Analysis of the efficiency of slow filtration for the water treatment of a born situated in the rural area of Passabém – MG

Authors

  • Deisiane Elice da Silva Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira - FUNCESI
  • Juni Cordeiro Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira - FUNCESI
  • Giovanna Moura Calazans Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG
  • Ellen Dayane Vieira Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira - FUNCESI
  • Shirlei Luana Chaves e Sousa Pereira Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira - FUNCESI

DOI:

https://doi.org/10.17648/rsd-v7i6.235

Keywords:

Water supply; Rural communities; Slow filter.

Abstract

Residents of rural communities do not always have access to treated water, culminating in the use of water of doubtful quality. Thus, in order to improve the quality of water from a source used for supply at Fazenda Córrego dos Pinheiros, located in the rural area of Passabém (MG), this work aims to evaluate the efficiency of a slow filtration system for the removal of total solids, turbidity and Escherichia coli (E. coli). In addition, satellite images analyzed the use and occupation of the soil in this region in the last ten years and the neighbors’ perception about the water quality consumed by them. Data were collected through experimental research, laboratory research, documentary analysis and questionnaires, which were treated through descriptive statistics and content analysis. Thus, in the last 10 years, there was a small regeneration in an area of forest preserved in the vicinity of the farm, in addition, there was no increase in the number of buildings in the surroundings. Among the parameters that were analyzed, the slow filter proved to be efficient for the treatment of water, since with respect to E. coli, for example, a 100% removal efficiency was observed. However, it is noteworthy that the verified results regarding turbidity, total solids and pH parameters were already in compliance with Ministry of Health Ordinance nº 2.914/2011 before being submitted to the slow filter treatment. Although all residents claim to use spring water, most of them did not do any treatment before. It can be seen that, in general, for the residents participating in this research, apparently clean water is a sufficient characteristic to guarantee their quality for consumption.

References

AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS (ANA). Indicadores de qualidade: índice de qualidade das águas (IQA). Brasília, 2017. Disponível em: <http://portalpnqa.ana.gov.br/indicadores-indice-aguas.aspx>. Acesso em: 09 nov. 2017.

ALMEIDA, M. S., SOUSA, A. O., ALMEIDA, A. P. A. Tratamento de água: sistema filtro lento acoplado a um canal de garrafas pet. Workshop Internacional sobre água no semiárido brasileiro. 2015. Disponível em: <http://www.editorarealize.com.br/revistas/aguanosemiarido/trabalhos/TRABALHO_EV044_MD4_SA6_ID108_28102015200158.pdf>. Acesso em: 12 nov. 2017.

AMERICAN PUBLIC HEALTH ASSOCIATION (APHA). Standard Methods for the Examination of Water and Wastewater. 22. Ed. Washington: APHA, 2012.

APPOLINÁRIO, F. Metodologia da ciência: filosofia e prática da pesquisa. São Paulo: Pioneira, 2009.

BOTELHO, J. M.; CRUZ, V. A. G. Metodologia científica. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2013.

BRASIL. Decreto nº 100 de 16 de Abril de 1991. Institui a Fundação Nacional da Saúde e dá outras providências. Diário da União. Brasília, DF, 16 de Abril de 1991. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1990-1994/D0100.htm>. Acesso em: 05 dez. 2017.

BRASIL. Lei nº 11.445 de 05 de Janeiro de 2007. Estabelece diretrizes nacionais para o saneamento básico; altera as Leis nos 6.766, de 19 de dezembro de 1979, 8.036, de 11 de maio de 1990, 8.666, de 21 de junho de 1993, 8.987, de 13 de fevereiro de 1995; revoga a Lei no6.528, de 11 de maio de 1978; e dá outras providências. Diário da União. Brasília, DF, 05 de Janeiro de 2007. Disponível em:

<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/lei/l11445.htm>. Acesso em: 27 nov. 2017.

BRASIL. Portaria n° 2.914, de 12 de Dezembro de 2011. Dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade. Ministério da Saúde. Brasília, DF, 12 de dezembro de 2011. Disponível em: < http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt2914_12_12_2011.html>. Acesso em: 09 dez. 2017.

