The use of music therapy in the treatment of elderly diagnosed with Alzheimer’s disease

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i12.20010

Keywords:

Alzheimer's disease; Elderly; Music therapy.

Abstract

This article presents the study of Alzheimer's disease, a chronic and degenerative pathology that compromises cognitive functions, which lead to neuropsychiatric disorders, as well as behavioral changes and how music therapy can improve the quality of life of the elderly. The aim of the construct is to investigate the effects of using music therapy applied in the treatment of Alzheimer's disease in elderly people diagnosed with psychopathology, due to its beneficial action of the aforementioned therapy. This is a systematic review of bibliographic procedure and a qualitative approach. The data survey was carried out on the Capes, Pepsic and Scielo platforms, using the descriptors: Alzheimer's Disease, Elderly, Elderly, Music and Music Therapy. The results show that music therapy, by acting on cognitive functions, is in fact a functional alternative therapy with strong therapeutic evidence capable of generating a better quality of life, since its application proved to be able to delay the symptoms of the disease, in addition to restructure memories that had been forgotten.

Author Biographies

Amanda Nunes da Silva Sousa, Centro Universitário Fametro

Graduanda de psicologia

Mônica Silva Saraiva, Centro Universitário Fametro

Graduanda em psicologia do Centro Universitário FAMETRO

Julio César Pinto de Souza, Centro Universitário Fametro

Mestre em psicologia; professor de graduação e pós-graduação do Centro Universitário FAMETRO.

References

Anjos, A. G. et. al. (2017.) Musicoterapia como estratégia de intervenção psicológica com crianças: uma revisão da literatura. Rev. Interinst. Psicol. 10 (2), 228-238.

Amancio, G. M. et al. (2019). A musicoterapia e suas contribuições para o fortalecimento da identidade e da cultura dos idosos institucionalizados na cidade de cajazeiras-pb. [trabalho de conclusão de curso]

Aragão, R. F. et al. (2018). As manifestações clínicas e implicações no cotidiano do idoso com doença de Alzheimer. Revista Interdisciplinar em Saúde, 5 (2), 198-207.

Barbosa, P. S., & Cotta, M. (2017). Psicologia e musicoterapia no tratamento de idosos com demência de Alzheimer. Revista Brasileira de Ciências da Vida, 5 (3), 1-23.

Barcelos, V. M. et al. (2018). A musicoterapia em pacientes portadores de transtorno mental. Rev. enferm. UFPE on line, 12 (4), 1054-1059.

Barcellos, L.R.M. (2015). Musicoterapia em medicina: uma tecnologia leve na promoção da saúde – a dança nas poltronas! Revista Música Hodie, Goiânia, 15 (2), 33-47.

Beltrame, G. R., Kihara, A. H. & Paschon, V. (2016). Terapia musical aumenta a atividade psicomotora em pacientes com Alzheimer. 3 (6), 1-4 https://www.researchgate.net/publication/294276458_terapia_musical_aumenta_a_atividade_psicomotora_em_pacientes_com_alzheimer

Brotti, B. O. & Vendrametto, D. C. (2020). Psicologia e Alzheimer: contribuições do psicólogo no tratamento de idosos. Revista Terra & Cultura: Cadernos de Ensino e Pesquisa, 36 (70), 111-116.

Caetano, L. A. O., Silva, F. S. & Silveira, C. A. B. (2017). Alzheimer, sintomas e grupos: uma revisão integrativa. Vínculo-Revista do NESME, 14 (2), 84-93.

Cruz, K. C. A., Mudin, T. L. D. & Vieira, M. R. (2018) A intervenção da terapia ocupacional em pacientes com a doença de Alzheimer. Vita et Sanitas, 12 (2), 80-87.

Carvalho, B. S. (2018). Efeitos da musicoterapia na agitação em idosos com demência: uma revisão sistemática. [Tese de Doutorado].

Diógenes, D. F. et al. (2017). Revisão da literatura acerca da conduta terapêutica na doença de Alzheimer. Mostra Interdisciplinar do curso de Enfermagem, 2 (1), 1-4.

