Prematurity: professional reception in a Neonatal Intensive Care Unit

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i13.21190

Keywords:

Infant Premature; Intensive Care Units Neonatal; Mothers; Comprehensive health care.

Abstract

Prematurity is characterized as a risk condition for the maintenance of the newborn's life, as the structure and functionality of the organs, depending on the gestational age at which extrauterine life begins, may not be compatible with it. In this sense, the lower the gestational age, the greater the risks and the need for intensive care. This study was designed to strengthen the dissemination of professional care for mothers of premature infants admitted to the Neonatal Intensive Care Unit. The method adopted was an experience report of health professionals on professional care for mothers of premature newborns assisted in the NICU from September 2019 to October 2020. The information was captured from listening and dialoguing with five mothers. The results found express the fear of loss and insecurity regarding the development of newborns and highlight nursing as a source of security, hope and support for mothers, based on welcoming. The nursing team stood out in the welcoming actions, as it was present and active at different levels and units of care with a focus on the humanization of care. He communicated and excelled in the execution of health care procedures and control and prevention of the coronavirus.

Author Biographies

Mariana Gonçalves Pinheiro, Centro Universitário da Região da Campanha

Psicóloga Clínica. Especialista em Cuidados Paliativos.

Leticia Silveira Cardoso, Universidade Federal do Pampa

Dr.ª em Enfermagem. Msc.ª em Ciências da Saúde. Especialista em Gestão Pública. Bacharel e Licenciada em Enfermagem. Prof.ª Adjunta do Curso de Enfermagem da Universidade Federal do Pampa _ Campus  Uruguaiana. Líder do Laboratório de Investigação e Inovação em Saúde de Populações Específicas (LIISPE) e integrante do Laboratório de Processos Socioambientais e Produção Coletiva de Saúde (LAMSA).

Elisa de Vargas, Centro Universitário da Região da Campanha

Dr.ª em Enfermagem. Msc.ª em Enfermagem. Especialista em Enfermagem do Trabalho. Especialista em Formação Pedagógica para docência na Educação Profissional e Tecnológicado. Enf.ª Prof.ª do Curso de Enfermagem do Centro Universitário da Região da Campanha - URCAMP. Membro do Laboratório de Investigação e Inovação em Saúde de Populações Específicas - LIISPE.

Cristiano Pinto dos Santos, Centro Universitário da Região da Campanha

Dr.º em Enfermagem. Msc. em Enfermagem. Especialista em Enfermagem do Trabalho. Prof.º do Curso de Enfermagem na Universidade da Região da Campanha. Sócio e Enfermeiro do trabalho na empresa SULMEDYK/Bagé.

Carolina Dorneles Trindade, Hospital Santa Casa de Caridade de Alegrete

Enf.ª Supervisora da Unidade de Maternidade, Pediatria e UTI Neonatal do Hospital Santa Casa de Caridade de Alegrete - RS.

Débora Schlotefeldt Siniak, Universidade Federal do Pampa

Dr.ª em Enfermagem. Msc.ª em Enfermagem. Enf.ª Prof.ª Adjunta do Curso de Enfermagem  da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA). Membro do Laboratório de Investigação e Inovação em Saúde de Populações Específicas (LIISPE).

Maria Denise Schimith, Universidade Federal de Santa Maria

Dr.ª em Ciências. Msc.ª em Enfermagem. Enf.ª Prof.ª do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal de Santa Maria - UFSM.

References

Allotey J. et al. (2020). Clinical manifestations, risk factors, and maternal and perinatal outcomes of coronavirus disease 2019 in pregnancy: living systematic review and metaanalysis. BMJ. 370: m3320. DOI: https://doi.org/10.1136/bmj.m3320

Almeida C. R., Carvalho E. S. S, Passos S. S. S., Miranda F. P. & Santos L. M. (2020). Experiências maternas na primeira semana de hospitalização do prematuro em cuidado intensivo. Rev. enferm. UFSM. 10: e75, Out. DOI: https://doi.org/10.5902/2179769242072

