Vygotsky's Theory: reflections on the use of virtual learning environment and Problem Solving in Chemistry Teaching

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i13.21405

Keywords:

Chemistry Teaching;; Chemistry teaching; Vygotsky theory; Virtual learning environment; Virtual Learning Environment; Problem resolution; Problem Resolution;; Learning theory.

Abstract

For chemistry teaching and other areas of knowledge, several active methodologies can be applied, in view of the students' learning process, reinforcing a proactive behavior in the search for the construction of knowledge. In this aspect, the figure of Vygotsky emerges and the contemporaneity of his theory influencing Education with regard to the relationship of the individual and its social and cultural context. Thus, the purpose of this study is to bring a reflection on Vygotsky's theory in the use of problem solving teaching methodology in a Virtual Learning Environment in the area of Chemistry Teaching. The methodology used was a bibliographic framework of articles and the results indicate that interactionism contributes satisfactorily to the discussions involved in pedagogical processes. It can also be pointed out that the Problem Solving methodology implemented through a Virtual Learning Environment is a challenging strategy to teach Chemistry in a way that students can understand the problems and interpret it using the Virtual Learning Environment to dialogue with their colleagues and teachers about the solutions of a given situation.                                 

Author Biographies

Raquel Fiori, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Possui graduação em Licenciatura em Ciências de 1º Grau (1985), Licenciatura em Química de 2º Grau (1989) e graduação em Química Tecnológica (1990) pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul , Especialização (2002) e Mestrado (2008) em Ciência e Tecnologia de Alimentos no ICTA / UFGRS e Doutoranda no PPGVQS/Educação em Ciências : Química da Vida e Saúde . Foi Coordenadora da Seção de Contaminantes(Pesticidas e Micotoxinas) do Instituto de Pesquisas Biológicas - Laboratório Central do Estado (IPB-LACEN/FEPPS) ,foi membro suplente do Conselho Deliberativo na FEPPS representando o IPBLACEN/RS ,foi representante do Sindicato dos Químicos do RS na mesa de negociação do Grupo Hospitalar Conceição,foi Consultora para ensaios de proficiência em análises de Resíduos de Agrotóxicos em água para consumo humano pela Rede Metrológica/RS . Exerceu a função de Diretora do IPB-LACEN/FEPPS/RS (Laboratório Central do Estado) de 2011 a 2014. Foi Prof. de Química para Supletivo de 2° grau nas Escolas: Meta e Universitário.Foi representante da Secretaria Estadual da Saúde/RS na Comissão Técnica Estadual do Cadastro de Agrotóxicos e Afins no Estado na FEPAM/RS. Atualmente é Diretora de Assuntos Sindicais e Jurídicos do Sindicato dos Químicos do Rio Grande do Sul (SINQUIRS) e Conselheira do Conselho Regional de Química - V Região e Coordenadora da Câmara de Agrotóxicos do CRQ V Região. Também exerce a atividade sindical de Diretora Executiva da Previdência e Saúde no Sindicato dos Servidores de Nível Superior do Poder Executivo do RS(SINTERGS) . Exerceu o cargo de Química Especialista em Saúde da Secretaria da Saúde do RS lotada no Laboratório Central - LACEN/CEVS/SES/RS . Tem experiência na área de Docência em Química e Ciência & Tecnologia de Alimentos, com ênfase em Avaliação e Controle de Qualidade de Alimentos, atuando principalmente nos seguintes temas: supervisão de estágios, toxicologia, resíduos de micotoxinas e agrotóxicos em água e alimentos, química analítica ,biossegurança , sistemas da qualidade, Educação em Química.

Mara Elisângela Jappe Goi, Universidade Federal do Pampa

É Professora da Unipampa-Universidade Federal do Pampa-Caçapava do Sul. Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul-UFRGS, Mestre em Ensino de Ciências e Matemática pela Universidade Luterana do Brasil-ULBRA, licenciada em Química pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul –Unijuí. Foi professora da Educação Básica durante 20 anos. Atualmente atua na Educação Superior, no curso de Licenciatura em Ciências Exatas, no curso de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica e no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências (PPGEC- Mestrado Profissional) com experiência docente e como coordenadora e docente dos estágios supervisionados do curso de Licenciatura em Ciências Exatas da Unipampa. Seus interesses de pesquisa concentram-se na formação de professores, resolução de problemas e processo de ensino de aprendizagem em Ciências da Natureza.

