Educational groups in Primary Care: an integrative literature review from 2009 to 2018

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i10.18561

Keywords:

Health education; Primary health care; Group structure; Patient compliance; Health promotion.

Abstract

This research aimed to analyze the Brazilian scientific production regarding work in educational groups carried out in Primary Care between 2009 and 2018, highlighting the potential and difficulties encountered by professionals and the contributions of the groups from the implementation of the Expanded Center for Family Health and Primary Care. This is an Integrative Literature Review whose search took place in the Virtual Health Library from the combination of nine keywords in eight intersections, resulting in 220 studies. Eighteen studies were selected, most of which used a qualitative methodology and approached health professionals. As for the place of publication, the Brazilian region with the greatest contribution was the Northeast, whereas in the North and Midwest the theme is little explored. The journal with the greatest contribution was Ciência e Saúde Coletiva. The highlighted potentials were:exchange of experience between users; realization by a multidisciplinary team; link between professional and user; use of community spaces. As difficulties, the following stand out: inadequate structure; low adherence of professionals and users; lack of understanding of management; lack of formal referral, lack of organization regarding periodicity, schedule and planning. As for the Expanded Family Health Center, its work in Primary Care and its partnership with the Family Health Teams was evaluated. Working in groups in Primary Care brings countless potentials and difficulties, making it necessary for professionals to be able to deal with such mishaps. It was noticed that where there is multiprofessional work, good results are collected, therefore, joint planning is necessary.

References

Almeida, A. A. S., Silva, S. C., Araújo, W. T. C., Vasconcelos, S. M. L., Mélo, M. T. S. (2017). Alimentação saudável na perspectiva multiprofissional: a experiência do projeto “Saúde no Prato” desenvolvido na Atenção Básica. Revista Brasileira de Educação e Saúde, 7(4), 109-116. http://www2.ebserh.gov.br/documents/14003/3163298/ARTIGO+SAUDE+NO+PRATO+-+04062018.pdf/bab1be1b-f812-4243-8c43-e9b9a8604c2f. http://dx.doi.org/10.18378/ rebes.v7i4.5180

Batista, C. B., Machado, R. M. C., Maciel, F. J., Morais, M. C. N., Paula, P. P. (2017). Trabalho do Núcleo de Apoio à Saúde da Família em um município de Minas Gerais. Gerais: Revista Interinstitucional de Psicologia, 10(2), 264-274. http://pepsic.bvsalud.org/pdf/gerais/v10n2/11.pdf

Bertoncello, P. (2018). Estratégia de grupo na Atenção Básica: o caso de uma unidade de saúde de Florianópolis (SC). (Residência Multiprofissional em Saúde da Família). Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Florianópolis, SC, Brasil. https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/185940/TCR%20-%20PAOLA%20BERT ONCELLO.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Brito, G. E. G. (2016). O processo de trabalho na Estratégia Saúde da Família: um estudo de caso. (Tese de doutorado). Fundação Oswaldo Cruz, Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães, Recife, PE, Brasil. Recuperado de https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/15960/2/2016brito-geg.pdf

Brito, P. B. (2017). Roteiro para implementação de grupo educativo de promoção da alimentação infantil saudável em Unidades Básicas de Saúde. (Dissertação de mestrado). Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem, São Paulo, SP, Brasil. https://teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7144/tde-05112018-121552/publico/Pollyana_Boaventura_corrigida.pdf

Brocardo, D., Andrade, C. L. T., Fausto, M. C. R., Lima, S. M. L. (2018). Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf): panorama nacional a partir de dados do PMAQ. Saúde Debate, 42(1), 130-144. https://www.scielo.br/pdf/sdeb/v42nspe1/0103-1104-sdeb-42-spe01-0130.pdf. 10.1590/0103-11042018S109

Cárdenas, A. P. (2013). Educação Alimentar e Nutricional em nível de Atenção Primária à Saúde em São Paulo e Bogotá: cenário e temáticas. (Dissertação de mestrado). Universidade de São Paulo, Faculdade de Saúde Pública, São Paulo, SP, Brasil. https://teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6138/tde-17042013-110402/publico/AlexandraCardenasPortugues.pdf

Cooper, H. M. (1984). The integrative research review: a systematic approach. Beverly Hills: Sage.

