Family bonds of institutionalized elderly

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i12.20246

Keywords:

Elderly; Institutionalization; Family relations; Occupational therapy.

Abstract

Introduction: Aging is a multidimensional stage in human life, as it assumes dimensions that go beyond the biological cycle, causing emotional and social consequences. All these changes have an impact on the life of the aging individual, especially in the family, which the family undergoes changes and sometimes cannot meet their needs, making the elderly more conducive to social isolation, as well as hospitalization in Long-Term Institutions for the Elderly (LTIEs). Objective: To describe the family ties of the elderly in a Long Term Care Institution for the Elderly in Maceió / AL. Method: This study takes a qualitative approach, cross-sectional and descriptive. For data collection, an interview guided by a semi-structured script was conducted with 10 elderly residents of an LTCF in Maceió / AL. For data interpretation, Bardin's content analysis technique was used, which allowed the identification of three categories: “Family relationship”, “Option for institutionalization” and “Aspects that led them to live at the LTCF”. Results: It was identified that the family relationship after the institutionalization process is relatively fragile or does not maintain it, regarding the option for institutionalization, it is a large part of the family, it was also verified that as for the aspects that led them to live at the LTCF, the disease appeared as the main factor. Conclusion: The results call attention to the need for greater support from the family, since the same when effective, brings with it well-being, which is essential for a good quality of life for the elderly.

References

Araújo, K. C., Corrêa, C., Pereira, M. E., Wenger, E., & Coutinho, A. S. (2016). Vínculos familiares e sociais nas relações dos idosos. Revista Jovens Pesquisadores, 1, 97-107.

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Camargos, M., Santos, M., Bomfim, W., & Silva, K. (2016). Viver em Instituição de Longa Permanência: o olhar do idoso institucionalizado. Revista Kairós Gerontologia, 19(3), 135-150.

Constituição da república federativa do Brasil. (1988, 5 de outubro). http://www.senado.leg.br/atividade/const/con1988/CON1988_05.10.1988/art_230_.as p.

Duarte, L. M. N. (2014). O processo de institucionalização do idoso e as territorialidades: Espaço como lugar? Estudos Interdisciplinares sobre o envelhecimento. Porto Alegre, 19(1), p. 201-217.

Fagundes, K. V. D. L., Esteves, M. R., Ribeiro, J. H. M., Siepierski, C. T. Silva, J. V., & Mendes, M. A. (2017). Instituições de longa permanência como alternativa no acolhimento das pessoas idosas. Revista de Saúde Pública, 19(2), 210-214.

Figueiredo, M. C. C. M., Ferreira, F. A., Nunes, E. S. C., Araújo, A. M., Araújo, P. E., Souza,G. P., & Damaso, C. R. (2018). Idosos institucionalizados: decisão e consequências nas relações familiares. Revista Kairós-Gerontologia, 21(2), 241-252. doi:10.23925/2176-901X.201

Foucault, M. (2003). A Verdade e as Formas Jurídicas. 4.ed. Rio de Janeiro: PUC/ Departamento de Letras: NAU.

Furtado, G. E., Letieri, R., Hogervorst, E., Teixeira, A. B., & Ferreira, J. P. (2019). Fragilidade física e desempenho cognitivo em populações idosas, parte I: Revisão sistemática com metanalise. Ciência e Saúde Coletiva[online], 24(1), 203-218.

Goffman, E. (2005). Manicômios, prisões e conventos 7.ed. São Paulo: Perspectiva.

Guerra, M. F. S. S., Porto, M. J. Araújo, A. M. .Souza, J. P., Souza, J. P., Santos, G. P., Santana, W. N. N., Andrade, W. B., Santana, A. F., Silva, S. P., Nascimento, Silva, S. R. S. (2021) Envelhecimento: interrelação do idoso com a família e a sociedade. Frankl. Research, Society and Development,, 10(1).

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2018). Projeção da população 2018: número de habitantes do país deve parar de crescer em 2047. Recuperado em 13 de maio de 2019, de https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013- agencia-de-noticias/releases/21837-projecao-da-populacao-2018-numero-de- habitantes-do-pais-deve-parar-de-crescer-em-2047.