References

Arragão, R. F. & Silva, N. M. (2012). A Observação como prática pedagógica no ensino de geografia. Geosaberes.

Arruda, S. C. Carvalho A. A. & Da Silva G. L. (2019) A mediação simbólica e a utilização de instrumentos e signos: práticas que contribuem para o processo ensino-aprendizagem. Anais VI CONEDU... Campina Grande: Realize Editora.

Astolfi, J. P. & Develay, M. (2014) A didática das ciências. Papirus Editora.

Baquero, R. (2001) Vygotsky e a aprendizagem escolar. Artes Médicas.

Brito, A. C. U. (2013) Práticas de mediação de uma professora de educação infantil. São Paulo: Universidade de São Paulo.

Carminati, S. P. Dantas, L. F. S. & Alves, T. R. S. (2021) A criação de um ambiente virtual de aprendizagem como forma de avaliação do ensino de soluções: uma proposta didática para as aulas remotas de Química. Revista Educação Pública, 21(21).

Coelho, W. G. & Tedesco, P. C.A.R. (2017). A percepção do outro no ambiente virtual de aprendizagem: presença social e suas implicações para Educação a Distância. Revista Brasileira de Educação. 22(70).

Coelho, L. & Pisoni, S. (2012) Vygotsky: sua teoria e a influência na educação. Revista e-Ped – FACOS / CNEC Osório, 2(1).

Costa, D. A. F. (2006). Superando limites: a contribuição de Vygotsky para a educação especial. Revista psicopedag. 23(72).

Chaiklin, S., Pasqualini, J. C. (2011) A zona de desenvolvimento próximo na análise de Vigotski sobre aprendizagem e ensino. Psicologia em Estudo. 16(4), 659-675.

De Alcântara Assunção, E. A., Barros, I.C. L. Campos, A. F. (2021) Resolução de problemas articulada a experimentação para abordagem de conteúdos químicos relacionados à temática qualidade da gasolina para estudantes do ensino médio. Experiências em Ensino de Ciências, 16(1), 740-756.

De Azevedo, T. M. (2013). Por uma aprendizagem significativa da língua materna: o ensino fundamentado em Saussure e Ausubel. Nonada: Letras em Revista, 1(20), 191-212.

De Oliveira Sousa, S.I, Schlünzen Junior, Klaus. (2012) A contribuição de um Ambiente Virtual de Aprendizagem para potencializar a colaboração no Desenvolvimento da Aprendizagem Baseada em Problemas. El Hombre y la Máquina, 40, 44-54.

Da Silva, E. R. A, Goi, M. E. J. (2020) Impressões de estudantes sobre o trabalho com resolução de problemas e temáticas em aulas de química. Revista Prática Docente, 5(2), 1057-1075.

Duarte, N. (1996) A Escola de Vygotsky e a Educação Escolar: algumas hipóteses para uma leitura pedagógica da psicologia histórico-cultural. Psicologia USP, 7, 17-50.

Fiori, R., Goi, M. E. J. (2021) Revisão de literatura em ambiente virtual de aprendizagem no Ensino Básico com uso de plataformas digitais. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, 12, 1-24.

Frade, C. E. Meira, L. (2012) Interdisciplinaridade na escola: subsídios para uma Zona de Desenvolvimento Proximal como espaço simbólico. Educação em Revista [online], 28(1)

Freitas, J. Q. P., Goi, M. E. J., Giullianni, O. F. (2015) Resolução de problemas no ensino da matemática: uma Introdução à Geometria Fractal no Ensino Fundamental. (Monografia) Universidade Federal do Pampa.

Gallegos, W. L. A. (2013) Teoría de la Inteligencia: una aproximación neuropsicológica desde el punto de vista de Lev Vigotsky. Cuad. Neuropsicol. Santiago, 7(1), 22-37.

