Kangaroo mother method: a supplemental analysis on nursing care

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i10.19280

Keywords:

Nursing care; Kangaroo method; Newborn.

Abstract

The aim of the present study was to identify in the literature the benefits of the kangaroo mother method and nurses' attributions regarding the method, to discuss the subject and characterize its respective benefits. The method used in the research was a bibliographic review of a qualitative nature, a retrospective, exploratory and descriptive study, using the indexed databases, namely, Latin American and Caribbean Literature on Health Sciences (LILACS), Brazil Scientific Electronic Library Online (SCIELO), Online Medical Literature Search and Analysis System (Medline) and Academic Google. This method is used as a proposal for humanization, not only relating to birth and delivery, but to the stay of low-weight newborns, with the need for hospitalization, and to situations that hinder the relationship between mother and child. In addition to being a loving gesture, the method establishes greater attachment and security by rescuing the intimate contact between mother and newborn and, in turn, shows us that it is not a replacement for technology, but a broader approach, where the method consists of a way of care, based on the attitude of the nursing team towards the newborn and his family, from a context that is not limited to specific technical knowledge. To achieve this purpose, it is important for the nursing professional to provide guidance, preparation and care for the mother and family, in addition to the essential participation of the family support network.

Author Biographies

Maria Valquíria Alves dos Santos, Centro Universitário Estácio de Sergipe

Pós graduada enfermagem em Neonatologia

Ana Fátima Souza Melo de Andrade, Centro Universitário Estácio de Sergipe

Mestre em saúde e ambiente

Weber de Santana Teles, Centro de Hemoterapia de Sergipe

Doutor em saúde e ambiente

Max Cruz da Silva, Faculdade Pio Décimo

Graduando em enfermagem

Ruth Cristini Torres, Instituto de Hematologia e Hemoterapia de Sergipe

Doutora em saúde e ambiente

Maria Hozana Santos Silva, Faculdade Ages de Medicina

Mestrado interdisciplinar em saúde e ambiente

Marcel Vinícius Cunha Azevedo, Centro Universitário Estácio de Sergipe

Mestre em saúde da família

Taíssa Alice Soledade Calasans, Universidade Tiradentes

Doutora em saúde e ambiente

Paulo Celso Curvelo Santos Junior, Universidade Tiradentes

Mestre em saúde e ambiente

Alejandra Debbo, Universidade Tiradentes

Médica reumatologista

References

Almeida, H., Venâncio, S. I., Sanches, M. T. C. & Onuki, D. (2010). Impacto do método canguru nas taxas de aleitamento materno exclusivo em recém-nascidos de baixo peso. Jornal de Pediatria. 86(3), 250-3.

Araújo, C. L., Rios, C. T. F., Santos, M. H. & Gonçalves, A. P. F (2010). Método mãe canguru: uma investigação da prática domiciliar. Revista Ciência & Saúde Coletiva, 15(1), 301- 7.

Arivabene, J. C. & Tyrrell, M. A. R. (2010). Método mãe canguru: vivências maternas e contribuições para a enfermagem. Revista Latino- Americana de Enfermagem, 18(2), 262-8.

Casati, P. S., Oliveira, C. S. & Paula, S. (2010). Método mãe canguru e suas associações nos benefícios dos recém-nascidos baixo peso. UNICiências, Cuiabá-MT. 14(1), 135-46.

Conz, C. A., Merigji, M. A. B. & Jesus, M. C. P. (2009). Promoção de vínculo afetivo na unidade de terapia intensiva neonatal: um desafio para as enfermeiras. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 43(4), 49-55.

Costa, R. C., Klock, P. & Locks, M. O. H. (2012). Acolhimento na unidade neonatal: percepção da equipe de enfermagem. Revista de Enfermagem da UERJ, 20(3), 349-53.

Ferreira, M. B., Monteiro, D. R. & Souza, T. C. (2020). Em busca da humanização na UTI neonatal: método mãe canguru. Research, Society and Development. 9(11), e3089119631.

Hennig, M. A. S., et al. (2010). Atenção humanizada ao recém- nascido de baixo-peso. Método canguru e cuidado centrado na família: correspondências e especificidades. Physis Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro-RJ. 20(3). 835-52.

