Gender equality in the participation of the formal labor market of Santarém-PA: reality or utopia?

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i13.21653

Keywords:

Santarém; Arima; Formal work; Gender equality.

Abstract

The labor market has undergone several changes over the years, resignifying the role of women and this made the understanding of productive development come to be observed by new perspectives. Thus, the objective of this work is to investigate whether there will be convergence towards gender equality in the participation of the santareno formal labor market. The database was extracted from the General Register of Employees and Unemployed (CAGED), in which information on registered admissions was used from 2004 to 2019. To achieve the objective, the Integrated Autorregressive Model of Moving Averages – ARIMA to estimate when differences in admissions between genders converge to zero. The results indicate that the level of education is an important factor for the growth of women's participation in the formal labor market. Moreover, through the ARIMA model (0, 1, 1) it was possible to estimate, on average, the convergence of gender equality in the formal labor market, reality that should happen in November 2037, in a more pessimistic scenario, in July 2065.

Author Biographies

Lorena de Sousa Marques, Universidade Federal do Oeste do Pará

Graduanda em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Oeste do Pará - UFOPA.

Brena do Nascimento Carvalho, Universidade do Estado do Amazonas

Professora voluntária da Universidade do Estado do Amazonas - UEA. Possui Graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Oeste do Pará - UFOPA, Mestrado em Economia Aplicada pela Universidade Federal de São Carlos - UFSCar.

Zilda Joaquina Cohen Gama dos Santos, Universidade Federal do Oeste do Pará

Professora Adjunta III no Instituto de Ciências da Sociedade da Universidade Federal do Oeste do Pará. Possui doutorado em Desenvolvimento Rural pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) (2019), Mestrado em Economia pela Universidade da Amazônia (2006), Graduação em Ciências Econômicas pela Universidade da Amazônia (2003) e Graduação em Licenciatura Plena em Matemática pela Universidade Federal do Pará (2002).

Andréa Simone Rente Leão, Universidade Federal do Oeste do Pará

Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Pará (1997), mestrado em Ciências com ênfase em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2006) e doutorado em Ciências Sociais com ênfase em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2017). Atualmente é professora de 3 grau na Universidade Federal do Oeste do Pará, do Instituto de Ciências da Sociedade, Curso de Ciências Econômicas.

Tarcísio da Costa Lobato, Universidade Federal do Oeste do Pará

Docente da Universidade Federal do Oeste do Pará - UFOPA. Possui Graduação em Matemática pela Universidade do Estado do Pará - UEPA, Graduação e Mestrado em Estatística pela Universidade Federal do Pará - UFPA e Doutorado em Economia Aplicada pela Universidade de São Paulo - ESALQ/USP

References

Barbosa, A. L. N. H. (2014). Participação feminina no mercado de trabalho. Boletim Mercado de trabalho brasileiro (Conjuntura e Análise nº 57).

Barbosa, A. L. N. H., & Costa, J. S. M. (2017). Oferta de creche e participação das mulheres no mercado de trabalho do Brasil. Boletim Mercado de Trabalho. (Conjuntura e Análise nº 62).

Brandt, B. (1995). Whole life economics: revaluing daily life. Philadelphia: New Society Publishers.

Bueno, R. L. S. (2011). Econometria de séries temporais. Cengage Learning, 320p.

Cadernos de Formação de Formação. (2017). Mulheres: mundo do trabalho e autonomia econômica. https://www.eco.unicamp.br/images/arquivos/caderno-3-web.pdf.

Costa, J. S. M. (2007). Determinantes da participação feminina no mercado de trabalho brasileiro. Dissertação de Mestrado, Universidade de Brasília, Brasília, Brasil.

Cott, N. F. (1987). O fundamento do feminismo moderno. Imprensa da Universidade de Yale.

Cunha, M. S., & Vasconcelos, M. R. (2016). Fecundidade e participação no mercado de trabalho brasileiro. Nova Economia, 26(1), 179-206.

EHLERS, R. S. (2007). Análise de séries temporais. In: Notas de aula de séries temporais. USP. http://www.each.usp.br/rvicente/AnaliseD eSeriesTemporais.pdf.

Monteiro, F. K., & Grubba, L. S. (2017). A luta das mulheres pelo espaço público na primeira onda do feminismo: de suffragettes às sufragistas. Direito e Desenvolvimento, 8(2), 261-278.