Lopes, V. M., Scofield, A. M. T. S., Alcântara, R. K. L., Fernandes, B. K. C., Leite, S. F. P., & Borges, C. L. (2018). O que levou os idosos à institucionalização? Jornal o Nusing UFPE on line, 12(9), 2428-2435.

Loureiro, R., & Silva, H. P. (2015). Potenciais impactos na saúde de idosos institucionalizados pelo seu afastamento do convívio familiar. Revista Kairós Gerontologia, 18(3), p. 367-380.

Martinez, R. (2017). O envelhecimento e a institucionalização em instituições de longa permanecia. (TCC - Graduação) – Curso de Psicologia, Faat, Atibaia.

Medeiros, P. A., Streit, I. A., Fortunato, A. R., Hauser, E., Freddi, J. C., & Mazo, G. Z. (2017). Avaliação da qualidade de vida de idosos institucionalizados: Revisão sistemática de estudos quantitativos. Pensar a prática, 20(1), 150-171.

Nóbrega, I. R. A. P., Leal, M. C. C., Marques, A. P. O., & Vieira, J. C. M. (2015). Fatores associados à depressão em idosos institucionalizados: revisão integrativa. Saúde em Debate, 39(105), 536-550.

Poltronieri, B. C., Reis, A. C. M. C., Rocha, S. R., Santos, A. C. dos, & Vaz, L. R. (2018). Atividade e participação de idosos institucionalizados em oficinas terapêuticas: contribuições de um projeto de extensão. Revista Kairós-Gerontologia, 21(4), 89-108.

Ribeiro, D. K. de M. N., Lenardt, M. H., Michel, T., Setoguchi, L. S., Grudem, C. R. B., & Oliveira, E. S. (2015). Fatores contributivos para a independência funcional de idosos longevos. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 49(1), 89-96.

Santos, A., Andreotti, B., Freitas, V., Carmo, N., Araújo, C., & Reis, L. (2017). Qualidade de vida de idosos residentes em instituição de longa permanência: Uma revisão sistemática. Revista Enfermagem Contemporânea, 6(2), 199-210.

Silva, I. L. S., Machado, F. C. A., Ferreira, M. A. F., & Rodrigues, M. P. (2015). Formação profissional de cuidadores de idosos atuantes em instituições de longa permanência. Holos, 31(8), 342-356.

Silva, F. L. H., Assis, M. D., Durand, T. P., Santos, E. N. M., Honorato, M. C. M., Pontes, A. M. (2020). Envelhecimento e sentido da vida na perspectiva de Viktor E. Frankl. Research, Society and Development, 11(9).

Silva, D. M., Vilela, A. B. A., Oliveira, D. C. de, & Alves, M. R. (2015). A estrutura da representação social de família para idosos residentes em lares intergeracionais. Revista Enfermagem UERJ, 23(1), 21 – 26.

Silva, R. S., Fedosse, E., Pascotini, F. S., & Riehs, E. B. (2019). Condições de saúde de idosos institucionalizados: contribuições para ação interdisciplinar e promotora de saúde. Cadernos Brasileiros de Terapia Ocupacional, 27(2), 345 – 356.

Soares, N. V., Corrêa, B. R. S., Fontana, R. T., Brum, Z. P., Guimarães, C. A., Silva, A. F., & Rodrigues, F. C. P. (2018). Sentimentos, expectativas e adaptação de idosos internados em instituição de longa permanência. REME-revista Mineira de Enfermagem, 22, 1124.

Souza, R. C., & Neves, A. (2017). Entre os muros do abrigo: compreensões do processo de institucionalização em idosos abrigados. Pesquisas e Práticas Psicossociais, 12(1), 209-223.

Published

17/09/2021

How to Cite

SANTOS, T. C. V. dos .; ARY, M. L. M. R. B. .; CALHEIROS , D. dos S. . Family bonds of institutionalized elderly. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 12, p. e194101220246, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i12.20246. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/20246. Acesso em: 29 feb. 2024.

Issue

Section

Health Sciences