Interprofessional communication as an important tool of the work process in Primary Health Care

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i10.18942

Keywords:

Primary Health Care; Interprofessional Education; Health communication.

Abstract

Communication is a strategic element for the realization of Health Care carried out by interdisciplinary teams. Scientific evidence reveals that the communicative process is determined by factors of different nature, raising the hypothesis of a different perception of it by different professional categories. The study aimed to investigate the intervening factors in the perception of Primary Health Care professionals about interprofessional communication. This is a cross-sectional descriptive study with a quantitative approach. A structured online questionnaire was adopted, conveyed through the Google Forms® platform. The sample consisted of 58 health professionals distributed among 8 categories. The results revealed that interprofessional communication is perceived as more intense between Community Health Agents and other professional categories. Those categories that are not part of the basic team are less remembered in the communicative process and managers have a percentage of 50% recognition among the categories that act as speakers. Organizational and structural issues were identified as aspects that produce failures in the team's communication. Therefore, the positive perception of communication with the Community Health Agents and managers is concluded due to the respective roles of mediators and planners of the health actions they occupy and, due to the strategic and determining role that communication plays in the quality of the service provided, more attention to the communicative process by researchers and managers is necessary to overcome factors that still interfere negatively in it and, consequently, in the quality of Health Care offered to the assisted community.

Author Biographies

André Leon Lemos Pereira, Universidade Federal de Sergipe

Universidade Federal de Sergipe, Brasil

Jossyangela Costa dos Santos, Universidade Federal de Sergipe

Universidade Federal de Sergipe, Brasil

Renata Lopes de Siqueira, Universidade Federal de Sergipe

Universidade Federal de Sergipe, Brasil

References

Araújo, D. C. S. A., Menezes, P. W. S., Cavaco, A. M. N., Mesquita, A. R., & Lyra Jr, D. P. (2020). Instrumentos para avaliação de habilidades de comunicação no cuidado em saúde no Brasil: uma revisão de escopo. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, 24:e200030.

Araújo, T. A. M., Vasconcelos, A. C. C. P., Pessoa, T. R. R. F., & Forte, F. D. S. (2017). Multiprofissionalidade e interprofissionalidade em uma residência hospitalar: o olhar de residentes e preceptores. Interface (Botucatu), 21(62):601-13.

Arruda, L. S., & Moreira, C. O. F. (2018) Colaboração interprofissional: um estudo de caso sobre os profissionais do Núcleo de Atenção ao Idoso da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (NAI/UERJ). Interface (Botucatu), 22(64):199-210.

Bagnasco, A., Tubino, B., Piccotti, E., Rosa, F., Aleo, G., Di Pietro, P., ... Passalacqua, D. (2013). Identifying and correcting communication failures among health professionals working in the Emergency Department. Int Emerg Nurs; 21(3):168-172.

Batista, N. A. (2012). Educação Interprofissional em saúde: Concepções e práticas. Caderno FNEPAS, 2:25-8.

Batista, R. E. A., & Peduzzi, M. (2018). Prática interprofissional colaborativa no serviço de emergência: atribuições privativas e compartilhadas dos fisioterapeutas. Interface (Botucatu), 22(suppl.2):1685-95.

Bispo Jr., J. P., & Moreira, D. C. (2018). Cuidado colaborativo entre os Núcleos de Apoio à Saúde da Família e as equipes apoiadas. Physis [Internet], 28(3):e280310.

Brasil. Ministério da Saúde. (1990). Lei 8080 de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF.

Brasil, Ministério da Saúde. (2012). Política Nacional de Atenção Básica. 110p.

Brasil, Ministério da Saúde. (2017). Portaria nº 2.436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Diário Oficial da União, Brasília, DF.

Broca, P. V., & Ferreira, M. A. (2015). Processo de comunicação na equipe de enfermagem fundamentado no diálogo entre Berlo e King. Esc Anna Nery, 19(3):467-74.

Carvalho, B. G., Peduzzi, M., Nunes, E. F. P. A., Leite, F. S., & Silva, J. A. M. (2014). Gerência de unidade básica de saúde em municípios de diferentes portes: perfil e instrumentos gerenciais utilizados. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 48(5):907-14.

Celedônio, R. M., Fé, M. C. M., Mendes, A. H. L., Mendes, A. H. L., & Chaves, T. L. F. (2017). Gestão do trabalho em unidades básicas de saúde. Revista de Enfermagem da. UFPE online, 11(supl.1):341-50.

Coriolano-Marinus, M. W. L., Queiroga, B. A. M., Ruiz-Moreno, L., & Lima, L. S. (2014). Comunicação nas práticas em saúde: revisão integrativa da literatura. Saúde e Sociedade, 23(4):1356-69.

Eisenmann, D., Stroben, F., Gerken, J. D., Exadaktylos, A. K., Machner, M., & Hautz, W. E. (2018). Interprofessional Emergency Training Leads to Changes in the Workplace. Western Journal of Emergency Medicine, 19(1):185-92.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2010). Censo Brasileiro de 2010 / Rio de Janeiro: IBGE.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2019). Inovações e impactos nos sistemas de informações estatísticas e geográficas do Brasil / Rio de Janeiro: IBGE.

