Maternal pregnancy profile in adolescence: preliminary data for the year 2021 in the state of Paraná

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i13.21270

Keywords:

Pregnancy; Adolescence; Nurse; Newborn.

Abstract

This article presents an ecological study of the maternal profile and monitoring of teenage pregnancy, through preliminary data from the year 2021 in Paraná State and the role of the nursing professional in this situation. The research aims to evaluate the social, economic and family parameters in the pregnancy of adolescents up to 19 years of age, verifying the possible relationship with prematurity, low birth weight and other maternal-fetal health parameters. Of the pregnancies that occurred in Paraná until the month of August 2021, 11.23% occurred in single adolescents aged 10 to 19 years old, with a predominance between 15 and 19 years old. This fact becomes importante or public health and society, as a pregnancy at this age increases school dropout, greater chances of maternal-fetal complications, and can cause family conflicts. In this sense, the nurse has the role of prevention and direct guidance to adolescents in a manner appropriate to their age and ability to understand, welcoming the pregnant adolescent, and promoting the health of the mother and newborn after birth.

References

Baldoino, L. S., Maria, S., Silva, N., Maria, A., Ribeiro, N., Kassyanne, E., & Ribeiro, C. (2018). Educação em saúde para adolescentes no contexto escolar: relato de experiências. Rev Enferm UFPE on Line, 12(4), 1167. https://doi.org/10.5205/1981-8963-v12i4a230656p1161-1167-2018

Barreto, M. M. M., Gomes, A. M. T., Oliveira, D. C. de, Marques, S. C., & Peres, E. M. (2011). Representação social da gravidez na adolescência para adolescentes grávidas. Rev Rene, 12(2). http://www.periodicos.ufc.br/rene/article/view/4226

Bocardi, M. I. B., & Cano, M. A. T. (1998). Gravidez na adolescência: o parto enquanto espaço do medo. In Livro de Resumos. EERP.

Brasil. (2000). Programa de Humanização no Pré-natal e nascimento. In Portaria N° 569/2000 . Ministério da Saúde. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2000/prt0569_01_06_2000_rep.html

Brasil. (2021). Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (SINASC) - Dados Abertos - Centrais de Conteúdos - DASNT - SVS/MS. Ministério Da Saúde, Coordenação-Geral de Informações e Análises Epidemiológicas. http://svs.aids.gov.br/dantps/centrais-de-conteudos/dados-abertos/sinasc/

Duarte, E. da S., Pamplona, T. Q., & Rodrigues, A. L. (2018). A gravidez na adolescência e suas consequências biopsicossociais. . DêCiência Em Foco, 2(1), 45–52. http://revistas.uninorteac.com.br/index.php/DeCienciaemFoco0/article/view/145

Glêdes, M., Gurgel, I., Dalva, M., Alves, S., Rejane, E., Moura, F., Neyva Da Costa Pinheiro, P., Maria, R., & Rego, V. (2010). DESENVOLVIMENTO DE HABILIDADES: estratégia de promoção da saúde e prevenção da gravidez na adolescência Title: Skills development: strategy for health promotion and prevention of pregnancy in adolescence. Rev Gaúcha Enferm, 31(4), 640–646.

Lansky, S., Friche, A. A. de L., Silva, A. A. M. da, Campos, D., Bittencourt, S. D. de A., Carvalho, M. L. de, Frias, P. G. de, Cavalcante, R. S., & Cunha, A. J. L. A. da. (2014). Pesquisa Nascer no Brasil: perfil da mortalidade neonatal e avaliação da assistência à gestante e ao recém-nascido. Cadernos de Saúde Pública, 30(SUPPL1), S192–S207. https://doi.org/10.1590/0102-311X00133213

Lima, E. F. de O., Miura, P. O., Santos. Kedma Augusto Martiniano, Galdino, E. B. T., & Pedrosa, M. M. M. P. (2017). Gravidez na adolescência para os jovens: revisão sistemática. V Seminário Internacional Enlaçando Sexualidade. https://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:Mh4bSSQ2pigJ:https://www.editorarealize.com.br/editora/anais/enlacando/2017/TRABALHO_EV072_MD1_SA17_ID1090_01082017172604.pdf+&cd=1&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br

Minas Gerais. (2006). Atenção à saúde do adolescente: . In Secretaria de Estado de Saúde. (p. 152). SAS/MG. www.saude.mg.gov.br

Nasio, J.-D., & tradução André Telles. (2011). Como agir com um adolescente difícil?: um livro para pais e profissionais. Zahar.