Galuch, M. T. B., Sforni, M. S. De F. (2009) Aprendizagem conceitual e apropriação da linguagem escrita: contribuições da teoria histórico-cultural. Est. Aval. Educ., 20(42), 111-124.

Gama, A. M. (2013) Fundamentos da teoria Vygotskiana para apropriação de novas tecnologias como instrumentos socioculturais de aprendizagem. Travessias, Cascavel, 6(3).

González-Rey, F. (2004) O sujeito, a subjetividade e o outro na dialética complexa do desenvolvimento humano. In L. M. Simão & A. M. Martinez (Eds.), O outro no desenvolvimento humano. Diálogos para a pesquisa e a prática do profissional em psicologia (pp. 1-27). Pioneira Thomson Learning.

Kenski, M. V. (2007) Educação e tecnologias: o novo ritmo da informação. Papirus.

Lantolf, J. P. (2008) Teoria sociocultural e ensino de segundas línguas. Equinox Publishing.

Laudan, L. (1986) El progreso y sus problemas: Hacia una Teoría del Crecimiento Científico. Encuentro Ediciones.

Laudan, L. (1977) O progresso e seus problemas: rumo a uma teoria do crescimento científico. Tradução Roberto Leal Ferreira. Unesp.

Leal Júnior, L. C., & Miskulin, R. G. S. (2017) Perspectivas de Resolução de Problemas por meio de Articulações entre Teoria, Prática e Conceitos sobre Comunidade de Prática. Perspectivas para resolução de problemas, 1, 305-353.

Leão, M. F., Quartieri, M. T., & Marchi, M. I. (2013) Julgamento simulado sobre aditivos alimentares como estratégia para aprofundar os conceitos químicos. Lajeado: Revista Destaques, v.5, n. 4.

Lima, G., & Leite, R. L. (2012) O processo de ensino e aprendizagem da disciplina de química: o caso das escolas do ensino médio de Crateús/Ceará/Brasil. Buenos Aires: Revista Electrónica de Investigación en Educación en Ciencias, v. 7, n. 2.

Lima, J. O. G. (2012) Perspectivas de novas metodologias no Ensino de Química. Revista Espaço Acadêmico.

Lima, E. R. P. O., & Moita, F. M. G. S. C. (2011) A tecnologia e o ensino de química: jogos digitais como interface metodológica. Campina Grande: EDUEPB, p.279.

Lopes, V. G. (2016) Linguagem do corpo e movimento. Curitiba: FAEL.

Luria A. R. (1976) “Fala e intelecto de crianças rurais, urbanas e sem-teto” em. Os escritos selecionados de A. R. Luria. eds. Luria A. R. Cole M. White Plains, N.Y: M. E. Sharpe.

Medeiros, D. R., & Goi, M. E. J. (2020) A Resolução de Problemas articulada ao Ensino de Química. Revista Debates em Ensino de Química, 6, 115-135.

Medeiros, M. F. (2019). Ambiente virtual de aprendizagem na educação contemporânea: avaliando o binômio ensino-aprendizagem a partir da análise de conceitos de aprendizagem de Vygotsky e dos princípios do método cartesiano. Revista Dissertar, 1(32).

Mello, S. A. (2003). Algumas contribuições da escola de Vygotsky para a compreensão dos problemas de indisciplina na escola. Núcleos de ensino. São Paulo: UNESP, pp. 70-78.

Mendonça, M. C. D. (1993) Problematização: um caminho a ser percorrido em educação matemática. (Tese de Doutorado). Campinas, UNICAMP.

Minick, N. (2002) O desenvolvimento do pensamento de Vygotsky: uma introdução a thinking and speech (pensamento e linguagem). In: DANIELS, H. (org.). Uma introdução a Vygotsky. Tradução de Marcos Bagno. São Paulo, Loyola, pp. 31-59.

Moraes, G. S.C., Coelho, H.G., & De Azevedo, G. (2021) A importância do lúdico na Educação Infantil. REEDUC-Revista de Estudos em Educação (2675-4681), 7, 96-125.

Moreira, J. A. C. (2009) Saber docente, oralidade e cultura letrada no contexto da educação infantil análise da prática docente à luz dos autores da Escola de Vygotsky. (Tese de Doutorado). Universidade Federal do Ceará.

