Perception of young adults about aging

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i17.24176

Keywords:

Aging; Young; Perception.

Abstract

Plants with medicinal purposes are part of the great biodiversity, and are introduced in the life of the population since the most Aging is understood to be part of the natural process of human development, which brings changes both physically and psychically. In addition to being biological, inherent and inevitable, it is also culturally constructed, and the environment in which you live can influence the perception of people in a certain society and culture. Therefore, the objective was to identify the perception of young adults about the aging process, and as specific objectives to characterize the sample in relation to the sociodemographic profile; investigating the acceptance of aging itself, as well as the knowledge and positioning of the sample in relation to the rights of the elderly. It is field research, descriptive, quantitative, and carried out online with a sample of 240 participants. As a tool, a semi-structured questionnaire was used, and the results were processed using the SPSS. This study followed all the ethical guidelines of the Resolution 466/12. Most participants perceived aging as a positive stage of life. They were not afraid of getting old. Also, they were prone to know and agree with the Public Policies of the elderly. n this way, there is a change in the negative and stereotyped view that society has historically presented in relation to the elderly, giving rise to a more positive and natural understanding of old age.

References

Almiro, P. A. (2017). Uma nota sobre a desejabilidade social e o enviesamento de respostas. Aval Psicol 16(3).

Andrade, L. M., Sena E. L. D. S., Pinheiro, G. M. L., Meira, E. C., & Lira, L. S. S. P. (2013). Políticas públicas para pessoas idosas no Brasil: uma revisão integrativa. Ciência & Saúde Coletiva. 18: 3543-3552.

Boaventura, V. C. Representações Sociais da Velhice: estudo realizado junto aos jovens do ensino médio do Colégio Estadual Edvaldo Brandão Correia e do Colégio Simonton, Cachoeira – BA. Monografia (Graduação em Serviço Social) - Centro de artes, humanidades e letras – CAHL, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Cachoeira; 2012.

Brasil, Lei n 10.741/2003. Dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outras providências. Brasília: Senado Federal, https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/530232/estatuto_do_idoso_1ed.pdf.

Brasil, Ministério da Saúde. Portaria nº 2.528, de 19 de outubro de 2006. Aprova a política nacional de saúde da pessoa idosa. Brasília, DF, 19 out. 2006; http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2006/prt2528_19_10_2006.html.

Brasil, Lei nº 8.842, de 4 de janeiro de 1994. Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências. Presidência da República – Casa civil – subchefia para assuntos jurídicos, Brasília, DF, 4 jan. 1994; http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8842.htm.

Caldas C. P., & Thomaz A. F. A velhice no olhar do outro: uma perspectiva do jovem sobre o que é ser velho 2010. Revista Kairós: Gerontologia; 13(2): 75-89.

Ciosak, S. I., Braz, E., Costa, M. F. B. N. A., Nakano, N. G. R., Rodrigues, J., Alencar, R. A., & Rocha, A. C. A. Senescência e senilidade: novo paradigma na atenção básica de saúde. Revista da Escola de Enfermagem da USP (2011), 45: 1763-1768.

Câmara dos deputados, Decreto Nº 9.921, de julho de 2019. Diário Oficial da União - Seção 1. Palácio do Congresso Nacional - Praça dos Três Poderes - Brasília - DF – Brasil; 2019 https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/2019/decreto-9921-18-julho-2019-788848-publicacaooriginal-158755-pe.html.

Cajueiro, R. L. P. (2013). Manual para elaboração de trabalhos acadêmicos: guia prático do estudante. (3a ed.), Saraiva

Guterres, C. C., & Virginia, C. A. S. (2016). A política nacional de saúde da pessoa idosa (PNSPI): a visão dos gestores em Santa Cruz Do Sul e região. Jornada de Pesquisa em Psicologia; 2016.

Cruz, R. C. D., & Ferreira, M. D. A. (2011); Um certo jeito de ser velho: representações sociais da velhice por familiares de idosos. Texto & Contexto-Enfermagem. 20(1): 144-151.

Del-Masso, M. C. S. (2015). Universidade aberta à terceira idade: percurso de uma história na UNESP. Envelhecimento humano: diferentes olhares. Marília: Cultura Acadêmica: 19-39.

Horn, V. Q. A imagem da velhice na contemporaneidade. Santa Rosa, 2013. Monografia (Graduação em Psicologia) - Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul- Unijuí, 2013.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Projeções da População. Edição 2018.

