Side effects related to thermogenic supplements containing synphine

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i10.18828

Keywords:

Food suplements; Synephrine; Thermogenics; Slimming.

Abstract

Food Supplements (SA) are widely used by athletes and practitioners of physical activities, as a way to complement their diet, whether for gain, weight loss or other specific goals. Thermogenics, in this case, are composed of substances that have the ability to speed up metabolism, offering greater calorie burning and reducing appetite. On the other hand, they may contain substances, such as Synephrine, which can harm health. Thus, this research aims to investigate the chemical composition of thermogenic supplements containing synephrine. The research was divided into two stages. Firstly, the label of these supplements was analyzed, collected on the internet site, and later, a systematic literature review was carried out, in which scientific articles were selected, from 2010 to 2019, within the database from SciELO, PubMed, Bireme, Google Scholar, and LILACS, using the descriptors: Food supplements/ food supplements; Synephrine/synephrine; Slimming/slimming; Thermogenic/ thermogenic. For meeting the inclusion criteria, scientific articles and dissertations were chosen, presenting themselves in full, that is, full text, being made available in Portuguese and English, which were in accordance with the proposed theme. The study was based on approaches to the influence of supplements on quality of life, thermogenic synephrine-based and the side effects of such products. As a result, the research concluded that synephrine, being similar to ephedrine, develops effects on the cardiovascular system, which can generate cases of increased blood pressure, increased heart rate, arrhythmias and stroke, especially when associated with caffeine. Some studies have also reported that synephrine can cause liver and kidney problems. Therefore, it is concluded that such compounds when not used correctly and without proper guidance, can cause serious damage to health.

References

ANVISA. (2018). RDC nº 243, de 26 de julho de 2018: dispõe sobre os requisitos sanitários dos suplementos alimentares. Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA. Diário Oficial da União, Ministério da Saúde, 2018.

Alves, M. C. R., & Capela, J. P. (2019). Suplementos alimentares para emagrecimento contendo sinefrina: riscos e toxicidade. Acta Portuguesa De Nutrição, 16, 36-46.

Andressa, E. (2015). Dicas fitness: falando de boa forma e saúde. – 1. ed. – São Paulo: Phorte.

Aquino, I. (2010). Efeito genotóxico da Artemisinina e do Artesunato em células de mamíferos. 2010. 81 f. Dissertação (Mestrado em Biologia Geral e Aplicada). Instituto de Biociências. Universidade Estadual Paulista. Botucatu, São Paulo.

Associação Brasileira de Produtos Nutricionais – ABENUTRI. (2018). Pesquisa revela crescimento de 15% em 2018 no seguimento de suplementos esportivo no país. http://www.abre.org.br/noticias/abenutri- preve-crescimento-de-15-em-2018-no-segmento-de-suplementos-esportivos-no- pais/.

IHRSA. (2018). Grandes oportunidades e resultados ainda maiores. Associação Internacional de Fomento ao Universo de Saúde e Exercícios – IHRSA. http://hub.ihrsa.org/brasil/ihrsa-2018-grandes-atracoes-e- resultados-ainda-maiores.

Bacurau, R. F. (2007). Nutrição e suplementação esportiva. 5ªed. São Paulo: Phorte.

Beles, J. (2014). As plantas medicinais que emagrecem. Portugal: Lua de Papel.

Brasil. Ministério da Saúde. (2010). Agencia Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução - RDC nº 18, de 27 de abril de 2010: dispõe sobre alimentos para atletas. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2010/res0018_27_04_2010.html.

Brasil. Ministério da Saúde. (2016). Desmistificando dúvidas sobre alimentação e nutrição: material de apoio para profissionais de saúde. Ministério da Saúde, Universidade Federal de Minas Gerais. – Brasília: Ministério da Saúde.

Bueno, J. (2017). Sinefrina: saiba tudo sobre o estimulante que seca gordura. Ciência e Saúde. https://br.blastingnews.com/ciencia- saude/2017/10/sinefrina-saiba-tudo-sobre-o-estimulante-que-seca-gordura- 002060831.html.

