The quilombola territory in communities in the interior of Brazilian Northeast: preliminary socioeconomic and structural characterization

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i13.20899

Keywords:

Traditional community; Territoriality; Social and economic conditions.

Abstract

The remnants of the quilombola communities are racial-ethnic groups, which have increasingly created new spaces for debate, through organizations, political representations, and movements in society in general. This article aims to characterise the Quilombola territory in the town of Caxias, Maranhão State, across the three communities: Jenipapo, Olho d'água do Raposo and Usina Velha. The study population consisted of 663 residents from the three communities, where the information available in the Ministry of Social Development database was analyzed. Aspects related to the population profile of the three communities, their homes, socio-economic conditions, and family sanitation were described. The findings suggest the implementation of public policies and strategies for improving the quality of life of the local population and reducing the vulnerability of quilombolas.

Author Biographies

Luciana Batista Lima, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão

Professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão - IFMA, Campus Zé Doca e Campus Caxias. Mestra em Des. e Meio Ambiente, Doutoranda em Des. e Meio Ambiente - UFPI. Especialista em Segurança do Trabalho e Graduação em Engenharia de Agrimensura. Pesquisadora na área de Ciências Ambientais, Habitação, Expansão Urbana, Saúde e Segurança do Trabalho, assentamentos humanos rurais e agroecologia. Experiência Docente em Ensino Superior, com disciplinas relacionadas à Segurança do Trabalho, Gestão Ambiental, Metodologia da Pesquisa Científica, Estatística aplicada a Educação, Elaboração de Programas e Projetos. Consultora de projetos voltados a desenvolvimento humano educação ambiental, educação e agroecologia. Coordenação de Projetos de Politicas Públicas e Desenvolvimento. Experiência em Comitê de Ética em Pesquisa, instrutoria na área de gestão, empreendedorismo e formação básica profissional. Orientadora de pesquisas na Área de Ciencias Exatas, Tecnológicas e Sociais Aplicadas.

Douglas Rafael e Silva Barbosa, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão

Possui graduação em Licenciatura Plena Em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual do Piauí (2007), Bacharelado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Piauí (2007), Mestrado em Agronomia/Produção Vegetal pela Universidade Federal do Piauí (2010) e Doutorado em Entomologia Agrícola na Universidade Federal Rural de Pernambuco (2015). Atualmente é professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão/Campus Codó e Docente Permanente do Programa de Pós-Graduação em Agronomia da Universidade Federal do Piauí. Tem experiência na área de Entomologia e Acarologia, atuando principalmente no controle de pragas com uso de produtos naturais.

References

AMORIM, M. M.; TOMAZ, L; SILVA, R. A. A. da; GESTINARI, R. de S.; FIGUEIREDO, T. B. Avaliação das condições habitacionais e de saúde da comunidade quilombola boqueirão, Bahia, Brasil. Biosci. J., Uberlândia, v. 29, n. 4, p. 1049-1057, Jul/Aug. 2013

ANDRADE, J. S. Capacidade de autocuidado em saúde na população negra quilombola. Revista Ciência e Saberes. Out-Dez; 2(4):291-296, 2016.

BEZERRA, et al. Inquérito de Saúde em Comunidades Quilombolas de Vitória da Conquista, Bahia, Brasil (Projeto COMQUISTA): aspectos metodológicos e análise descritiva. Ciência & Saúde Coletiva, 19(6):1835-1847, 2014

BRASIL. Banco de dados do cadastro único para programas sociais. Ministério do Desenvolvimento Social. 2020.

BRASIL. Presidência da República. Casa civil. Decreto no. 4886, de 20 de novembro de 2003.

BRASIL. Presidência da República. Casa civil. Decreto no. 4887, de 20 de novembro de 2003.

BRASIL, Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

CAXIAS. Lei Municipal nº 1.637, que institui o Plano Diretor do Município de Caxias. 2006.

CHIAVEGATTO FILHO; A.D.P., LAURENTI R. Disparidades étnico-raciais em saúde autoavaliada: análise multinível de 2.697 indivíduos residentes em 145 municípios brasileiros. Cadernos de Saúde Pública; 29:1572-82, 2013

FREITAS, I. A. de, RODRIGUES, I. L. A.; SILVA, I. F. S. da; NOGUEIRA, L. M. V. Perfil sociodemográfico e epidemiológico de uma comunidade quilombola na Amazônia Brasileira. Rev Cuid. 2018; 9(2): 2187-200.

GAIOSO, A. V. (Coord.) Projeto nova cartografia social da Amazônia. Quilombolas de Caxias do Maranhão. Série: Movimentos sociais, identidade coletiva e conflitos. 2006.

