Analysis of the safety profile of herbal medicines in Brazil: literature review

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i13.20888

Keywords:

Security; Herbal Medicines; Brazil.

Abstract

Herbal medicines have a long history of traditional use in Brazil, however most do not have proven efficacy and safety. The general objective of this research was to analyze the safety profile of herbal medicines in Brazil. This study is justified by the lack of elucidation about the safety of using these products, since some manufacturers of herbal medicines do not have the necessary resources to finance research that support them. The current study was developed through bibliographic research, descriptive, using works from the last ten years, with a search in databases such as Lilacs, SciELO and PubMed, using the keywords: security, herbal medicines and Brazil. The results demonstrate the lack of quality control, mainly microbiological for herbal medicines, and the loosening of inspections in the industry responsible for their production. Thus, there is a need for further studies on herbal medicines, as well as expansion of safety and inspection measures that support them so that the expansion of their applicability is greater, and thus, the therapeutic approach adopted is effective, ensuring less side and adverse effects, as well as preserving user safety.

References

Angonesi, D., & Sevalho, G. (2010). Atenção Farmacêutica: fundamentação conceitual e crítica para um modelo brasileiro. Ciência & Saúde Coletiva, 15(3), 3603–3614.

ANVISA. Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (2011). Resolução da diretoria colegiada - RDC nº 24, de 14 de junho de 2011.

Araujo, W. R. M., Silva, R. V., Barros, C. da S., & Amaral, F. M. M. do. (2014). Inserção da fitoterapia em unidades de saúde da família de São Luís, Maranhão: realidade, desafios e estratégias. Revista Brasileira De Medicina De Família E Comunidade, 9(32), 258–263.

Bruning, M. C. R., Mosegui, G. B. G., & Vianna, C. M. M. (2012). A utilização da fitoterapia e de plantas medicinais em unidades básicas de saúde nos municípios de Cascavel e Foz do Iguaçu – Paraná: a visão dos profissionais de saúde. Ciência & Saúde Coletiva, 17(10), 2675–2685.

Cantarelli, AP. (2012). Estudo da utilização de plantas medicinais pelos usuários do SUS e das práticas dos profissionais de saúde de doutor Maurício Cardoso em relação à fitoterapia. Monografia, Curso de especialização em Gestão em Saúde/ UAB. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Três Passos, Brasil.

Carvalho, L. O. L. de., Reis, T. S. dos, Quemel, G. K. C., Moysés, D. de A. ., Galucio, N. C. da R. ., & Correa, R. M. dos S. (2021). Pharmaceutical care in the use of medicinal plants with anti-hypertensive action in the elderly. Research, Society and Development, 10(9), e18010917793.

Duarte-Almeida, J. M., Tabach, R., Kato, E. T. M., Carlini, E. A., Negri, G., Sousa, B. J. M., Carvalho, A. C. B., & Soares, J. (2021). Boletim Planfavi - Sistema de Farmacovigilância em Plantas Medicinais.

Dutra, M. G. (2009). Plantas medicinais, fitoterápicos e saúde pública: um diagnóstico situacional em Anápolis, Goiás. Dissertação de mestrado, Programa de pós-graduação em Sociedade, Tecnologia e Meio Ambiente – Centro Universitário de Anápolis – UniEvangélica, Brasil.

Figueiredo, C. A. D., Gurgel, I. G. D., & Gurgel Junior, G. D. (2014). A Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos: construção, perspectivas e desafios. Physis: Revista de Saúde Coletiva, 24(2), 381–400.

Fontenele, R. P., Sousa, D. M. P., Carvalho, A. L. M., & Oliveira, F. A. (2013). Fitoterapia na Atenção Básica: olhares dos gestores e profissionais da Estratégia Saúde da Família de Teresina (PI). Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 18(8), 2385–2394.

Leite, S. R., Amorim, M. M., Sereno, P. F., Leite, T. N., Ferreira, J. A., & Ximenes, R. A. (2011). Randomized clinical trial comparing the efficacy of the vaginal use of metronidazole with a Brazilian pepper tree (Schinus) extract for the treatment of bacterial vaginosis. Brazilian journal of medical and biological research = Revista brasileira de pesquisas medicas e biologicas, 44(3), 245–252.

Oliveira, S. G. D., Moura, F. R. R., Demarco, F. F., Nascente, O. S., Pino, F. A. B., Lund, R.G. (2012). An ethnomedicinal survey on phytotherapy with professionals and patients from Basic Care Units in the Brazilian Unified Health System. J Ethnopharmacol 2012; 140(2):428-437.

Pereira A. S. et al. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [free e-book]. Santa Maria/RS. Ed. UAB/NTE/UFSM.

Ribeiro, K. S., & Guimarães, A. L. A. (2013). O uso de medicamentos à base de plantas medicinais por médicos do SUS no município de Teresópolis/RJ. Revista Agrogeoambiental, 1(1), 61–65.

Rosa, C., Câmara, S. G., & Béria, J. U. (2011). Representações e intenção de uso da fitoterapia na atenção básica à saúde. Ciência & Saúde Coletiva, 16(1), 311–318.

Santos, R. L., Guimaraes, G. P., Nobre, M. S. C., & Portela, A. S. (2014). Análise sobre a fitoterapia como prática integrativa no Sistema Único de Saúde. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, 13(4), 486–491.

Sharma, A. K., Kumar, R., Mishra, A., & Gupta, R. (2010). Problems associated with clinical trials of Ayurvedic medicines. Revista Brasileira de Farmacognosia, 20(2), 276–281.

Silva, A. I. (2013). Aspectos da produção científica da vigilância sanitária de medicamentos. Dissertação de Mestrado, Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Silva, E. R. B., Bandeira, V. A. C., & Oliveira, K. R. (2012). Avaliação das prescrições dispensadas em uma farmácia comunitária no município de São Luiz Gonzaga – RS. Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada, 12(2), 275–281.

Silveira, P. F., Bandeira, M. A. M., & Arrais, P. S. D. (2008). Pharmacovigilance and adverse reactions to the medicinal plants and herbal drugs: a reality. Revista Brasileira de Farmacognosia, 18(4), 618–626.

Teixeira, S. S. T. C. (2013). Medicamentos fitoterápicos e drogas vegetais industrializados e oficializados pelo Ministério da Saúde no Brasil: regulamentação sanitária, abrangência e qualidade dos estudos pré-clínicos e clínicos. Doutorado em Saúde Pública, Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, Brasil.

Thiago, S. C. S., & Tesser, C. D. (2011). Percepção de médicos e enfermeiros da Estratégia de Saúde da Família sobre terapias complementares. Revista de Saúde Pública, 45(2), 249–257.

Varela, D. S. S., & Azevedo, D. M. (2014). Saberes e práticas fitoterápicas de médicos na estratégia saúde da família. Trabalho, Educação e Saúde, 12(2), 273–290.

Vieira, S. C. H., Sólon, S., Vieira, M.C., & Zárate, N. A. H. (2010). Levantamento de fitoterápicos manipulados em farmácias magistrais de Dourados-MS. Revista Brasileira de Farmacognosia, 20(1), 28–34.

Published

09/10/2021

How to Cite

GALUCIO, N. C. da R. .; CORREA, R. M. dos S.; MOYSÉS, D. de A. .; PAIXÃO, P. M. F. .; PINA , J. R. S. .; QUEMEL, G. K. C.; VALE , V. V. . Analysis of the safety profile of herbal medicines in Brazil: literature review. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 13, p. e159101320888, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i13.20888. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/20888. Acesso em: 2 dec. 2021.

Issue

Section

Health Sciences