Costa, L. S., Alcântara, L. M., Alves, R. S., Lopes, A. M. C., Silva, A. O., Sá, L.D. (2013). A prática do fonoaudiólogo nos Núcleos de Apoio à Saúde da Família em municípios paraibanos. CoDAS, 25(4), 381-387. https://www.scielo.br/pdf/codas/v25n4/14.pdf

Costa, G. D., Cotta, R. M. M., Reis, J. R., Ferreira, M. L. S. M., Reis, R. S., Franceschini, S. C. C. (2011). Avaliação da atenção à saúde da criança no contexto da Saúde da Família no município de Teixeiras, Minas Gerais (MG, Brasil). Ciência e Saúde Coletiva, 16(7), 3229-3240. https://www.scielo.br/pdf/csc/v16n7/22.pdf

Costa, J. M. B. S., Silva, M. R. F., Carvalho, E. F. Avaliação da implantação da atenção à hipertensão arterial pelas equipes de Saúde da Família do município do Recife (PE, Brasil). (2011). Ciência e Saúde Coletiva, 16(2), 623-633. https://www.scielo.br/pdf/csc/v16n2/v16n2a26.pdf

Dantas, L. R. O., Barbosa, E. P., Araújo, I. C. S., Dantas, C. R., Pereira, W. L. Promoção do uso de plantas medicinais em grupo na Atenção Básica – relato de experiência. (2019). Revista Brasileira de Educação e Saúde, 9(3), 66-69. https://www.gvaa.com.br/revista/index.php/REBES/article/view/6520/6351. https://doi.org/10.18378/rebes.v9i3.6520

Diógenes, J. M. P., Moreira, A. E. M. M., Ellery, A. E. L., Ribeiro, M. T. A. M. Psicologia comunitária e Atenção Básica em Saúde: contribuições para abordagem com grupos. (2016). Sanare, 15(1), 32-38. Recuperado de https://sanare.emnuvens.com.br/sanare/article/view/925

Domingues, F., Pinto, F. S., Pereira, V. M. Grupo de gestantes na Atenção Básica: espaço para construção do conhecimento e experiências na gestação. (2018). Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba, 20(3), 150-154. https://revistas.pucsp.br/index.php/RFCMS/article/view/30648/pdf. doi: 10.23925/1984-4840.2018v20i3a6

Dornelas, R. F. (2016). Participação de gestantes em grupos educativos do pré-natal na Atenção Básica. (Dissertação de mestrado). Universidade Federal de Goiás, Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva, Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Goiânia, GO, Brasil. https://repositorio.bc.ufg.br/tede/bitstream/tede/7155/5/Disserta%c3%a7%c3%a3o%20-%20Rodrigo%20Faria%20Dornelas%20-%202016.pdf

Facchini, L. A., Tomasi, E., Dilélio, A. S. Qualidade da Atenção Primária à Saúde no Brasil: avanços, desafios e perspectivas. (2018). Saúde Debate, 42(1), 208-223. Recuperado de https://www.scielo.br/pdf/sdeb/v42nspe1/0103-1104-sdeb-42-spe01-0208.pdf. doi: 10.1590/0103-11042018S114

Fernandes, E. T. P., Souza, M. N. L., Rodrigues, S. M. Práticas de grupo do Núcleo de Apoio à Saúde da Família: perspectiva do usuário. (2019). Physis: Revista de Saúde Coletiva, 29(1), 1-18. https://www.scielo.br/pdf/physis/v29n1/0103-7331-physis-29-01-e290115.pdf. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-73312019290115

Friedrich, T. L., Petermann, X. B., Miolo, S. B., Pivetta, H. M. F. Motivações para práticas coletivas na Atenção Básica: percepção de usuários e profissionais. (2018). Interface comunicação saúde educação, 22(65), 373-385. https://www.scielo.br/pdf/icse/v22n65/1807-5762-icse-1807-576220160833.pdf. doi: 10.1590/1807-57622016.0833

Gomes, A. F. D. S. (2017). Limites e possibilidades para ações de promoção da saúde da pessoa idosa na Estratégia de Saúde da Família: um estudo de caso. (Dissertação de mestrado). Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Centro Biomédico, Faculdade de Enfermagem, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. http://www.bdtd.uerj.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=12912

Gonçalves, R. M. A., Lancman, S., Sznelwar, L. I., Cordone, N. G., Barros, J. O. Estudo do trabalho em Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF), São Paulo, Brasil. (2015). Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, 40(131), 59-74. https://www.scielo.br/pdf/rbso/v40n131/0303-7657-rbso-40-131-59.pdf. http://dx.doi.org/10.1590/0303-7657000078013

Luz, C. A. S., Libório, R., Palombo, C. N. T, Silva, J. C. Núcleo de Apoio à Saúde da Família para gestante num grupo educativo: relato de experiência. (2019). Cuid Enferm, 13(2), 199-203. http://www.webfipa.net/facfipa/ner/sumarios/cuidarte/2019v2/199.pdf.

