Physiological quality of native seeds of corn and beans from small farmers in Ituiutaba-MG

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i13.20857

Keywords:

Traditional varieties; Physiological parameters; Emergence; Vigor.

Abstract

Corn (Zea mays L.) and common bean (Phaseolus vulgaris L.) arouse great agricultural interest in Brazil and worldwide, cowpea (Vigna unguiculata (L.) Walp.) and cowpea (Phaseolus lunatus L.) have adapted perfectly to the climate of the North/Northeast of Brazil. The objective of this work was to evaluate the physical and physiological quality of native corn and bean seeds from small farmers in Ituiutaba-MG. The experimental design was entirely randomized, with 6 varieties and 4 repetitions of 50 seeds. The evaluations occurred from the 4th to the 7th day for corn, 5th to the 8th day for cowpea and 5th to the 9th day for cowpea and cowpea, following the Rules for Seed Analysis. The following were analyzed: Thousand Seed Weight, Emergence Speed Index, Germination Speed Index, Germination Percentage, First Germination Count, Seedling Length, Sieve Retention, Fresh Biomass, Dry Biomass and Electrical Conductivity. The results were submitted to analysis of variance by Tukey's test at 5% probability of error. The varieties differed statistically for SMP, the cowpea showed higher SMP. For PR, no statistical differences were observed. Urban corn and commercial bean stood out for: EVI and %G. Rural and urban corn varieties did not differ statistically for PCG, IVG and %G; cowpea and commercial bean stood out for: PCG, IVG and %G. Corn varieties did not differ statistically for: CP, BS and CE. Cowpea presented the lowest mean for CP; cowpea and cowpea stand out for BF. The cowpea presented lower vigor for CE.

Author Biographies

Cleverson Matias dos Santos, Universidade do Estado de Minas Gerais

Engenheiro Agrônomo pela Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), Unidade de Ituiutaba

Departamento de Ciências Agrárias, DCA, UEMG.

Técnico em Saúde e Segurança do Trabalho

Bruno de Moraes Nunes, Universidade do Estado de Minas Gerais

Professor assistente IV da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), Unidade de Ituiutaba

Doutorando em Agronomia pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

Mestre em Microbiologia Agropecuária pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP)

Engenheiro Agrônomo pela Fundação Educacional de Ituiutaba (FEIT), Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), Unidade de Ituiutaba.

Josef Gastl Filho, Universidade Federal de Uberlândia

Mestrando em Agronomia pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Câmpus Glória

Engenheiro Agrônomo pela Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), Unidade de Ituiutaba

Anderson Aparecido da Silva, Universidade do Estado de Minas Gerais

Tecnólogo em Gestão Ambiental pela Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), Unidade de Ituiutaba

References

ABRASEM. (2013). Instrução Normativa n° 45, de 17 de setembro de 2013. http://www.abrasem.com.br/wp-content/uploads/2012/10/Instru%C3 %A7%C3%A3o-Normativa-n%C2%BA-45-de-17-de-Setembro-de-2013-Padr%C3%B5es-de-Identidade-e-Qualiidade-Prod-e-Comerc-de-Sementes-Grandes-Culturas-Republica%C3%A7%C3%A3o-DOU-20.09.13.pdf.

Advíncula, T. L., Nadai, F. B., Costa Nobre, D. A., Ferreira, B., Moller, É. N., Brandão Júnior, D. S. & Costa, C. A. (2015). Qualidade física e fisiológica de sementes de Phaseolus lunatus L. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, 10 (3), 341-346.

Almeida, C. S., Guariz, H. R., Pinto, M. A. B. & Almeida, M. F. (2020). Germination Of Creole Maize And Fava Bean Seeds Under Salt Stress. Rev. Caatinga [online], 33 (3), 853-859.

Amaro, H. T. R., David, A. M. S. S., Assis, M. O., Rodrigues, B. R. A., Cangussú, L. V. S. & Oliveira, M. B. (2015). Testes de vigor para avaliação da qualidade fisiológica de sementes de feijoeiro. Revista de Ciências Agrárias, 38 (3), 383-389.

Batista, N. A. S., Luz, P. B., Sobrinho, S. P., Neves, L. G. & Krause, W. (2012). Avaliação da qualidade fisiológica de sementes de feijão-caupi pelo teste de condutividade elétrica. Revista Ceres, 59 (1), 550-554.

Berto, T. S., Crisostomo, N. M. S., Ramos, M. G. C., Silva, C. L., Costa, E. A., Junior, J. L. A. M., Melo, L. D. F. A. & Neto, J. C. A. (2018). Qualidade Fisiológica De Sementes De Feijão Crioulo Proveniente De Diferentes Localidades. Ciência Agrícola, 16 (1), 13-17.