Bhering N.B V. (2021). O parto prematuro induzido pela covid-19: uma revisão da literatura. Brazilian Journal of Health Review. 4: 4401-4415, Mar-Abr. DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-034

Boyamian T. M. D. L, Mandetta M. A. & Balieiro M. M. F. G. Atitudes de enfermeiros em relação às famílias em unidades neonatais. Rev. Esc. Enferm. USP. 55: e03684, Abr. DOI: https://doi.org/10.1590/S1980-220X2019037903684

Brasil. Ministério da Saúde. (2012). Portaria n.º 930, de 10 de maio de 2012. Define as diretrizes e objetivos para a organização da atenção integral e humanizada ao recém-nascido grave ou potencialmente grave e os critérios de classificação e habilitação de leitos de Unidade Neonatal no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2012/prt0930_10_05_2012.html

Brasil. Ministério da Saúde. (2004). Secretaria-Executiva. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. HumanizaSUS: Política Nacional de Humanização: a humanização como eixo norteador das práticas de atenção e gestão em todas as instâncias do SUS / Ministério da Saúde, Secretaria Executiva, Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização.

https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/humanizasus_2004.pdf

Cegano D., Fröhlinch C. V. C., Cecagno S., WeyKamp J. M., Biana C. B & Soares M. C. (2020). A vivência em uma unidade de terapia intensiva neonatal: um olhar expresso pelas mães. Rev. Pesqui. 12: 566-572, Jan-Dez. DOI: https://doi.org/10.9789/2175-5361

Galeno S. P. O. & Maya A. M. S. (2021). Experiences of Parents of Preterm Children Hospitalized Regarding Restrictions to Interact with Their Children Imposed Because of the Covid-19 Pandemic. Invest Educ Enferm. 39: 2, Jun. DOI: https://doi.org/10.17533/udea.iee.v39n2e10

Homer C. S. E. et al. (2021). Counting stillbirths and Covid 19-there has never been a more urgent time. Lancet Glob Health. 9: e10-e11, Nov. DOI: https://doi.org/10.1016/S2214-109X(20)30456-3

Jardine J. et al. (2021). Maternity services in the UK during the coronavirus disease 2019 pandemic: a national survey of modifications to standard care. BJOG. 128: 880-9, Set. DOI: https://doi.org/10.1111/1471-0528.16547

Lima L.G. & Smeha L. N. (2019). Experiência da maternidade diante da internação do bebê em uti: uma montanha russa de sentimentos. Psicol. Estud. 24: e38179, Jul. DOI: https://doi.org/10.4025/psicolestud.v24i0.38179

Martinelli K. G., Dias B. A. S., Leal M. L., Belotti L., Garcia E. M. & Santos Neto E.T. (2021). Prematuridade no Brasil entre 2012 e 2019: dados do Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos. Rev. Bras. Popul. 38, e0173, Jul. DOI: https://doi.org/10.20947/s0102-3098a0173

Pereira A. S. et al. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [free e-book]. Santa Maria/RS. Ed. UAB/NTE/UFSM.

Ribeiro J. P., Gomes G. C., Thofehrn M. B., Mota M. S., Cardoso L. S. & Cecagno S. (2017). Criança hospitalizada: perspectivas para o cuidado compartilhado entre enfermagem e família. Revista de Enfermagem da UFSM. 7: 350-62, Jul-Set. DOI: https://doi.org/10.5902/2179769226333

Sung N. Y., Sun H. J., Hye B. J. & Hee, L. E. (2020). Neurodevelopmental Outcomes of Moderate-to-Late Preterm Infants. Neonatal Med. 27, 159 -166, Nov. DOI: https://doi.org/10.5385/nm.2020.27.4.159

Published

20/10/2021

How to Cite

PINHEIRO, M. G.; CARDOSO, L. S.; VARGAS, E. de .; SANTOS, C. P. dos; TRINDADE, C. D.; SINIAK, D. S. .; SCHIMITH, M. D. Prematurity: professional reception in a Neonatal Intensive Care Unit. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 13, p. e504101321190, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i13.21190. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/21190. Acesso em: 3 dec. 2021.

Issue

Section

Health Sciences