Use of assistive technology in zoological collections for practical learning in zoology teaching

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i13.20822

Keywords:

Inclusive education; Zoological collections; Assistive Technologies.; Inclusive education; Zoological collections; Assistive technologies.

Abstract

The 1988 Constitution establishes that education is a right of all and that education will be taught based on the principle of equal conditions for access and permanence in school. Thus, the main objective of this research was the elaboration of an instrument that would allow basic technical descriptions about some animal phyla deposited in zoology didactic collections for people with visual and/or hearing impairment. The result was the production of a book with information adapted through the following tools: Braille, QR Code and relief printing. All the contents of the book were made available in audio description files recorded on a CD Row. Therefore, the instrument was evaluated as the efficiency by applying a questionnaire to 10 (ten) high school students, being 6 (six) visually impaired and 4 (four) hearing impaired. It was observed that some drawings and structures more specific of the animals need to undergo few reformulations, but in general, the content was quite accepted and understood by the students. Whereas the book provided learning to the visually and hearing impaired, by promoting accessibility to the content of the zoological collection. It is also likely to provide greater equality in access to this knowledge during practical classes in which there are equivalent demands.

References

Araújo, D. P. (2008). Comitê de Ajudas Técnicas. Projeto Pró-Reabilitação. São Paulo, s.n. Disponível em: https://www.proreabilitacao.com.br/papo-cafezinho/demetrio-praxedes-araujo/comite-de-ajudas-tecnicas.

Araújo, J. A. (2020). Inclusão e Equidade nas Oportunidades de Ensino: O estudante surdo no contexto da educação inclusiva. Revista Educação, Artes e Inclusão. 15(2).

Azevedo, H., Figueiró, R., Alves, D. R., Vieira, V., Senna, A. R. (2012). O uso de coleções zoológicas como ferramenta didática no ensino superior: um relato de caso. Revista Práxis, (4), 43-48. Disponível em: http://revistas.unifoa.edu.br/index.php/praxis/article/view/548/512.

Benedito, E. (2015). Biologia e Ecologia dos Vertebrados. 1ª Ed. Rio de Janeiro, ROCA, p.259.

Brasil, Constituição Federal do. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF. Disponível em. Acesso em: << http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm.

Brasil, Ministério da Educação. (1996). Lei de diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm.

Brasil, Subsecretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência. (2009). Comitê de Ajudas Técnicas: Tecnologia Assistiva. Brasília, DF. 138 p. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm.

Brasil. Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005. (2005). Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, D.F. Disponível em:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/decreto/d5626.htm.

Brasil, Ministério da Educação. (1994). Declaração de Salamanca: Sobre princípios, políticas e práticas na área das necessidades educativas especiais. Brasília.

Brasil, Ministério da Educação. (2008). Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC.

Braille authority of north america [BANA]. (2010). Guidelines and standards for tactile graphics. Web Version. Disponível em: http://www.brailleauthority.org/tg/.

De Araújo, T. N. & Andre, B. P. (2019). Círculo Fluminense de Estudos Fisiológicos e Linguísticos. Revista Philologus, Rio de Janeiro, 25(25). Disponível em: http://www.filologia.org.br/rph/ANO25/73supl/completo.pdf.

Dümpel, R. G. (2011). Modelos de células interativos: facilitadores na compreensão das estruturas celulares e no processo de inclusão de indivíduos com necessidades visuais especiais. Dissertação (Mestrado) – Instituto Oswaldo Cruz, Mestrado Profissional em Ensino em Biociências e Saúde, Rio de Janeiro. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/6955/1/%20renata_dumpel_ioc_mest_2011.pdf.

Fransozo, A. & Fransozo, M. L. N. (2016). Zoologia dos Invertebrados. 1ª Edição. Zoologia dos Invertebrados. Rio de Janeiro: ROCA.

Galvão Filho, T. A. & Damasceno, L. L. (2006). Tecnologias assistivas para autonomia do aluno com necessidades educacionais especiais. Inclusão: Revista de Educação Especial, Brasília, 2. 25-32.

Gomes, P. C. & Minguili, M. G. (2014). Inclusão escolar na percepção de professores do município de Dois Córregos. Camine: Caminhos da Educação, São Paulo. 6. 1-29.

Ingenito, L. (2014). Curadoria de Coleções Zoológicas. In: III SIMPÓSIO SOBRE A BIODIVERSIDADE DA MATA ATLÂNTICA, n.1, Espírito Santo. Anais do Evento. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/281637570_III_SIMPOSIO_SOBRE_A_BIODIVERSIDADE_DA_MATA_ATLANTICA_2014_Minicurso_Curadoria_de_Colecoes_Zoologicas.

Jantsch, L. B., Souza, N. S., Fontana, D. G. R., Sarturi, F. & Silva, E. B. (2021). Acessibilidade à educação de crianças e adolescentes com deficiência que vivem em contextos rurais. Revista Educação Especial. Santa Maria. 34.

Lázaro, R. C. G. (2014). Deficiência Visual: Diversas são as formas e sintomas que caracterizam uma deficiência visual. Revista Instituto Benjamin Constant. Rio de Janeiro. Edição Especial. Disponível em: http://www.ibc.gov.br/index.php?catid=97&blogid=1&itemid=92.

Lima, F., Vieira, P., Rodrigues, E. & Passos, S. (2012). Arte, educação e inclusão: orientações para áudio descrição em museus. Sobre a Deficiência Visual. Coimbra. 1. Disponível em: http://www.deficienciavisual.pt/txt-AudioDescricao_Museus-orientacoes.htm.

Marandino, M., Selles, S. E. & Ferreira, M. S. (2009). Ensino de Biologia. 1ª ed. São Paulo: Cortez.

