Brazilian higher education and its influence on regional development

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i10.18759

Keywords:

Education; Public policy; Economy.

Abstract

All countries that have developed in the world have placed education as one of their priorities. In this sense, the objective was to evaluate the expansion of higher education in Brazil and its contributions to regional development. The bibliographical exploratory methodology of the qualitative type and constitutes consultation with official government agencies and literature on the subject, from the first higher education institutions in 1808 to 2020, recovering historical landmarks and public policies aimed at higher education, as well as studies in articles , dissertation theses in databases such as Scopus and Scielo. The results demonstrate expansion and internalization, expanding access, as well as being a factor in activating the local economy. However, the gross enrollment rate in higher education and the net enrollment rate still fall short of the goals established in the National Education Program, demanding new advances that need improvements to achieve what was proposed over the years.

Author Biographies

Amanda Beatriz Albernaz de Araújo, Pontifícia Universidade Católica de Goiás

Mestranda em Desenvolvimento e Planejamento Territorial da PUC Goiás, Profa. Unicerrado e unicambury.
Coordenador de Estágio do Curso de Engenharia civil Unicerrado

Antônio Pasqualetto , Pontifícia Universidade Católica de Goiás

Prof Dr. PUC Goiás e IFG.
Coordenador do Mestrado em Desenvolvimento e Planejamento Territorial da PUC Goiás

Pedro Araújo Pietrafesa, Pontifícia Universidade Católica de Goiás

Professor da Pontifícia Universidade Católica de Goiás

Vice-Coordenador do Mestrado em Desenvolvimento e Planejamento Territorial da PUC Goiás

Coordenador de Estágio do Curso de Relações Internacionais

Editor-Chefe da Revista BARU

Ilana Marques de Jesus Beltrão, Pontifícia Universidade Católica de Goiás

Mestranda pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (2020)
Administradora na Universidade Federal do Tocantins.

References

Alves, J. A. B & Gumbowsky, A. (2017). Impactos econômicos da Universidade do Contestado (UnC) no desenvolvimento do município de Canoinhas, SC. Interações. 18(4), 55-68,

Aprile, M. R & Barone, R. E. M. (2009). Educação superior: políticas públicas para inclusão social. @mbienteeducação, 2(1), 39-55.

Ariovaldo, T. C.C & Nogueira C. M. M. (2018). Nova forma de acesso ao ensino superior público: um estado do conhecimento sobre o sistema de seleção unificada - SiSU. Revista Internacional de Educação Superior. 4(1), 152-174.

Brasil. Ministério da Educação e Cultura. (1998). Decreto nº 2.494, de 10 de fevereiro de 1998. MEC

Brasil, Ministério da Educação (2019). Banco de dados Programa Universidade para Todos 2005-2019. MEC

Brasil, Ministério da Educação (2017). Resumo Técnico Censo da Educação Superior de 2000 a 2017. MEC

Brasil. (2014). Lei n.13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF.

Castells, M. (2003) A cidade na nova economia. Tradução de Jorge Alberto Machado. In: Machado, J. A. S. (2003) Trabalho, economia e tecnologia: novas perspectivas para a sociedade global. 2. ed. São Paulo: Tendenz, Bauru: Praxis, Parte 1, cap. 1, 15-29.

Clark, G., Nascimento, S. P. D & Moura Junior, C. A. D. S. (2020) O financiamento estudantil no ensino superior privado: uma análise do fundo de financiamento estudantil (FIES) sob a ótica do direito econômico. Arquivo Jurídico, 7(1), 196-213.

Dallabrida, V. R. (2010). Desenvolvimento e governança territorial: um ensaio preliminar sobre a necessidade da regulação no processo de gestão do desenvolvimento. Redes. 15(3), 165-186.

Durham, E. R. (2010). A política educacional do governo Fernando Henrique Cardoso: uma visão comparada. Novos Estudos, 1(88), 153-179.

Guedes, L. G. D. R & Santos, F. D. F. (2019). Transferência de conhecimento e tecnologia entre empresa/universidade: estudo de caso na fundação de amparo à pesquisa do estado de Goiás. Revista de Desenvolvimento Econômico, 2(43), 344-362.