BRASIL - Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. (2009). Regras para análise de sementes. Mapa/ACS, 15-398.

Bueno, J. J. T. (2020). Qualidade De Sementes De Cultivares De Feijão Comum. Trabalho de conclusão de curso (Agronomia) - Instituto Federal Goiano, Campus Ceres, 1-34.

Chagas, J. T. B., Farias, J. E. C., Souza, R. F., Freitas Júnior, S. P. & Costa, M. G. S. (2018). Germinação E Vigor De Sementes Crioulas De Feijão-Caupi. Agrarian Academy, Centro Científico Conhecer - Goiânia, 5 (9), 487-498.

Coelho, S. V. B., Figueiredo, M. A., Clemente, A. C. S., Coelho, L. F. S. & Rosa, S. D. V. F. (2015). Alterações fisiológicas e bioquímicas em sementes de café secas em sílica gel e soluções salinas saturadas. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 50 (6), 483-491.

CONAB. (2020). Safra Brasileira de Grãos. https://www.conab.gov.br/info-agro/safras/graos

CONAB. (2021). Safra Brasileira de Grãos. https://www.conab.gov.br/info-agro/safras/graos

Costa, R. Q., Moreira, G. L. P., Soares, M. R. S., Vasconcelos, R. C. & Morais, O. M. (2013). Qualidade Fisiológica De Sementes De Milho Crioulo E Comerciais Semeadas Na Região Sudoeste Da Bahia. Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer - Goiânia, 9 (16), 1873 -1880.

Crisostomo, N. M. S., Costa, E. A., Silva, C. L., Berto, T. S., Ramos, M. G. C., Junior, J. L. A. M., Melo, L. D. F. & Neto, J. C. A. (2018). Qualidade fisiológica de sementes de milho crioulo proveniente de diferentes localidades. Revista Craibeiras de Agroecologia, 3 (1), e6555.

Derre, L. O., Daltoé, J. A., Sarubo, V. & Abrantes, F. L. (2017). Influência Do Tamanho De Sementes Na Germinação E Vigor Inicial Da SojA (Glycine max). Colloquium Agrariae, 13 (1), 100-107.

Feitosa, B. E. S., Corrêa, M. L. P., Félix, J. P. S. & Silva, P. B. (2018). Sanidade e germinação de sementes de variedades crioulas de milho armazenadas por agricultores familiares no município de Belterra-Pará. Cadernos de Agroecologia, 13 (1), 1-5.

Ferreira, D. F. (2011). Sisvar: A computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia, 35 (6), 1039-1042.

Firmino, C. W. S. R. (2017). Emergência E Vigor De Cultivares De Feijão-Caupi. Trabalho de conclusão de curso (Agronomia) - Universidade Federal Rural do Semi-Árido, CCA, Departamento de Ciências Agronômicas e Florestais, Mossoró, 1-28.

Franzin, S. M., Menezes, N. L., Garcia, D. C. & Wrasse, C. F. (2004). Métodos para avaliação do potencial fisiológico de sementes de alface. Revista Brasileira de Sementes, 26, 63-69.

Garcindo, L. (2009). O Cultivo De Sementes Crioulas No Sudeste Goiano: Uma Forma Da (Re)Existência Camponesa No Campo. UFG/Campus Catalão. Artigo apresentado no: XIX Encontro Nacional De Geografia Agrária, 1-17.

Gondim, T. C. O., Rocha, V. S., Santos, M. M. & Miranda, G. V. (2006). Avaliação da qualidade fisiológica de sementes de milho-crioulo sob estresse causado por baixo nível de nitrogênio. Revista Ceres, 53 (307), 4013-417.

Guedes, S. R., Alves, E. U., Santos-Moura, S. S. & Galindo, E. A. (2015). Teste de comprimento de plântula na avaliação da qualidade ¿siológica de sementes de Amburana cearensis (Allemão) A.C. Smith. Semina: Ciências Agrárias, 36 (4), 2373-2382.

IBGE. (2020). Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. https://sidra.ibge.gov.br/tabela/1618

Limão, M. A. R. (2019). Caracterização Da Qualidade De Sementes De Variedades Crioulas De Milho (Zea mays L.). Trabalho de conclusão de curso (Agronomia) – Universidade Federal de Campina Grande (CCTA), 1-63.

Londres, F. (2014). As sementes da paixão e as políticas de distribuição de sementes na Paraíba. AS-PTA, 83 p.

