Venomous animals accidents profile involving children

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i10.18709

Keywords:

Child epidemiology; Venom; Poison; Poisoning.

Abstract

Every year, in Brazil, about one hundred thousand accidents with venomous animals occur, resulting in approximately two hundred and twenty deaths. The main animals involved are scorpions, spiders, bees, wasps and snakes. Frequency is determined by different factors such as temperature, humidity, rainfall, ecological imbalance, expansion of urban and agricultural areas. Children are more vulnerable due to their inherent curiosity, added to the lack of risk and the condition of the immune system, which is still in formation, which enhances gravity. This study analyzed the epidemiological profile of pediatric accidents involving venomous animals in the municipality of Chapecó, SC, from 2014 to 2018. Method: Retrospective study of accidents involving venomous animals registered in the Epidemiological Surveillance Notification Disease Information System. Of the 489 notifications recorded, the spiders caused 24.34%. In 2014, 177 cases were reported, approximately one case every two days, the year with the highest incidence. The months of January and February were more significant by the total number of notifications. Limbs extremities were the hardest hit. The male gender was the most affected (55%). The highest frequency occurred in urban areas (79.8%). There were no deaths. The municipality of Chapecó reveals a high incidence of accidents with venomous animals, showing the need to establish services and campaigns about the risk, especially in the months with higher temperatures. With an emphasis on local reality, it is important that the population be alerted and precautions taken, especially with children.

References

Andrade, J. R. (2017). Dicionário de apicultura. Biblioteca Digital de teses e dissertações da UFCG. Pombal.

Assis, A. N. S., Rodrigues, J. J. P, & Lima R. A. (2019). Levantamento de acidentes com animais peçonhentos registrados em tabatinga-AM, Brasil. Revista Gestão Sustentável Ambiental. 8(1), 582-599.

Azevedo, D. E., Azevedo, R., Santos, C. A. M., Moura, E. S., & Nere, D. R. (2015). Análise Faunística e Flutuação Populacional da Dipterofauna de Ecossistemas da Área de Proteção Ambiental do Araripe, Barbalha, CE. Entomo Brasilis. 8(2), 117-124.

Barbosa, I. R. (2015). Aspectos clínicos e epidemiológicos dos acidentes provocados por animais peçonhentos no estado do Rio Grande do Norte. Ciência Plural. 1(3), 1-12.

Brasil. (2019). Ministério da Saúde. Boletim Epidemiológico: Acidentes de trabalho por animais peçonhentos entre trabalhadores do campo, floresta e águas, Brasil 2007 a 2017. Secretaria de Vigilância em Saúde. 50(1), 1-14.

Brasil. (2019), Sistema de Informação de Agravos de Notificação – SINAN. Acidente por animais peçonhentos – Notificações registradas: banco de dados. Disponível em: < http: //portalsinan.saude.gov.br/acidente-por-animais-peconhentos>. Acesso em: 07 ago. 2019.

Brasil. (2002). Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resoluções 2002. Brasília, DF.

Brasil. (1989). Ministério da Saúde. Manual de diagnóstico e tratamento de acidentes ofídicos. Brasília, DF.

Brasil. (2009). Ministério da Saúde. Uma análise da situação de saúde e da agenda nacional e internacional de prioridades em saúde. Brasília, DF.

Brasil. (2014). Ministério da Saúde. Uma análise da situação de saúde e das causas externas. Ministério da Saúde. Brasília, DF.

Brasil. (2016). Sistema de Informação de Agravos de Notificação. Acidente por animais peçonhentos. Brasília, DF.

Brasil. (2009). Secretaria de Vigilância em Saúde. Manual de Controle de Escorpiões. Brasília, DF.

Brasil. (2019). Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas. Casos registrados de intoxicação humana e envenenamento. Brasília, DF.

Chippaux, J. P. (2015). Epidemiology of envenomations by terrestrial venomous animals in Brazil based on case reporting: from obvious facts to contingencies. Journal of Venomous Animals and Toxins including Tropical Diseases. Dis. 21, 1-17.

Cozer, G. D., Morsbacher, J., Bortolanza, M. A., Ramirez, J. N. V., & Lutinski, J. A. (2019). Arthropods of medical importance and profile of associated accidents for the municipality of São Miguel do Oeste, Santa Catarina state. Revista de Epidemiologia e Controle de Infecção. 9(1),1-14.

Gamborgi, G. P., Coelho, A. M., Rossetto, D. S., & Busato, M. A. (2012). Influência dos fatores abióticos sobre casos de acidentes provocados por Lonomia obliqua. Hygeia Revista Brasileira de Geografia Medicinal de Saúde. 8(14), 201-208.

Ibge. (2010). Boletim Geográfico. Amostra – Características da população/ população residente por idade em Chapecó-SC. Disponível em: . Acesso em: 21 set. 2019.

Jung, C. F. (2004). Metodologia para pesquisa e desenvolvimento: aplicada a novas tecnologias, produtos e processos. Axcel Books do Brasil Editora, Rio do Janeiro.

