Knowledge of health professionals about occupational accidents in the workplace

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i12.20922

Keywords:

Health team; Occupational risks; Knowledge.

Abstract

The hospital work environment is considered unhealthy, as it groups patients with various infectious and contagious diseases and enables many procedures that pose risks of accidents and illnesses for health workers. Given this context, this study aimed to know the knowledge of health professionals about occupational accidents in the workplace. For this, a descriptive, exploratory study with a quantitative approach was carried out. The research was carried out at the General Hospital of the Municipality of Bacabal-MA. A questionnaire containing 19 questions was applied to health professionals who work at the General Hospital of the Municipality of Bacabal-MA, data were submitted to simple percentages. 44 professionals participated, being 33 nursing technicians, 1 pharmacist, 1 social worker and 9 nurses, of which 75% were female, the age among the research participants ranged from 23 to 58 years. The present study showed that most research participants had worked at the institution for less than 10 years, 88.6% said yes, they know what work accidents are, 6.8% know about partial formalities, 38.32% considered work accident that with sharp materials, 45.45% said they had suffered some type of work accident. Therefore, it is noteworthy that training in worker health about the risks, prevention and notification of these injuries are capable of favoring a considerable reduction in the rates of occupational accidents.

References

Almeida, M. C. M. D., Canini, S. R. M. D. S., Reis, R. K., Toffano, S. E. M., Pereira, F. M. V., & Gir, E. (2015). Seguimento clínico de profissionais e estudantes da área de saúde expostos a material biológico potencialmente contaminado. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 49 , 0259-0264.

Alves, A. P., Ferreira, M. D., Prearo, M. F., Gir, E., & da Silva Canini, S. R. M. (2013). Subnotificação de acidentes ocupacionais com material biológico pela enfermagem no bloco cirúrgico. Revista Eletrônica de Enfermagem, 15(2), 375-81.

Amorim, L. D. A., Silva, T. L., Faria, H. P. D., Machado, J. M. H., & Dias, E. C. (2017). Vigilância em saúde do trabalhador na atenção básica: aprendizagens com as equipes de saúde da família de João Pessoa, Paraíba, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 22, 3403-3413.

Anjos C., R., & de Oliveira S., N. V. D. (2012). Riscos ocupacionais enfrentados pelo trabalhador de enfermagem no setor de hemodiálise. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online, 4 (4), 2755-2764.

Cunha, N. D. O. D., & Santos, C. M. F. D. (2015). Biossegurança: um enfoque no código de ética dos profissionais de enfermagem.

Azevedo G., E. A., Araújo, G. D., Bezerra, R., da Silveira, R. C., & de Oliveira, V. C. (2011). Percepção de técnicos de enfermagem sobre o uso de equipamentos de proteção individual em um serviço de urgência. Ciencia y Enfermería, 17(3), 113-123.

Azevedo, R. G., Vieira, C. B., Moraes, H. A. B., & de Siqueira, M. M. (2016). Políticas de Saúde e Segurança do Trabalhador no Estado do Espírito Santo, Brasil. Revista Brasileira de Pesquisa em Saúde / Revista Brasileira de Pesquisa em Saúde , 18 (1), 68-76.

Bakke, H. A., & Araújo, N. M. C. D. (2010). Acidentes de trabalho com profissionais de saúde de um hospital universitário. Production, 20, 669-676.

Barboza, M. C. N., Almeida, M. D. S., Rodeghiero, J. B. H., Louro, V. A., Bernardes, L. S., & Rocha, I. C. (2016). riscos biológico e adesão a equipamentos de proteção individual: percepção da equipe de enfermagem hospitalar/biological risks and adherence to personal protective equipment: perceptions of hospital nursing staff. Revista de Pesquisa em Saúde, 17(2).

Brand, C. I., & Fontana, R. T. (2014). Biossegurança na perspectiva da equipe de enfermagem de Unidades de Tratamento Intensivo. Revista Brasileira de Enfermagem, 67, 78-84.

Brasil. 2018. Resolução nº 510, de 07 de abril de 2016, Conselho Nacional de Saúde. http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2016/Reso510.pdf. Acesso: 18 de Maio de 2018.

Bettega, R. P. O papel do médico do trabalho: suas atribuições nos SESMT e PCMSO.

Caixeta, R. D. B., & Barbosa-Branco, A. (2005). Acidente de trabalho, com material biológico, em profissionais de saúde de hospitais públicos do Distrito Federal, Brasil, 2002/2003. Cadernos de Saúde Pública, 21, 737-746.

Camisassa, M. Q. (2016). Segurança e saúde no trabalho: NRs 1 a 36 comentadas e descomplicadas. rev. e atual. Rio de Janeiro: Forense.

Carvalho, L., dos Santos, J. D., Silveira, F. S., de Almeida, D. M., Martins, L. A., Gasques, A. C. F., & da Silva, T. (2017). Avaliação qualiquantitativa dos riscos existentes em uma oficina mecânica localizada em Campo Mourão/PR. Tecno-Lógica, 21(2), 108-115.