Jesus, D. S. S. (2006). A comunicação no trabalho em equipe: perspectivas de profissionais inseridos no Programa Saúde da Família. (94 p.) Dissertação de Mestrado – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG.

Johnson, H. L., & Kimsey, D. (2012). Patient safety: break the silence. AORN J, 95(5):591-601.

Lakatos, E. V., & Marconi, M. A. (2010). Metodologia científica. 7. ed. São Paulo: Atlas.

Leite, R. A. F., Brito, E. S., Silva, L. M. C., Palha, P. F., & Ventura, C. A. A. (2014). Acesso à informação em saúde e cuidado integral: percepção de usuários de um serviço público. Interface (Botucatu), 18(51):661-72.

Maxfield, D. G., Lyndon, A., Kennedy, H. P., O’Keeffe, D. F., & Zlatnik, M. G. (2013). Confronting safety gaps across labor and delivery teams. Am J Obstet Gynecol, 209(5):402-8.e3.

McGilton, K., Irwin-Robinson, H., Boscart, V., & Spanjevic, L. (2006). Communication enhancement: nurse and patient satisfaction outcomes in a complex continuing care facility. Journal of Advanced Nursing, 54(1):35-44.

Mendes, M. A. L., & Santos, E. S. (2018). Organização dos prontuários dos pacientes em uma unidade básica de saúde de Maceió. Revista Portal Saúde e Sociedade, 3(1):710-20.

Menezes, T. A, & Monte, P. A. (2013). Relação entre o tipo de contrato de trabalho e a dedicação do trabalhador no emprego: evidências para as regiões metropolitanas brasileiras. Nova Economia, 23(1):51-72.

Miorin, J. D., Camponogara, S., Brutti, T. B., & Ilha, A. G. (2020). Colaboração interprofissional entre as equipes de saúde dos serviços de urgência e emergência: revisão integrativa. Research, Society and Development, 9(2):e78922074.

Moreira, M. F., Nóbrega, M. M. L., & Silva, M. I. T. (2003). Comunicação escrita: contribuição para a elaboração de material educativo em saúde. Revista Brasileira de Enfermagem, 56(2):184-8.

Nogueira, J. W. S., & Rodrigues, M. C. S. (2015). Comunicação efetiva no trabalho em equipe em saúde: um desafio para a segurança do paciente. Cogitare Enfermagem, 20(3):636-40.

Nunes, A. M. (2019). A importância da comunicação com profissionais de saúde: o olhar dos usuários na atenção primária à saúde no interior de Portugal. Saúde em Redes, 5(2):113-121.

Oliveira, E. A., & Bento, M. F. (2016). A comunicação e sua relação com a competência, o profissional de secretariado e a organização. Revista Processando o Saber, 8:64-80.

Oliveira, V. C. (2000). Comunicação, informação e ação social. In: Brasil, Ministério da Saúde (2000). Organização do cuidado a partir de problemas: uma alternativa metodológica para a atuação da Equipe de Saúde da Família. Brasília. OPAS, p.65-74.

Peduzzi, M., & Agreli, H. F. (2018). Trabalho em equipe e prática colaborativa na Atenção Primária à Saúde. Interface (Botucatu), 22(Supl. 2):1525-34.

Pereira, M. F. (2018). Interprofissionalidade e saúde: conexões e fronteiras em transformação. Interface (Botucatu), 22(suppl. 2):1753-6.

Santos, G. R. S., Barros, F. M, Broca, P. V., & Silva, R. C. (2019). Ruídos na comunicação durante o handover da equipe de enfermagem da unidade de terapia intensiva. Texto Contexto Enfermagem, 28:e20180014.

Silva, J. A. M., Peduzzi, M., Orchard, O., & Leonello, V. M. (2015). Educação interprofissional e prática colaborativa na Atenção Primária à Saúde. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 49(Esp.2):16-24.

Silva, M. J. P. (2002). O papel da comunicação na humanização da atenção à saúde. Revista Bioetica, 10(2):73-88.

Soratto, J., Pires, D. E. P, Trindade, L. L., Oliveira, J. S. A., Forte, E. C. N., & Melo, T. P. (2017). Insatisfação no trabalho de profissionais da saúde na estratégia saúde da família. Texto Contexto Enfermagem, 26(3):e2500016.

Souza, G. C., Peduzzi, M., Silva, J. A. M., & Carvalho, B. G. (2016). Trabalho em equipe de enfermagem: circunscrito à profissão ou colaboração interprofissional? Revista da Escola de Enfermagem da USP, 50(4):642-9.

Vallegas, A. B., Souza, A. C., Sanches, L. S., & Alves, L. A. (2020). A educação permanente em saúde no processo de trabalho dos agentes comunitários de saúde. Research, Society and Development, 9(4):e129942962.

Published

12/08/2021

How to Cite

PEREIRA, A. L. L.; SANTOS, J. C. dos; MOCCELLIN, A. S.; SIQUEIRA, R. L. de. Interprofessional communication as an important tool of the work process in Primary Health Care. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 10, p. e338101018942, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i10.18942. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/18942. Acesso em: 25 oct. 2021.

Issue

Section

Health Sciences