The application of the Robson’s Classification in brazilian maternity hospitals as a tool to reduce cesarean rates: a literature review

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i13.20953

Keywords:

Cesarian; Robson’s Classification; Nursing.

Abstract

Objective: To analyze in the literature the use of Robson’s Classification in Brazilian maternity hospitals as a tool to reduce cesarean surgeries. Metodology: This is qualitative research of the integrative literature review type of studies published between 2016 and 2021 in Portuguese in the databases: SciELO; LILACS, BDENF and Secretaria Municipal de Saúde – SP through the Virtual Health Library. Results: The final sample consisted of 10 articles. The data were organized into three categories, which are: I- The importance of implementing Robson’s Classification in Brazilian intitutions; II- The paradox in the highest rates of cesarean in the private system; III- The reduction in cesarean rates in Robson’s group 5 from the prevention of the procedure in groups 1 and 2. Conclusion: The low use and knowledge about Robson’s Classification is glimpsed, although it is a simple tool to apply. It’s importante to disseminate and encourage research on this topic so that there can be greater imlementation.

References

Abreu, L. P., Lira Filho, R. & Santana, R. L. (2019). Características obstétricas das gestantes submetidas à cesariana segundo a Classificação de Robson. Revista Enfermagem UERJ, 1-8. https://doi.org/10.12957/reuerj.2019.37858.

Aguemi, A. K. (2021). Indicadores maternos para monitorar hospitais da Rede Cegonha: uma proposta. Ciência & Saúde Coletiva, 781-787 https://doi.org/10.1590/1413-81232021263.35562020.

Algarves, T. R. & Lira Filho, R. (2019) Classificação De Robson: uma ferramenta para caracterizar as gestantes submetidas à cesariana. Enferm. Foco, 148-154. http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/2475/682.

Bezerra, L. F., Silva, A. O. & Marques, M. C. C. (2019). Classificação De Robson nas maternidades brasileiras: estatísticas prós e contras. São Paulo: Revista Remecs, 38-46. https://www.revistaremecs.com.br/index.php/remecs/article/view/285/pdf.

Bittencourt, S. D. A., et al. (2021). Atenção ao parto e nascimento em maternidades da Rede Cegonha/Brasil: avaliação do grau de implantação das ações. Ciência & Saúde Coletiva, 801-821. https://doi.org/10.1590/1413-81232021263.08102020.

Brasil. Ministério da Saúde (2016). Diretrizes de atenção à gestante: a operação cesariana. http://conitec.gov.br/images/Relatorios/2016/Relatorio_Diretrizes-Cesariana_final.pdf.

Cortez, M. B., et al. (2021). Análise das complicações clínico-obstétricas em gestantes adolescentes segundo a Classificação de Robson. Revista Enfermagem UERJ, 1-6. https://doi.org/10.12957/reuerj.2021.49539.

Ercole, F. F., Melo, L. S. & Alcoforado, C. L. G. C. (2014). Integrative review versus systematic review. Reme: Revista Mineira de Enfermagem, 9-11. http://www.dx.doi.org/10.5935/1415-2762.20140001.

Freitas, P. F. & Vieira, H. G. M. (2020). Uso do sistema de Classificação de Robson na avaliação das taxas de cesariana em Santa Catarina e sua associação com perfil institucional. Journal Of Health & Biological Sciences, 1-9. http://doi.org/10.12662/2317-3076jhbs.v8i1.2736.p1-9.2020.

Gama, S. G. N., et al. (2021). Atenção ao parto por enfermeira obstétrica em maternidades vinculadas à Rede Cegonha, Brasil – 2017. Ciência & Saúde Coletiva, 919-929. https://doi.org/10.1590/1413-81232021263.28482020.

Gama, S. G. N., Thomaz, E. B. A. F. & Bittencourt, S. D. A. (2021). Avanços e desafios da assistência ao parto e nascimento no SUS: o papel da Rede Cegonha. Ciência & Saúde Coletiva. https://doi.org/10.1590/1413-81232021262.41702020.