Oliveira, E. F. V. de, Gama, S. G. N. da, & Silva, C. M. F. P. da. (2010). Gravidez na adolescência e outros fatores de risco para mortalidade fetal e infantil no Município do Rio de Janeiro, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 26(3), 567–578. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2010000300014

Oliveira, P. R. de, Rodrigues, J. Z., Ferreira, J. D., Batista, D. J. R., Gusmão, R. M. de, Franco, S. E. de J., Rocha, E. M. da, & Lemes, A. G. (2018). Gravidez na adolescência: um desafio crítico para os países do cone sul. JOURNAL HEALTH NPEPS, 3(2), 506–526. https://doi.org/10.30681/25261010

Oliveira, J. C., Silva, S. C. P., Ribeiro, V. D., Filipini, S. M., & Leite, F. S. (2006). Conhecimento das gestantes sobre tipos de parto. In Universidade do Vale do Paraíba. (Ed.), X Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e VI Encontro Latino Americano de Pós-Graduação.

Oliveira, L. L., Gonçalves, A. de C., Costa, J. S. D. da, & Bonilha, A. L. de L. (2016). Fatores maternos e neonatais relacionados à prematuridade. Revista Da Escola de Enfermagem Da USP, 50(3). https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0080-62342016000300382&script=sci_arttext&tlng=pt

Organización Panamericana de la Salud, & Organización Mundial de la Salud. (2016). Accelerating progress toward the reduction of adolescent pregnancy in Latin America and the Caribbean. Report of a technical consultation. https://www.unicef.org/lac/media/1336/file/PDF_Acelerar_el_progreso_hacia_la_reducción_del_embarazo_en_la_adolescen.pdf

Piccinini, C. A., Da Rosa, M., Tonantzin, S., Gonçalves, R., Lopes, R. S., & Tudge, J. (2044). O Envolvimento Paterno durante a Gestação. Psicologia: Reflexão e Crítica, 17(3), 303–314. psicologia: Reflexão e Crítica, 2004, 17(3), pp.303-314

Ribeiro, V., Ribeiro, V. C. da S., Nogueira, D. L., Assunção, R. S., Silva, F. M. de R. e, & Quadros, K. A. N. (2016). Papel do enfermeiro da estratégia de saúde da família na prevenção da gravidez na adolescência. Revista de Enfermagem Do Centro-Oeste Mineiro, 0(0). https://doi.org/10.19175/recom.v0i0.881

Santos, D. R. dos, Maraschin, M. S., & Caldeira, S. (2008). Percepção dos enfermeiros frente à gravidez na adolescência. Ciência, Cuidado e Saúde, 6(4), 479–485. https://doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v6i4.3684

Schwanke, M., & Pinto, A. B. (2011). A percepção dos adolescentes residentes no município de Alto Bela Vista - SC sobre gravidez na adolescência. ÁGORA : Revista de Divulgação Científica, 16(2(A)). http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:WbFXnImQzWcJ:www.periodicos.unc.br/index.php/agora/article/viewFile/106/184+&cd=2&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br

Sociedade Brasileira de Pediatria. (2019, January). Prevenção da Gravidez na Adolescência. Guia Prático de Atualização.

Suzuki, C. M., Esther, M., Ceccon, J., Falcão, M. C., & Adolfo Costa Vaz, F. (2007). Análise comparativa da frequência de prematuridade e baixo peso entre filhos de mães adolescentes e adultas. Rev Bras Crescimento Desenvolv Hum, 17(3), 95–103.

Valentim, T. G. S. (2018). Impacto da gravidez na adolescência nos resultados perinatais: uma revisão integrativa. In Monografia - Universidade Federal do Maranhão (p. 58).

WHO. (2019). ICD-11: International Classification of Diseases . World Health Organization. https://icd.who.int/en

Published

16/10/2021

How to Cite

MACIEL, R. M.; FAGUNDES, T. R. Maternal pregnancy profile in adolescence: preliminary data for the year 2021 in the state of Paraná. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 13, p. e340101321270, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i13.21270. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/21270. Acesso em: 6 dec. 2021.

Issue

Section

Health Sciences