Lélis, A. L. P., Machado, M. F. A. S. & Cardoso, M. V. L. M. L. (2009). Educação em saúde e a prática de enfermagem ao recém-nascido prematuro. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste – RENE, 10(4), 60-9.

Machado, A. C., Girão, G. C. M., Rodrigues, L. C. L., Silva, R. C. & Rocha, S. S. (2012). Produção de conhecimento sobre o método canguru. Revista Interdisciplinar NOVAFAPI, 5(1), 61-7.

Maia, J. A., Oliveira, M. P., Furtado, S. S., Silva, L. M. & Pereira, M. L. B. (2011). Método canguru: a importância da família na recuperação do recém-nascido de baixo peso. Enfermagem em Foco, 2(4), 231-4.

Matos, E., Pires, D. E. P. & Campos, G. W. S. (2009). Relações de trabalho em equipes interdisciplinares: contribuições para a constituição de novas formas de organização do trabalho em saúde. Revista Brasileira de Enfermagem, 62(6), 863-9.

Moreira, J. O., Romagnoli, R. C., Dias, D. A. S. & Moreira, C. B. (2009). Programa mãe-canguru e a relação mãe-bebê na rede pública de Betim: pesquisa qualitativa. Psicologia em Estudo, 14(3), 475-83.

Neves, P. N., Revelli, A. P. X. & Lemos, J. R. (2010). Atenção humanizada ao recém-nascido de baixo-peso método mãe canguru: percepções de puérperas. Revista Gaúcha de Enfermagem, 31(1), 48-54.

Queiroz, N. A. & Maranhão, D. G. (2012). Ações e cuidados de enfermagem na implementação do método mãe-canguru. Revista de Enfermagem da UNISA, 13(2), 121-5.

Sá, F. E., Sá, R. C., Pinheiro, L. M. & Callou, F. E. (2010). Relações interpessoais entre os profissionais e as mães de 70 prematuros da unidade canguru. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, 23.(2), 144-9.

Santana, J. C. B., Assis, A. P. O., Silva, C. C. D. & Quites, H. F. O. (2013). Método mãe canguru e suas implicações na assistência: percepção da equipe de enfermagem. Enfermagem Revista, 16(1), 34-48.

Schmidt, K. T., Bessa, J. B., Rodrigues, B. C., Arenas, M. M., Corrêa, D. A. M. & Higarashi, I. H. (2011). Recém-nascidos prematuros e a alta hospitalar: Uma revisão integrativa sobre a atuação da enfermagem. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste – RENE, 12(4), 849-58.

Silva, J. R., Thomé, C. R. & Abreu, R. M. (2011). Método mãe canguru nos hospitais/maternidade públicos de Salvador e atuação dos profissionais da saúde na segunda etapa do método. Revista CEFAC, 13(3), 522-33.

Silva, H. L. L., et al. (2020). Percepção materna diante da utilização do método canguru: uma revisão integrativa. Research, Society and Development. 9(7), e886975146.

Silva, A. R. E., Garcia, P. N. & Guarigilia, D. A. (2013).Método canguru e os benefícios para o recém-nascido. Revista Hórus, 7(2), 1-11.

Veras, R. M. & Traverso-Yépez, M. A. (2011). O cotidiano institucional do método mãe canguru na perspectiva dos profissionais de saúde. Psicologia & Sociedade, 23(1), 90-8.

Published

17/08/2021

How to Cite

SANTOS, M. V. A. dos .; ANDRADE, A. F. S. M. de .; TELES, W. de S. .; SILVA, M. C. da .; TORRES, R. C. .; SILVA, M. H. S. .; AZEVEDO, M. V. C. .; CALASANS, T. A. S. .; SANTOS JUNIOR, P. C. C. .; BARROS, Ângela M. M. S. .; DEBBO, A. . Kangaroo mother method: a supplemental analysis on nursing care. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 10, p. e527101019280, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i10.19280. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/19280. Acesso em: 25 oct. 2021.

Issue

Section

Health Sciences