HAESBAERT. R. Território e multiterritorialidade: um debate. Revista geografia, Ano IX - No 17 - 2007

KABAD, J.F.; BASTOS, J.L.; SANTOS, R.V. Raça, cor e etnia em estudos epidemiológicos sobre populações brasileiras: revisão sistemática na base PubMed. Physis Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 22 [ 3 ]: 895-918, 2012

KOCHERGIN, C. N.; PROIETT, F. A.; CÉSAR, C. C. Comunidades quilombolas de Vitória da Conquista, Bahia, Brasil: autoavaliação de saúde e fatores associados. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, 30(7):1487-1501, jul, 2014.

LACERDA, R. dos S.; MENDES, G. Territorialidades, saúde e ambiente: conexões, saberes e práticas quilombolas em Sergipe, Brasil. Sustentabilidade em Debate. Brasília, v. 9, n.1, p. 107-120, abr.2018.

LANDIM et al. (In) segurança alimentar e nutricional em comunidade remanescente de quilombolas Caxias-Ma. Revista Eletrônica Acervo Saúde, Vol. Sup. 4, S-156-162, 2016.

LIMA FILHO, P. M.; SILVEIRA, F. L. A. da, CARDOSO, L. F. C. e. O desfile da raça: identidade e luta quilombola em Salvaterra, ilha do Marajó, Pará. Revista Ambivalências V.4, N.7, p. 87-105, Jan-Jun/2016.

LIMA, L. B. Sobre o ordenamento agrária na região leste maranhense. IN: ALVARENGA, A. V. M.; LANDO, G. A. (Org.). Tópicos em Direito: reflexões e desafios na contemporaneidade. São Paulo: Ed. Max Limonad, 2014.

MAIA, Joseane. Herança quilombola maranhense: história e estórias. São Paulo: Paulinas, 2012.

MARTINS et al, 2012. Dossier dos conflitos e ameaças de morte contra quilombolas do maranhão IN: Quilombolas: reivindicações e judicialização dos conflitos. ALMEIDA, A. W. B. de, et al. Manaus: UEA Edições, 2012.

NACIMENTO, F. S do. Estado sociodemográfico e condição de saúde de crianças remanescentes de quilombo. Revista Ciência e Saberes. Out-Dez; 2(4):279-284. 2016.

NASCIMENTO, J. de M.; CONCEIÇÃO, G. M. da,. Plantas medicinais e indicações terapêuticas da comunidade quilombola Olho D’água do Raposo, Caxias, Maranhão, Brasil. Revista de Biologia e Farmácia, BIOFAR. Vol, 6, N, 2, 2011.

PAIXÃO, R. M. M. Reflexões sobre os quilombos e as mobilizações no Maranhão. In: MARTINS, C. C. CANTANHEDE FILHO, A.; GAIOSO, A. V.; ARAÚJO, H. de F. A. (Org.) Insurreição de saberes: práticas de pesquisa em comunidades tradicionais. Manaus: UEA, 2011.

RANGEL, D. L. de O., et al. Perfil parasitológico de moradores de uma comunidade quilombola. Acta Paul Enferm. 27(6):513-9, 2014.

RIBEIRO, A. F. A.; SILVA, R. G. da C.; CORRÊA, S. da S. Geografia da soja em Rondônia: monopolização do território, regionalização e conflitos territoriais. Campo-território: revista de geografia agrária, v. 10, n. 20, p. 180-201, jul., 2015.

SETTI, A. F. F; RIBEIRO, H; AZEITEIRO, U. M.; GALLO, E. Governance and the promotion of sustainable and healthy territories: the experience of Bocaina, Brazil. Journal of Integrated Coastal Zone Management. 16(1):57-69, 2016.

SILVA, R. B. L. e; FREITAS, J. da L.; SANTOS, J. U. M. dos; SOUTO, R. N. P. Caracterização agroecológica e socioeconômica dos moradores da comunidade quilombola do Curiaú, Macapá-AP, Brasil. Revista Biota Amazônia, Macapá, v. 3, n. 3, p. 113-138, 2013.

SILVA; G. S. da; SILVA, V. J. da,. Quilombos brasileiros: alguns aspectos da trajetória do

negro no Brasil. Revista Mosaico, v. 7, n. 2, p. 191-200, jul./dez. 2014.

SOUSA, M. S. R. de; SANTOS, J. J. F. dos. Territorialidade quilombola e trabalho: relação não dicotômica cultura e natureza. Revista Katális, Florianópolis, v. 22, n. 1, p. 201-209, jan./abr. 2019.

Published

18/10/2021

How to Cite

LIMA, L. B. .; MELO, A. F. de .; BARBOSA, D. R. e S. The quilombola territory in communities in the interior of Brazilian Northeast: preliminary socioeconomic and structural characterization. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 13, p. e452101320899, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i13.20899. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/20899. Acesso em: 8 dec. 2021.

Issue

Section

Human and Social Sciences