Maceno, P. R., Heidemann, I. T. S. B. Desvelando as ações dos enfermeiros nos grupos da Atenção Primária à Saúde. (2016). Texto e Contexto Enfermagem, 25(4), 1-9. https://www.scielo.br/pdf/tce/v25n4/pt_0104-0707-tce-25-04-2140015.pdf. http://dx.doi.org/10.1590/0104-07072016002140015

Maffacciolli, R., Lopes, M. J. M. (2011). Os grupos na atenção básica de saúde de Porto Alegre: usos e modos de intervenção terapêutica. Ciência e Saúde Coletiva, 16(Supl. 1), 973-982. https://www.scielo.br/pdf/csc/v16s1/a29v16s1.pdf

Maia, J. D. S., Silva, A. B., Melo, R. H. V., Rodrigues, M. P., Júnior, A. M. (2018). A educação em saúde para usuários hipertensos: percepções de profissionais da Estratégia Saúde da Família. Ciência Plural, 4(1), 81-97. https://periodicos.ufrn.br/rcp/article/view/13634/9822

Matias, O. S. (2017). Grupos de educação em saúde nas Unidades Básicas de Saúde: concepções de quem faz. (Dissertação de mestrado). Universidade Federal Fluminense, Programa Acadêmico em Ciências do Cuidado em Saúde, Niterói, RJ, Brasil. https://app.uff.br/riuff/bitstream/1/3998/1/Priscila%20da%20Silva%20Matias.pdf

Medeiros, E. A., Santos, V. E. P., Silva, M. D. S., Santos, S. S., Matos, K. K. C., Cruz, N. M. (2012). O cuidado na visão de portadores de hipertensão arterial. Revista de pesquisa: cuidado é fundamental online, 4(2), 2306-2311. https://www.redalyc.org/pdf/5057/505750893024.pdf

Melo, D. O., Castro, L. L. C. A contribuição do farmacêutico para a promoção do acesso e uso racional de medicamentos essenciais no SUS. (2017). Ciência e Saúde Coletiva, 22(1), 235-244. https://www.scielo.br/pdf/csc/v22n1/1413-8123-csc-22-01-0235.pdf. 10.1590/1413-81232017221.16202015

Melo, E. A., Mendonça, M. H. M., Oliveira, J. R., Andrade, G. C. L. (2018). Mudanças na Política Nacional de Atenção Básica: entre retrocessos e desafios. Saúde Debate, 42(1), 38-51. https://www.scielo.br/pdf/sdeb/v42nspe1/0103-1104-sdeb-42-spe01-0038.pdf. 10.1590/0103-11042018S103

Melo, R. H. V., Melo, M. L., Vilar, R. L. A. (2018). Análise de redes sociais: a reciprocidade entre usuários e profissionais na Estratégia Saúde da Família. Ciência Plural, 4(1) 22-35. https://periodicos.ufrn.br/rcp/article/view/13626/9818

Ministério da Saúde. (2014). Cadernos de Atenção Básica, nº 39. Núcleo de Apoio à Saúde da Família – Volume 1: Ferramentas para a gestão e para o trabalho cotidiano. Brasília: Autor. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/nucleo_apoio_saude_familia_cab39.pdf

Ministério da Saúde. (2017). Portaria nº 2.436, de 21 de setembro de 2017. Autor. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2 017/prt2436_22_09_2017.html

Miolo, S. B., Schiavo, L. P., Petermann, X. B., Fedosse, E. (2018). Contribuições das especialidades não-médicas na Atenção Básica: cuidado transdisciplinar em grupos de saúde. Saúde (Santa Maria), 44(2), 1-10. https://periodicos.ufsm.br/revistasaude/article/view/30624/pdf. 10.5902/2236583430624