Ludwig, M. P., Lucca Filho, O. A., Baudet, L., Dutra, L. M. C., Avelar, S. A. G. & Crizel, R. L. (2011). Qualidade De Sementes De Soja Armazenadas Após Recobrimento Com Aminoácido, Polímero, Fungicida E Inseticida. Revista Brasileira de Sementes, 33 (3), 395-406.

Maguire, J. D. (1962). Speed of germination-aid selection and evaluation for seedling emergence and vigor. Crop Science, 2, 176-177.

Maia, A. F., Assunção, M. V. & Alves, J. F. (1986). Influência do método de debulha e da umidade na produção de sementes de feijão de corda. Ciência Agronômica, 17 (2), 91-100.

Marcos Filho, J. (1999). Testes de vigor: importância e utilização. In: Krzyzanowski, F. C., Vieira, R. D. & França Neto, J. B. (Eds.). Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: ABRATES. 21 p.

Menezes, A. C. P., Jesus, R. M., Santos, E. N., Didolanvi, O. D. & Santana, C. V. S. (2020). Potencial fisiológico de sementes de milho armazenadas por pequenos agricultores no município de Euclides da Cunha/BA. Cadernos de Agroecologia - Anais do XI Congresso Brasileiro de Agroecologia, 15 (2), 1-5.

Miranda, G. V., Caniato, F. F., Fidelis, R. R., Araújo, E. F., Souza, L. V. & Doná, A. A. (2003). Qualidade fisiológica de sementes de populações de milho crioulo da zona da mata de Minas Gerais. Revista Ceres, 50 (289), 337-345.

Nakagawa, J. (1999). Testes de vigor baseado no desempenho de plântulas. In: Kryzanowski, F. C., Vieira, R. D. & França Neto, J. B. (ed.). Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: Abrates. cap. 2, 1-2.

Nascimento, M. G. R. (2020). Aspectos Genéticos E Qualidade Fisiológica De Sementes Crioulas De Phaseolus lunatus L. Tese (Doutorado em Agronomia) - Universidade Federal da Paraíba, CCA, PPGA, 1-135.

Oliveira, F. N., Torres, S. B. & Bebedito, C. P. (2011). Caracterização Botânica E Agronômica De Acessos De Feijão-Fava, Em Mossoró, RN. Revista Caatinga, 24 (1), 143-148.

Padua, G. P., Zito, R. K., Arantes, N. E. & França Neto, J. B. (2010). Influência do tamanho da semente na qualidade fisiológica e na produtividade da cultura da soja. Revista Brasileira de Sementes, 32 (3), 9-16.

Pereira, A. P. (2020). Caracterização De Sementes Crioulas Do Alto Sertão Sergipano. Trabalho de Conclusão de Curso (Engenharia Agronômica) - Universidade Federal de Sergipe, 1-54.

Pinho, A. C. & Cunha, P. S. J. (2019). Avaliação Da Qualidade Fisiológica De Sementes De Feijão-Caupi (Vigna unguiculata (L.) Walp.). Trabalho de conclusão de curso (Agronomia) - Universidade Federal Rural da Amazônia, 1-36.

Queiroz, T. N., Valiguzski, A. L., Braga, C. S., Souza, S. A. M. & Rocha, A. M. (2019). Avaliação da qualidade fisiológica de sementes de variedades tradicionais de milho. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, 17 (1).

Ramos, K. M. O., Felfili, J. M., Faggi, C. W., Souza-Silva, J. C. & Franco, A. C. (2004). Crescimento inicial e repartição da biomassa de Amburana cearensis (Allemao) A. C. Smith. Em diferentes condições de sombreamento. Acta Botânica Brasílica, 1 (18), 351- 358.

Rocha, G. P., Silva, N. C., Dourado, E. R., Teixeira, M. S., Junior, D. B. & Bramdão, G. S. (2009). Qualidade fisiológica de sementes de milho (Zea mays) e Sorgo (Sorghum bicolor) crioulos produzidas nos campos de sementes de agricultores (as) familiares de Porteirinha, Norte de Minas Gerais. Revista Brasileira de Agroecologia, 4 (2).

Rosa, C. C. (2020). Qualidade Fisiológica De Sementes De Milho Submetidas A Tratamento Químico E Bioestimulantes. Dissertação (Mestrado Em Agronomia), Universidade De Brasília, 1-54.

Sa, M. E., Oliveira, S. A. & Bertolin, D. C. (2011). Roteiro Prático Da Disciplina De Produção E Tecnologia De Sementes: análise da qualidade de sementes. São Paulo: Cultura Acadêmica. 112 p.