Nilcimar, S. S. P, F. Cabral, S. L. Q. (2018) Ambiente Virtual de Aprendizagem para a Aplicação de Atividades Didáticas Pautadas na Resolução de Estudos de Caso. Educação em Química e Multimídia.

Oliveira, M. K. (2021) Vygotsky: aprendizado e desenvolvimento-um processo sócio histórico. In: Vygotsky: aprendizado e desenvolvimento-um processo sócio histórico. 111-111.

Oliveira, M. K. (1992) O problema da afetividade em Vygotsky. In Y. de La Taille, M. K. Oliveira, & H. Dantas (Eds.), Piaget, Vygotsky, Wallon. Teorias psicogenéticas em discussão (pp.75-84). Summus.

Pelizzari, A. et al. (2002) Teoria da aprendizagem significativa segundo Ausubel. Pec, 2(1), 37-42.

Pereira, G. A. C, Nascimento, I. S, Silva, A. M. S. (2016). Ambiente moodle de aprendizagem no ensino da química para alunos do ensino médio da rede pública. ENPED.

Pérez, L. F. M., Carvalho, W. L. P. (2012) Contribuições E Dificuldades Da Abordagem De Questões Sociocientíficas Na Prática De Professores De Ciências. São Paulo: Educação E Pesquisa, 38, 727-741.

Polya, G. (1995) A arte de resolver problemas: um novo aspecto do método matemático.

Polya, G. A arte de resolver problemas. Primeira reimpressão. Tradução e adaptação de Heitor Lisboa de Araújo. Rio de Janeiro: Interciências, 1986.

Pozo, J. I. (Org.). A solução de problemas: aprender a resolver, resolver para aprender. Artmed, 1998.

Pozo, J. I. Pérez Echeverría, M. P. (1994) La Solución de Problemas. Santillana, S. A.

Pulino Filho, A. R. P. (2005) Moodle: Um sistema de gerenciamento de cursos. Brasília: Universidade de Brasília, Departamento de Engenharia Civil e Ambiental.

Prestes, Z. R. (2010). Quando não é quase a mesma coisa. Análise de traduções de Lev Semionovitch Vigotski no Brasil. Repercussões no Campo Educacional. Universidade de Brasília, Faculdade de educação: Programa de Pós-graduação em educação.

Prestes, Z. R. (2012). Quando não é quase a mesma coisa: traduções de Lev Semionovitch Vigotski no Brasil. Autores Associados.

Rabello, E., Passos, J., Silveira. (2011) Vygotsky e o desenvolvimento humano.

Rego, T. C. (2001) Vygotsky: uma perspectiva histórico-cultural da educação. Vozes.

Rodrigues, N. C., Souza, N. R., Patias, S. G. O., Carvalho, E. T., Carbo, L., & Santos, A. F. S. (2021) Recursos didáticos digitais para o ensino de Química durante a pandemia da Covid-19. Research, Society and Development, 10. 1-17.

Santos, F. M. T., & Goi, M. E. J. (2012) Resolução de problemas no ensino de química- fundamentos epistemológicos para o emprego da metodologia na Educação Básica. In: Encontro Nacional De Ensino De Química, Eneq, 16. E X Encontro De Educação Química Da Bahia, Eduqui, 10. Salvador, Brasil. Anais eletrônicos.

Serbim, F. B. N, & Santos, A. C. (2021) Metodologia ativa no ensino de Química: avaliação dos contributos de uma proposta de rotação por estações de aprendizagem. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, 20(1). 49-72.

Silva, C. D. (2021) Ambientes virtuais de aprendizagem no ensino remoto: trabalhando funções orgânicas com o auxílio do Google Classroom.170 f., il. Dissertação (Dissertação de Mestrado) — Universidade de Brasília, Brasília.

Silva, E. R. A. (2017) Articulação entre Resolução de Problemas e a temática drogas como proposta metodológica para o Ensino de Química. Monografia (Monografia). Universidade Federal do Pampa.

Silva, J. C., & Hai, A. A. (2016) O conceito de Zona de Desenvolvimento Proximal na educação infantil: apropriações nas produções acadêmicas e documentos oficiais brasileiros. PERSPECTIVA, Florianópolis, v. 34, n. 2, pp. 602-628.