Donato, H., & Donato, M. (2019). Etapas na Condução de uma Revisão Sistemática. Acta Médica Portuguesa, 32(3), 227-235.

Da Luz, J. P. A. P., dos Santos Nunes, S., Anversa, E. T. R., & Flores, G. C. (2021). A relação da depressão no idoso com a doença de Alzheimer: uma revisão da literatura. Brazilian Journal of Healh Review, 4(2), 9416-9429.

Fernandes, J. S. G. & Andrade, M. S. (2017) Revisão da literatura acerca da conduta terapêutica na doença de Alzheimer: diagnostico, evolução e cuidados. Psicologia, saúde e doenças. 18 (1), 131-139.

Ferreira, M. F. A et al. (2020). Musicoterapia em pacientes com doença de Alzheimer–uma revisão sistemática. Revista Brasileira de Musicoterapia, XXII (28), 31-52

Rios Filho, E. G. R et al. (2017). Alzheimer: fatores de risco associados ao seu desenvolvimento e sua manifestação. In Resumos da XIII Mostra de saúde. (p. 33) Goiânia, GO.

Gil, A. C. et al. (2007) Como elaborar projetos de pesquisa. (4a ed.), Atlas.

Gimenes, F. F. (2019). Um probleminha de memória, um probleminha de cabeça, um probleminha de esquecimento: as estratégias referenciais em narrativas de um grupo de apoio. [Mestrado em linguística aplicada]

Gomes, A. S. & Gomes, C. R. A (2020). Classificação dos tipos de pesquisa em Informática na Educação. In Jaques, P.A., Pimentel, M., Siqueira, S. & Bittencourt, I.G.(Org.) Metodologia de Pesquisa em Informática na Educação: Concepção da Pesquisa. pp.1-33. Porto Alegre: SBC.

Junior, M. P. A. A. & Falcão, D. V. S. (2017). Idosos com demência e seus cuidadores: uma revisão da literatura sobre os benefícios da musicoterapia. Revista brasileira de musicoterapia, 19, 251-256.

Júlio, P. J. (2018). Musicoterapia e demência: intervenção musicoterapêutica em idosos institucionalizados. 2018. [Dissertação de Mestrado].

Lopes, C. D. J. et al. (2019) Benefícios da musicoterapia no idoso com demência: revisão integrativa da literatura. Revista Investigação Enfermagem, 2(26), 45-59.

Lopes, G. K. et al. (2020). Capacidade funcional do idoso com demência de Alzheimer: O papel da musicoterapia. In Anais do VII Congresso medico Universitário de São Camilo. (p. 56-64).

Leonardo, A. M. M. (2017). O Ensino da Música e o Despertar das Emoções. [Doutorado].

Machado, A. P. R., Carvalho, I. O. & Rocha Sobrinho, H. M. (2020). Neuroinflamação na doença de Alzheimer. Revista Brasileira Militar de Ciências, 6 (14), 30-38.

Magalhães, R. Z. & Banhato, E. F. C. (2019). Musicoterapia para Idosos com Doença de Alzheimer: uma Revisão Integrativa. Cadernos de psicologia, 1 (1), 75-95.

Martins, H. P. & Quadros, L. C. T. (2021). A música como Agente Terapêutico no Tratamento da Doença de Alzheimer. Psicologia em pesquisa, 15 (1), 1-21.

Martins, I. C. N. (2017) A música como Instrumento de Socialização: um estudo de caso sobre os benefícios da musicoterapia para a saúde e integração do idoso. [Trabalho de Conclusão de Curso]

Mendes, J. F. B. (2020) Musicoterapia em contexto hospitalar: a intervenção da musicoterapia em crianças com perturbação do espetro do autismo. [Dissertação de Mestrado].

Miradouro, J. C. S. (2015). Musicoterapia na doença de Alzheimer. [Tese de Doutorado].

Nemes, M. C. N. C et al. (2017) Revisão sistemática sobre intervenções com idosos na área da musicoterapia. Revista Brasileira de Musicoterapia, 19 (22), 48-78.

