Theoretical reflections on State and the territorial dimension of politics

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v8i12.1877

Keywords:

State theories; Politics; Territorial Dimension of Politic.

Abstract

This article aims to contribute to the theoretical reflections on the State and the dimensions of politics, highlighting its territorial dimension. This is a bibliographic research that sought to synthetically expose the different theoretical currents about State, from Political Geography to Political Science.

References

Althusser, L. (1980). Ideologia e aparelhos ideológicos do Estado (3ª ed). Lisboa: Editorial Presença.

Antas Jr., R. M. (2005). Território e regulação: espaço geográfico, fonte material e não formal do direito. São Paulo: Humanitas, FAPESP.

Arretche, M. (2001). Uma contribuição para fazermos avaliações menos ingênuas. In Barreira, M. & Carvalho, M. (Orgs.). Tendências e perspectivas na avaliação de políticas e programas sociais (pp. 43-56). São Paulo: IEE/PUC.

Capella, A. C. N. (2007). Perspectivas teóricas sobre o processo de formulação de políticas públicas. In: Hochman, Arretche & Marques (Orgs). Políticas Públicas no Brasil (pp. 87-122). Rio de Janeiro: Fiocruz.

Chesnais, F. (1996). A mundialização do capital. São Paulo: Xamã.

Claval, P. (1979). Espaço e poder. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.

Codato, A. N. (2008). Poulantzas, o Estado e a revolução. Revista Crítica Marxista, 27, 65-86.

Codato, A. N. & Perissinoto, R. M. (2001). O Estado como instituição: uma leitura das obras históricas de Marx. Revista Crítica Marxista, 13, 9-28.

Costa, H. O. (2007). Democracia e participação na teoria pluralista. Revista Cronos, 8 (1), 215-228.

Costa, W. M. (1990). Geografia política e geopolítica: discursos sobre o território e o poder (Tese de Doutorado). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Costa, W. M. (2005). Política e território em tempos de mudanças globais (Tese de Livre-Docência), Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Dahl, R. (2001). Sobre a democracia. Brasília: Ed. UnB.

Dahl, R. (1989). Um prefácio à teoria democrática. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Easton, D. (1998). Uma teoria de análise política. Rio de Janeiro: Zahar.

Faria, C. A. P. (2005). A política de avaliação de políticas públicas. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, 20 (59), 97-109.

Farias Filho, M. C. (2004). Organizações e instituições: uma abordagem exploratória a partir de experiências de mudanças no setor público. Revista Adcontar, 5 (1), 15-34.

Figueiredo, A. & Figueiredo, M. (1986). Avaliação política e avaliação de política: um quadro de referência teórica. Revista Análise e Conjuntura, 1 (3), 107-127.

Frey, K. (2000). Políticas públicas: um debate conceitual e reflexões referentes à prática da análise de políticas públicas no Brasil. Revista Planejamento e Políticas Públicas, 21, 211-259.

Gelinski, C. R. O. G. & Seibel, E. J. (2008). Formulação de políticas públicas: questões metodológicas relevantes. Revista de Ciências Humanas, EDUFSC, Florianópolis, 42 (1), 227-240.

George, P. (1968). A ação do homem. São Paulo: DIFEL.

Harvey, D. (2005). A produção capitalista do espaço. São Paulo: Annablume.

Kayser, B. (1966). A região como objeto de estudo da geografia. . In George, P., Guglielmo, R., Lacoste, Y & Kayser, B. A geografia ativa (pp. 279-325). São Paulo: DIFEL.

Kayser, B. & George, P. (1966). A região como objeto de intervenção. In George, P., Guglielmo, R., Lacoste, Y & Kayser, B. A geografia ativa (pp. 325-359). São Paulo: DIFEL.

Kingdon, J. W. (1995). Agenda setting. In Theodoulou, S. Z.; Cahn, M. A. Public policy: the essential readings (pp. 105-113). New Jersey: Prentice Hall.

Kingdon, J. W. (2003). Agendas, alternatives, and public policies (3ª ed). New York: Harper

Collins.

Labra, M. E. (1999). Análise de Políticas, modos de policy-making e intermediação de interesses: uma revisão. Revista Saúde Coletiva, 9, 131-166.

Lefebvre, H. (2008). Espaço e política. Belo Horizonte: Ed. UFMG.

Marques, E. C. (1997). Notas críticas à literatura sobre Estado, políticas estatais e atores políticos. Revista Brasileira de Informação Bibliográfica em Ciências Sociais (BIB), 43, 67-102.

Marx & Engels. (1998). Manifesto do Partido Comunista. Revista Estudos Avançados, 12 (34), 7-46.

Miliband, R. (1972). O Estado na sociedade capitalista. Rio de Janeiro: Zahar.

Mills, C. W. (1981). A elite do poder (4ª ed). Rio de Janeiro: Zahar.

Moraes, A. C. R. (Org.) (1990). Ratzel. São Paulo: Ática.

Moraes, A. C. R. (2005). Ordenamento territorial: uma conceituação para o planejamento estratégico. In Ministério da Integração Nacional. Para pensar uma política nacional de ordenamento territorial: anais da Oficina sobre a Política Nacional de Ordenamento Territorial (pp. 43-47). Brasília: MI.

Moraes, A. C. R. (2008). Território e história no Brasil (3ª ed). São Paulo: Annablume.

O’Donnell, G. (1991). Democracia Delegativa. Novos Estudos CEBRAP, 31, 25-40.

Offe, C. (1984). Problemas estruturais do Estado capitalista. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro.

Offe, C. (1989). Razão e política: entrevista de Claus Offe por Francisco Gonzales. Lua

Nova: Revista de Cultura e Política, 19, 81-106.

Poulantzas, N. (2000). O Estado, o poder, o socialismo (4ª ed). São Paulo: Paz e Terra.

Raffestin, C. (2011). Por uma geografia do poder. São Paulo: Khedyr.

Rezende, F. C. (2002). Por que reformas administrativas falham? Revista Brasileira de Ciências Sociais, 17 (50), 123-142.

Santos, M. (1985). Espaço e método. São Paulo: Nobel.

Santos, M. (2002). A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo:

Editora da Universidade de São Paulo.

Santos, M. (2004). O espaço dividido: os dois circuitos da economia urbana dos países

subdesenvolvidos (2ª ed). São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo.

Santos, M. (2008). Por uma Geografia Nova: da crítica da Geografia a uma Geografia Crítica (6ª ed). São Paulo: Editora Universidade de São Paulo.

Santos, M. (2011). O dinheiro e o território. In: Santos, M. et al. Território, territórios: ensaios sobre o ordenamento territorial (3ª ed., pp. 13-21). Rio de Janeiro: Lamparina.

Santos, M. et al. (2000). O papel ativo da Geografia: um manifesto. Revista Território, 5 (9), 103-109.

Santos, M. & Silveira, M. L. (2004). O Brasil: território e sociedade no início do século XXI. Rio de Janeiro: Record.

Silva, P. L. B. & Melo, M. A. B. (2000). O processo de implementação de políticas públicas no Brasil: características e determinantes da avaliação de programas e projetos. Núcleo de Estudos de Políticas Públicas UNICAMP, 48, 1-17.

Silveira, M. L. (2011). O território em pedaços. Com Ciência Revista Eletrônica de Jornalismo Científico. 2011. Recuperado de http://www.comciencia.br/comciencia/?section=8&edicao=72&id=902&print=true.

Skocpol, T. (2007). El Estado regresa al primer plano: estrategias de análisis en la investigación actual. In Acuña, C.H. (Org.). Lecturas sobre el Estado y las políticas públicas: retomando el debate de ayer para fortalecer el actual (pp. 169-202). Buenos Aires: República Argentina.

Souza, C. (2003). “Estado do Campo” da pesquisa em políticas públicas no Brasil. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 18 (51), 15-19.

Souza, C. (2006). Políticas públicas: uma revisão da literatura. Revista Sociologias, 8 (16), 20-45.

Souza, M. L. de. (2009). Práticas espaciais insurgentes em um mundo globalizado: da ‘revolução molecular’ à política de escalas. In Mendonça, F. et al. (Org.), Espaço e tempo: complexidade e desafios do pensar e do fazer geográfico (pp. 459-478). Curitiba: Ademadan.

Theodoulou, S. Z. (1995). How public policy is made? In Theodoulou, S. Z.; Cahn, M. A. Public policy: the essential readings (pp. 86-96). New Jersey: Prentice Hall.

Vesentini, J. W. (2003). Geografia política e geopolítica: determinismo e possibilismo?. Recuperado de http://www.geocritica.com.br/determinismo.htm.

Viana, A. L. (1995). Abordagens metodológicas em políticas públicas. Revista de Administração Pública, 24 (4), 5-43.

Published

24/10/2019

How to Cite

TODESCO, C. Theoretical reflections on State and the territorial dimension of politics. Research, Society and Development, [S. l.], v. 8, n. 12, p. e438121877, 2019. DOI: 10.33448/rsd-v8i12.1877. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/1877. Acesso em: 24 may. 2022.

Issue

Section

Human and Social Sciences