular na disciplina pesquisa e processos educativos do curso de pedagogia: Um diferencial na relação entre pesquisa, teoria e prática”. Educação & Formação. 4, n. (2), 142-160.

Caldeira, J. S. (2013). “Relação Professor-Aluno: uma reflexão sobre a importância da afetividade no processo de ensino aprendizagem”. Anais do XI Congresso Nacional de Educação (XI EDUCERE) / II Seminário Internacional de Representações Sociais, Subjetividade e Educação (II SIRSSE) / do IV Seminário Internacional sobre Profissionalização Docente (IV SIPD). Curitiba: PUC-PR.

CanaL, S. & Rozek, M. (2021). “Tempos de pandemia: reflexões sobre a escola, os sujeitos e suas diferentes necessidades”. Brazilian Journal of Development, Curitiba. 7, (1), 2674-2683.

Candau, V. M. (Org.). (1997). “Magistério: construção e cotidiano”. Petrópolis, RJ: Vozes.

Coelho, P. M. F. (2012). "Os nativos digitais e as novas competências tecnológicas”. Texto livre linguagem e tecnologia. 5, 88-95.

Contreras, J. (2002). “Autonomia de professores”. São Paulo: Cortez.

Deimling, N. N. M & Reali, A. M. M. R. (2017). “O programa institucional de bolsa de iniciação à docência, as escolhas profissionais e as condições de trabalho docente”. Educ. rev., Belo Horizonte. 33, e143999.

Delors, J. (2003). “Educação: um tesouro a descobrir”. 2 ed. Brasília, DF: MEC/UNESCO.

Felício, H. M. S., Gomes, C. & Allain L. R. (2014). “O Pibid na ótica dos licenciandos: possibilidades e limites no desenvolvimento do programa”. Educação, Santa Maria. 39, (2), 339-352.

Ferreira, R. B. A. S.& Silva, I. M. M. (2009). “Didática no contexto da educação a distância: quais os desafios?” Revista Brasileira de Aprendizagem Aberta e a Distância. vol. 8.

Formosinho, J. O (org.). (2009). “Formação de professores: Aprendizagem profissional e ação docente”. Portugal, Porto Editora.

Flores, M. A. (2010). “Algumas Reflexões em torno da formação inicial de professores”. Educação. Porto Alegre, .33, (3). 182 - 188.

Franco, M. A. S. (2006). “Para um currículo de formação de pedagogos: indicativos”. In: PIMENTA, Selma Garrido. (Org.) Pedagogia e pedagogos: caminhos e perspectivas. São Paulo: Cortez, 99-128.

Freire, P. (1970). “Pedagogia do Oprimido”. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Freitas, M. N. V. (2002). “Organização Escolar e Socialização Profissional de Professores Iniciantes”. Cadernos de Pesquisa, n. 115.

Garland, R. (1991). “The mid-point on a rating scale: is it desirable?”. Marketing Bulletin, [S.l.], .2 .66-70.

Gatti, B. et al. (2019). “Professores do Brasil: Novos Cenários de Formação”. Brasília: UNESCO. 351p.

Gatti, B. A. (2014). “A formação inicial de professores para a educação básica: as licenciaturas”. Revista USP, (100), 33-46.

Ludke, M; André, Marli, E. D. A. (2015). “Pesquisa em educação: abordagens qualitativas”. São Paulo, E.P.U.

Malaquias, D. S. L., & Cardoso, S. P. (2019). “Aspectos da formação docente e interlocuções com o programa de iniciação à docência”. Research, Society and Development, 8(5), e4485972.

Marques, R.; Fraguas, T. ; Torales, M. A. C. (2021). “Os professores frente ao trabalho remoto: a Covid-19 como determinante para uma “virtualização de emergência”. Debates em Educação. 13. 1-22.

Marques, R., & Xavier, C. R. (2021). “Assumptions for developing the critical sense through the teaching and learning process”. International Journal on Social and Education Sciences (IJonSES), 3(1), 68-81.

Marques, R. (2021). “O professor em trabalho remoto no contexto da pandemia da Covid-19”. Boletim De Conjuntura (BOCA), 6(16), 06–14.