Silva, F. G. & Davis, C. (2004) Conceitos de Vygotsky no Brasil: produção divulgada nos Cadernos de Pesquisa. Cadernos de Pesquisa. 34(123).

Sousa, R. P., Miota, F. M. C. S. C., And Carvalho, A. B. G. (2011) Tecnologias digitais na educação. EDUEPB.

Souza, M.T.C.C. (2011). As relações entre afetividade e inteligência no desenvolvimento psicológico. Universidade de Brasília.

Souza, A. P. De, & Rosso, A. J. (2011) Mediação e Zona de Desenvolvimento Proximal (ZDP): entre pensamentos e práticas docentes. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO: EDUCERE, pp. 5894-5906.

&

Smolka, A. L. B, De Laplane, A. L. F. (2005) Processos de cultura e internalização. Revista Viver: Mente e Cérebro. Coleção Memória da Pedagogia: Lev Semionovitch Vygotsky - uma educação dialética, São Paulo: Duetto, pp. 76-83.

Stadler, G., Romanowski, J. P., Lazarin, L., Ens, R. T. & Vasconcellos, S. (2004) Proposta pedagógica interacionista. IV EDUCERE: Anais.

Toassa, G. (2013) Certa Unidade no Sincrético: considerações sobre educação, reeducação e formação de professores na ‘psicologia pedagógica’ de L. S. Vygotsky. Estudos de Psicologia, 18, 497-505.

Tunes, E., Tacca, M. C. V. R. Bartholo Júnior, R. S. (2005) O professor e o ato de ensinar. Cadernos de Pesquisa. 35(126).

Van Der Linden, M. M. G. (2005) Diálogo didático mediado on-line: subsídios para sua avaliação em situações de ensino-aprendizagem. (Tese de Doutorado). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

Vygotsky L.S. (1984) A formação social da mente.: Martins Fontes.

Vygotsky, L.S. (1979) Desenvolvimento de funções psicológicas superiores. Editorial Crítica.

Vygotsky, L.S. (1998) O desenvolvimento psicológico na infância. Martins Fontes.

Vygotsky, L.S. (1962) Pensamento e linguagem. MIT Press.

Vygotsky, L. S. (1978) Mind in Society: The Development of Higher Psychological Process. Cambridge MA: Harvard University Press.

Vygotsky, L. S. (1994) The problem of the cultural development of the child. In: R. Van der Veer & J. Valsiner (Eds.), The Vygotsky reader. Oxford, Cambridge: Blackwell. 1994.

Vygotsky, L. S. (1995) Apprentissage et développement à l'âge préscolaire. Société française, n. 2/52, pp. 35-46.

Vygotsky, L. S. (1991) Obras escogidas Volumen I. Madrid: Centro de Publicaciones del M.E.C. y Visor Distribuciones.

Vygotsky, L.S. (1992) Obras escogidas: problemas de psicologia geral. Gráficas Rogar. Fuenlabrada.

Vygotsky L.S. (1986) Thought and Language. The MIT Press.

Vigotski, L. S. (2003) Psicologia Pedagógica. Edição Comentada. Artmed.

Viotto Filho, I. A. Ponce, R. F. E Almeida, S. H. V. (2009). As compreensões do humano para Skinner, Piaget, Vygotski e Wallon: pequena introdução às teorias e suas implicações na escola. Psicol. educ. [online], n.29.

Wertsch, J. V. (1991) Vozes da mente: uma abordagem sociocultural para a ação mediada. Harvard University Press,

Yasnitsky, A. (2018) Vygotsky: An Intellectual Biography. Routledge BOOK PREVIEW.

Zanella, A. V. (2001) Vygotsky: contexto, contribuições à psicologia e o conceito de zona de desenvolvimento proximal. UNIVALI.

Published

20/10/2021

How to Cite

FIORI, R.; GOI, M. E. J. Vygotsky’s Theory: reflections on the use of virtual learning environment and Problem Solving in Chemistry Teaching. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 13, p. e507101321405, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i13.21405. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/21405. Acesso em: 4 dec. 2021.

Issue

Section

Education Sciences