The national blood donation policy by the community LGBTQIA+

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i10.19306

Keywords:

Blood Donors; Sexually Transmitted Diseases; Sexual and gender minorities.

Abstract

The systematic exclusion of LGBTQIA+ from screening for blood donation does not have an absolute medical justification, since the tests used for blood selection have strict criteria. The present work aims to analyze the National Blood Donation Policy with regard to the LGBTQIA+ population considering in particular the profile of blood donors in relation to risk behavior of contracting Sexually Transmitted Infections regarding gender and sexuality. A bibliographical survey was carried out on the evolution of public blood donation policies in Brazil and in the world between 1970 and 2020, with 90 scientific articles selected. Despite the coercive action of the judiciary, which recognized that the ordinances of the Ministry of Health and the National Health Surveillance Agency were discriminatory in relation to blood donations by the non-heterosexual population, it cannot be said that this is a sufficient condition to mitigate prejudice and the stereotypes that befall this population.

References

Allegretti, A. C. V. (2018). Redes sociais na produção científica em administração pública da saúde no brasil. Rev. Adm. Pública.

Aragusuku, H. A. (2018). Políticas públicas e cidadania LGBT em Mato Grosso: Uma década de avanços e retrocessos (2007-2017). Sex., Salud Soc. Rio de Janeiro.

Benevides, M. G. (2021). Direitos Humanos de Gênero: produção e reprodução de saberes. Ciências Sociais Contemporâneas: Objetos de Pesquisa. EDUC.

Butler, J. (2018). Quadros de guerra. Civilização Brasileira.

Carpinelli, A. P. T. (2016). Doação de sangue por homens que fazem sexo com outros homens à luz do princípio da igualdade no direito brasileiro. Iuris in mente: revista de direito fundamentais e políticas públicas, 1(1):10.

Foucault, M. (2014). Microfísica do poder. (28a ed.), Paz & Terra.

Feitosa, C. (2019). Políticas públicas LGBT no Brasil: um estudo sobre o Centro Estadual de Combate à Homofobia de Pernambuco. Sexualidad, Salud y Sociedad.

Guedes, H. C. S. (2020). Integralidade na Atenção Primária: análise do discurso acerca da organização da oferta do teste rápido anti-HIV. Escola Anna Nery. Rio de Janeiro.

Giddens, A. (1993). New Rules of Sociological Method (2a ed.). Stanford University Press.

Mello, L. (2012). Questões LGBT em debate: sobre desafios e conquistas. Soc. e Cult, 15(1): 151-161.

Milagres, S. V. (2020). Expressão das relações de poder na conformação das práticas de doação de sangue. Dissertação (Mestrado): Universidade Federal de Minas Gerais.

Offergeld, R. (2014). Sexual risk behaviour and donor deferral in Europe. Vox Sang, 107(4): 420–427.

Silva, A. S. (2012). Memória, Consciência e Políticas Públicas: as Paradas do Orgulho LGBT e a construção de políticas públicas inclusivas. Revista Electrónica de Psicologia Política.

Vianna, C. P. (2015). O movimento LGBT e as políticas de educação de gênero e diversidade sexual: perdas, ganhos e desafios. Educação e Pesquisa.

Published

17/08/2021

How to Cite

GONÇALVES, G. C.; BENEVIDES , M. G. .; AMORIM , R. F. de .; MORAIS , P. B. de . The national blood donation policy by the community LGBTQIA+. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 10, p. e517101019306, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i10.19306. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/19306. Acesso em: 27 oct. 2021.

Issue

Section

Human and Social Sciences