Evaluation of the implementation of quality tools in institutional food and nutrition unit

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i12.20195

Keywords:

Good handling practices; Safe food handling; Training of food handlers; Satisfaction assessment; Microbiological analysis.

Abstract

The objective was to elaborate the hygienic-sanitary profile of an Institutional Food and Nutrition Unit (UAN) through the evaluation of the use of Good Manufacturing Practices (GMP) before and after the implementation of quality tools. Therefore, a checklist was used to carry out descriptive research on hygienic-sanitary conditions and to assess whether the GMP are efficient or not. The study also evaluated the microbiological contamination of equipment, utensils, environment, water, handlers' hands and food preparations after implementing quality tools. This work sought to identify flaws in the process and thus propose improvements in order to obtain guidelines aimed at safe production. There were improvements in the hygienic-sanitary profile evidenced by the change in classification from group 2 (fair) to group 1 (good) motivated by the implementation of quality tools focused on corrective measures. In microbiological analyses, satisfactory standards were observed for water and air quality in the environment, the analysis of mesophilic aerobics in equipment and utensils indicated that 50% of the samples presented values higher than the recommendations. Hands of handlers showed absence of thermotolerant coliforms and Staphylococcus aureus. For all foodstuffs studied, no contamination by Staphylococcus aureus and Salmonella sp. However, thermotolerant coliform microorganisms were identified in raw kale salad. It is concluded that the implementation of quality tools contributed positively to the production of safe food and helps to identify failures and decision making; such tools need careful vigilance to maintain results.

References

Akutsu, R. C., Botelho R. A., Camargo E. B., Sávio, K., & Araújo W.C. (2005). Adequação das boas práticas de fabricação em serviços de alimentação. Revista de Nutrição, 18(3), 419-427.

Andrade, N. J. (2008). Higiene na indústria de alimentos: avaliação e controle da adesão e formação de biofilmes bacterianos. São Paulo: Editora Varela.

APHA (2001). Committee on Microbiological for Foods. Compendium of methods for the microbiological examination of foods. 4.ed. Washington: American Public Health Association.

APHA (2012). Standard Methods for examination of water and wastewater. Washington: American Public Health Association.

Battaglini, A. P. P; Fagnani, R. T. R. & Beloti, V. (2013). Qualidade microbiológica do ambiente, alimentos e água, em restaurantes da Ilha do Mel/PR. Semina: Ciências Agrárias. 33 (2): 741-754.

Brasil. (2001). Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RDC n. 12, de 02 de janeiro de 2001. Regulamento técnico sobre os padrões microbiológicos para alimentos. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 02 de jan. de 2001.

Brasil. (2002). Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RDC n 275, de 21 de outubro de 2002. Regulamento Técnico de Procedimentos Operacionais Padronizados aplicados aos Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimento e a Lista de Verificação das Boas Práticas de Fabricação em Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimentos. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 21 de out. de 2002.

Brasil. (2004). Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RDC 216, de 15 de setembro de 2004. Regulamento Técnico de Boas Práticas para Serviços de Alimentação. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 15 de set. de 2004.

Brasil. (2017) Ministério da Saúde. Portaria nº de 28 de setembro de 2017. Dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 28 de dez. de 2017.

Brasil. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis, Coordenação Geral de Doenças Transmissíveis. Surtos de Doenças Transmitidas por Alimentos no Brasil. https://portalarquivo s2.saude.gov.br/images/pdf/2019/fevereiro/15/Apresenta----o-Surtos-DTA---Fevereiro-2019.pdf.

Campos, A. K. C; Cardonha, A. M. S., Pinheiro, L. B. G, Ferreira, N. R., Azevedo, P. R. M. & Stamford, T. L. M. (2009). Assessment of personal hygiene and practices of food handlers in municipal public schools of Natal, Brazil, Food Control. 20 (9): 807-810.

Cardoso, A. B., Candido, G. F., Kosar, M., Biegun, P. M., Silva, T. C., Santos, V. C., Ubano, M. R. D., Coelho, H. D. S. & Marchioni, D. M. L. (2005). Avaliação das condições higiênico – sanitárias de panificadoras. Higiene Alimentar. 19 (130): 45-49.

Coelho, A. I. M., Milagres, R. C. R. M, Martins, J. F. L., Azeredo, R. M. C. & Santana, A. M. C. (2010). Contaminação microbiológica de ambientes e de superfícies em restaurantes comerciais. Ciênc. saúde coletiva. 15(1): 1507-1606.