Fernandez, B. P. M. (2018). Economia feminista: metodologias, problemas de pesquisa e propostas teóricas em prol da igualdade de gêneros. Revista de Economia Política, 38(3), p. 559-583.

Freitag, R. K. (2015). (Re) discutindo Sexo/gênero na sociolinguística. In: Freitag, R. K., Severo, C. G. (orgs). Mulheres, linguagem e poder: Estudos de gênero na sociolinguística brasileira. Edgard Blucher.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2020). https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/pa/santarem.html?

Kon, A. (2013). Mercado de trabalho, assimetrias de gênero e políticas públicas: considerações teóricas. RP3-Revista de Pesquisa em Políticas Públicas, n. 02, p. 33-58.

Leone, E. (2018). Participação das mulheres na atividade econômica em contextos de crescimento econômico e de recessão. XXI Encontro Nacional de Estudos Populacionais, Poços de Calda/MG.

Matos, R. S., & Machado, A. F. (2006). Diferencial de rendimento por cor e sexo no Brasil (1987-2001). Revista Econômica, 8(1), 5-27.

Medeiros, K. I. S., Souza, J. A. N., Costa, F. M.; Ferreira, F. D. S., & Silva, R. V. F. (2020). Determinantes da participação feminina no mercado de trabalho do Rio Grande do Norte. Estudo & Debate, Lajeado, 27(1), p. 65-82.

Morettin, P. A., & Tolói, C. M. C. (2006). Análise de séries temporais. (2a ed.). Edgard Blücher.

Morettin, Pedro A. (2011). Econometria Financeira: Um curso em séries temporais financeiras. Bucher.

Prosbt, R. E. (2003). A Evolução da Mulher no Mercado de Trabalho. Instituto Catarinense de Pós-Graduação – ICPG. https://www.mobilizadores.org.br/wp-content/uploads/2014/05/artigo_jan_gen_a_evolucao_da_mulher_no_mercado_de_trabalho.pdf

Ramos, L., Aguas, M. F. F., & Furtado, L. M. S. (2011). Participação Feminina na Força de Trabalho Metropolitano: O Papel do Status Socioeconômico das Famílias. Economia Aplicada, 15(4), p. 595-611.

Rocha, C. R., & Keske, H. A. G. (2018). A importância da luta dos movimentos feministas no desenvolvimento da tipificação do feminicídio e na busca por igualdade entre os gêneros. Revista de Gênero, Sexualidade e Direito. 4(1), 80 – 98.

Saffioti, H. (2013). A mulher na sociedade de classes: mito e realidade. São Paulo: Expressão Popular. (3a.ed.), 528 p.

Santos, B. M., & Alves, J. S. (2016). A Evolução da Mulher no Mercado de Trabalho: Comparação entre Ontem e Hoje. FABE em Revista. Bertioga, v. 8. http://www.fabeemrevista.com.br/8/integra/03.pdf

Soares, V. (1994). Movimento feminista Paradigmas e desafios. Estudos Feministas, p. 11-24.

Soares, S., & Izaki, R. S. (2002). A participação feminina no mercado de trabalho. Texto para discussão n° 923.

Souza, E. S., & Santos, S. P. (2014). Mulheres no Mercado de Trabalho: Um estudo com estudantes universitários de uma faculdade particular de São Paulo. E-FACEQ: revista dos discentes da Faculdade Eça de Queirós, 3(3), p1-19. http://uniesp.edu.br/sites/_biblioteca/revistas/20170427174739.pdf

World Bank Group. Women, Business and the Law (2018). https://openknowledge.worldbank.org/bitstream/handle/1098 6/29498/9781464812521.pdf

World Economic Forum. (2018). The global gender gap report 2018. Cologny: World Economic Forum. https://www.weforum.org/reports/ the-global-gender-gap-report-2020.

Published

19/10/2021

How to Cite

MARQUES, L. de S.; CARVALHO, B. do N.; SANTOS, Z. J. C. G. dos; LEÃO, A. S. R.; LOBATO, T. da C. Gender equality in the participation of the formal labor market of Santarém-PA: reality or utopia?. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 13, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i13.21653. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/21653. Acesso em: 3 dec. 2021.

Issue

Section

Human and Social Sciences