Monteiro, W. H. M (2018). Doença de Alzheimer: aspectos fisiopatológicos. Rev. Saberes, 8(2), 1-8.

Moreno. L. D. et al. (2019). Avaliação neuropsicológica em idosos com Alzheimer. In Anais do VI Congresso Internacional de Envelhecimento Humano. (p.1-6). João Pessoa, PB.

Vieira, M. M. C. D. S. (2020). A doença de Alzheimer e a perda de Olfato (Doctoral dissertation).

Passos, H. et al. (2021). A música como agente terapêutico no tratamento da Doença de Alzheimer. Revista Psicologia em Pesquisa, 15 (1), 1-22.

Palazzi, A. (2015). Musicoterapia na afasia de expressão: um estudo de caso. [Trabalho de Conclusão de Curso]

Resende, J. G. O. S., Carvalho, S. C. & Santos, V. R. P. (2017) A utilização da musicoterapia para o paciente portador da doença de Alzheimer. Saberes Interdisciplinares, 7 (14), 69-80.

Ribeiro, E. A. (2008). A perspectiva da entrevista na investigação qualitativa. Evidência: olhares e pesquisa em saberes educacionais. Evidência, 4 (5), 129-148.

Rocha, J. F. A da. et. al. (2017). A musicoterapia como alternativa terapêutica na assistência para pessoas com Alzheimer. Revista Querubim, 13 (ed especial), 1-8.

Rosado, P. S. V. (2016). Na senda da neuroplasticidade: musicoterapia aplicada à reabilitação neurológica. [Dissertação de Mestrado].

Sampaio, R. T., Loureiro, C. M. V. & Gomes, C. M. A. (2015). A Musicoterapia e o Transtorno do Espectro do Autismo: uma abordagem informada pelas neurociências para a prática clínica. Per musi, 37 (1), 137-170.

Sacks, O. (2007). Alucinações musicais: relatos sobre a música e o cérebro. Companhia das Letras.

Smith, M. A. C. (1999). Doença de Alzheimer. Brazilian Journal of Psychiatry, 21(1), 03-07.

Santos, F. R. & Coronago, V. M. M. O. (2017). Uso da Musicoterapia como Terapia Alternativa no Tratamento da Doença de Parkinson. Revista Multidisciplinar e de Psicologia, 11 (35), 341-360.

Spezzia, S. (2018). Saúde bucal e doença de Alzheimer. Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba, 20 (4), 191-194.

Sequeira, J. A. (2020). Tratamento da Doença de Alzheimer: na atualidade e no futuro. [Tese de Doutorado].

Sobral, L. O. F., Araújo, L. C. A. & Moura, T. A. O. (2017). Musicoterapia como tratamento sintomatológico da doença de Alzheimer: uma revisão integrativa. http://repositorio.asces.edu.br/bitstream/123456789/477/1/Alzheimer.pdf

Torcate, A. S. et al. (2020). Intervenções e Impactos da Musicoterapia no Contexto da Doença de Alzheimer: Uma Revisão de Literatura sob a Perspectiva da Computação Afetiva. In Anais do IV Simpósio de Inovação em Engenharia Biomédica-SABIO (p. 31). Recife, PE.

Tinoco, B. S. L (2020). Impacto Clínico de Intervenções com Música na Demência. [Tese de Doutorado].

Ulkowski, I. D. P. I., Cunha, R. R. S. & Pinheiro, N. N. B. (2020). Da musicoterapia à musicoterapia orientada pela teoria psicanalítica: fundamentos epistemológicos. Revista InCantare,10(1), 106-126.

Published

14/09/2021

How to Cite

SOUSA, A. N. da S. .; SARAIVA, M. S. .; MACHADO, T. V. R. .; SOUZA, J. C. P. de. The use of music therapy in the treatment of elderly diagnosed with Alzheimer’s disease. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 12, p. e112101220010, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i12.20010. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/20010. Acesso em: 29 feb. 2024.

Issue

Section

Human and Social Sciences