Haas, C. M & Pardo, R. D. S. (2017). Programa Universidade para Todos (PROUNI): Efeitos financeiros em uma instituição de educação superior privada. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, 22(3), 718-740.

Instituto nacional de estudos e pesquisas educacionais – INEP (2019). Sinopse estatística da educação superior – 2000 a 2019. INEP

Lima, K. R. d. S. (2011) O Banco Mundial e a educação superior brasileira na primeira década do novo século. Katálysis, 14(1), 86-94.

Mancebo, D., Vale, A. A. D & Martins, T. B. (2015). Políticas de expansão da educação superior no Brasil 1995-2010. Revista Brasileira de Educação, 20(60), 31-50.

Máximo, R. (2020) Efeitos territoriais de políticas educacionais: a recente expansão e interiorização do ensino federal em cidades não metropolitanas no Ceará. URBE, 12(1), 1-17.

Mendonça, A. W. P. A (2000). Universidade no Brasil. Revista Brasileira de Educação, 2(14), 131-194.

Miranda, P. R. & Azevedo, M. L. N. D. (2020). Fies e Prouni na expansão da educação superior brasileira: políticas de democratização do acesso e/ou de promoção do setor privado-mercantil? Educação & Formação, 5(3), 315-333.

Ministério da Educação (2020). Dados da Educação superior – Quantidade de Contratos FIES. MEC

Ministério da educação (2018). Expansão da Rede Federal. MEC

Paula, K. A. (2019). O processo de verticalização na zona central da cidade de Viçosa-MG: uma análise a partir da expansão da Universidade Federal de Viçosa e do seu impacto na estruturação do espaço urbano. GeoTextos, 15(1), 65-87.

Plano nacional de educação em movimento (2014). Base legal. MEC.

Sguissardi, V. (2008). Modelo de expansão da educação superior no Brasil: predomínio privado mercantil e desafios para a regulação e a formação universitária. Educação & Sociedade, 29(105), 991-1022.

Serra, M., Rolim, C., & Bastos, A. P. (2020). Universidades e desenvolvimento regional–as bases para a inovação competitiva. Rev. Bras. Inov, 19(e0200017), 1-4.

Silva, C. L, Lopes, C & Junior, W. M. (2009). Intervenção do Estado e desenvolvimento local: uma análise cross section dos municípios paranaenses. Interações, 10(1), 41-53.

Silva. R. A. R. et al. (2021). A Aprendizagem Cooperativacomo metodologia ativa no Ensino Médio: Percepção de alunos de uma escola pública da Cidade de Milagres, Ceará. Research, Society and Development, 10(8) e17410817166.

Silveira, D. T.& Córdova, F. P. A pesquisa científica. In: Gerhardt, T. E, & Silveira, D. T. (2009). Métodos de pesquisa. UFRGS, 31-44.

Soares, B. R., Ramires, J. C., Oliveira, H. D., Melo, N. D., Souza, M. D., & Ribeiro Filho, V. (2010). Uberlândia (MG): leituras geográficas de uma cidade média em transição. Agentes econômicos e reestruturação urbana e regional: Tandil e Uberlândia. São Paulo: Expressão Popular, 157-285

Theis, I. M. (2019). O que é desenvolvimento regional? Uma aproximação a partir da realidade brasileira. Redes, 24(3), 334-360.

Vieira, S. (1991) O discurso sobre a universidade nos anos 80. Cadernos CEDES, 25, 75-87.

Villalta, L. C. (1997). O que se fala e o que se lê: língua, instrução e leitura In: Novais, F. A. & Melo E Sousa, L. de. História da vida privada no Brasil: cotidiano e vida privada na América portuguesa. São Paulo: Companhia das Letras, 1, 331-385.

Viegas, E. R. D. S, Santana, C. F. P. Á & Noda, C. M. C. (2020). O conceito de política pública e suas ramificações: alguns apontamentos. Brazilian Journal of Development, 6(7), 43415-43425.

Published

08/08/2021

How to Cite

ARAÚJO, A. B. A. de .; PASQUALETTO , A. .; PIETRAFESA, P. A. .; BELTRÃO, I. M. de J. . Brazilian higher education and its influence on regional development. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 10, p. e207101018759, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i10.18759. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18759. Acesso em: 25 oct. 2021.

Issue

Section

Human and Social Sciences