Telling Stories, Treading Paths: The experience of residency in mental health in the care of health’s workers

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i14.22417

Keywords:

Workers’ health; Mental health; Multiprofessional residency.

Abstract

Worker's health is an essential theme, especially when understanding that work builds the person. In the area of ​​health, there is an even clearer need for care for these people. This article aims to tell the experience lived as a multidisciplinary resident in mental health, developing actions thinking about the mental health of health workers in a management context and in primary care. It is an experience report that uses as methodological tools the field diary and participant observation, constituting a qualitative research that uses content analysis. The proposed interventions, although punctual, had positive impacts, demonstrating the importance of affection and pause for these workers, fostering collective support. Thus, residency is perceived as a possibility of care combined with continuing education in health, as it is capable of pointing out existing gaps and doing something about the care demands made.

Author Biographies

Vanessa Ruffatto Gregoviski, Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Psicóloga. Especialista em Saúde Mental pela Residência Multiprofissional de Saúde Mental na Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Mestre em Psicologia pela UNISINOS. Doutoranda em Psicologia (UNISINOS). 

Luiz Alberto dos Santos Ferreira, Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Professor de Educação Física, residência em Saúde Coletiva com ênfase em Saúde Mental, mestre em Ciências do Movimento Humano. Doutor em Saúde Coletiva. Professor do curso de Educação Física da Universidade do Vale do Rio dos Sinos.

References

Amaral, M. X. G., et al. (2008). Reações emocionais do médico residente frente ao paciente em cuidados paliativos. Revista da SBPH, 11(1), 61-86.

Antunes, R. (2018). O privilégio da servidão. São Paulo: Boitempo.

Bardin, L. (2011). Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Barros, R. B. De; Barros, M. E. B. De. Da dor ao prazer no trabalho. In: Santos-Filho, S. B.; Barros, M. E. B. De (Org.) Trabalhador de Saúde, muito prazer! Protagonismo dos Trabalhadores na Gestão do Trabalho em Saúde (pp. 61-71). Ijuí: Unijuí.

Barros, A. C. F. de, & Bernardo, M. H. (2017). A lógica neoliberal na saúde pública e suas repercussões para a saúde mental de trabalhadores de CAPS. Revista de Psicologia da UNESP, 16(1), 60-74.

Bastos, R. A., Quintana, A. M. & Carnevale, F. (2018). Angústias Psicológicas Vivenciadas por Enfermeiros no Trabalho com Pacientes em Processo de Morte: Estudo Clínico-Qualitativo. Trends in Psychology [online]. 26 (2), 795-805.

Bendassolli, P. F. (2012). Reconhecimento no trabalho: perspectivas e questões contemporâneas. Psicologia em Estudo. 17(1), 37-46.

Biagi, B. A. D. & Rasera, E. F. (2018). A construção da responsabilidade relacional em terapia familiar. Pensando familias, 22(1), 3-17.

Bottcher, E.; Monteiro, J. K. (2020). Engajamento no trabalho em gestores: influência de recursos pessoais e do trabalho. REVISTA PSICOLOGIA: ORGANIZAÇÕES E TRABALHO. 21, 1327-1335.

Bouyer, G. C. (2010). Contribuição da Psicodinâmica do Trabalho para o debate: "o mundo contemporâneo do trabalho e a saúde mental do trabalhador". Revista Brasileira de Saúde Ocupacional [online]. 35(122), 249-259.

Brasil (2001). Lei nº 10.216, de 6 de abril de 2001.

Brasil (2005). Lei nº 11.129, de 30 de junho de 2005. Institui o Programa Nacional de Inclusão de Jovens - ProJovem; cria o Conselho Nacional da Juventude - CNJ e a Secretaria Nacional de Juventude; altera as Leis nos 10.683, de 28 de maio de 2003, e 10.429, de 24 de abril de 2002; e dá outras providências. Diário Oficial da União.

Brasil. (2007). Portaria nº 45, de 12 de janeiro de 2007. Dispõe sobre a Residência Multiprofissional em Saúde e a Residência em Área Profissional da Saúde e institui a Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde. Diário Oficial da União.

Brasil. (2009). Portaria nº 1.077, de 12 de novembro de 2009. Dispõe sobre a Residência Multiprofissional em Saúde e a Residência em Área Profissional da Saúde, e institui o Programa Nacional de Bolsas para Residências Multiprofissionais e em Área Profissional da Saúde e a Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde. Diário Oficial da União.

Brasil. (2012). Portaria nº 1.224, de 03 de outubro de 2012. Altera a Portaria Interministerial nº 1.077, de 12 de novembro de 2009, e a Portaria Interministerial nº 1.320, de 11 de novembro de 2010, que dispõem sobre a Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde - CNRMS. Diário Oficial da União.

Ceccim R. B. (2010). A educação permanente em saúde e as questões permanentes à formação em saúde mental. Caderno Saúde Mental [online]. 3(1):67-90.

Damascena, D. M. & Vale, P. R. L. F. (2020). Tipologias da precarização do trabalho na atenção básica: um estudo netnográfico. Trabalho, Educação e Saúde [online], 18(3).

Dejours, C. (1991). A loucura do trabalho. São Paulo: Cortez Editora.