Onocko-Campos, R. T., Campos, G. W. S., Ferrer, A. L., Corrêa, C. R. S., Madureira, P. R., Gama, C. A. P., & Nascimento, R. (2012). Avaliação de estratégias inovadoras na organização da Atenção Primária à Saúde. Revista de Saúde Pública, 46(1), 43-50. https://www.scielo.br/pdf/rsp/v46n1/2502.pdf

Organização Mundial de Saúde. (1986). Carta de Ottawa - Primeira Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde. Ottawa: Autor. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/carta_ottawa.pdf

Pimentel, V. R. M., Sousa, M. F., Hamann, E. M., Mendonça, A. V. M. Alimentação e nutrição na Estratégia Saúde da Família em cinco municípios brasileiros. (2014). Ciência e Saúde Coletiva, 19(1), 49-57. https://www.scielo.br/pdf/csc/v19n1/1413-8123-csc-19-01-00049.pdf. doi: 10.1590/1413-81232014191.1901

Portaria nº 2.436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prt2436_22_09_2017.html

Rocha, I. A., Sá, A. N. P., Braga, L. A. V., Ferreira Filha, M. O., Dias, M. D. (2013). Terapia comunitária integrativa: situações de sofrimento emocional e estratégias de enfrentamento apresentadas por usuários. Revista Gaúcha de Enfermagem, 34(2), 155-162. https://www.scielo.br/pdf/rgenf/v34n3/a20v34n3.pdf

Santos, B. Z. B. (2018). Avaliação da vivência de participantes em dois modelos de grupos educativos em alimentação e nutrição. (Dissertação de mestrado). Universidade de São Paulo, Faculdade de Saúde Pública, São Paulo, SP, Brasil. Recuperado de https://teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6138/tde-03102018-085518/publico/BrunaZillesgBorgesdosSantos_MTR_ORIGINAL.pdf

Secco, A. C. (2018). Os grupos de promoção de saúde como dispositivos de cuidado na Atenção Básica. (Dissertação de mestrado). Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Sociais e Humanas, Programa de Pós-Graduação em Psicologia. https://repositorio.ufsm.br/bitstream/han dle/1/15308/DIS_PPGPSICOLOGIA_2018_SECCO_ANA.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Silva, J. L. (2010). A prática educativa como expressão da prática profissional no contexto da Equipe de Saúde da Família no município do Rio de Janeiro. (Dissertação de mestrado). Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Centro Biomédico, Faculdade de Enfermagem. http://www.bdtd.uerj.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=2618

Silva, A. B., Rodrigues, M. P., Oliveira, A. P., Melo, R. H. V. (2017). Prevenção do câncer cervicouterino: uma ação realizada pelos enfermeiros da Estratégia Saúde da Família? Ciência Plural, 3(2), 99-114. https://periodicos.ufrn.br/rcp/article/view/12926/8993

Silva, S. T. R. C., Melo, S. N., Torres, B. R. S., Assis, R. R. T., Bomfim, A. M. A., Lucena, A. R. S., & Lucena, M. S. Abordagem dinâmica das complicações do Diabetes Mellitus e da hipertensão arterial quando negligenciadas: um relato de experiência. Ciência Plural, 4(1), 36-43. https://periodicos.ufrn.br/rcp/article/view/13757/9819

Souza, M. D., Tyrrell, M. A. R. Direitos sexuais e reprodutivos na Atenção Básica:educação em saúde grupal sob a ótica da enfermeira. (2016). Revista Iberoamericana de Educación e Investigación en Enfermería, 6(3), 49-58. https://www.enfermeria21.com/revistas/aladefe/articulo/213/direitos-sexuais-e-reprodutivos-na-atencao-basica-educacao-em-saude-grupal-sob-a-otica-da-enfermeira/

Teixeira, J. A., Soares, M. C., Escobal, A. P. L., Gonçalves, K. D., Matos, G. C., Silva, B. M. P., Rocha, K. S. (2017). Percepção dos profissionais de saúde da Atenção Básica sobre os grupos de gestantes. Saúde (Santa Maria), 43(1), 94-103. https://periodicos.ufsm.br/revistasaude/article/view/22413/pdf

Published

08/08/2021

How to Cite

ROSSETTO, M.; GRAHL, F. Educational groups in Primary Care: an integrative literature review from 2009 to 2018. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 10, p. e174101018561, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i10.18561. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18561. Acesso em: 25 oct. 2021.

Issue

Section

Health Sciences