Cunha, V. A, Bastos, M. S. R., Oliveira, M. E. B., Feitosa, T. & Muniz, C. R. (2000). Diagnóstico das condições higiênico-sanitárias dos equipamentos utilizados em três fábricas de polpa de fruta congelada da região metropolitana de Fortaleza. Boletim CEPPA. 2(18): 171-76.

Ferreira, J. S., Cerqueira, E. S., Carvalho, J. S., Oliveira, L. C., Costa, W. L. R., Almeida, R. C. C. (2013). Conhecimento, atitudes e práticas em segurança alimentar de manipuladores de alimentos em hospitais públicos de Salvador, Bahia. Rev Baiana Saúde Pública. 37 (1): 35-55.

Ferreira, K. R.; Coelho, A. Í. M. & José, J. F. B. S. (2011).Avaliação das Boas Práticas em Unidade de Alimentação e Nutrição no Município de Contagem – MG. Rev Alim Nutr., 3 (22): 479-487.

Forsythe, S. J. (2013). Microbiologia da Segurança dos Alimentos (2a ed), Artmed.

Garbutt, J. (1997). Essentials of food microbiology (2a ed), Arnold.

Guimarães, B. S., Ferreira, B.S. & Souza, B.S. (2018). Perfil microbiológico de utensílios em unidade de alimentação e nutrição comercial e Institucional de Salvador, BA. Higiene Alimentar, 32(284/2850): 36-40.

Kochanski, S., Pierozan, M., Mossi, A., Treidel, H. Cansian, R., Ghisleni, C. & Toniazzo, G. (2009). Avaliação das condições microbiológicas de uma unidade de alimentação e nutrição. Alim. Nutr. 20 (4): 663-668.

Köche, J. C. (2011). Fundamentos de metodologia científica: teoria da ciência e iniciação à pesquisa. Petrópolis: Vozes.

Leite, N., Silva, M. F., Ramalhosa, E., Estevinho, M. L. & Pereira, E. (2009). Avaliação das condições microbiológicas do ar ambiente em unidades de restauração. Resultados preliminares. In XVIII Congresso de Zootecnia; II Congresso Ibero-Americano de Zootecnia.

Lima, E. ., Mendes, R. A. ., Amaral, A. & Carrijo, K. (2015). Análise microbiológica de saladas e água servidas em um restaurante universitário do Triângulo Mineiro, Minas Gerais, Brasil. Enciclopédia Biosfera. 11(22): 3176-85.

Marzano, M. A., Balzaretti, C. M. (2013). Protecting child health by preventing school-related foodborne illnesses: Microbiological risk assessment of hygiene practices, drinking water and ready-to-eat foods in Italian kindergartens and schools. Food Control, 34 (2): 560-67.

Medeiros, L. B., Saccol, A. L. D. F., Delevati, M. T. D. S. & Brasil, C. C. B. (2012). Diagnóstico das condições higiênicas de serviços de alimentação de acordo com a NBR 15635: 2008. Brazilian Journal of Food Technology, 15(SPE), 47-52.

Mendes, R. A., Coelho, A. I. M. & Azeredo, R. M. C. (2011). Contaminação por Bacillus cereus em superfícies de equipamentos e utensílios em unidade de alimentação e nutrição. Ciênc. saúde coletiva, 16(9): 3933-3938.

Mendonça, E. P. (2016). Características de virulência, resistência e diversidade genética de sorovares de Salmonella com impacto na saúde pública, isolados de frangos de corte no Brasil. Tese (doutorado). Universidade Federal de Uberlândia – MG.

Moraes, M. S., Moreira, D. A. S., Santos, J. T. L. A., Oliveira, A. P. & Salgado, R. L. (2018). Avaliação microbiológica de fontes de água de escolas públicas e privadas da cidade de Santa Rita (PB). Eng. Sanit. Ambient., 23 (3): 431-435.

Nunes, B., Faria, J., Sant´Ana, A., Silva, R. & Ribeiro Leite Moura, M. (2010). A survey on the sanitary condition of commercial foods of plant sold in Brazil.. Food Control. 21 (1): 50-54.

Osimani, A., Aquilant, L., Tavoletti, S. & Clementi, F. (2013). Microbiological monitoring of air quality in a university canteen: An 11-year report. Environmental Monitoring and Assessment. 135(6): 4765-4774.

Panza, S. G. A., Sponholz, T. K. (2008). Manipulador de Alimentos: um Fator na Transmissão de enteroparasitoses? Higiene Alimentar. 22 (158): 42-47.