Castro, C. S. L., Santos, E. F. C., Silva, N. A (2017). Uma análise de segurança e condições de trabalho dos colaboradores da empresa Friobom de Bacabal-MA. Bacabal-MA, pag. 1-25.

Cavalcante, C. A. A., Cossi, M. S., de Oliveira Costa, R. R., de Medeiros, S. M., & de Menezes, R. M. P. (2015). Análise crítica dos acidentes de trabalho no Brasil. Revista de Atenção à Saúde (ISSN 2359-4330), 13(44), 100-109.

Cisz, C. R. (2015). Conscientização do uso de EPI’S, quanto à segurança pessoal e coletiva.

Costa, A. B. D. M. (2018). Verificação do atendimento às normas regulamentadoras em obras de construção na cidade de Mossoró-RN.

Dias, F. L. A., Pinheiro, P. N. D. C., & Barroso, M. G. T. (2006). Perfil dos profissionais de enfermagem que se acidentam com materiais perfurocortantes no seu ambiente de trabalho. Rev Rene, 7(3), 9-14.

Farias, G. D. S., & Oliveira, C. D. S. (2012). riscos ocupacionais relacionados aos profissionais de enfermagem na UTI: uma revisão. Braz J Health, 3(1), 1-12.

Ferreira, M. D., Pimenta, F. R., Facchin, L. T., Gir, E., & da Silva Canini, S. R. M. (2015). Subnotificação de acidentes biológicos pela enfermagem de um hospital universitário. Ciencia y enfermeria, 21(2), 21-29.

Freire, M. N., & Costa, E. R. (2016). Qualidade de vida dos profissionais de enfermagem no ambiente de trabalho. Revista enfermagem contemporânea, 5(1).

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa (Vol. 4, p. 175). São Paulo: Atlas.

Hinterholz, B. (2013). Análise acerca da percepção sobre os riscos no trabalho com colaboradores de uma indústria moveleira da região oeste do Paraná.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica. (2017). Censo Demográfico, 2017. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/. Acesso: 18 de Maio de 2018.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica. (2012). Categoria étnico-raciais da população brasileira, 2012. .

Iwamoto, H. H., de Oliveira, K. F., de Araújo Pereira, G., Parreira, B. D. M., & Goulart, B. F. (2008). Saúde ocupacional: controle médico e riscos ambientais. Acta Scientiarum. Health Sciences, 30(1), 27-32.

Leite, H. D. C. S., de Carvalho, M. T. R., da Silva Cariman, S. L., de Morais Araújo, E. R., Silva, N. C., & de Oliveira Carvalho, A. (2016). Risco ocupacional entre profissionais de saúde do serviço de atendimento móvel de urgência-SAMU. Enfermagem em Foco, 7(3/4), 31-35.

Luize, PB, Canini, SRMDS, Gir, E., & Toffano, SEM (2015). Procedimentos após exposição a material biológico em hospital especializado em câncer. Texto & Contexto-Enfermagem, 24 , 170-177.

Maia, FEDS, Almeida, JRDS, Queiroz, JM, Mendes, JMR, & Silva, JL (2014). Comissão Interna de prevenção de acidentes e como ações de saúde coletiva na perspectiva da fisioterapia.

Marchi Barcellos, R. D. C., da Silva, L. A., Mendes, A. M. O. C., & Robazzi, M. L. D. C. C. (2014). Carga horária de trabalho dos enfermeiros e sua relação com as reações fisiológicas do estresse. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 22(6), 959-965.

Moreira, I. J. B., Horta, J. A., Duro, L. N., Borges, D. T., Cristofari, A. B., Chaves, J., ... & Teixeira, R. M. (2016). Perfil sociodemográfico, ocupacional e avaliação das condições de saúde mental dos trabalhadores da Estratégia Saúde da Família em um município do Rio Grande do Sul, RS. Revista brasileira de medicina de família e comunidade, 11(38), 1-12.

Neves, H. C. C., Souza, A. C. S., Medeiros, M., Munari, D. B., Ribeiro, L. C. M., & Tipple, A. F. V. (2011). La seguridad de los trabajadores de enfermería y los fatores determinantes para adesión a los equipamientos de protección individual. Revista Latino-Americana de Enfermagem , 19 , 354-361.

Nishide, V. M., Benatti, M. C. C., Alexandre, N. M. C. (2004). Ocorrência de terapia intensiva. Rev latino-am Enfermagem, Campinas-SP, vol. 12(2), pag. 204-211.

Oliveira, A. C., & Gonçalves, J. D. A. (2010). Acidente ocupacional por material perfurocortante entre profissionais de saúde de um Centro Cirúrgico. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 44, 482-487.

Oliveira, A. C., Diaz, M. E. P., & Toledo, A. D. (2010). Acidentes de trabalho com materiais perfurocortantes entre a equipe multiprofissional de uma unidade de emergência. Ciência, Cuidado e Saúde, 9(2), 341-349.