Costa, N. M., Raizel, R., Santini, E., & Reis Filho, A. D. dos. (2012). Suplementos alimentares para o emagrecimento: eficácia questionável. RBNE - Revista Brasileira De Nutrição Esportiva, 6 (31). Recuperado de http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/212

Costa, K.C., Rios, L. J. S., Reis, I. M. A., & Cova, S. C. (2020). O uso de fitoterápicos e plantas medicinais em processo de redução de peso: analisando prescrições nutricionais. Brazilian Journal of Development, 6 (1), 3484-3504. doi:10.34117/bjdv6n1-252

De Oliveira, A. P., Brasil e Bernardes, A. C., Fernandes, F. L. F., & Tiengo, A. (2018). Avaliação dos efeitos de fitoterápicos termogênicos em parâmetros antropométricos de pacientes com sobrepeso e obesidade. RBONE - Revista Brasileira De Obesidade, Nutrição E Emagrecimento, 11(68), 667-676. Recuperado de http://www.rbone.com.br/index.php/rbone/article/view/626

Do Nascimento, C., Piloto, J., & Tiyo, R. (2017). Nutracêuticos para o emagrecimento: uma revisão. Revista uningá review, 29 (2). Recuperado de http://revista.uninga.br/index.php/uningareviews/article/view/1955

Fagundes, A. C. (2016). Análise toxicológica de suplementos alimentares e compostos emagrecedores contendo salicina, efedrina, p-sinefrina e cafeína. 73 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas). Faculdade de Farmácia. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS.

Ferreira, A. O. (2020). Ioimbina: vasodilatador. Infinity pharma. https://infinitypharma.com.br/uploads/insumos/pdf/i/ioimbina.pdf.

Figueira, C. F. P. (2014). Toxicidade associada a plantas medicinais no emagrecimento. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas). Faculdade de Farmácia. Universidade de Lisboa. Lisboa, Portugal.

Galvão, T. F., & Pereira, M. G. (2014). Revisões sistemáticas da literatura. Revista Epidemiologia e Serviços de Saúde, 23 (1), 183-184.

Gindri, A. L., De Souza, L. B., Cruz, R. C., Boligon, A. A., Machado, M. M., & Athayde, M. L. (2014). Genotoxic evaluation, secondary metabolites and antioxidant capacity of leaves and roots of Urera baccifera Gaudich (Urticaceae). Natural product research, 28 (23), 2214-2216.

Hansen, D. K., George, N. I., White, G. E., Abdel-Rahman, A., Pellicore, L. S., & Fabricant, D. (2013). Cardiovascular toxicity of Citrus aurantium in exercised rats. Cardiovascular toxicology, 13(3), 208-219.

Kaefer, C. L. (2014). Sinefrina: desenvolvimento e validação de método indicativo da estabilidade e avaliação da toxicidade em extrato seco de Citrus aurantium L.. 68 f. (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas, Universidade Federal do Pampa, Uruguaiana.

Lopes, M. D. M. (2016). Suplementos alimentares termogênicos contendo cafeína: riscos para saúde. 42 f. Monografia (Licenciatura em Ciências da Nutrição). Faculdade Ciências da Saúde. Universidade Fernando Pessoa. Portugal, Porto.

Lopes, M. D. M., & Capela, J. P. (2017). Estudo comparativo da composição dos suplementos alimentares termogênicos contendo cafeína disponíveis em Portugal. Acta Portuguesa de Nutrição. 10 (10), 24-36.

Miranda, G. M. D., Mendes, A. C. G., & Silva, A. L. A. (2016). O envelhecimento populacional brasileiro: desafios e consequências sociais e atuais futuras. Revista Brasileira de Geriatria, 19 (3), 507- 519.

Muraro, C.R., & Saldanha, R.P. (2016). Uma revisão de literatura sobre o uso de termogênicos e seus efeitos no organismo. Revista Perspectiva, Ciência e Saúde, 1 (1), 85- 96.

Preuss, H., Miller, H., Stohs, S., & Kaats, G. (2013). Health Canada Synephrine Octopamine Caffeine HRA 2011-05-16 approved 2011-05-24[1].

