Pharmaceutical care and the use of Over-the-Counter Medications (MIPs)

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i12.20405

Keywords:

Pharmaceutical care; MIPs; Indiscriminate use.

Abstract

Introduction: Over-the-counter Medicines (MIPs) were approved by health authorities to treat minor or self-limited symptoms, being marketed in self-service pharmacies/drugstores and dispensed without the presentation of a prescription. In this scenario, pharmaceutical care is integrated as a health provider tool and guidance on the correct and discriminated use of PIMs, as this article aims to synthesize evidence on the importance of pharmaceutical care in the use of PIMs, aiming at patient safety. Methods: Integrative review and narrative synthesis, having as a guiding question the existence of evidence on pharmaceutical care in the use of PIMs, presenting as outcomes the reduction of the indiscriminate use of PIMs through the guidelines inherent to pharmaceutical care and the reduction of health problems caused by misusing MIPs. The time frame was from 2011 to 2021. Studies published in the Cochrane Library, Epistemonikos, Health Evidence, Virtual Health Library and Google Scholar databases were searched. Results and discussion: studies show that the indiscriminate use of MIPs is extremely high, which can cause serious health problems and also highlight that information regarding the correct use of MIPs is essential, among the main risks caused by the indiscriminate use of MIPs. if the overload caused to the liver, kidneys and lungs; skin infections and stomach bleeding. Conclusion: There is evidence that pharmaceutical care improves adherence to drug therapy and reduces problems related to the indiscriminate use of PIMs, but due to their easy access, these drugs are still used on a large scale.

References

Abimip - Associação Brasileira da Indústria de Medicamentos Isentos de Prescrição. Conheça o MIP, 2019 https://abimip.org.br/texto/conhecao-mip .

Alexandri, M., Foppa, A. A., Welter, A. C., Campos, C. M. T., Cunha, H. P., Scherer, M. L. S., & Zannin, M. (2011). Propaganda de medicamentos: um desafio para todas as profissões. Revista Brasileira de Farmácia.

Barros, D. S. L., Silva, D. L. M., & Leite, S. N. (2019). Serviços farmacêuticos clínicos na atenção primária à saúde do Brasil. Trabalho, Educação e Saúde, 18.

Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA. Resolução de Diretoria Colegiada. N° 96, de 17 de dezembro de (2008) Dispõe sobre a propaganda, publicidade, informação e outras práticas cujo objetivo seja a divulgação ou promoção comercial de medicamentos.http:// www.anvisa.gov.br/propaganda/rdc/rdc_96_2008_consolidada

Cff (Conselho Federal de Farmácia). Resolução Nº 586 de 29 de agosto de (2013). Regula a prescrição farmacêutica e dá outras providências. Brasília. Distrito Federal.

Cunha, P. L. P., Cunha, C. S., Alves, P. F. (2014) Revisão bibliográfica sistemática integrativa: a pesquisa baseada em evidências. Revista Anima Educação. 6(3):1-63. http://dx.doi.org/10.1590/ S0103-21002007000200001.

da Silva, G. C., de Oliveira, J. B., de Freitas, V. D. M., & de Oliveira, D. F. (2020). Levantamento do uso de Medicamentos Isentos de Prescrição em acadêmicos dos Cursos de Farmácia e de Medicina em uma Instituição Privada de Ensino Superior em São Paulo/SP. Revista Brasileira de Ciências Biomédicas, 1(2), 72-77.

de Farmácia, C. F. (2016). Serviços farmacêuticos diretamente destinados ao paciente, à família e à comunidade: contextualização e arcabouço conceitual. Brasília: Conselho Federal de Farmácia, 200.

de Miranda Filho, J. P., de Andrade Júnior, F. P., & de Albuquerque Montenegro, C. (2021). Cuidados farmacêuticos e os medicamentos isentos de prescrição: revisão integrativa da literatura. Archives of Health Investigation, 10(1), 153-162:http://dx.doi.org/10.21270/archi.v10i1.4903 .

de Sousa Marinho, L. N., & Meirelles, L. M. A. (2021). Os riscos associados ao uso de medicamentos isentos de prescrição. Revista Saúde Multidisciplinar, 9(1).

dos Santos, M. J. R., Bueno, M., & Muniz, J. J. (2020). MediVoz: Aplicativo de auxílio ao uso de medicamentos isentos de prescrição. Infarma-Ciências Farmacêuticas, 32(3), 292-299.

Ely, L. S., Engroff, P., Guiselli, S. R., Cardoso, G. C., Morrone, F. B., & Carli, G. A. D. (2015). Uso de anti-inflamatórios e analgésicos por uma população de idosos atendida na Estratégia Saúde da Família. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 18, 475-485: https://www.scielo.br/pdf/rbgg/v18n3/1809-9823-rbgg-18-03-00475.pdf .

Fernandes, W. S., & Cembranelli, J. C. (2015). Automedicação e o uso irracional de medicamentos: o papel do profissional farmacêutico no combate a essas práticas. Revista Univap, 21(37), 5-12.

Freitas, J. A. B., de França Fonteles, M. M., de Sousa Lima, M. E., Bachur, T. P. R., & Carvalho, T. M. D. J. P. (2017). Medicamentos isentos de prescrição: perfil de consumo e os riscos tóxicos do paracetamol. Revinter, 10(3), 134-154.

Magalhães, J. L. M., Santos, S. A., Belém, B. L. M., de Sousa, I. N. A., Maciel, D. A., Maia, I. D. F. V. C., & Romero, N. R. (2021). Avaliação do conhecimento de pacientes de uma unidade de atenção primária à saúde acerca de medicamentos isentos de prescrição. Brazilian Journal of Health Review, 4(2), 6485-6501.

Moher, D., Liberati, A., Tetzlaff, J. & Altman, D.G. (2009). The PRISMA Group. Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses: The

Piecuch, A., Makarewicz-Wujec, M., & Kozłowska-Wojciechowska, M. (2017). Improving the provision of OTC medication information in community pharmacies in Poland. International journal of clinical pharmacy, 39(1), 70-77.

Rutter, P., & Wadesango, E. (2014). Does evidence drive pharmacist over‐the‐counter product recommendations?. Journal of evaluation in clinical practice, 20(4), 425-428.

Sinitox. (2012). Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas. Fundação Oswaldo Cruz.

Soterio, K. A., & dos Santos, M. A. (2016). A automedicação no Brasil e a importância do farmacêutico na orientação do uso racional de medicamentos de venda livre: uma revisão. Revista da Graduação, 9(2):https://repositorio.pucrs.br/dspace/handle/10923/12308 .

Published

27/09/2021

How to Cite

GUIMARÃES, P. H. D. .; PACHECO, R. P. .; MORAIS, Y. de J. . Pharmaceutical care and the use of Over-the-Counter Medications (MIPs). Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 12, p. e485101220405, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i12.20405. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/20405. Acesso em: 22 apr. 2024.

Issue

Section

Health Sciences