IHU – Instituto Humanitas Unisinos (Revista Online) O envelhecimento populacional segundo as novas projeções do IBGE. Setembro de 2018. http://www.ihu.unisinos.br/78-noticias/582356-o-envelhecimento-populacional-segundo-as-novas-projecoes-do-ibge.

Marconi, M. A. & Lakatos, E. M. (2018). Fundamentos de Metodologia Científica. Atlas.

Marin, M. J. S., & Panes, V. C. B. (2015). O envelhecimento e a questão da qualidade de vida. In: DÁTILO, Gilsenir Maria Prevelato de Almeida; Cordeiro AP (Orgs.) Envelhecimento Humano: diferentes olhares. Cultura Acadêmica; 221- 237.

Martins, M. S., & Massarollo, M. C. K. B. (2010). Conhecimento de idosos sobre seus direitos. Acta Paul Enferm. 4: 479-485.

Moresi E. Metodologia da Pesquisa. Brasília, 2003. Monografia (Pós-Graduação stricto sensu em gestão do conhecimento e tecnologia da informação) - Universidade Católica de Brasília, 2003.

Miranda, G. M. D., Mendes, A. D. C. G., & Silva, A. L. A. D. O envelhecimento populacional brasileiro: desafios e consequências sociais atuais e futuras. Revista brasileira de geriatria e gerontologia; 2016; 19: 507-519.

Paz, S. F., de Melo, C. A., & da Motta Soriano, F. A violência e a violação de direitos da pessoa idosa em diferentes níveis: individual, institucional e estatal. O social em questão; 2012; (28): 57-83.

Penzin, F. L. (2007). Direito dos Idosos: A Gratuidade nos Transportes Coletivos Urbanos. Monografria (Graduação em Direito) - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, 2007.

dos Pinheiro, O. D., & Areosa, S. V. C. (2019). A importância de políticas públicas para idosos. Revista Baru-Revista Brasileira de Assuntos Regionais e Urbanos; 4(2): 183-193.

Rosa, C. S. (2014). A velhice na cultura ocidental: considerações sobre a experiência contemporânea de envelhecer. Ijuí, Monografia (Graduação em Psicologia) - Universidade Regional do Rio Grande do Sul, 2014.

Santos, J. S. D. (2013). Atendimento preferencial no Estatuto e na voz do idoso: uma análise discursiva. Linguagem em (Dis) curso; 13: 243-271.

Schneider, R. H., & Irigaray, T. Q. (2008). O envelhecimento na atualidade: aspectos cronológicos, biológicos, psicológicos e sociais. Estudos de Psicologia (Campinas); 2008; 25: 585-593.

Takeuti, N. M. Paradoxos societais e juventude contemporânea. Estudos de Psicologia (Natal); 2012; 17: 427-434.

Teixeira, L. M. F. (2010). Solidão, depressão e qualidade de vida em idosos: um estudo avaliativo exploratório e implementação-piloto de um programa de intervenção. Monografia (Mestrado em Psicologia) – Universidade de Lisboa, 2010.

Torres, T. D. L., Camargo, B. V., Boulsfield, A. B., & Silva, A. O. (2015). Representações sociais e crenças normativas sobre envelhecimento. Ciência & Saúde Coletiva; 20: 3621-3630.

Veras, M. L. M., Teixeira, R. S., Granja, F. B. C., & Batista, M. D. R. F. F. (2015). Processo de envelhecimento: um olhar do idoso. Revista interdisciplinar; 8(2): 113-122.

Veras, R. P., & Oliveira, M. (2018). Envelhecer no Brasil: a construção de um modelo de cuidado. Ciência & saúde coletiva; 23(6): 1929-1936.

Vieira, R. D. S., & Lima, M. E. O. (2015). Estereótipos sobre os idosos: dissociação entre crenças pessoais e coletivas. Temas em Psicologia; 23(4): 947-958.

Whitaker, D. C. A. (2010). O idoso na contemporaneidade: a necessidade de se educar a sociedade para as exigências desse" novo" ator social, titular de direitos. Cadernos Cedes; 30(81):179-188.

Published

21/12/2021

How to Cite

MEDEIROS , J. W. da C. .; VIEIRA, K. F. L.; FERREIRA, M. D. L. .; LUCENA, A. L. R. de . Perception of young adults about aging. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 17, p. e68101724176, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i17.24176. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/24176. Acesso em: 17 jan. 2022.

Issue

Section

Human and Social Sciences