BRASIL. Lei n° 12.651, de 25 de Maio de 2012. Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa; altera as Leis nos 6.938, de 31 de agosto de 1981, 9.393, de 19 de dezembro de 1996, e 11.428, de 22 de dezembro de 2006; revoga as Leis nos 4.771, de 15 de setembro de 1965, e 7.754, de 14 de abril de 1989, e a Medida Provisória no 2.166-67, de 24 de agosto de 2001; e dá outras providências. Diário de União. Brasília, DF, 25 de Maio de 2012. Disponível em:< http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12651.htm>. Acesso em: 07 de nov. 2017.

COELHO, E. R. C. Influência da pré-oxidação com ozônio e peróxido de hidrogênio na remoção de atrasina em filtros lentos de areia e carvão ativado granular. Tese (Doutorado). Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2002. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/18/18138/tde-01122016-122301/en.php>. Acesso em: 12 dez. 2017.

CONSELHO INTERMUNICIPAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL. Manual de saneamento rural. Uberlândia, Associação dos Municípios da Microrregião do Vale do Paranaíba, 2006. Disponível em: <http://www.hidro.ufcg.edu.br/twiki/pub/SaneamentoAmbiental0/SemestreAtual/ManualdeSaneamentoRural.pdf>. Acesso em: 13 dez. 2017.

DI BERNARDO, L.; PAZ, L. P. S. Seleção de tecnologias de tratamento de água. São Carlos: LDiBe, 2009.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA (EMBRAPA). Sistema Simplificado para Melhoria da Qualidade da Água Consumida nas Comunidades Rurais do Semiárido do Brasil. Jaguariúna, 2006. Disponível em: <http://www.cnpma.embrapa.br/download/documentos_53.pdf>. Acesso em: 05 dez. 2017.

EMPRESA DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL DE MINAS GERAIS (EMATER - MG). Água para consumo na propriedade rural. Belo Horizonte, 2012. Disponível em: <http://www.emater.mg.gov.br/doc/intranet/upload/DETEC_Ambientalcartilha%20%C3%A1gua%20para%20consumo%20na%20propriedade%20rural.pdf>. Acesso em: 09 nov. 2017.

FEITOSA, N. B.; FILHO, C. F. M. Abastecimento de água no meio rural. Campina Grande: UFCG, 2009. Disponível em: <http://www.dec.ufcg.edu.br/saneamento/A0.html>. Acesso em: 05 dez. 2017.

FLORENZANO, T. G. Inicialização em sensoriamento remoto. 3. Ed. São Paulo: Oficina de textos. 2013.

FUNDAÇÃO NACIONAL DA SAÚDE (FUNASA). Manual de Saneamento. Ministério da Saúde, 2007. Disponível em: <http://www.feis.unesp.br/Home/departamentos/engenhariacivil/pos-graduacao/funasa-manual-saneamento.pdf>. Acesso em: 05 dez. 2017.

FUNDAÇÃO NACIONAL DA SAÚDE (FUNASA). Panorama do saneamento rural no Brasil. Ministério da Saúde, 2017. Disponível em: <http://www.funasa.gov.br/panorama-do-saneamento-rural-no-brasil>. Acesso em: 27 nov. 2017.

GERHARDT, T. E.; SILVEIRA, D. T. Métodos de pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

GONÇALVES, R. F.; BASTOS, F. P. Potabilização de água de chuva através de filtração lenta e desinfecção ultravioleta para abastecimento descentralizado de comunidades. Vitória, ES: UFES, 2012. Disponível em: <http://www.tratamentodeagua.com.br/wp-content/uploads/2016/08/Potabiliza%C3%A7%C3%A3o-de-%C3%A1gua-de-chuva-atrav%C3%A9s-de-filtra%C3%A7%C3%A3o-lenta-e-desinfec%C3%A7%C3%A3o-ultravioleta-para-abastecimento-descentralizado-de-comunidades.pdf>. Acesso em: 12 dez. 2017.

GOOGLE. Google Earth. Versão 7.1.5.1557. 2015. Nota: Passabém (MG). Disponível em: <http://www.google.com/earth/ download/ge/agree.html>. Acesso em: 13 dez. 2017.