Pereira, V. L. P. V. (2011). Avaliação da eficiência da higienização das mãos em manipuladores de alimentos. Dissertação (mestrado). Universidade do Algarve. Faculdade de Ciências e Tecnologia.

Persch, F. L., Brasil, C. C B., Roland, L. F., Peixoto, K. S., Corso, A. T., Santos D. P., Bergamaschi, E., Copatti, F., Pereira L. S. & Tonietto, T. ( 2020). Eficácia da implantação das boas práticas de manipulação de alimentos em uma instituição de longa permanência para idosos. Segurança Alimentar e Nutricional. (27): 1-11.

Pinto, M. P., Cardoso, M. (2008). Avaliação da eficácia de dois protocolos de higienização em áreas de produção de alimentos de um supermercado. Higiene Alimentar. 6(22): 106-11.

Ponath, F. S., Valiatti, T. B., Sobral, F. O. S, Romão, N. F., Alves, G. . C. & Passoni, G. P. (2016). Avaliação da higienização das mãos de manipuladores de alimentos do Município de Ji-Paraná, Estado de Rondônia, Brasil. Revista Pan-Amazônica de Saúde, 7(1), 63-69.

Saccol, A. L. F. (2007). Sistematização de Ferramenta de Apoio para Boas Práticas em Serviços de Alimentação. Dissertação (Mestrado em Ciência e Tecnologia de alimentos). Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria – RS.

Saccol, A. L. F., Serafim, A. L., Hecktheuer, L. H., Medeiros, L. B., & Silva Jr, E. A. D. (2016). Food safety in feeding services: a requirement in Brazil. Critical reviews in food science and nutrition. 56(8), 1363-1369.

Santos, E. A. (2014). Implantação de Ferramentas de Gestão da Qualidade dos Alimentos em uma Unidade de Alimentação e Nutrição Institucional: um estudo de caso. 161 f. Dissertação (Mestrado). Instituto Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba– MG.

Santos, M. O. B., Rangel, V. P. & Azeredo, D. P. (2010). Adequação de restaurantes comerciais às boas práticas. Higiene Alimentar. 24 (190/191): 44-49.

Santos, P. M. S., Khouri, S. & Mello, L. A. O. (2011). Análise microbiológica pré e após treinamento de manipuladores de alimento de uma panificadora. XIV Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e X Encontro Latino Americano de Pós-Graduação – Universidade do Vale do Paraíba.

São José, J. F. B., & Abranches, M. V. (2019). Microbiologia e higiene dos alimentos- teoria e prática. Rio de Janeiro: Rubio.

Shojaei, H., Shooshtaripooor, J. & Masoud, A. (2006). Efycacy of simple hand-washing in reduction of microbial hand contamination of Iranian food handlers. Food Research International. 39(5): 525-29.

Silva Júnior, E. A. (2007). Manual de controle higiênico-sanitário em serviços de alimentação. (6a ed.), Editora Varela.

Silva, N; Junqueira, V. C. A; Silveira, N. F. A; Taniwaki, M. H; Santos, R. F. S & Gomes, R. A. R. (2017). Manual de Métodos de análise microbiológica de alimentos e água. ( 3a ed.), Editora Varela.

Soares, D. S. B., Henriques, P., Ferreira, D. M., Dias, P. C., Pereira, S. & Barbosa, B. M. S. (2018). Boas Práticas em Unidades de Alimentação e Nutrição Escolares de um município do estado do Rio de Janeiro – Brasil. Ciência & Saúde Coletiva [online]. 23 (12): 4077-4083.

Souza, A. O., Passos, E. V. B., Gonçalves, M. I. A., Coelho, R. L. L. & Silva, C. S. (2021). Perfil higiênico-sanitário de um restaurante comercial no interior baiano. Research, Society and Development, 10 (2).

Triviños, A. N. S. (2011). Introdução à pesquisa em Ciências Sociais: a pesquisa qualitativa em educação, 20. reimpr. São Paulo: Atlas.

Vasques, C. T., Mandrona, G. (2016). Aplicação de checklist para avaliação da implantação das boas práticas em uma unidade de alimentação e nutrição. Higiene Alimentar. 30( 252/253).

Published

17/09/2021

How to Cite

FIGUEIREDO, A. C. F. de .; PAIVA , L. C. .; VEIGA , S. M. O. M. .; PEREIRA , W. X. .; BOAS, A. F. V. . Evaluation of the implementation of quality tools in institutional food and nutrition unit . Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 12, p. e172101220195, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i12.20195. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/20195. Acesso em: 20 feb. 2024.

Issue

Section

Health Sciences