Multiprofessional action against viral hepatitis: an experience report

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i12.20235

Keywords:

Viral Hepatitis; Prevention; Health education; Graduate health programs.

Abstract

Viral hepatitis is a public health problem responsible for high rates of morbidity and mortality. In January 2019, Law No. 13,802 instituted the Yellow July, with the development of actions related to the prevention of viral hepatitis. The offer of rapid tests allows early detection of the viruses that cause hepatitis B and C and assistance to the patient. This is a descriptive study of the experience report type experienced by residents in Family Health, which occurred in the event “Multidisciplinary action against Viral Hepatitis", held in one of the bus stations in Cascavel, a city located in western Paraná. The high rates of HBV and HCV in the South region are noticeable, which justifies the actions developed by the residents since 211 tests for diagnosis of hepatitis B and C were administered. The activities proved to be an opportunity to raise awareness among the population, besides favoring the training of the residents involved as intermediates of health education and to provide a closer approach to the community. The residents’ action, through screening strategies, supports the health services and generates a better quality of life for the community.

References

Brasil. Ministério da Saúde. (2019). Lei Nº 13.802, de 10 de janeiro de 2019. Institui o julho Amarelo, a ser realizado a cada ano, em todo o território nacional, no mês de julho, quando serão efetivadas ações relacionadas à luta contra as hepatites virais.

Brasil. Ministério da Saúde. (2002). Secretaria de Políticas de Saúde. Programa Nacional de Hepatites Virais. Programa Nacional de Hepatites Virais: avaliação da assistência as hepatites virais no Brasil.

Brasil. Ministério da Saúde. (2005). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Manual de aconselhamento em hepatites virais.

Brasil. Ministério da Saúde. (2010). Secretaria de vigilância em saúde. Programa Nacional de DST e AIDS. Diretrizes para implantação do projeto Saúde e Prevenção nas Escolas.

Brasil. Ministério da Saúde. (2012). Conselho Nacional de Saúde, Comissão Nacional de Ética em pesquisa. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Dispõe sobre as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos.

Brasil. Ministério da Saúde. (2015). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais. O Manual Técnico para o Diagnóstico das Hepatites Virais.

Brasil. Ministério da Saúde. (2016). Conselho Nacional de Saúde, Comissão Nacional de Ética em pesquisa. Resolução nº 510, de 07 de abril de 2016. Dispõe sobre as normas aplicáveis a pesquisas em Ciências Humanas e Sociais cujos procedimentos metodológicos envolvam a utilização de dados diretamente obtidos com os participantes ou de informações identificáveis ou que possam acarretar riscos maiores do que os existentes na vida cotidiana, na forma definida nesta Resolução.

Brasil. Ministério da Saúde. (2017). Portaria no 2.436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).

Brasil. Ministério da Saúde. (2018). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV/Aids e das Hepatites Virais. Manual Técnico para o Diagnóstico das Hepatites Virais.

Brasil. Ministério da Saúde. (2020). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis. A B C D E das hepatites virais para agentes comunitários de saúde.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de vigilância em saúde. (2021). Boletim Epidemiológico das Hepatites Virais.

Evangelista, V. C., Domingos, T. S., Siqueira, F. P. C., & Braga, E. M. (2016). Equipe multiprofissional de terapia intensiva: humanização e fragmentação do processo de trabalho. Revista Brasileira de Enfermagem, 69(6), 1099-1107.

Fontes, M. B., Crivelaro, R. C., Scartezini, A. M., Lima, D. D., Garcia, A. A., & Fujioka, R. T. (2017). Fatores determinantes de conhecimentos, atitudes e práticas em DST/Aids e hepatites virais, entre jovens de 18 a 29 anos, no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 22(4), 1343-1352.

Moreira, M. N., Silva, M. P. C., Duarte, A. P. G. M., Resende, M. P., Amaral, J. B. D., & Contim, D. (2019). Educação em saúde no ensino de graduação em Enfermagem. Revista de Enfermagem e Atenção à Saúde, 8(1), 61-70.

Proetti, S. (2018). As pesquisas qualitativa e quantitativa como métodos de investigação científica: Um estudo comparativo e objetivo. Revista Lumen, 2(4).

Secretaria Municipal de Saúde (SMS). (2018). Escola de Saúde Pública Municipal. Projeto Político Pedagógico do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família. Cascavel-Paraná.

Vieira, F. S., Portela, N. L. C., Sousa, G. C., Costa, E. S., Oliveira, D. E. P., & Neiva, M. J. L. M. (2017). Inter-relação das ações de educação em saúde no contexto da estratégia saúde da família: percepções dos enfermeiros. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online, 9(4), 1139-1144.

Vieira, S., & Hossne, W. S. (2015). Metodologia Científica para a área da saúde. (2ª ed.), Elsevier.

Published

13/09/2021

How to Cite

ALBAN, L. L. .; SILVA, G. F. da .; ALMEIDA, B. E. M. de .; SCHNEIDER, E. C. .; SALES, M. S. .; SOUSA, S. de M. S. de . Multiprofessional action against viral hepatitis: an experience report. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 12, p. e55101220235, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i12.20235. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/20235. Acesso em: 2 mar. 2024.

Issue

Section

Health Sciences