Oliveira, A. B. de., Mapurunga Filho, J. N., & Aguiar Melo, M. C. (2017). Consumo de suplementos termogênicos e seus efeitos adversos por clientes de uma loja de Nutrição Esportiva de Fortaleza-CE. RBNE - Revista Brasileira De Nutrição Esportiva, 11 (62), 160-167. Recuperado de http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/749

Oliveira, T. W. N., Teixeira, S. A., Oliveira, V. A., Castro, A. N., Martins, M. R., & Medeiros, S. R. A. (2017b). Laranja amarga (Citrus aurantium) como coadjuvante no tratamento da obesidade. Revista Saúde e Ciência. 6 (1), 114- 126. doi.org/10.35572/rsc.v6i2.171

OMS – Organização Mundial da Saúde. (2018). Mais de 1,4 bilhão de adultos correm risco de desenvolver doenças por inatividade física em todo o mundo. Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS). Disponível em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5753:mai s-de-1-4-bilhao-de-adultos-correm-risco-de-desenvolver-doencas-por-inatividade- fisica-em-todo-o-mundo&Itemid=839.

Pacheco, J. J. (2017). Prevalência no uso de suplementos alimentares por frequentadores de academias em diferentes regiões do Brasil. Revista UNIESP, 4 (11), 12 p.

Peçanha, A. M. M., Frigeri, R., & Silva Filho, J. N. (2017). Suplementos termogênicos: evidências sobre a sua eficácia na redução da gordura corporal. RBNE - Revista Brasileira De Nutrição Esportiva, 11 (65), 544-553. Recuperado de http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/819

Pinheiro, P. (2020). Termogênicos: riscos e efeitos colaterais. Revista Medicina e Saúde. https://www.mdsaude.com/obesidade/termogenicos/

Ponsoni, L. (2019). Mercado de suplementos cresceu 12% no Brasil em 2018. Vida Fit. https://jc.ne10.uol.com.br/blogs/vidafit/2019/04/10/mercado-de- suplementos-cresceu-12-no-brasil-em-2018/.

Sampaio, R. F., & Mancini, M. C. (2007). Estudos de revisão sistemática: um guia para síntese criteriosa da evidência científica. Brazilian Journal of Physical Therapy, 11 (1), 83- 89. doi.org/10.1590/S1413-35552007000100013

Santos, D. A., & Ramos, L. F. P. (2018). Avaliação do conhecimento entre praticantes de atividade física e sedentários sobre os efeitos fisiológicos e adversos dos suplementos termogênicos. RBNE - Revista Brasileira De Nutrição Esportiva, 12 (75), 875-883. Recuperado de http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/1158

Schmitt, G. C. (2012). Análise química e toxicológica de suplementos alimentares e compostos emagrecedores contendo p-sinefrina associada à efedrina, salicina e cafeína. Tese (Doutorado em Ciências Farmacêuticas) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Sousa, D. M. D., Sousa, M. D., Macedo, J. L., Silva, S. S., Silva, R. R. C., Nascimento, L. L. B., Santos, L. S., & Miranda Junior, R. N. C. (2019). Fitoterápicos utilizados para perda de peso comercializados em farmácias. Research, Society and Development, 8 (4), 01-15.

Zemolin, G.M. (2015). Análise de estimulantes em suplementos alimentares e produtos naturais a base de plantas comercializadas para fins de emagrecimento no Brasil. 115 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas). Centro de Ciências da Saúde. Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria, RS.

Published

10/08/2021

How to Cite

MOYSÉS, D. de A. .; ANTUNES, A. R. F. . .; SANTOS , D. de N. A. dos .; CORREA, R. M. dos S.; GALUCIO, N. C. da R. .; GONÇALVES, T. V. .; TEIXEIRA , E. B. .; SILVA, M. G. de O. P. da; ROCHA , A. A. .; COSTA, J. G. da .; MEDEIROS, E. R. do N. .; SILVA, W. da C. .; VALE , V. V. . Side effects related to thermogenic supplements containing synphine. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 10, p. e269101018828, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i10.18828. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18828. Acesso em: 21 oct. 2021.

Issue

Section

Health Sciences