Nurse's role in managing adverse events related to central venous catheters: integrative review

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i10.18826

Keywords:

Catheters; Adverse events; Catheter-related infections; Nursing care.

Abstract

The Central Venous Catheter is an intravascular device, the distal end of which is located close to or inside the right atrium, and can also be inserted into large-caliber vessels and aims to enable continuous or intermittent venous infusion, administration of blood components and blood products, nutrition parenteral, among others. This study aims to describe the role of nurses in the management of care and management of adverse events associated with the central venous catheter. It is a bibliographic review of the literature, whose articles were filtered in the Latin American and Caribbean Literature on Health Sciences (LILACS), Scientific Electronic Library Online (SciELO), PubMed, Nursing Database (BDENF) and Academic Google. The study highlighted the importance of managing risks inherent to catheterization, from insertion to removal. Bloodstream infection has become prominent as one of the main events. The need to use bundles was also highlighted, emphasizing the importance of a safety culture. Therefore, it is concluded that nurses have an essential role in the prevention and control of infections, as they directly assist patients, manipulate and control devices, connections and medications. The use of bundles are effective in reducing infection rates.

Author Biographies

Adriana Feitoza Pereira , Centro Universitário Estácio de Sergipe

Enfermeira em emergência

Ana Fátima Souza Melo de Andrade, Centro Universitário Estácio de Sergipe

Mestre em saúde e ambiente

Weber de Santana Teles, Centro de Hemoterapia de Sergipe

Doutor em saúde e ambiente

Max Cruz da Silva, Faculdade Pio Décimo

Graduando em enfermagem

Ruth Cristini Torres, Instituto de Hematologia e Hemoterapia de Sergipe

Doutora em saúde e ambiente

Ângela Maria Melo Sá Barros, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Mestre/doutoranda em enfermagem

Marcel Vinícius Cunha Azevedo, Centro Universitário Estácio de Sergipe

Mestre em saúde da família

Alejandra Debbo, Universidade Tiradentes

Médica reumatologista

Andre Luiz de Jesus Morais, Centro Universitário Estácio de Sergipe

Mestre em saúde e ambiente

Maria Hozana Santos Silva, Faculdade Ages de Medicina

Mestrado interdisciplinar em saúde e ambiente

Taíssa Alice Soledade Calasans, Universidade Tiradentes

Doutora

Paulo Celso Curvelo Santos Junior, Universidade Tiradentes

Mestre em saúde e ambiente

References

Almeida, T. M., et al. (2018). Prevenção de infecções relacionadas ao cateter venoso central não implantado de curta permanência. Revista enfermagem UERJ. 26(1).

Araújo, F. L., et al. (2017). Adesão ao bundle de inserção de cateter venoso central em unidades neonatais e pediátricas. Revista da Escola de Enfermagem da USP. 51(2).

Barbosa, J. A. S., et al. (2020). Cateter venoso central de inserção periférica e trombose: experiência em hospital de alta complexidade. Cogitare Enfermagem. 25(8).

Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). (2016). Implantação do Núcleo de Segurança do Paciente em Serviços de Saúde. Série Segurança do Paciente e Qualidade em Serviços de Saúde.

Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). (2014). Boletim de Segurança do Paciente e qualidade em Serviços de Saúde nº 12. Rede Nacional de Monitoração de Resistência Microbiana. Relatório da Resistência de Infecções Primárias de Corrente Sanguínea Relacionadas a Cateter em Unidades de Terapia Intensiva.

Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). (2013). Resolução da Diretoria Colegiada- RDC n°. 36 de 25 de julho de 2013 que institui ações para a segurança do paciente em serviços de saúde e dá outras providências. Diário Oficial da União.

Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). (2011). Resolução da Diretoria Colegiada - RDC n°. 63 de 25 de novembro de 2011. Dispõe sobre os requisitos de Boas Práticas de funcionamento para os serviços de saúde. Diário Oficial da União.

CDC - Center for Disease Control and Prevention. (2016). Bloodstream infection event (central line-associated bloodstream infection and non-central line-associated bloodstream infection). Atlanta, GA: Centers for Disease Control and Prevention, 4(2), 1-32.

Costa, C. A. B., et al. (2020). Bundle de Cateter Venoso Central: conhecimento e comportamento de profissionais em Unidades de Terapia Intensiva adulto. Revista Escola de Enfermagem USP. e03629-e03629.

Costa, P., et al. (2016). Fatores de risco para infecção de corrente sanguínea associada ao cateter central de inserção periférica em neonatos. Acta Paulista de Enfermagem. 29(2), 161-168.