Dejours, C. (2014). Trabalho, Tecnologia e Organização: Avaliação do trabalho submetida à prova do real (2nd ed.; L. I. Sznelwar & F. L. Mascia, Eds.). São Paulo: Blucher.

Dourado, A. D., & Zambroni-de-Souza, P. C. (2020). Motivação e trabalho: investigação sobre a experiência dos jovens no primeiro emprego. Psicología, Conocimiento y Sociedad, 10(2), 5-20.

Ferreira, M. C. “Chegar feliz e sair feliz do trabalho”: Aportes do Reconhecimento no Trabalho para Uma Ergonomia Aplicada à Qualidade de Vida no Trabalho. In: MENDES, A. M. (Org.) Trabalho e saúde: O sujeito entre emancipação e servidão. Curitiba: Juruá, 2008. 1ª ed., p. 40-53.

Giongo, C. R. ; Monteiro, J. K. & Sobrosa, G. M. R. (2015). Psicodinâmica do Trabalho no Brasil: revisão sistemática da literatura. Temas em Psicologia. 23, 803-814.

Gomez, C. M., Vasconcellos, L. C. F. de e Machado, J. M. H. (2018). Saúde do trabalhador: aspectos históricos, avanços e desafios no Sistema Único de Saúde. Ciência & Saúde Coletiva [online]. 23(6), 1963-1970.

Heloani, R. & Lancman, S. (2004). Psicodinâmica do trabalho: o método clínico de intervenção e investigação. Production [online]. 14(3), 77-86.

Martinez, M. C., & Paraguay, A. I. B. Z. (2003). Satisfação e saúde no trabalho: aspectos conceituais e metodológicos. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, 6, 59-78.

Martins, C., & Waclawovsky, A. (2015). Problemas e Desafios Enfrentados pelos Gestores Públicos no Processo de Gestão em Saúde. Revista De GestãO Em Sistemas De SaúDe, 4(1), 100-109.

Mendes, A. M. Prazer. (2008). Reconhecimento e Transformação do Sofrimento no Trabalho. In: Mendes, A. M. (Org.) Trabalho e saúde: O sujeito entre emancipação e servidão (pp. 13-25). Curitiba: Juruá.

Mendes, A. N. (2016). A saúde pública brasileira num universo "sem mundo": a austeridade da Proposta de Emenda Constitucional 241/2016. Cadernos de Saúde Pública [online]. 32(12).

Merhy, E. E. & Franco, T. B. (2003). Por uma Composição Técnica do Trabalho Centrada nas Tecnologias Leves e no Campo Relacional. Saúde em Debate, 27(65).

Monteiro, J. K.; Vieira, F. O. (Org.); Mendes, A. M. (Org.). (2015). Trabalho & Prazer - Teoria, Pesquisas e Práticas. Curitiba: Juruá.

Oliniski, S. R.; Lacerda, M. R. (2006). Cuidando do cuidador no ambiente de trabalho: uma proposta de ação. Rev. bras. enferm. 59(1), 100-104.

Patricio, S.; Gregoviski, V. R. (2020). A Precarização do Trabalho e da Saúde. In: Mattos, A. C. E.; Gregoviski, V. R. (Org.). A Saúde Mental em Evidência: Narrativas de um Caminho Utópico. (pp. 53-63). São Leopoldo: Casa Leiria.

Pires, D. E. P. de et al. (2019). Gestão na atenção primária: implicações nas cargas de trabalho de gestores. Revista Gaúcha de Enfermagem [online]. 40.

Ribeiro, A. C. de A. et al. (2011). Resiliência no trabalho contemporâneo: promoção e/ou desgaste da saúde mental. Psicol. estud. 16(4), 623-633.

Rollo, A. de A. (2007). É possível valorizar o trabalho na saúde num mundo “globalizado”? In: Santos-Filho, S. B.; Barros, M. E. B. De (Org.) Trabalhador de Saúde, muito prazer! Protagonismo dos Trabalhadores na Gestão do Trabalho em Saúde (pp. 19-59). Ijuí: Unijuí.

Santos, M. F. R. dos, & Kuhn, M. F. (2021). Saúde como direito humano: vivências do cotidiano no SUS. Research, Society and Development, 10(12).

Silva, C. T. da et al. (2016). Residência Multiprofissional Como Espaço Intercessor Para A Educação Permanente Em Saúde. Texto & Contexto - Enfermagem [online]. 25(1).

Silva, R. P. da, Barbosa, S. C., Silva, S. S., & Patrício, D. F. (2015). Burnout e estratégias de enfrentamento em profissionais de enfermagem. Arquivos Brasileiros de Psicologia, 67(1), 130-145.

Silva, C. A. da e Dalbello-Araujo, M. (2019). Programa de Residência Multiprofissional em Saúde: o que mostram as publicações. Saúde em Debate [online]. 43(123), 1240-1258.

Sousa, K. O. de, & Barros, L. M. (2018). Estresse e Estratégias de Enfrentamento de Gestores de Saúde. Estudos e Pesquisas em Psicologia, 18(2), 496-515.

Published

11/11/2021

How to Cite

GREGOVISKI, V. R. .; FERREIRA, L. A. dos S. . Telling Stories, Treading Paths: The experience of residency in mental health in the care of health’s workers. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 14, p. e500101422417, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i14.22417. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/22417. Acesso em: 24 jun. 2024.

Issue

Section

Health Sciences