Kindra, T. (2017). Análise das indicações de cesáreas com base na classificação de dez grupos de Robson em uma maternidade pública de risco habitual. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal do Paraná. https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/53168/R%20-%20D%20-%20TEREZA%20KINDRA.pdf?sequence=1&isAllowed=y.

Lucena, F. S., Garcia, M. T. & Duarte, L. S. (2020). Taxas de cesárea no estado de São Paulo: desigualdades regionais na assistência obstétrica prestada pelo SUS. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, 1151-1163. https://doi.org/10.1590/1806-93042020000400012.

Moreira, A. N. C. & Aguemi, A. K. (2019). Capacitação de diferentes profissionais na aplicação da Classificação de Robson. Revista Paulista de Enfermagem-REPEn, 1-10. http://repen.com.br/revista/wp-content/uploads/2019/08/REPEn_2019_v30_Capacita%C3%A7%C3%A3o-de-Diferentes-Profissionais-na-Aplica%C3%A7%C3%A3o-da-Classifica%C3%A7%C3%A3o-de-Robson.pdf.

Nascimento, J. S., et al. (2018). Assistência à mulher no pré-natal, parto e nascimento: contribuições da Rede Cegonha. Revista Portal: Saúde e Sociedade, 694-709. https://doi.org/10.28998/rpss.v3i1.4241.

Oliveira, E. G., et al. (2020). Perfil das mulheres submetidas à cesariana segundo Classificação De Robson: pesquisa de campo. Online Brazilian Journal Of Nursing. https://doi.org/10.17665/1676-4285.20196217.

Organização Mundial da Saúde. Declaração da OMS sobre taxas de cesárea. http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/161442/3/WHO_RHR_15.02_por.pdf.

Pasche, D. F. et al. (2021). Transição do modelo de ambiência em hospitais que realizam partos na Rede Cegonha. Ciência & Saúde Coletiva, 887-896. https://doi.org/10.1590/1413-81232021263.45262020.

Petrônio, C. C. A. D. (2019). Classificação de Robson na redução das taxas de cesariana. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Enfermagem Obstétrica) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Reis, A. M. et al. (2020). Taxas de cesarianas em um hospital universitário a partir da Classificação De Robson. Ciência, Cuidado e Saúde, 1-9. https://doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v19i0.47196.

Ribeiro, C. L. (2017). Nascer em Belo Horizonte: processo decisório e fatores obstétricos associados à via de nascimento. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal de Minas Gerais.

Silva, A. C. S. (2019). A Classificação de Robson como instrumento de avaliação das taxas de cesáreas no hospital universitário de Brasília. https://bdm.unb.br/bitstream/10483/25167/1/2019_AdriaCristineSouzaDaSIlva_tcc.pdf.

Silva, L. F., et al. (2020). Estudo da incidência de cesáreas de acordo com a Classificação de Robson em uma maternidade pública. Femina, 114-121. https://docs.bvsalud.org/biblioref/2020/03/1052454/femina-2019-482-114-121.pdf.

Sousa, L. M. M., et al. (2017). A metodologia de revisão integrativa da literatura em enfermagem. Revista Investigação em Enfermagem, 17-26. https://www.researchgate.net/publication/321319742_Metodologia_de_Revisao_Integrativa_da_Literatura_em_Enfermagem.

Souza, A. S. R., Amorim, M. M. R. & Porto, A. M. F. (2010). Indicações de cesariana baseadas em evidências: parte II. Femina, 459-468. http://bhpelopartonormal.pbh.gov.br/estudos_cientificos/arquivos/cesariana_baseada_em_evidencias_parte_II.pdf.

Souza, M. T., Silva, M. D. & Carvalho, R. (2010). Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein, 102-106. https://www.scielo.br/j/eins/a/ZQTBkVJZqcWrTT34cXLjtBx/?format=pdf&lang=pt.

Published

03/10/2021

How to Cite

LINS, J. J. A.; SANCHES, M. E. T. de L. .; SANTOS, A. A. P. dos; SILVA, J. M. de O. e . The application of the Robson’s Classification in brazilian maternity hospitals as a tool to reduce cesarean rates: a literature review. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 13, p. e13101320953, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i13.20953. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/20953. Acesso em: 3 dec. 2021.

Issue

Section

Review Article