GUIMARÃES, A. J. A.; CARVALHO, D. F.; SILVA, L. D. B. Saneamento Básico. Rio de Janeiro: UFRRJ, 2007. Disponível em: <http://www.ufrrj.br/institutos/it/deng/leonardo/downloads/APOSTILA/Apostila%20IT%20179/Capit%204%20parte%202.pdf>. Acesso em: 06 nov. 2017.

HELLER, L.; PÁDUA, V. L. Abastecimento de água para consumo humano. 2. Ed. Belo Horizonte: UFMG, 2010.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo demográfico de 2010: Passabém, Minas Gerias. 2010a. Disponível em: <http://www.cidades.ibge.gov.br/xtras/temas.php?lang=&codmun=314750&idtema=1&search=minas-gerais|passabem|censo-demografico-2010:-sinopse->. Acesso em: 27 nov. 2017.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Carta Internacional ao Milionésimo. 2010b. Disponível em: <http://mapas.ibge.gov.br/ interativos/servicos/wms-do- arcgis>. Acesso em: 10 dez. 2017.

LIBÂNIO, M. Fundamentos de qualidade e tratamento de água. 2. Ed. Campinas: Átomo, 2008.

LOPES, F. W. A; MAGALHÃES Jr. Avaliação da qualidade das águas para recreação de contato primário na bacia do alto rio das Velhas – MG. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, Uberlândia, v. 6, p. 133-150, 2010.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 7. Ed. São Paulo: Atlas, 2010.

MORAES, R. Análise de conteúdo. Revista Educação, Porto Alegre, v. 22, n. 37, p. 7-32, 1999. Disponível em <http://cliente.argo.com.br/~mgos/analise_de_conteudo_moraes.html>. Acesso em: 02 dez. 2017.

PATERNIANI, J. E. S., CONCEIÇÃO, C. H. Z. Eficiência da pré-filtração e filtração lenta no tratamento de água para pequenas comunidades. Campinas, SP. Eng. ambient., Espírito Santo do Pinhal, v.1, n.1, jan./dez., 2004. Disponível em: <http://www.aguadechuva.com/download/ea-2005-7.pdf>. Acesso em: 12 nov. 2017.

PIVELI, R. P.; KATO, M. T. Qualidade das águas e poluição: Aspectos Físico-químicos. ABES, 2006.

PRODANOV, C. C.; FREITAS, E. C. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. Ed. Novo Hamburgo: Universidade Freevale, 2013.

RICHTER, C. A. Água: métodos e tecnologias de tratamento. São Paulo: Editora Blucher, 2009.

RODRIGUES, A. S. Desempenho de um sistema de filtração lenta de água em argila expandida e geotêxtil. Universidade do Minho, Escola de Engenharia, 2014. Disponível em: <http://hdl.handle.net/1822/36102>. Acesso em: 18 nov. 2017.

SILVA, V. B.; GASPARETTO, N. V. L. Qualidade da água na sub-bacia do rio do Campo - Campo Mourão-PR. Revista Brasileira de Geografia Física, UFPE, v. 09, n. 02, 2016. Disponível em <http://www.revista.ufpe.br/rbgfe/index.php/revista/article/download/1167/94>. Acesso em: 18 nov. 2017.

VALENTE, O. F., GOMES, M., A. Conservação de nascentes: Produção de pagua em pequenas bacias hidrográficas. 2 ed. Viçosa, MG: Aprenda Fácil, 2013.

VERGARA, S. C. Métodos de coleta de dados no campo. São Paulo: Atlas, 2009.

VON SPERLING, M. Introdução à qualidade das águas e ao tratamento de esgotos. 4. Ed. Belo Horizonte: UFMG, 2014.

Published

30/01/2018

How to Cite

SILVA, D. E. da; CORDEIRO, J.; CALAZANS, G. M.; VIEIRA, E. D.; PEREIRA, S. L. C. e S. Analysis of the efficiency of slow filtration for the water treatment of a born situated in the rural area of Passabém – MG. Research, Society and Development, [S. l.], v. 7, n. 6, p. e676184, 2018. DOI: 10.17648/rsd-v7i6.235. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/235. Acesso em: 8 mar. 2021.

Issue

Section

Articles