Maricato, H. S., Oliveira, W. D., Borges, M. F. & Diniz, J.L.M. (2007). In: XXIII CONGRESSO DE EDUCAÇÃO DO SUDOESTE GOIANO. A utilização da prática em zoologia através de coleções didáticas: Um recurso para a construção dos conhecimentos dos alunos no ensino Médio do município de Jataí – Goiás. Anais do evento. Universidade Federal de Goiás. Disponível em: https://pedagogia.jatai.ufg.br/p/18090-xxix-congresso-de-educacao-do-sudoeste-goiano-conade-2017-5-ed-nacional-e-2-ed-internacional.

ONU, Organização das Nações Unidas. (1994). Declaração Mundial de Educação para Todos e Plano de Ação para Satisfazer as Necessidades Básicas de Aprendizagem. Conferência Mundial sobre Educação para Necessidades Especiais, Salamanca (Espanha). Genebra: UNESCO.

Peixoto, A. L., Barbosa, M. R. V., Menezes, M. & Maia, L.C. (2006). In: EGLER, I. & SANTOS, M.M. (Coord.). Diretrizes e estratégias para a modernização de coleções biológicas brasileiras e a consolidação de sistemas integrados de informação sobre biodiversidade, Brasília: MCT/ CGEE, 145-182.

Pereira, D. V. O. (2011). Montagem da coleção didática de tubarões e raias com ocorrência no litoral sergipano para utilização em educação ambiental a partir de visitação e exposição. Revista Educação Ambiental. Aracaju, 1(37). Disponível em: http://boletim.sambio.org.br/pdf/38_4_04.pdf.

Pinheiro, M. S., Scopel, J. M. & Bordin, J. (2020). A importância de uma coleção didática de zoologia para a sensibilização ambiental dos ecossistemas costeiros. Caxias do Sul. Revista Scientia cum industrial. 8(1), 7-11. Disponível em: http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/scientiacumindustria/article/view/6956.

Pinto, L. L. A. & Pelosi, M. B. (2020). Livro em multiformatos: O espelho mágico. Revista Educação Especial. Santa Maria. 33. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/view/54666.

Prince, F. M. C. G. (2011). Ensino de Biologia para Surdos: Conquistas e desafios da atualidade. Trabalho de Conclusão de Curso. Curso de Ciências Biológicas, Universidade Presbiteriana Mackenzie. São Paulo.

Richter, E., Lenz, G., Hermel, E.E. S. & Güllich, R. I. C. (2017). Ensino de Zoologia: Concepções e Metodologias na Prática docente. Revista Ensino e Pesquisa, 15(1), 27-49.

Rosa, L., Luz, D., Mesquita, J. R. L. & Stuani, G. M. (2014). Estratégias de ensino de biologia para surdos em escola estadual da cidade de Chapecó – Santa Catarina. Revista da SBEnBio, 7. Disponível em: https://docplayer.com.br/15403612-Estrategias-de-ensino-de-biologia-para-surdos-em-escola-estadual-da-cidade-de-chapeco-santa-catarina.html.

Rosa, C. M., Viçosa, C. S. C. L., Folmer, V. & Salgueiro, A. C. F. (2020). Inclusão no ensino superior e o uso de Tecnologias Assistivas: uma avaliação com base nas percepções de discentes de literatura. Revista Educação Especial. Santa Maria. 33. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/view/41129.

Robledo, A. G., Capitango, P. & Ortega, L. R. (2015). Aulas práticas de botânica no Instituto Superior de Ciências de Educação do Huambo, Angola. Cuiabá. Revista da Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática. 1(3), 42-51. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/5305.

Sá Lima, M. A. C. (2017). Biologia. Mundo Educação. São Paulo. Disponível em: https://mundoeducacao.uol.com.br/biologia.

Sant’anna, N. F., Araujo, T. N., Lopes, V. C. S. & Delou, C. M. C. (2016). Microscopia óptica e eletrônica para deficientes visuais. Revista Benjamin Constant. Edição especial. Rio de Janeiro. 71-86. Disponível em: http://revista.ibc.gov.br/index.php/BC/article/view/341.

Sousa, L. R. M. & Sousa, C. E. B. (2020). Práticas docentes no ensino de ciências e biologia para alunos com deficiência visual: uma análise à luz da perspectiva inclusiva. Revista Educação, Artes e Inclusão. 16(3). Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/arteinclusao/article/view/15530/pdf.

Silva, A. D. C. & Finatto, M. J. B. (2018). Orientações básicas para a simplificação de um texto. Material em slides. Porto Alegre: UFRGS. Disponível em: http://www.ufrgs.br/textecc/acessibilidade/files/COMO_SIMPLIFICAR_2018_Asafe_Mjose2.pdf.

Silva, L. A. (2016). Coleção didática zoológica da Universidade estadual da Paraíba: Aspectos históricos e atuais. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas). Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande.

Vergara-nunes, E. (2016). Audiodescrição didática. Florianópolis, SC. Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina. Disponível em: http://guaiaca.ufpel.edu.br/bitstream/prefix/2884/1/Vergara-Nunes-tese.pdf.

Zehetmeyr, T. R. O., Ferreira Filha, R. C. M. & Nunes, E. V. (2015). Guia prático produção de audiodescrição didática. Guia Prático de Produções Didáticas. Rio de Janeiro. Disponível em: http://proedu.rnp.br/handle/123456789/939.

Published

03/10/2021

How to Cite

SILVA, N. C. da .; ANDRADE, F. A. G. de .; FERREIRA, J. E. V. . Use of assistive technology in zoological collections for practical learning in zoology teaching . Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 13, p. e24101320822, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i13.20822. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/20822. Acesso em: 4 dec. 2021.

Issue

Section

Education Sciences