Alternative treatment for anxiety based on the medicinal plant Melissa Officinalis (lemon balm) - a literature review

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i14.22349

Keywords:

Melissa officinalis; Anxiety; Medicinal plants.

Abstract

Brazil is considered one of the countries with the highest rate of people with anxiety disorders in the world. A fundamental characteristic of anxiety disorder is the excessive worry that continues to generate a series of physical symptoms associated with autonomic hyperactivity and muscular tension. The plant Melissa officinalis L., popularly known as true lemon balm is a plant belonging to the Lamiaceae family, which originates in Asia and Europe. It has a very characteristic odor of lemon, being widely used to control various nervous crises, anxiety and hysterics, it has the function of controlling emotions through its activity, tranquilizer and inducing sleep. This study aimed to analyze studies regarding the action of Melissa officinalis and verify if it can be seen as an alternative for the treatment of anxiety. The chemical composition of Melissa officinalis L. is essentially composed of terpenes and phenylpropanoids, which are responsible for the herbal action, its essential oil is obtained by hydrodistillation, its low yield makes it one of the most valuable essential eyes. Lemon balm has drug interactions with central nervous system (CNS) depressants, sedatives, antidepressants, stimulants, narcotic analgesics, muscle relaxants and antihistamines. Melissa officinalis L. is used in the production of herbal medicines, as an alternative treatment to anxiety and sleep disorders, with minimal adverse effects and relative safety of use. It can be observed that Melissa has a therapeutic effect on anxiety, resulting from its pharmacological activities.

References

Acevedo, D., Navarro, M. & Monteio, P. (2013). Composición química del aceite esencial de las hojas de toronjil (Melissa officinalis L.). Información tecnológica, v. 24, n. 4, p. 49-54.

Angeloni M. J. F. C. (2010). Avaliação do potencial genotóxico e antigenotóxico de Melissa officinalis.

Bett, M. (2013). O uso popular de plantas medicinais utilizadas no tratamento da ansiedade no município de Galvão-SC. Trabalho de conclusão de curso, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Bortoluzzi, M. M., Schmitt, V., & Mazur, C. E. (2020). Efeito fitoterápico de plantas medicinais sobre a ansiedade: uma breve revisão. Research, Society and Development, 9(1), e02911504-e02911504.

Brasil. (2014). Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RDC nº 26 de 13 de maio de 2014. Dispõe sobre o registro de medicamentos fitoterápicos e o registro e a notificação de produtos tradicionais fitoterápicos. Diário Oficial da União. Brasília, D.F., 14 de maio de 2014, Seção 1, p. 03.

da Silva Bragança, T. D. S., Oliveira, I. J. D. A. S., de Oliveira, J. T. M., Norberg, P. R. B. M., Norberg, A. N., de Souza, A. H., & Mangiavacchi, W. (2020). Conhecimento e percepção sobre o uso de plantas medicinais e fitoterapia por acadêmicos de farmácia em um centro universitário do estado do Rio de Janeiro. LINKSCIENCEPLACE, 7(3).

Carmo, C. S., Brum, S. M. A., Souza, L. G., Coelho, G. B., Soares A. C., & Ferrari F. C. (2020). PROPRIEDADES TERAPÊUTICAS DA ERVA CIDREIRA (Melissa officinalis). Fórum Acadêmico da Faculdade de Vértice. Univértix- Matipó.

Cardoso, R. S. (2016). Desenvolvimento de técnicas farmacêuticas para obtenção da droga vegetal a partir das folhas de erva-cidreira (Lippia alba (Mill.) NE Brown) quimiotipo II

Colussi, T. C., Dalmolin, L. F., Pachtmann, M., & Freitas, G. B. L. (2011). Melissa officinalis L.: Características gerais e biossíntese dos principais metabólitos secundários. Revista de Biologia e Farmácia, 5(2), 92-95.

Costa, C. O. D., Branco, J. C., Vieira, I. S., Souza, L. D. D. M., & Silva, R. A. D. (2019). Prevalência de ansiedade e fatores associados em adultos. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, 68, 92-100.

Cury, A. J. (2017). Ansiedade: como enfrentar o mal do século. Saraiva Educação SA.

Eudes, F. J. (2014). Propriedades terapêuticas da Melissa officinalis como alternativa natural para disfunções neurológicas. Dissertação (Mestrado em ciências aplicada a saúde) Faculdade de Medicina, da Universidade de Brasília, 2014.

Ghizi, A., & Mezzomo, T. R. (2015, Abr-Jun). Uso de plantas medicinais e satisfação de consumidores de lojas de produtos naturais do Mercado Municipal de Curitiba, Revista Fitos, Rio de Janeiro, Vol. 9 (2): 73-159.

Gonçalves, A., & Rocha, M. J. (2017). Plantando o alívio da dor: Fitoterapia, Ansiedade e Cicatrização. Mestrado Profissional em Ciências Aplicadas à Saúde. Universidade do vale do Sapucaí. Pouso Alegre, MG.