Ladeira, C. G. P., & Machado C. (2017). Epidemiologia dos acidentes com animais peçonhentos na região de Ponte Nova, Minas Gerais, Brasil. Journal Health NPEPS. 2(1), 40-57.

Lara-Pérez, L. A., Campos-Domínguez, J., Díaz-Fleischer, F., Adame-García, J., & Andrade-Torres, A. (2017). Ecology Species richness and abundance of Saturniidae (Lepidoptera) in a tropical semi-deciduous forest of Veracruz, Mexico and the influence of climatic variables. Revista Mexicana de Biodiversidad. 88, 173–182.

Lima, E. C., Soares, G. R. A., & Pinho, L. (2016). Caracterização de crianças hospitalizadas vítimas de acidentes por animais peçonhentos. Revista de Enfermagem da UFSM. 6(1), 206-213.

Lutinski, J. A., Quadros, S. O., Morsbacher, J., Tiburski, J., Silva, P. S., Schabat, F. M., Giachini, K., Silva, M. T., & Corralo, V. S. (2016). Lepidópteros de importância médica no município de Chapecó, Santa Catarina. Revista NBC- Belo Horizonte- MG. 6(12), 47-60.

Menezes, M. M., Yui, K. C. K., Araujo, M. A. M., & Valera, M. C. (2007). Prevalência de traumatismos maxilofaciais e dentais em pacientes atendidos no pronto-socorro municipal de São José dos Campos/SP. Revista Odonto Ciência – FAC. Odonto/PUCRS. 22(57), 210-216.

Miller, J. A., Carmichael, A., Ramírez, M. J., Spagna, J., Haddad, C. R., Rezác, M., Johannesen, J., Král, J., Wang, X. P., & Griswold, C. E. (2010). Phylogeny of entelegyne spiders: affinities of the family Pentatomidae (NEW RANK), generic phylogeny of Eresidae, and asymmetric rates of change in spinning organ evolution (Araneae, Araneoidea, Entelegynae). Revista Filogenética Molecular e Evolução. 55, 786-804.

Oliveira, D. S., Siqueira, A. C., Dell’Aglio, D. D., & Lopes, R. C. S. (2009). Impacto das configurações familiares no desenvolvimento de crianças e adolescentes: Uma revisão da produção científica. Jornal Interação em Psicologia. 12(1), 87-98.

Paris, A., Paludo, L. G., Lutinski, J. A., Silva, S. P., Quadros, S. O., Bedin, C. F., Giachini, K., Schabat. F. M., Busato, M. A., & Corralo, V. S.(2017). Araneísmo no município de Chapecó (SC) e fatores associados. Epidemiologia e Controle de Infecção. Revista de Epidemiologia e Controle de Infecção. 7(3), 140-145.

Santana, V. T. P., & Suchara, E. A. (2015). Epidemiologia dos acidentes com animais peçonhentos registrados em Nova Xavantina – MT. Journal of Epidemiology and Infection Control. 5(3), 141-146.

Santos, J. L. G., Garlet, E. R., & Lima, M. A. D. S. (2009). Revisão sistemática sobre a dimensão gerencial no trabalho do enfermeiro no âmbito hospitalar. Revista Gaúcha de Enfermagem, 30(3), 525-532.

Schwingel, I., Lutinski, J. A., Quadros, S. O., Busato, M. A., & Teo, C. R. P. A. (2016). Formigas (Hymenoptera: Formicidae) em Centros de Saúde da Família de Chapecó, SC, Hygeia. 12(23), 111 – 121.

Sebrae. (2019). Cadernos de desenvolvimento de Santa Caratina. Chapecó.

Simas, V. F. C., & Souza, A. S. (2019). Crianças hospitalizadas vítimas de acidentes na primeira infância. Revista Pró-UniverSUS. 10(1), 25-28.

Souza, C. M. V. (2018). Escorpionismo no Brasil com ênfase no rio de janeiro: subsidiando políticas públicas para populações expostas. Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde. Rio de Janeiro.

Zambolim, C. M. Oliveira. T. P., Hoffmann, A. N., Vilela, C. E. B., Neves, D., Anjos, F. R., Soares, L. M., Tiburzio, L. S., Cardoso, L. A. F., Murad, M. B., Magalhães, M. G., Oppermann, P. E. R., & Guimarães, S. J. (2008). Perfil das intoxicações exógenas em um hospital universitário. Revista Médica de Minas Gerais. 18(1), 5-10.

Zhang, S., Gao, B., & Zhu, S. (2015).Target-driven evolution of scorpion toxins. Scientific Reports. 5(14973), 1-13.

Published

07/08/2021

How to Cite

HAACK, B. M. .; LUTINSKI, J. A. Venomous animals accidents profile involving children. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 10, p. e131101018709, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i10.18709. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18709. Acesso em: 27 oct. 2021.

Issue

Section

Health Sciences