Danski, M. T. R., et al. (2017). Complicações infecciosas associadas ao cateter venoso central totalmente implantável. Rev. enferm. UFPE on line, 5049- 5058.

Desra, A. P., et al. (2016). Aseptic technique for accessing central venous catheters: applying a standardised tool to audit ‘scrub the hub’practices. The journal of vascular access. 17(3), 269-272.

Llapa, R., et al. (2020). Segurança na troca de equipos e curativos para cateter vascular central: um estudo observacional. Texto & Contexto- Enfermagem, 29(4).

Manzo, B. F., et al. (2019). Conhecimento e comportamento de profissionais sobre o bundle de cateter venoso central. Revista Brasileira de Enfermagem. 72(1), 50-56.

Marconi, M. A. & Lakatos, E. M. (1992). Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Editora Atlas, 4(2), 43-44.

Marques, J., Santos, F., Aquino, R. L., Júnior, P. & Ferreira, N. (2019). Infecção da corrente sanguínea relacionada ao cateter venoso central. Rev. enferm. UFPE on line. 1-11.

Oliveira, C. G. & Rodas, A. C. D. (2017). Tecnovigilância no Brasil: panorama das notificações de eventos adversos e queixas técnicas de cateteres vasculares. Ciência & Saúde Coletiva. 22, 3247-3257.

Ortega, D. B., et al. (2017). Análise de eventos adversos em pacientes internados em unidade de terapia intensiva. Acta Paulista de Enfermagem. 30(2) , 168-173.

Ramírez, M. M., et al. (2017). Cultura de segurança e eventos adversos em uma clínica de primeiro nível. Enfermería universitaria. 14(2), 111-117.

Rangel, R. J. M., et al. (2019). Práticas de inserção, manutenção e remoção do Cateter Central de Inserção Periférica em neonatos. Revista Pesquisa Cuidado Fundamental (Online), 278-284.

Ribeiro, A. M. N., et al. (2020). Prevenção de infecção relacionada à cateter venoso central: cuidados e conhecimento da equipe de enfermagem. Research, Society and Development. 9(11), e93091110711- e93091110711.

Roque, K. E., Tonini, T., & Melo, E. C. P. (2016). Eventos adversos na unidade de terapia intensiva: Impacto na mortalidade e no tempo de internação em um estudo prospectivo. Cadernos de Saúde Pública. 32, e00081815.

Rynga, D., et al. (2017). Hand hygiene compliance and associated factors among health care workers in a tertiary care hospital: Self reported and direct

observation. International Journal of Infection Control. 13(1).

Silva, A. P. A., et al. (2018). Atuação do enfermeiro frente à infecção da corrente sanguínea associada ao uso do cateter venoso central. Rev Elet Atualiza Saude. 8(8), 29-36.

Silva, W. C. R., et al. (2020). Indicador de flebite e cuidados de enfermagem em crianças e adolescentes com cateter central de inserção periférica. Global Academic Nursing Journal, 1(3), e44-e44.

Sorgi, G. M. F., et al. (2019). Implantação de pacote de medidas para prevenção de infecções associadas ao cateter venoso central em crianças: percepção da equipe de enfermagem. Revista Eletrônica Acervo Saúde. 11(4), e238-e238.

Sousa, F. C., et al. (2018). Avaliação dos cuidados de enfermagem com o cateter venoso central em uma unidade de terapia intensiva adulto e pediátrica. Revista de Administração em Saúde. 18(70).

Weeks, K. R., et al. (2011). Prevention of central line–associated bloodstream infections: a journey toward eliminating preventable harm. Current infectious disease reports. 13(4), 343-349.

World Health Organization (WHO). The conceptual framework for the international classification for patient safety (ICPS). Geneva: WHO.

Published

09/08/2021

How to Cite

FEITOZA PEREIRA , A. .; ANDRADE, A. F. S. M. de .; TELES, W. de S. .; SILVA, M. C. da .; TORRES, R. C. .; BARROS, Ângela M. M. S. .; AZEVEDO, M. V. C. .; DEBBO, A.; MORAIS, A. L. de J. .; SILVA, M. H. S. .; CALASANS, T. A. S. .; SANTOS JUNIOR, P. C. C. . Nurse’s role in managing adverse events related to central venous catheters: integrative review. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 10, p. e230101018826, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i10.18826. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18826. Acesso em: 21 oct. 2021.

Issue

Section

Health Sciences