Oliveira, L. T., Araújo, L. S. R., & Teixeira, C. L. V. (2012). A importância da aprendizagem e do treinamento para a redução dos acidentes de trabalho. Perspectivas em Psicologia, 16(2).

Pinheiro, J., & Zeitoune, R. C. G. (2008). Hepatite B: conhecimento e medidas de biossegurança e a saúde do trabalhador de enfermagem. Escola Anna Nery, 12, 258-264.

Reis, F. R. D., & Kitamura, S. (2016). O controle estatal em saúde e segurança no trabalho e a auditoria do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional. Rev Bras Med Trab, 14(1), 52-9.

Roloff, D. I. T., Cezar-Vaz, M. R., Bonow, C. A., Lautert, L., Sant'Anna, C. F., & Couto, A. M. D. (2016). Enfermeiros do trabalho: experiência interdisciplinar em saúde do trabalhador. Revista Brasileira de Enfermagem, 69, 897-905.

Richardson, R. J. (1999). Pesquisa Social: Métodos e técnicas, 3ª Edição Editora Atlas SA São Paulo.

Santos, A. A., & Costa, O. R. S. (2016). Qualidade de Vida no Trabalho dos Profissionais de Enfermagem que atuam no Período Noturno em um Hospital Escola do Sul de Minas Gerais/Quality of Life at Work of the Nursing Professionals who work on the night shift in a Teaching Hospital in the Sout. Health Sciences Journal, 6(1), 43-51.

Santos, A. M. C., Santana, A. G. N., Inácio, A. S., Menezes, E. G., Rolim, I. L. T. P., Nascimento, J. R. S., ... & de Andrade Goiabeira, Y. N. L. aplicabilidade da sistematização da assistência de enfermagem sob a percepção de acadêmicos de enfermagem. aplicabilidade da sistematização da assistência de enfermagem sob a percepção de acadêmicos de enfermagem, 1-388.

Santos Junior, E. P., Batista, R. R. A. M., de Almeida, A. T. F., & de Abreu, R. A. A. (2015). Acidente de trabalho com material perfurocortante envolvendo profissionais e estudantes da área da saúde em hospital de referência. Medicina do trabalho, 69.

Silva, F. V., Costa, L. P., Silva, N. A. (2017). Conhecimento dos riscos ambientais do setor de trabalho: Análise da percepção dos colaboradores da empresa AMBEV em Bacabal-MA. (Graduação em Enfermagem) -Faculdade de Educação de Bacabal, Bacabal-MA.

Silva, G. S. D., Almeida, A. J. D., Paula, V. S. D., & Villar, L. M. (2012). Conhecimento e utilização de medidas de precaução-padrão por profissionais de saúde. Escola Anna Nery, 16, 103-110.

Silva, J. A. D., Paula, V. S. D., Almeida, A. J. D., & Villar, L. M. (2009). Investigação de acidentes biológicos entre profissionais de saúde. Escola Anna Nery, 13, 508-516.

Silva, L. F., & dos Reis, P. E. D. (2010). Avaliação do conhecimento da equipe de enfermagem sobre riscos ocupacionais na administração de quimioterápicos. Revista Brasileira de Cancerologia, 56(3), 311-320.

Silva Oliveira, J., Nery, A. A., Morais, R. L. G. L., & Robazzi, M. L. D. C. C. (2015). Acidentes com perfurocortante entre trabalhadores de saúde. Revista de APS, 18(1).

Silva, V. F., de Lima, J. E. V., dos Santos, J. I. B., Silva, F. J. S., & de Lima, L. R. (2017). riscos ocupacionais e acidentes de trabalho na enfermagem. Mostra Interdisciplinar do curso de Enfermagem, 2(1).

Soares, J. F. D. S., Cezar-Vaz, M. R., Mendoza-Sassi, R. A., Almeida, T. L. D., Muccillo-Baisch, A. L., Soares, M. C. F., & Costa, V. Z. D. (2008). Percepção dos trabalhadores avulsos sobre os riscos ocupacionais no porto do Rio Grande, Rio Grande do Sul, Brasil. Cadernos de Saúde Pública , 24 , 1251-1259.

Sobrinho, J. M., & de Sousa Medeiros, F. J. (2017). análise do nível de treinamento dos trabalhadores da construção civil na cidade de monteiro-pb. SINERGIA-Revista do Instituto de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis, 21(1), 91-106.

Watanabe, E., Razaboni, A. M., Takayanagui, A. M. M., Machado, A. A., & de Castro, S. M. (2015). Avaliação do Curso de Saúde e Segurança do Trabalho–Capacitação segundo a NR32: Campus de Ribeirão Preto/USP de 2010 a 2013. Revista de Cultura e Extensão USP, 12, 73-85.

Published

30/09/2021

How to Cite

DINIZ, B. C. .; DINIZ, C. C. .; SILVA, D. de M. .; DINIZ, R. V. M. . Knowledge of health professionals about occupational accidents in the workplace. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 12, p. e535101220922, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i12.20922. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/20922. Acesso em: 2 mar. 2024.

Issue

Section

Health Sciences