Guimarães, A. M. V., da Silva Neto, A. C., Vilar, A. T. S., da Costa Almeida, B. G., de Oliveira Fermoseli, A. F., & de Albuquerque, C. M. F. (2015). Transtornos de ansiedade: um estudo de prevalência sobre as fobias específicas e a importância da ajuda psicológica. Caderno de Graduação-Ciências Biológicas e da Saúde-UNIT-ALAGOAS, 3(1), 115-128.

Leahy, R. L. (2012). Livre de ansiedade. Artmed Editora

Luz, J. M. Q., Silva, S. M., Habber, L. L., & Marquez, M. O. M. (2014). Produção de óleo essencial de Melissa officinalis L. em diferentes épocas, sistemas de cultivo e adubações. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, 16, 552-560.

Masiero, M. A., Viana, C. M. S. S., Lupepsa, C. T., Silva, F. R., de Almeida, G. M. C., Tombolato, J. P., ... & de Lima, D. M. (2021). Propagação vegetativa de Melissa officinalis L. por estaquia. Biodiversidade, 20(1).

Meira, M., Souza, S., & Martins, E. (2010). Plantas Medicinais, Produção e Cultivo Da Melissa Officinalis No Brasil. ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, 6(10).

Meira, M. R., Martins, E. R., & Manganotti, S. A. (2012). Crescimento, produção de fitomassa e teor de óleo essencial de melissa (Melissa officinalis L.) sob diferentes níveis de sombreamento. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, 14, 352-357.

Menezes, C. P. D. (2012). Atividade antifúngica in vitro do óleo essencial de Melissa officinalis L.(erva-cidreira) sobre Cladosporium carrionii.

da Paixão, J. A., Conceição, R. S., NETO, A. F. S., Neto, J. F. A., & DOS SANTOS, U. S. (2016). Levantamento bibliográfico de plantas medicinais comercializadas em feiras da Bahia e suas interações medicamentosas. Revista Eletrônica de Farmácia, 13(2), 71-81.

Pereira, J. B. A., Rodrigues, M. M., Morais, I. R., Vieira, C. R. S., Sampaio, J. P. M., Moura, M. G., & Ferreira, P. M. P. (2015). O papel terapêutico do Programa Farmácia Viva e das plantas medicinais. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, 17, 550-561.

Psiquiatria, I. (2017). Características básicas do transtorno de ansiedade generalizada. Medicina (Ribeirão Preto, online), 50(Supl 1), 51-5.

Saad, G. A., Léda, P. H. O., Sá, I. M., & Seixlack, A. C. C. Fitoterapia contemporânea: tradição e ciência na clínica prática. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2016. 468 p. Português.

Schönhofen, F. D. L., Neiva-Silva, L., Almeida, R. B. D., Vieira, M. E. C. D., & Demenech, L. M. (2020). Transtorno de ansiedade generalizada entre estudantes de cursos de pré-vestibular. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, 69(3).

Silva, S. M. (2011). Sistemas e épocas de cultivo na produção agronômica e de óleo essencial de Melissa officinalis L.

Silva, T. C. (2015). Produção de biomassa teor e composição química do óleo essencial de Melissa officinalis L. sob omissão de nutrientes e em consorcio com Anchillea millefolium L., 2015. Dissertação (mestrado acadêmico) –Universidade Federal de Lavras.

Silva, N. L., Araújo, Í. P. C., Ferreira, M. R., Batista, T. B. A. S., Fernando, W. L., & Rodrigues, F. (2017). Determinação da atividade antioxidante e do teor de flavonoides totais equivalentes em quercetina em extrato aquoso de folhas de Cymbopogon citratus (dc) stapf e Melissa officinalis lam obtidos por decocção. Conexão Ciência, Formiga-MG, 12(1), 46-53.

Trindade, M. T., Bezerra, N. N., Starling, P. S., Viana, E. D. S. M., Torres, S. A. M., & Gusman, G. S. (2019). Atenção farmacêutica na fitoterapia. ANAIS SIMPAC, 10(1).

Valério, T. P., Cubo, M. F., Hacke A. C. M., Vellosa J. C. R., & Pereira R. P. (2017). Avaliação do potencial antioxidante e da possível toxicidade do extrato aquoso de Melissa officinalis.

Yaman, C. (2020). Chás de sálvia e erva-cidreira: Quantidade e do tempo de infusão no benefício do conteúdo. Ciência e Agrotecnologia, 44.

Published

13/11/2021

How to Cite

SILVA, M. J. da .; GOMES, M. L. B. .; SIQUEIRA, L. da P. . Alternative treatment for anxiety based on the medicinal plant Melissa Officinalis (lemon balm) - a literature review. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 14, p. e532101422349, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i14.22349. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/22349. Acesso em: 20 jun. 2024.

Issue

Section

Review Article