Marques, R.; Fraguas, T. (2020). “A ressignificação da educação: virtualização de emergência no contexto de pandemia da Covid-19”. Brazilian Journal of Development. 6, 86159-86174,

Marques, R., & Xavier, C. R. (2018). Análise do Senso Crítico em uma Sequência Didática na Educação Ambiental. REMEA - Revista Eletrônica Do Mestrado Em Educação Ambiental, 35(1), 132–150.

Marques, R. et al. (2017). “Compostagem como ferramenta de aprendizagem para promover a educação ambiental no ensino de ciências”. Anais do 8º Fórum Internacional de Resíduos Sólidos. Curitiba, 2017.

Menezes, E. C. P. (2006). Informática e Educação Inclusiva: Discutindo Limites e Possibilidades. Santa Maria: Editora UFSM. 130p.

Moreira, M. A. (2006). “A teoria da aprendizagem significativa e sua implementação em sala de aula”. Brasília: Editora Universidade de Brasília.

Natel, M. C., Tarcia, R. M. L., Sigulem, D. (2013). “A aprendizagem humana: cada pessoa com seu estilo”. Revista Psicopedagogia. [online]. 30, 142- 148.

Nono, M. A.; Mizukami, M. G. N. (2001). “Aprendendo a ensinar: futuras professoras das séries iniciais do ensino fundamental e casos de ensino”. In: Reunião anual da Anped, 24., Caxambu, 2001. Anais. Caxambu. 1-16.

Nóvoa, A. (1992). “Os professores e a sua formação”. Lisboa: Dom Quixote.158p.

Nóvoa, A. (2009). “Professores: imagens do futuro presente”. Lisboa: Educa. 95p.

Nóvoa, A. (2011). “O Regresso dos Professores”. Pinhais PR. Editora Melo.

Oliveira, T. M. V. (2001). “Escalas de mensuração de atitude: Thrstone, Osgood, Stapel, Likert, Guttman, Alpert”. Revista Administração online, São Paulo. 2 (2), abr./jun.

Padilha, P. R. (2001). “Planejamento Dialógico: Como construir o projeto político pedagógico da escola”. São Paulo: Ed. Cortez.

Pimenta, S. G. (2012). “Saberes pedagógicos e atividade docente”. 8ª ed. São Paulo: Cortez,304p.

Ponte, J. P. (2000). “Tecnologias de informação e comunicação na formação de professores: que desafios?”. Revista Ibero Americana. 24, setembro/dezembro.

Prodanov, C. C. & Freitas, E. C. (2013). “Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico”. 2. ed. Novo Hamburgo: Feevale.

Reis, E. (1997). “Estatística multivariada aplicada”. Lisboa: Edições Silabo.

Sá, L. P. & Garritz, A. (2015). “Perspectiva de Estudantes de Química sobre Uma Proposta de Produção e Aplicação de Unidades Didáticas e o Impacto do PIBID na Formação Docente”. Química Nova na Escola. 37 (3). 187-196, São Paulo.

Souza, A. S. de, Nery, M. de S., Souza, S. A. N., & Azevedo, D. P. de. (2020). “Formação inicial de professores: as lacunas presentes em seu percurso formativo e possíveis caminhos de superação”. Cenas Educacionais, 3, e9488

Tardif, M. (2012). “Saberes docentes e formação profissional”. 13ªed. Petrópolis, Rio de Janeiro: 328p.

Tardif, M. (2007) “Saberes docentes e formação profissional”. 8ª edição. Petrópolis, RJ. Vozes.

Vazquez, A. S. (1977). “Filosofia da práxis”. Rio de Janeiro: Paz e Terra. 448p.

Published

06/08/2021

How to Cite

MARQUES, R.; SAMMARCO, . Y. M. .; PEIXOTO , K. H. .; LITAIFF, P. B. .; JESSEN, L. F.; PEDROSO, P. A. R.; SILVA, B. G. da; COSTA, J. .; SILVA, L. A. da; AGNOL, L. D. .; ARAÚJO, G. C. N. de; INÁCIO JUNIOR, J. . Interfaces of PIBID in initial formation and pedagogical praxis in a collaborative work for the construction of professional identity . Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 10, p. e118101018534, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i10.18534. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18534. Acesso em: 21 oct. 2021.

Issue

Section

Education Sciences