Santos, J. A. (2015). Avaliação Da Qualidade Física E Fisiológica De Sementes De Milho Adubado Com Resíduos Avícolas. Dissertação (Mestrado em Fitotecnia) - Universidade Federal de Viçosa, PPGF, 1-67.

Santos, M. P., Vale, L. S. R., Reges, N. P. R. & Carvalho, B. M. (2015). Desempenho De Sementes De Quatro Cultivares De Feijão (Phaseolus vulgaris L.) Na Microregião De CERES - GO. Global Science and Technology, 8 (3), 41-49.

Schafranski, B. P., Morais, G. I. & Carvalho, T. C. de. (2019). Efeito do estresse salino em sementes de feijão dos grupos comerciais carioca e preto. Applied Research & Agrotechnology, 12 (3), 17-30.

Sena, D. V. A., Alves, E. U. & Medeiros, D. S. (2015). Vigor tests to evaluate yhe physiological quality of corn seeds cv. “Sertanejo”. Ciência Rural, 47 (3), 1-7.

Silva, A. L., Silva, J. F., Almeida, F. A. C., Gomes, J. P., Alves, N. M. C. & Araujo, D. R. (2012). Qualidade fisiológica e controle de sementes de milho tratadas com Piper nigrum. Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, 14, 131-142.

Silva, F. A., Silva, J. R. A., Meireles, D. A., Fraga, V. S. & Oliveira, M. R. T. (2016). Características Tecnológicas De Variedades De Feijão Macassar Cultivados Em Região Semiárida Paraibana. Anais I CONIDIS... https://www.editorarealize.com.br/index.php/artigo/visualizar/23608

Silva, F. H. A., Nascimento, S. R. C., Torres, S. B., Oliveira, J. R., Alves, T. R. C. & Negreiros, A. M. P. (2019). Qualidade sanitária de sementes salvas de feijão-caupi utilizadas pelos agricultores do Rio Grande Norte. Revista de Ciências Agrárias - Amazonian Journal of Agricultural and Environmental Sciences, 59 (1), 60-65.

Silva, F. S., Porto, A. G., PascualI, L. C. & Silva, S. T. C. (2010). Viabilidade do armazenamento de sementes em diferentes embalagens para pequenas propriedades rurais. Revista de Ciências Agro-Ambientais, 8 (1), 45- 56.

Silva, K. C. N. (2020). Avaliação Do Vigor De Sementes Crioulas De Milho (Zea mays L.) Utilizando Testes Tradicionais E Análise De IMAGENS. Dissertação (Mestrado em Ambiente, Tecnologia e Sociedade) - Universidade Federal Rural do Semi-Árido (PPGATS), 1-53.

Silva, R. T. (2017). Qualidade fisiológica de sementes crioulas de Fabaceae. Trabalho de Conclusão de Curso (Agronomia) - Universidade Federal da Paraíba (CCA/UFPB), 1-45.

Silva, G. C., Gomes, D. P., Kronka, A. Z. & Moraes, M. H. (2008). Qualidade fisiológica e sanitária de sementes de feijoeiro (Phaseolus vulgaris L.) provenientes do estado de Goiás. Semina: Ciências Agrárias, 29 (1), 29-34.

Silveira, M. A. M., Villela, F. A. & Tillmann, M. A. A. (2002). Comparação de métodos para avaliação da qualidade fisiológica em sementes de calêndula. Revista Brasileira de Sementes, 24 (2), 24-30.

Tavares, C. J., Araújo, A. C. F., Jakelaitis, A., Resende, O., Sales, J. F. & Freitas, M. A. M. (2015). Qualidade de sementes de feijão-azuki dessecadas com saflufenacil e submetidas ao armazenamento. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 19 (12), 1197-1202.

Vazquez, G. H., Arf, O., Sargi, B. A. & Pessoa, A. C. O. (2012). Influência do tamanho e da forma da semente de milho sobre o desenvolvimento da planta e a produtividade da planta e a produtividade de grãos. Bioscience Journal, 28 (1), 16-24.

Vieira, R. D. & Krzyzanowski, F. C. (1999). Teste de condutividade elétrica. In: Krzyzanowski, F. C., Vieira, R. D. & França Neto, J. B. (Ed.). Vigor de sementes: conceitos e testes. ABRATES, 1-26.

Published

04/10/2021

How to Cite

SANTOS, C. M. dos; NUNES, B. de M.; GASTL FILHO, J.; SILVA, A. A. da. Physiological quality of native seeds of corn and beans from small farmers in Ituiutaba-MG. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 13, p. e47101320857, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i13.20857. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/20857. Acesso em: 2 dec. 2021.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences