Health promotion carried out by the Oral Health Strategy in municipalities in southern Brazil

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i10.18814

Keywords:

Primary health care; Family health strategy; Sistema único de saúde; Health vulnerabilities.

Abstract

Health promotion is defined as the process of training a population to act improving their quality of life. The Brazilian National Oral Health Policy establishes that oral health care services must have a comprehensive care character, with a focus on health promotion and disease prevention. This study aimed to describe the health promotion actions carried out by the Oral Health Strategy in municipalities in southern Brazil. This is a study carried out in seven municipalities in States of Santa Catarina and Rio Grande do Sul. In all 49 dentists who work in the Primary Care network participated. A semi-structured questionnaire was applied with questions aimed at identifying the health promotion actions developed by the participants. Among the actions, training to specific groups prevailed (79.6%). It was observed integration between the actions of dental surgeons and other professionals in primary care.

References

Almeida, R. C. C., Baia, A. E. C., Gonçalves, L. L., Carneiro, S. V., & Silva, C. H. F. (2016). Promoção de saúde bucal para pacientes internados em hospitais de média complexidade. In.: Jornada odontológica dos acadêmicos da católica – JOAC. 2(2).

Barbosa Neto, H. J., Mesquita, F. O. S., Parente, A. S., Silva, D. I. R. S., Nascimento, E. P., Silva, P. K. M., Silva, T. I. M., & Cruz, Y. P. (2017). Relato de experiência das atividades de territorialização por residentes multiprofissionais em saúde coletiva. Revista Multidisciplinar e de Psicologia. 11(39), 292-299.

Bastos, B. R. M., Clara, A. S., Fonsêca, G. S., Pires, F. S., Souza, C. R., & Botazzo, C. (2018). Formação em saúde bucal e Clínica Ampliada: por uma discussão dos currículos de graduação. Revista da ABENO. 17(14), 73-86.

Bordin, D., Fadel, C. B., Moimaz, S. A. S., Garbin, C. A. S., & Saliba, N. A. (2017). Estudo comparativo da satisfação de usuários e profissionais da saúde com o serviço público odontológico. Revista Ciência e Saúde coletiva. 22(1), 151-160.

Bousquat, A., Giovanella, L., Campos, E. M. S., Almeida, P. F., Martins, C. L., Mota, P. H. S., Mendonça, M. H. M., Medina, M. G., Viana, A. L. d’Á., Fausto, M. C. R., & Paula, D. B. (2017). Atenção primária à saúde e coordenação do cuidado nas regiões de saúde: perspectiva de gestores e usuários. Revista Ciência & Saúde Coletiva. 22(4), 1141-1154.

Brasil (Ministério da Saúde). (2006). Portaria nº 648 de 28 de março de 2006: Política Nacional de Atenção Básica. Diário Oficial da União. Sec. 1, 71.

Brasil (Ministério da Saúde). (2014). Portaria nº 2.446 de 11 de novembro de 2014. Política Nacional de Promoção da Saúde. Diário Oficial da União. Sec. 1: 68.

Brasil (Ministério da Saúde). (2004). Diretrizes da Política Nacional de Saúde Bucal. Ministério da Saúde. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_brasil_sorridente.htm

Brasil (Ministério da Saúde). (2013). Cadernos de Atenção Básica: acolhimento à demanda espontânea. Editora do Ministério da Saúde. 28(1), 56 p.

Brasil, P. R. C., & Santos, A. M. (2018). Desafios às ações educativas das Equipes de Saúde Bucal na Atenção Primária à Saúde: táticas, saberes e técnicas. Physis: Revista de Saúde Coletiva. 28(4), 1-23.

Corrêa, A. L., Emmi, D. T., Pinheiro, H. H. C., Barroso, R. F. F., Araújo, I. C., & Araújo, M. V. A. (2019). Atenção em saúde bucal na creche Sorena: relato de experiência de 17 anos promovendo saúde em pré-escolares. Revista Conexão UEPG. 2(15), 142-146.

Ferraz, D., & Kraiczyk, J. (2017). Gênero e Políticas Públicas de Saúde: construindo respostas para o enfrentamento das desigualdades no âmbito do SUS. Revista de Psicologia da Universidade Estadual Paulista. 9(1), 70-82.

Heidemann, I. T. S. B., Wosny, A. M., & Boehs, A. E. (2014). Promoção da Saúde na Atenção Básica: estudo baseado no método de Paulo Freire. Revista Ciência & Saúde Coletiva. 19(8), 3553-3559.

IBGE. (2020). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Ibge cidades. Disponível em: https://www.google.com/search?client=firefox-b-d&q=ibge+cidades

Kusma, S. Z., Moyses, S. T., & Moyses, S. J. (2012). Promoção da saúde: perspectivas avaliativas para a saúde bucal na atenção primária em saúde. Cadernos de Saúde Pública. 28(supl), s9-s19.

Martins, P., & Aguiar, A. S. W. (2011). Acesso aos serviços de saúde bucal na atenção primária à saúde: avanços e desafios da 11 ª região de saúde do Ceará. SANARE-Revista de Políticas Públicas. 10(1), 06-12.

Oliveira, M. J. L., Oliveira, C. C., Oliveira, L. F. B., Maia, N. G. F., & Dias, V. O. (2016). Ações educativas em saúde bucal na sala de espera da clínica infantil: relato de experiência. Revista Intercâmbio. 7, 504-512.

Oliveira, V. A. (2014). Participação popular na gestão pública: a carência de formação dos servidores públicos para a gestão participativa. 2014. 62 p. Trabalho de conclusão de curso (Especialização em gestão e política pública). Fundação Escola de sociologia e política de São Paulo.

Palacio, D. C., Vazquez, F. L., Ramos, D. V. R., Peres, S. V., Pereira, A. C., Guerra, L. M., Cortellazzi, K. L., & Bulgareli, J. V. (2014). Evolução do indicadores pós-implantação da saúde bucal na Estratégia de Saúde da Família. Revista Einstein. 12(3), 274-281.

Reis, W. G;, Scherer, M. D. A., & Carcereri, D. L. (2015). O trabalho do Cirurgião-Dentista na Atenção Primária à Saúde: entre o prescrito e o real. Saúde em Debate [online]. 39(104), 56-64.

Rios, L. R. F., & Colussi, C. F. (2019). Análise da oferta de serviços na atenção especializada em saúde bucal no Sistema Único de Saúde, Brasil. Epidemiologia e Serviços de Saúde. 28(1), 1–7.

Santos, N. M. L., & Hugo, F. N. (2018). Formação em Saúde da Família e sua associação com processos de trabalho das Equipes de Saúde Bucal da Atenção Básica. Ciência & Saúde Coletiva. 23(12), 4319–4329.

Sobreira, P. G. P., Vasconcellos, M. T. L., & Portela, M. C. (2012). Avaliação do processo de aconselhamento pré-teste nos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA) no Estado do Rio de Janeiro: a percepção dos usuários e profissionais de saúde. Ciência & Saúde Coletiva. 17(11), 3099-3113.

Sobrinho, J. E. L., Martelli, P. J. L., Albuquerque, M. S. V., Lyra, T. M., & Farias, S. F. (2015). Acesso e qualidade: avaliação das Equipes de Saúde Bucal participantes do PMAQ-AB 2012 em Pernambuco. Saúde em Debate. 39(104), 136–146.

Souza, T. M. S. (2005). A incorporação da Saúde Bucal no Programa de Saúde da Família no Rio Grande do Norte: investigando a possibilidade de conversão do modelo assistencial, 139 f. Dissertação (Mestrado em Odontologia) – Programa de Pós-Graduação em Odontologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2005.

Tadeu, K. F. R., Avelino, L. C., & Silva, F. M. (2014). Estratégia de saúde da família: análise do conhecimento dos conselheiros municipais de saúde. Revista UNINGÁ. 41, 36-43.

Verdi, M., & Caponi, S. (2005). Reflexões sobre a promoção da saúde numa perspectiva bioética. Texto & Contexto Enfermagem. 14(1), 82-88.

WHO – World Health Organization. (1986). The Ottawa Charter for Health Promotion. In.: International Conference for Health Promotion, 1. Ottawa/Can. https://www.who.int/teams/health-promotion/enhanced-wellbeing/first-global-conference

Yin, R.K. (2015). O estudo de caso. Porto Alegre: Bookman.

Published

15/08/2021

How to Cite

KONFLANZ, A. L. .; RODRIGUES JUNIOR , S. A. .; FERRETTI, F. .; LUTINSKI, J. A. Health promotion carried out by the Oral Health Strategy in municipalities in southern Brazil. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 10, p. e433101018814, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i10.18814. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18814. Acesso em: 21 oct. 2021.

Issue

Section

Health Sciences